[Resenha] Os Sete, de André Vianco

15 janeiro 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788576573388
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 432
Gênero: Terror/ Sobrenatural
Editora: Aleph
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Nobres homens de bem, jamais ouseis profanar este túmulo maldito. Aqui estão sepultados demônios viciados no mal e aqui devem permanecer eternamente. Que o Santo Deus e o Santo Papa vos protejam. Uma caravela portuguesa naufragada com mais de 500 anos é descoberta no litoral brasileiro. Dentro dela, uma estranha caixa de prata lacrada esconde um segredo. Apesar do aviso grafado, com a recomendação de não abri-la, a equipe de mergulhadores que a descobriu decide seguir em frente, e encontra sete cadáveres. Esses corpos misteriosos e cadavéricos são levados para estudos e tudo parece estar sob controle até o despertar do primeiro deles. 
Eis aqui um livro que me surpreendeu pela qualidade editorial e pela qualidade da escrita de André Vianco. A capa do livro é um primor e mostra bem cada um dos sete vampiros descritos pelo autor em sua história. Por aí já dá para se ter uma ideia do que vem pela frente. São trinta e cinco capítulos recheados de mistério, suspense, ação e terror; além de ótimos diálogos, personagens carismáticos, boa ambientação, construção impecável das personalidades principais e, o melhor de tudo, vampiros com poderes sobrenaturais.

E tudo começa com a exploração de uma caravela portuguesa do século XV, naufragado na costa brasileira. Ali os pesquisadores, liderados por Delvechio, vão encontrar sete corpos aparentemente intactos, aparentemente mumificados. Ele e sua equipe, composta por Tiago, César, Eliana, Diaz, entre outros, vão se deparar com outra descoberta fantástica quando, sob um frio intenso, abaixo de zero – que subitamente toma conta do galpão para onde o grupo leva os corpos recuperados do navio naufragado -, traz à vida um dos corpos; ou melhor dizendo, um dos vampiros: Inverno.

Comentários via Facebook

[RESENHA] Chapeuzinho Esfarrapado e outros contos feministas do folclore mundial

06 dezembro 2016
Postado por Livy

ISBN: 9788555340208
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 248
Gênero: contos
Editora: Seguinte
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Quem disse que as mulheres nos contos de fadas são sempre donzelas indefesas, esperando para ser salvas pelo príncipe encantado? Esta coletânea reúne narrativas folclóricas do mundo inteiro — do Peru à África do Sul, da Escócia ao Japão — em que as mulheres são as heroínas das histórias e vencem os desafios com esforço, coragem e muita inteligência. Este livro é para todo mundo que não se identifica com as princesas típicas dos contos de fadas. É para garotas e garotos, para que todos possam aprender que as maiores virtudes de um herói não são exclusivas a um só gênero. Enriquecida com textos de apoio e ilustrações modernas, esta edição é uma fonte inestimável de heroínas multiculturais — e indispensável para qualquer estante.

Confesso que não sou sou grande apreciadora de livros de contos. Mas, se o assunto me interessa, sim, eu me rendo aos encantos desses livros. Foi o que aconteceu com Chapeuzinho Esfarrapado e Outros Contos Feministas do Folclore Mundial, livro organizado por Ethel Johnston Phelps, e publicado originalmente em 1978, que traz vinte e cinco contos folclóricos mundiais. Mas com um diferencial de tantos outros contos que você já leu e cresceu conhecendo: eles trazem protagonistas femininas fortes.

Você cresceu assistindo, ouvindo, lendo ou conhecendo os mais açucarados contos de fadas, fábulas cheias de magia e poder. Porém, pare um pouco para refletir a forma com que as mulheres são retratadas nestas histórias. Se sua resposta pendeu para o lado romântico, amiga, preciso te alertar: não! As mulheres têm sido retratadas ao longo da história de forma passiva, como mulheres frágeis, dóceis, submissas. E até burras e ignorantes, em alguns casos. Mulheres que precisam de um príncipe para fugir de uma situação ao qual elas mesmas não conseguem escapar, ou que precisam deste mesmo príncipe para ser feliz. Isso para ilustrar de forma bem suave a situação.

Nada contra os clássicos contos de fadas (principalmente os da Disney, cof cof). Porém o modo como a mulher é "pintada" na maioria destes contos é sim bem embaraçoso e, muitas vezes, vergonhoso. É com esta vontade de mostrar o valor de ser mulher, dona de si mesma, heroína de sua própria história, feliz por simplesmente ser, que Ethel resolveu reunir estes contos fabulosos que mostram a força feminina, e que nem ao menos imaginávamos existir. Aí sim, cara amiga, dá gosto de dizer que se é representada por um conto.

