[Resenha] O Mensageiro, de Jan Burke

08 fevereiro 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788502104105
Tradução: Marcelo Barbão
Ano de Lançamento: 2010
Número de Páginas: 288
Gênero: Suspense/ Sobrenatural
Editora: Benvirá
Classificação: ★★
Sinopse: Tyler Hawthorne ajuda os que estão morrendo a realizar seus últimos desejos, em especial transmitindo suas mensagens aos entes queridos. Essa tem sido sua missão ao longo dos séculos. Quando se instala em Los Angeles, em pleno século XXI, sentimentos há muito esquecidos despertam quando ele é apresentado à sua nova vizinha, Amanda Parker, uma garota bonita e solitária que carrega as mágoas de um passado trágico. Eventos misteriosos aproximam os dois, e Tyler encontra pistas de que esses acontecimentos estão ligados ao início de sua trajetória sobrenatural iniciada dois séculos antes, quando ele e o perigoso Lord Varre se encontraram nos campos da batalha de Waterloo. Tyler estava à beira da morte, e Varre prometeu-lhe a vida eterna, tornando-o, assim, o Mensageiro. Porém, Varre tinha outros planos e agora vem cobrar o poder que havia concedido a Tyler, e este precisa se preparar para proteger a si mesmo e sua querida Amanda em uma árdua batalha. Com um toque gótico e romântico, O Mensageiro tem uma trama dinâmica, personagens cativantes, a delicada missão de Tyler — ajudar aqueles que estão partindo da vida —, fantasmas, vinganças seculares e uma emocionante luta contra o mal em que ele e Amanda correrão todos os riscos. 
Tyler Hawthorne tem um dom. Um dom que para alguns pode parecer maravilho e divino, mas que para ele é uma espécie de maldição. Ele pode comunicar-se com a Alma do moribundo que se encontra em estado terminal e comatoso, e dela obter uma última mensagem, antes do desenlace, para os seus entes queridos que ficam na Terra. E no decorrer de algumas dessas mensagens, Tyler recebe instruções de situações que acontecerão com outras pessoas ou consigo próprio. É assim que ele fica sabendo que um inimigo antigo e perigoso está se aproximando para lhe tirar algo que ele ama.

Tyler é um sujeito recluso e solitário, que vive numa cabana com um cachorro Shade. Um cachorro misterioso que parece ler os pensamentos de Tyler e agir como se fosse ele a comandar a vida deste. Também temos a bela Amanda que entra na vida de Tyler para fazê-lo reacender a chama do amor há muito esquecido, ou perdido, e Ron, seu melhor amigo, e com estes vão somar forças contra o sinistro Lord e seus dois asseclas, Evan e Daniel, os quais vão dar muito trabalho para Tyler e Shade.

Com excelente narrativa, ótimos diálogos, personagens carismáticos - entre  eles, Shade, o meu favorito - suspense e mistérios a altura de um bom sobrenatural, Jan Burke nos revela em O Mensageiro mais do que um thriller de suspense ou sobrenatural, mas o lado de nossas vidas para a qual não queremos olhar: a morte.

Comentários via Facebook

Desventuras em Série: um pouco sobre a série e os livros

27 janeiro 2017
Postado por Livy


Mau Começo, o primeiro livro de Desventuras em Série, de Lemony Snicket, foi lançado em 1999 e a série atingiu 13 volumes, sendo o último publicado em 2006. Foi em 2004 que finalmente todos os fãs da saga puderam ver a trama ganhando vida nas telonas com o filme estrelado por Jim Carrey. Porém, a decepção do público com a adaptação foi grande. Dez anos depois, temos a série produzida pela Netflix, e sua primeira temporada com 8 episódios. A grande questão é: finalmente temos uma adaptação digna da série literária? E a resposta é: sim, temos!

Eu mesma nunca tinha lido nenhum livro da série! Li os primeiros quatro volumes, deste box lindo que recebi em parceria com a Editora Companhia da Letras, em uma ação especial com outros blogs, para poder acompanhar a série da Netflix. A cada livro que lia me perguntava: "Como pude ter demorado tanto para conhecer Desventuras em Série?". É, é uma boa pergunta! Porém, mesmo tardiamente, já me considero uma nova fã e admiradora desta história cativante criada por Lemony Snicket.


Para quem não conhece a trama de Desventuras em Série, nela acompanhamos Violet (interpretada por Malina Weissman), Klaus (interpretado por Louis Hynes) e Sunny Baudelaire, cujos pais morrem em um misterioso incêndio. Eles vão parar nas mãos de seu malvado tutor, o Conde Olaf (interpretado por Neil Patrick Harris), que quer roubar a fortuna da herança dos órfãos. Em alguns momentos temos a história contada sob narrativa de Lemony Snicket (interpretado por Patrick Warburton), que na série interrompe as cenas para explicar e orientar o espectador, alertando sobre os perigos que estão por vir.


