[Resenha] Star Wars – Herdeiro do Jedi, de Kevin Hearne

segunda-feira, 23 de maio de 2016
Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576572978
Tradução: Alexandre Mandarino
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 320
Classificação: ♥♥♥♥♥ 
 Favoritado!
Sinopse: A Guerra Civil Galáctica segue após a destruição da Estrela da Morte e Luke Skywalker se esforça para aprender mais sobre a Força sem a ajuda de Obi-Wan Kenobi – ou de fato sem nenhuma ajuda. Mas as poucas memórias que ele tem das instruções de Obi-Wan apontam a direção para um maior controle da Força, e ele é encorajado para perseguir isso por um novo amigo na Aliança. Quando Luke, R2-D2 e seu novo aliado recebem a missão de liberarem uma pessoa do Império e entregando-a em um planeta seguro onde ela pode ajudar a Aliança, a jornada deles pela galáxia é cheia de perigos – e oportunidades para Luke descobrir os mistérios da Força.

Kevin Hearne é um escritor estadunidense que nasceu no estado do Arizona, fã de romances de fantasia e ficção científica, apaixonado por Star Wars desde criança. Publicou a série The Iron Druid Chronicles, seguido do romance Herdeiro do Jedi, livro que lhe rendeu os primeiros lugares na lista do The New York Times  e do US Today. Já a série The Iron Druid Chronicles está no oitavo livro: uma história de fantasia urbana envolvendo druidas, vampiros, deuses, mitologia… As capas dos livros são bem sugestivas, e fiquei curiosa para ler, confesso! Quem sabe, um dia, a Editora Aleph nos presenteia com uma edição de estreia do primeiro livro: Hunted (Caçado). Fica aqui a dica, senão o apelo!


Quanto a Herdeiro do Jedi, tudo de bom! É a Força da Editora Aleph trazendo outro grande sucesso literário da Saga Star Wars para nós, fãs e aficionados. A capa do livro é um show, aliás, a mais bonita de todas as edições publicadas pela editora, até o momento, na minha opinião. Toda a diagramação e layout segue na mesma qualidade visual que a editora têm apresentado nas outras edições até agora. Um primor para quem está fazendo a sua coleção dos livros Star Wars. E eu que o diga, a minha só cresce!

Livy
sou a Livy, e sou a administradora do No Mundo dos Livros, que surgiu em 2010 pelo amor pela leitura e a escrita. No blog os leitores terão um espaço onde podem encontrar novidades do mundo literário, e também do cinema, séries, HQ's, música e etc.





[Resenha] Star Trek - Portal do Tempo, de A. C. Crispin

quarta-feira, 18 de maio de 2016
Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576572640
Tradução: Norberto de Paula Lima
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 248
Editora: Alpeh
Classificação: ♥♥♥♥♥ 
 Favoritado!
Sinopse: Capitão Kirk, Spock e dr. McCoy descobrem que, durante uma viagem ao passado, Spock teve um filho. Agora, estão prestes a viajar mais uma vez através do portal do tempo a fim de resgatar esse filho, antes que seu planeta seja destruído. Resgatado, o garoto tentará aprender tudo sobre a Federação e sobre a cultura vulcana, enquanto a tripulação da Enterprise o conhece e se acostuma à sua presença. Mas seus dias de aprendizado são interrompidos quando uma invasão romulana pode mudar perigosamente o curso da história.

A. C. Crispin é Ann Carol Crispin, pseudônimo de Ann Carol Tickell, escritora estadunidense nascida em 1950 e falecida em 2013, aos 63 anos. Crispin começou sua carreira literária em 1983, e escreveu mais de vinte livros, com romances diretamente ligados a franquias de sucesso, como: Star Trek, Star Wars, Piratas do Caribe e V. Além de escritora, Crispin também lecionava escrita e assessorava escritores iniciantes. Dentre suas obras para o universo Star Wars está a cultuada trilogia: Han Solo, editados em 1997; e para o universo Star Trek, Crispin chegou a lançar seis livros, de 1983 à 2004, sendo o Portal do Tempo o primeiro.