Comentários via Facebook

[Resenha] Uma Mensagem de Esperança, de Tom Michell

03 dezembro 2016
Postado por Livy

ISBN: 978-85-68696-31-6
Tradução: Marcia Frazão
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 256
Gênero: biografia / não ficção / memórias / animais
Selo: Bicicleta Amarela
Editora: Rocco
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Ao resgatar um pinguim de um vazamento de óleo na costa uruguaia, o inglês Tom Michell não imaginou que ganharia um amigo para toda a vida. Recusando-se a ser devolvido ao mar e deixar seu salva-vidas, a desengonçada ave ganha o nome de Juan Salvador e passa a fazer parte do dia a dia de Tom, levando alegria e uma mensagem de esperança e amizade a todos que conviveram com ele. Esta é a história real e comovente da inusitada amizade entre um jovem professor de inglês vivendo na Argentina durante o regime militar nos anos 1970 e um pinguim. Um livro de memórias sobre saber

Antes de começar esta resenha, tenho que dizer que me encantei por esta capa e pela sinopse de Uma Mensagem de Esperança, livro de Tom Michell. Nele conhecemos a história verídica de um professor inglês que, ao passar um tempo no Uruguai, resgata um pinguim. Só por aqui já posso expressar o quanto este livro é um amorzinho!

Ao fazer uma viagem ao Uruguai, Tom presencia uma cena triste e horrível, vendo vários pinguins mortos em uma praia, por causa de uma mancha de óleo no mar. Ele acaba encontrando um pinguim que ainda está vivo, o resgata. Levando-o para casa, Tom decide cuidar do pinguim até que ele esteja bem o suficiente para voltar ao seu lar, o mar. E o batiza de Juan Salvador.

O simples plano de devolver o pinguim à natureza fica difícil quando Tom se vê completamente cativado pelo animal, que transforma sua vida de formas que ele jamais poderia imaginar. Juan também muda a vida de diversas pessoas ao seu redor, e se torna o centro das atenções: vira mascote de uma equipe de rúgbi, confidente, parceiro de festas, e até treinador de natação, e etc.

Em  Uma Mensagem de Esperança, temos uma história poderosa de amor e amizade, cheia de emoção e grandes lições; e mais uma vez aprendemos com os animais a enxergarmos a vida de forma diferente, muito mais simples e pura. Juan Salvador não só mudou a vida de Tom, como nos trouxe uma bela lição, para levarmos conosco para a vida toda, neste livro lindo!

Ele trouxe alegria e otimismo para muitas almas humanas em tempos de angústia e aflição e, desde então, tenho sido iluminado pelas lições ensinadas por Juan Salvador — um pinguim como nenhum outro.

Fica aqui minha mais sincera e humilde dica de leitura para vocês, daquelas especiais que me marcou muito! Recomendo fortemente!


Comentários via Facebook

[Resenha] O Problema dos Três Corpos, Cixin Liu

20 novembro 2016
Postado por Livy

ISBN: 9788556510204
Tradução: Leonardo Alves
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 320
Série: Remembrance of Earth’s Past , vol.1
Gênero: Ficção Científica
Editora: Suma de Letras
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: China, final dos anos 1960. Enquanto o país inteiro está sendo devastado pela violência da Revolução Cultural, um pequeno grupo de astrofísicos, militares e engenheiros começa um projeto ultrassecreto envolvendo ondas sonoras e seres extraterrestres. Uma decisão tomada por um desses cientistas mudará para sempre o destino da humanidade e, cinquenta anos depois, uma civilização alienígena a beira do colapso planeja uma invasão. 
Cixin Liu é considerado uma grande promessa entre os autores de ficção científica. Venceu oito vezes o mais importante prêmio chinês do gênero. Também foi o primeiro escritor não anglófono a ganhar o tão cobiçado Hugo, como melhor romance (prêmio esse entregue anualmente para os melhores trabalhos de ficção científica e fantasia, a nível global).

Só pelo fato de não ser um escritor de ficção científica de língua inglesa, os quais têm predomínio nesse gênero literário, o autor cativou minha atenção (e após a leitura, a minha admiração). Ao término da leitura, o que mais ficou evidente foi a excepcional criatividade de Cixin Liu. Uma criatividade digna dos grandes nomes do gênero, como: Artur C. Clarke, Robert Heinlein, Ray Bradbury, Isaac Asimov, Philip K. Dick, entre outros.

O Problema dos Três Corpos é um tour pelo que há de melhor na ficção científica moderna, numa linguagem rica em personagens, localidades e acontecimentos, diálogos e teorias científicas, com ótimas descrições, numa mescla de história e ficção. A história se passa no período da Revolução Cultural Chinesa, introduzindo a personagem Ye Wenjie, uma astrofísica, que passa por maus bocados até conseguir um cargo vitalício na Base Costa Vermelha, onde o governo chinês está desenvolvendo experimentos ultrassecretos. Décadas depois, somos apresentados ao protagonista da história, Wang Miao, um especialista em nanomateriais que, num belo dia, se depara com uma contagem regressiva metafísica que o leva a participar de um jogo online chamado Três Corpos.