Com seus 8 episódios, de 50 min. cada, a série superou muito o filme e sem dúvida é uma das melhores produções da Netflix. Além disso, com certeza, a série irá agradar aos fãs dos livros, principalmente os que cresceram lendo a série, pois sim, é muito fiel aos livros. Cada dois episódios traz a adaptação de um livro, ou seja, os quatro primeiros volumes da série literária (Mau Começo, A Sala dos Repiteis, O Lago das Sanguessugas e Janela Larga) foram adaptados nesta primeira temporada. Outro ponto forte da série, e que agradará muito aos fãs, é que muitas das falas e cenas foram literalmente utilizadas na série, sendo idênticas aos livros. E se não bastasse isso tudo, o próprio autor dos livros foi roteirista da série. Tem como ter erro?

Porém, claro, também agradará aqueles que nunca leram os livros e sequer conhecem a trama de Desventuras em Série.


Entre os pontos fortes da série, além da ótima adaptação, está a atuação de Neil Patrick Harris como Conde Olaf, O talento com o qual o ator incorporou o personagem é notável e fantástico. Aliás, toda a produção está sensacional: trilha sonora, efeitos especiais, ambientação, maquiagem, direção. A produção técnica da série é maravilhosa! O cuidado com que produziram a série está impecável, nos transportando para o mundo da série sem esforço.

Recomendo? Amei muito a série! Recomendo muito! 

Comentários via Facebook

[Resenha] Os Sete, de André Vianco

15 janeiro 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788576573388
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 432
Gênero: Terror/ Sobrenatural
Editora: Aleph
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Nobres homens de bem, jamais ouseis profanar este túmulo maldito. Aqui estão sepultados demônios viciados no mal e aqui devem permanecer eternamente. Que o Santo Deus e o Santo Papa vos protejam. Uma caravela portuguesa naufragada com mais de 500 anos é descoberta no litoral brasileiro. Dentro dela, uma estranha caixa de prata lacrada esconde um segredo. Apesar do aviso grafado, com a recomendação de não abri-la, a equipe de mergulhadores que a descobriu decide seguir em frente, e encontra sete cadáveres. Esses corpos misteriosos e cadavéricos são levados para estudos e tudo parece estar sob controle até o despertar do primeiro deles. 
Eis aqui um livro que me surpreendeu pela qualidade editorial e pela qualidade da escrita de André Vianco. A capa do livro é um primor e mostra bem cada um dos sete vampiros descritos pelo autor em sua história. Por aí já dá para se ter uma ideia do que vem pela frente. São trinta e cinco capítulos recheados de mistério, suspense, ação e terror; além de ótimos diálogos, personagens carismáticos, boa ambientação, construção impecável das personalidades principais e, o melhor de tudo, vampiros com poderes sobrenaturais.

E tudo começa com a exploração de uma caravela portuguesa do século XV, naufragado na costa brasileira. Ali os pesquisadores, liderados por Delvechio, vão encontrar sete corpos aparentemente intactos, aparentemente mumificados. Ele e sua equipe, composta por Tiago, César, Eliana, Diaz, entre outros, vão se deparar com outra descoberta fantástica quando, sob um frio intenso, abaixo de zero – que subitamente toma conta do galpão para onde o grupo leva os corpos recuperados do navio naufragado -, traz à vida um dos corpos; ou melhor dizendo, um dos vampiros: Inverno.

Comentários via Facebook

[Resenha] Sou fã! E agora?, de Frini Georgakopoulos

19 dezembro 2016
Postado por Livy

ISBN: 9788555340154
Ano de Lançamento: 
2016
Número de Páginas: 160
Editora: Seguinte
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Com uma linguagem rápida e divertida, este livro é uma mistura de artigos breves e atividades interativas que te convidam a refletir e discutir o que todos nós, fãs, mais amamos: as histórias. Escrito por uma fã de carteirinha, “Sou fã! E agora?” faz um verdadeiro raio X da literatura jovem adulta, analisa os principais elementos das narrativas e a relação intensa que se desenvolve entre os fãs e as histórias. A autora ainda dá algumas dicas valiosas para você conseguir extravasar todo o seu amor, como criar seu próprio cosplay, escrever uma fanfic, organizar um evento, começar um blog ou canal e muito mais!
Já pensou encontrar em um livro todos os sentimentos que você, como fã, encontrou ao ler e assistir suas sagas e histórias preferidas? Um livro que traduza em palavras toda aquela emoção que não cabe dentro do peito e que você, muito provavelmente, nem tem com quem dividir? Sou fã! E agora?, de Frini Georgakopoulos, é justamente este livro.

