.




Quando olho para Sky lembro que o ar não é apenas algo que existe, mas que se respira. Mesmo que esteja do outro lado do pátio, consigo ver o peito dele se movendo. Não sei porque, mas, neste lugar cheio de desconhecidos, fico feliz que Sky e eu estejamos respirando o mesmo ar. O mesmo ar que você respirou. O mesmo ar que May respirou.
—Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira

23 de julho de 2014

[Resenha] Quarenta Dias Sem Sombra, de Olivier Truc

Quarenta Dias Sem Sombra
Olivier Truc
ISBN: 978-85-8419-001-0
Tradução: Cristina Cupertino 
Ano: 2014
Páginas: 406
Editora: Tordsilhas
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Aldeia de Kautokeino, Lapônia, 10 de janeiro. A última noite polar. O sol voltará a brilhar após quarenta dias ausente. O povo está reunido na importante cerimônia de retorno de um tambor sagrado, que fora recentemente trazido à vila por um velho explorador francês. Mas a cerimônia não é levada a cabo. O tambor é roubado, causando uma intensa comoção entre os locais. A peça, acredita-se, permitia aos xamãs se comunicar com o mundo dos mortos. Entre os suspeitos do roubo, está um grupo extremista que disputa terras com os lapões, e protestantes fundamentalistas que se opõem ao renascimento da antiga religião. Pouco depois, um criador de renas é encontrado morto e mutilado no meio da neve, tratado como uma carcaça. A investigação de ambos os crimes é liderada por Klemet Nango e Nina Nansen, membros de uma unidade especial da polícia. O desenrolar da investigação revela a Lapônia, um lugar aparentemente tranquilo, como uma terra de conflitos e mistérios ancestrais, cuja tradição lhe confere características únicas na moderna Europa. 

Quarenta Dias Sem Sombra é um excelente thriller policial, e eu tenho que parabenizar a edição do livro, começando pela que ficou bem melhor que as edições francesa e inglesa. Aliás, a Editora Tordesilhas está fazendo um excelente trabalho editorial. Todos os livros policiais que eu li estão bem acima da média, a maioria de autores pouco conhecidos, que nada ficam a dever para autores consagrados nesse gênero literário.

22 de julho de 2014

[Resenha] Silo, de Hugh Howey

Silo
Hugh Howey
ISBN: 9788580574739
Tradutor: Edmundo Barreiros
Ano: 2014
Páginas: 512
Editora: Intrínseca
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
O que você faria se o mundo lá fora fosse fatal, se o ar que respira pudesse matá-lo? E se vivesse confinado em um lugar em que cada nascimento precisa ser precedido por uma morte, e uma escolha errada pode significar o fim de toda a humanidade?Essa é a história de Juliette. Esse é o mundo do Silo. Em uma paisagem destruída e hostil, em um futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste, confinada em um gigantesco silo subterrâneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras. Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo. Um crime cuja punição é simples e mortal. Elas são levadas para o lado de fora. Juliette é uma dessas pessoas. E talvez seja a última.

Silo, primeiro livro da série de Hugh Howey, me surpreendeu em muitos aspectos, e em outros esperava um rumo diferente para a trama, mesmo sabendo que ela tinha que ser exatamente como foi. Mas considero Silo uma das melhores distopias que já li, sem dúvida. Não apenas pela história, mas por todos os elementos que o autor usou. Além disso, Silo começou como uma publicação independente, e Howey levou três anos para escrevê-lo. Inicialmente lançado na Amazon como e-book, e então depois do sucesso entre os leitores se tornou best-seller do New York Times. Não é um feito para qualquer um. E, claro, percebe-se que esta série veio para ficar, e com certeza ainda vai dar muito o que falar. Não tenho dúvidas de que estará, futuramente, entre os grandes nomes do gênero como: 1984 e Fahrenheit 451, por exemplo.

18 de julho de 2014

[Finalizado!] Conclusão da Maratona Literária #eusoudoideira


Tudo bem, confesso: "Eu fracassei". Mas pelo menos eu tentei. Dos cinco livro que eu havia separado (veja o post com a introdução da maratona e os livros que escolhi, clique aqui) consegui ler apenas dois nestes quinze dias de Maratona. 