Comentários via Facebook

[Resenha] Seeker - A Guerra dos Clãs, de Arwin Elys Dayton

16 novembro 2016
Postado por Livy

ISBN: 9788568263402
Tradução: Lucas Peterson
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 416
Gênero: Ficção Científica / Distopia
Série: Trilogia Seeker
Editora: Rocco
Selo: Fantástica Rocco
Classificação: ★★★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Primeiro da trilogia de mesmo nome, que marca a estreia da autora Arwen Elys Dayton na literatura young adult, Seeker – A guerra dos clãs é uma fantasia épica com toques de ficção científica perfeita para fãs de séries como Jogos Vorazes, Divergente e Jovens de Elite. A história gira em torno da jovem Quin Kincaid, treinada para se tornar uma Seeker e lutar ao lado de seus companheiros para proteger os injustiçados, levando luz para um mundo mergulhado na escuridão. Na noite de seu juramento, porém, quando está prestes a honrar seu legado e iniciar sua missão, Quin descobre que ser uma Seeker não é bem o que ela havia imaginado. E mesmo sua família e seu grande amor não são exatamente como ela acreditava. A jornada de Quin Kincaid em busca de sua verdadeira identidade vai começar. Uma saga memorável, protagonizada por uma heroína inesquecível.
Seeker é o primeiro livro da trilogia de mesmo nome, livro de estreia de Arwin Elys Dayton. Estava curiosíssima para ler este livro, que prometia uma história cheia de aventura, fantasia, viagem no tempo, com pitadas de ficção científica e distopia. Minha ansiedade estava nas alturas, porém ao desenrolar da leitura percebi que o livro não seria tudo aquilo que esperava! Não que não tenha trazido o que prometeu, e que ao fim não tenha gostado do livro, mas estava esperando algo mais!

Em Seeker conhecemos Quin, Shinobu e John, três jovens que vivem isolados em uma fazenda na Escócia em pleno treinamento sob a tutela de Briac e Alistair, pais de Quin e Shinobu, respectivamente. Eles estão prestes a fazer o juramento que os tornarão Seekers, um acontecimento pelo qual aguardam e anseiam há muito tempo, quando terão a responsabilidade de poder lutar pela justiça, viajar no tempo alterando o curso da história. Mas eles nem imaginam que se tornar um Seeker está muito longe do futura que sempre almejaram. John é expulso da fazenda, e quando Quin e Shinobu finalmente fazem seu juramento, finalmente descobrem a verdade que Briac sempre escondeu.

Também conhecemos Maud, conhecida como Pavor Menor, que tem que acompanhar os seekers para garantir que tudo saia como planejado nas missões. Mas assim como os jovens, ela vai ter que lidar com descobertas que a farão ter que decidir de qual lado ficará nesta guerra perigosa entre poderes e o futuro da humanidade. Nas mãos erradas, qualquer poder pode ser letal!

Arwin Elys Dayton criou um mundo diferente de qualquer distopia ou fantasia que já li! Ela conseguiu inserir elementos de ficção científica mesclados à distopia, e esta mistura deu muito certo. Assim como viajamos por vários cenários muito interessantes, durante a história. Outro ponto que achei interessante é que ao decorrer da trama somos apresentados a mais de um vilão! O que dá um "tcham" na história.

Porém vários pontos no livro me incomodaram. Dentre eles, a lentidão do desenvolvimento da trama. Muitos acontecimentos se arrastam e se arrastam, e poderiam ter sido desenvolvidos de forma mais ágil. O livro é dividido em três partes. A primeira parte foi realmente empolgante, fiquei envolvida com as várias descobertas, segredos e reviravoltas que iam sendo apresentadas. Já na segunda parte temos um salto de tempo e voltamos ao passado de alguns personagens. Achei muito interessante conhecer mais sobre eles e os acontecimentos que os levaram ao presente. Já na terceira parte, senti que muitos acontecimentos foram tratados de forma superficial, e a falta de uma direção e respostas me deixou frustrada. Também não consegui me envolver com o romance apresentado no livro, raso, sem qualquer profundidade que me fizesse crer nele.

Outro ponto que me incomodou foi a narrativa em terceira pessoa, alternando entre os personagens. Acho que uma narrativa em primeira pessoa, com a alternância, traria muito mais profundidade aos personagens, suas atitudes e pensamentos. Mesmo tendo lido o livro consideravelmente rápido, senti que a leitura se arrastou muito! E no fim com um sentimento leve de decepção! Achei a narrativa muito lenta e não consegui me conectar com o estilo da escrita de Arwin.

Como disse no começo da resenha, o livro não é ruim, porém acho que a narrativa não contribuiu para que eu gostasse mais do livro. Entendo que é uma trilogia, porém a forma como os elementos foram desenvolvidos não me agradaram e empolgaram tanto quando um primeiro livro de uma série deveria fazer. Porém, a história de Seeker tem grande potencial nos futuros livros. Espero que nos próximos volumes haja um ritmo mais agradável dos acontecimentos e respostas.

Em suma, Seeker é uma série que tem potencial, com personagens cativantes e bons elementos, com fantasia, viagem no tempo e ricos cenários. Apesar de todos os contras do livro, e da minha decepção, foi uma leitura interessante.


Comentários via Facebook

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por