Em poucas páginas Frini me conquistou, pois ela soube traduzir sentimentos que eu senti ao longo da vida. Durante a leitura, senti como se estivesse conversando com um grande amigo, alguém que entende exatamente como me sinto.

Em seu livro, Frini aborda diversos assuntos que envolvem os fãs da leitura. Ela explica de forma deliciosa o que é Young Adult New Adult, gêneros literários que estão em alta entre os lançamentos literários. Ela nos fala quais suas diferenças, e o que cada gêneros aborda. Fala sobre temas e angústia jovem; clichês; triângulos amorosos; o que é ser vilão; heroísmo; ritmo narrativo; elementos de estilo; coisas que ela odeia em um livro; trilha sonora; preconceito literário; fanfictions; cosplay; bloggers; pagação de mico por causa da leitura; etc.

Frini aborda tantos e tantos temas interessantes em seu livro, que nos faz perceber o quanto o mundo literário é maravilhoso! Não que não o percebamos sozinhos, claro! Mas ter alguém ali, do outro lado das páginas, dizendo tão claramente, declarando com todas as letras, que este mundo literário, é sim, fantástico e que não estamos sozinhos... Ah, isso não tem preço! Em Sou fã! E agora? ela não apenas faz e traz diversas reflexões sobre leitura, mas nos faz sentir abraçados. Nos faz sentir parte de uma família!

O mais legal é que, quando terminamos de ler um livro, enxergamos o mundo fora da página de outra maneira. 

Ela nos mostra o quanto os livros têm poder, o quanto os autores são parte importante de nossas vidas, e o quanto as histórias que eles criaram nos tocam, nos ensinam e nos transformam. Mais que exercer o hábito da leitura, quando viramos as páginas de um livro nos transportamos para mundos inimagináveis, onde podemos ser quem realmente somos. Sem qualquer vergonha ou preconceito. Sem limites e barreiras.

Sei que, enquanto durar o nosso tempo juntos, vai ser inesquecível, intenso, perfeito e só nosso. Até o fim.


Comentários via Facebook

[RESENHA] Chapeuzinho Esfarrapado e outros contos feministas do folclore mundial

06 dezembro 2016
Postado por Livy

ISBN: 9788555340208
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 248
Gênero: contos
Editora: Seguinte
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Quem disse que as mulheres nos contos de fadas são sempre donzelas indefesas, esperando para ser salvas pelo príncipe encantado? Esta coletânea reúne narrativas folclóricas do mundo inteiro — do Peru à África do Sul, da Escócia ao Japão — em que as mulheres são as heroínas das histórias e vencem os desafios com esforço, coragem e muita inteligência. Este livro é para todo mundo que não se identifica com as princesas típicas dos contos de fadas. É para garotas e garotos, para que todos possam aprender que as maiores virtudes de um herói não são exclusivas a um só gênero. Enriquecida com textos de apoio e ilustrações modernas, esta edição é uma fonte inestimável de heroínas multiculturais — e indispensável para qualquer estante.

Confesso que não sou sou grande apreciadora de livros de contos. Mas, se o assunto me interessa, sim, eu me rendo aos encantos desses livros. Foi o que aconteceu com Chapeuzinho Esfarrapado e Outros Contos Feministas do Folclore Mundial, livro organizado por Ethel Johnston Phelps, e publicado originalmente em 1978, que traz vinte e cinco contos folclóricos mundiais. Mas com um diferencial de tantos outros contos que você já leu e cresceu conhecendo: eles trazem protagonistas femininas fortes.

Você cresceu assistindo, ouvindo, lendo ou conhecendo os mais açucarados contos de fadas, fábulas cheias de magia e poder. Porém, pare um pouco para refletir a forma com que as mulheres são retratadas nestas histórias. Se sua resposta pendeu para o lado romântico, amiga, preciso te alertar: não! As mulheres têm sido retratadas ao longo da história de forma passiva, como mulheres frágeis, dóceis, submissas. E até burras e ignorantes, em alguns casos. Mulheres que precisam de um príncipe para fugir de uma situação ao qual elas mesmas não conseguem escapar, ou que precisam deste mesmo príncipe para ser feliz. Isso para ilustrar de forma bem suave a situação.

Nada contra os clássicos contos de fadas (principalmente os da Disney, cof cof). Porém o modo como a mulher é "pintada" na maioria destes contos é sim bem embaraçoso e, muitas vezes, vergonhoso. É com esta vontade de mostrar o valor de ser mulher, dona de si mesma, heroína de sua própria história, feliz por simplesmente ser, que Ethel resolveu reunir estes contos fabulosos que mostram a força feminina, e que nem ao menos imaginávamos existir. Aí sim, cara amiga, dá gosto de dizer que se é representada por um conto.

Comentários via Facebook

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por