Na verdade por causa do blog, de algumas atividades, trabalho, etc. acabei não conseguindo dar conta de todas as leituras que pretendia para a maratona. Li apenas O Trem dos Órfãos e Silo, um total de 704 páginas. É, só isso =/ Fora essas duas leituras, li durante estes quinze dias um outro livro que não havia programado mais que, como estava me deixando curiosa, acabei pegando para ler: Escola Noturna. Não incluo ele no resultado final da maratona porque não havia escolhido este livro para fazer parte, mas me senti melhor lendo 3 livros

[Promoção] Os Três

Lindos e lindas, como faz um tempinho que não temos promoção por aqui, vim trazer uma para vocês. Agora vamos para uma promoção que é de arrepiar! Como sei que muitos leitores do blog querem e desejam muito ler o livro Os Três, não podia deixar de trazer uma promoção especial deste livro. Quer concorrer a um exemplar? Então participe:

11 de julho de 2014

[Resenha] O Trem dos Órfãos, de Christina Baker Kline

O Trem dos Órfãos
Christina Baker Kline
ISBN: 9788542203547
Tradutor: Júlio de Andrade Filho
Ano: 2014
Páginas: 304
Editora: Planeta
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Quando Vivian Daly, uma senhora de 91 anos, decide se livrar de seus pertences antigos ela acaba recebendo a ajuda de Molly, uma adolescente órfã e rebelde, que está disposta a prestar serviços para não acabar no reformatório. Revivendo cada momento marcante de sua história, Vivian conta para Molly sobre sua família irlandesa pobre que foi de barco para Nova York em busca de uma nova vida e acabou morta em um incêndio. Sendo a única sobrevivente, ela foi levada por um trem com outras centenas de crianças que teriam seu destino decidido pela sorte. Seriam elas adotadas por famílias gentis e amáveis, ou teriam de encarar uma infância e adolescência de servidão e trabalho pesado?

O Trem dos Órfãos é um livro que me surpreendeu muito. Sou apaixonada por livros que retratam culturas, épocas ou fatos reais. E a história mescla realidade e ficção, passado e presente, de forma muito bem construída. 

10 de julho de 2014

[Filme em Foco] Conheça o filme francês La Belle et la Bête


Exuberante. Essa é a palavra que escolhi para classificar o filme La Belle et la Bête, ou A Bela e a Fera, em sua versão francesa. O filme irá ser exibido nos cinemas à partir de 02 de Outubro no Brasil, mas eu já assisti e vim falar um pouco dele para vocês.

9 de julho de 2014

[Resenha] A Rosa da Meia-Noite, de Lucinda Riley

A Rosa da Meia-Noite
Lucinda Riley
ISBN: 9788581634210
Tradutor: Elaine C. A. Oliveira
Ano: 2014
Páginas: 574
Editora: Novo Conceito
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
() Favoritado!
Atravessando quatro gerações, A Rosa da Meia-Noite percorre desde os reluzentes palácios dos marajás da Índia até as imponentes mansões da Inglaterra, seguindo a trajetória extraordinária de Anahita Chavan, de 1911 até os dias de hoje. No apogeu do Império Britânico, a pequena Anahita, de 11 anos, de origem nobre e família humilde, aproxima-se da geniosa Princesa Indira, com quem estabelece um laço de afeto que nunca mais se romperia. Anahita acompanha sua amiga em uma viagem à Inglaterra pouco tempo antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial. Ela conhece, então, o jovem Donald Astbury, herdeiro de uma deslumbrante propriedade, e sua ardilosa mãe. Oitenta anos depois, Rebecca Bradley é uma jovem atriz norte-americana que tem o mundo a seus pés. Quando a turbulenta relação com seu namorado, igualmente rico e famoso, toma um rumo inesperado, ela fica feliz por saber que o seu próximo papel – uma aristocrata dos anos 1920 – irá levá-la para muito longe dos holofotes: a isolada região de Dartmoor, na Inglaterra. As filmagens começam rapidamente, e a locação é a agora decadente Astbury Hall. Descendente de Anahita, Ari Malik chega ao País sem aviso prévio, a fim de mergulhar na história do passado de sua família. Algo que ele descobre junto com Rebecca começa a trazer à tona segredos obscuros que assombram a dinastia Astbury.

Eu realmente procrastinei escrever esta resenha, pois eu sei, bem no fundo do meu coração, que nada do que escrever aqui fará jus a este livro incrível. Ou melhor, a este livro magnifico. A Rosa da Meia-Noite é meu primeiro contato com a autora Lucinda Riley, e me questiono o motivo pelo qual demorei tanto para ler algo da autora. Até hoje de todos os livros que li, sem dúvida alguma, Lucinda é a que mais me impressionou com um livro do gênero. 

8 de julho de 2014

[Promoção] 1º Aniversário The Queen's Castle


Vários blogs se reuniram para comemorar o primeiro aniversário do blog The Queen's Castle. Serão sorteados 21 livro + kits de marcadores e mimos. Venha participar:

2 de julho de 2014

[Resenha] Uma Vez na Vida, de Marianne Kavanagh

Uma Vez na Vida
Marianne Kavanach
ISBN: 9788567028194
Tradução: Elisa Nazarin
Ano: 2014
Páginas: 288
Editora: Única
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Uma história de amor, encontros e.... desencontros! Conheça Tess. Obcecada por roupas vintage, ela está sempre enrolada no emprego que detesta e em dúvida sobre seu namorado bonitão Dominic, que conheceu na universidade. Morando em um adorável apartamento com sua melhor amiga, Kirsty, ela poderia se considerar uma pessoa de sorte. Mas se sua vida é tão perfeita, por que ela se desfaz em lágrimas toda vez que pensa no futuro? Conheça George. Um músico brilhante que divide seu tempo entre brigar com os companheiros de sua banda de jazz e se preocupar com o pai doente. Mas ele sabe que a vida não é só isso. Deve haver mais alguma coisa. Algo especial. Tess e George são duas partes de um todo, almas gêmeas. Para a sorte deles, seus amigos em comum sabem que eles são feitos um para o outro. O problema é que eles não se conhecem e, sempre que a oportunidade aparece, a vida chacoalha os dois para longe. E agora? Se todos têm uma alma gêmea, como o destino faz para uni-los? Acompanhe a história divertida e apaixonante de Tess e George durante uma década de encontros malsucedidos, frustrações românticas e uma dúzia de recomeços. Uma vez na vida é uma comédia romântica moderna e inteligente sobre amizade, destino e oportunidades perdidas e reconquistadas!uer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Pensei muito antes de começar esta resenha do livro Uma Vez na Vida, da autora inglesa estreante Marianne Kavanagh. Isso porque esperava mais do livro como romance, que muitas vezes foi morno demais. Eu gosto muito do tema almas gêmeas, então esperava algo mais profundo e envolvente.

1 de julho de 2014

[Resenha] O Guardião Invisível, de Dolores Redondo

O Guardião Invisível 
Dolores Redondo

ISBN: 978-85-01-09876-4
Tradução: Maria Alzira Brum Lemos
Ano: 2014
Páginas: 364 
Editora: Record
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Às margens do rio Baztán é encontrado o corpo de uma adolescente, assassinada em uma cerimônia macabra. No local, há pelos de diversos animais, vestígios de couro e rastros de algo não humano. Ela não foi a primeira vítima nem será a última. A imprensa logo responsabiliza o basajaun pelo crime, uma figura mítica guardiã dos bosques. Agora, Amaia Salazar, a investigadora responsável pelo caso, precisa retornar à sua cidade natal e lidar com fantasmas do passado enquanto busca um assassino em série muito mais aterrador do que pode imaginar.

O Guardião Invisível não é o primeiro livro de autor espanhol que leio. Até o presente momento, todos me agradaram muito. Não é para menos que eles possuem uma das melhores bibliotecas de toda a Europa. Percebe-se também pela qualidade cinematográfica que o país produz, cujos filmes, muitos dos quais foram refilmados em versões de língua inglesa por Hollywood. Por isso, quando me deparo com um autor espanhol, não penso duas vezes para ler. Por que, na certa, é garantia de boa leitura. 

30 de junho de 2014

[Resenha] Graffiti Moon, de Cath Crowley

Graffiti Moon
Cath Crowley
ISBN: 9788565859226
Tradutor: Marina Slade
Ano: 2014
Páginas: 240
Editora: Valentina
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro. Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa? O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade. A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida. Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

Graffiti Moon da autora australiana Cath Crowley, me deixou curiosa. Desde que vi que a Editora Valentina iria lançar o livro, me vi ansiosa para conferir se seria tão bacana quanto parecia. A premissa me me pareceu muito interessante, e foi quando concluí a leitura que vi que o livro é bem mais fofo do que imaginava, não esperava por isso.

[Resultado] Promoção O Último Passageiro + Promoção O Tesouro da Encantadora



Peeps, vocês devem estar bem ansiosos para conferir quem foram os ganhadores dos livros O Último Passageiro e O Tesouro da Encantadora. Pois chegou o momento de descobrir quem ganhou. Cruzem os dedos e boa sorte:

29 de junho de 2014

[Eu Pariticipo] 2ª Maratona Literária #eusoudoideira


Eu tenho uma lista imensa de leitura. São tantas leituras pendentes que me desespero, fico roendo as unhas, as olheiras já são minhas amigas, e os cabelos já arranquei quase todos. Eu olho para a pilha de livros e ela olha para mim de volta. Os livros suplicam: "Me leia, me leia!", mas eu não leio. Muitos não são escolhidos e ficam para trás. Aguardam ansiosamente por dias, meses... e nada de serem lidos. 

Mas, brincadeiras a parte, eu realmente começo a me desesperar facilmente com tantas leituras e tendo que me programar para dar conta de tantos livros que quero ler. Daí vi a Maratona Literária #eusoudoideira e gostei muito da ideia. Infelizmente, não pude participar da primeira maratona, mas estou participando da II Maratona Literária #eusoudoideira, que consiste em ler 5 livros em apenas 15 dias. A maratona começa dia 01 de Julho e termina em 15 de Julho. Achei viável, achei interessante, e resolvi arriscar.

Posts Recentes

Últimos Comentários