A Editora Aleph já publicou recentemente outro trabalho de Crispin, A Armadilha do Paraíso, para a série Star Wars, que, a julgar pela sinopse, parece ser muito legal, como tudo o que a editora vem publicando. E por falar nisso, a capa dessa nova edição de Portal do Tempo ficou maravilhosa, com um visual bem ao estilo dos últimos filmes da franquia Star Trek, levada às telas do cinema pelo cultuadíssimo cineasta estadunidense, J. J. Abrams


Mas não é só a capa do livro que é bacana. Portal do Tempo é um show de interpretação dos personagens da série televisiva: Kirk, Spock, McCoy, Scott, Uhura, Sulu e Kato, entre outros. A narrativa de Crispin traz ótimas descrições de cenas e de personagens, diálogos inteligentes e, muitos deles, cômicos (por parte das rivalidades entre McCoy e Spock, claro), além da ambientação esmerada da série televisiva, e faz de Portal do Tempo uma leitura indispensável para todo fã de ficção científica e amante inveterado da série Star Trek

Livy
sou a Livy, e sou a administradora do No Mundo dos Livros, que surgiu em 2010 pelo amor pela leitura e a escrita. No blog os leitores terão um espaço onde podem encontrar novidades do mundo literário, e também do cinema, séries, HQ's, música e etc.





[Resenha] Indo Longe Demais, de Tina Seskis

segunda-feira, 16 de maio de 2016

ISBN:  9788501068224
Tradução: Regiane Winarski
Ano de Lançamento: 2014
Número de Páginas: 308
Editora: Record
Classificação: ♥♥♥♥♥ 
Sinopse: Emily Coleman tem uma vida aparentemente feliz, um filho adorável e um marido perfeito, mas, numa certa manhã, decide deixar tudo para trás... Para onde ir agora? O que fazer? Emily está perdida, sozinha no mundo e, por mais que ela tente, não consegue fugir de um passado perturbador.Com uma narrativa ágil e instigante, Tina Seskis conduz o leitor por frustrações, medos e traumas da protagonista que, depois de uma reviravolta em sua vida perfeita, decidiu que o melhor a fazer seria fugir do próprio destino. Com um final surpreendente e uma trama de tirar o fôlego, Indo longo demais é um suspense fascinante, que prende o leitor do início até a última página. 

Será que fugir é a melhor opção?

Indo Longe Demais é o primeiro livro da escritora inglesa Tina Seskis, que já publicou outros dois livros desde então: A Serpentine Affair; Six Femmes. No final do livro, na Nota da Autora, Saskis conta que começou a escrever o livro em 2010, “quando minha mãe estava ficando inexplicavelmente mal, e eu a encorajava a ler os capítulos para que seguisse em frente, sem saber onde a história ia dar.” Saskis completou a primeira versão do livro alguns dias antes da mãe, Sylvia Blache Harrison, falecer, em 3 de julho de 2010. O livro é uma homenagem à mãe. 

Saskis tem um jeito peculiar de escrever. Seus personagens, bem como a sua narrativa, são urbanos e caracterizam o modo de vida dos ingleses. Não obstante, não muito diferente do modo de vida da maioria da população urbana do planeta, onde os valores materiais e o consumismo desenfreado, egoísta em sua maioria, está em constante conflito com os valores morais e éticos de seres humanos que tentam encontrar a sua Humanidade.


A trama de Indo Longe Demais é focada numa espécie de thriller policial que versa pelo existencialismo, do que pelo suspense, propriamente dito. Não que o suspense não exista no livro, ele só não é tão evidente como deveria ser num romance do gênero policial. Está mais para um drama, onde as personagens vão se mesclando umas as outras para compor um drama pessoal, do que para um Thriller psicológico.

Livy
sou a Livy, e sou a administradora do No Mundo dos Livros, que surgiu em 2010 pelo amor pela leitura e a escrita. No blog os leitores terão um espaço onde podem encontrar novidades do mundo literário, e também do cinema, séries, HQ's, música e etc.





[Resenha] Trama, de Michael Jensen e David Powers King


Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788580415278
Tradução: Ivanir Alves Calado
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 304
Editora: Arqueiro
Classificação: ♥♥♥ 
Sinopse: O sonho de Nels era ser cavaleiro do reino de Avërand. Filho obediente, ajudava como podia os moradores de sua pequena e tranquila aldeia. Querido por todos e tratado como herói, acreditava que logo seria selecionado como escudeiro da cavalaria. Mas isso foi antes de ser assassinado por uma figura misteriosa. Nels virou um fantasma, e agora só uma pessoa consegue vê-lo: a princesa Tyra, herdeira do reino e sua única esperança de entender o motivo do crime. A princípio, a jovem mimada não dá a menor confiança para o rapaz, mas, à medida que o mistério da morte dele vai se desenrolando, os dois percebem que têm em comum um segredo e um inimigo terrível, que pode se disfarçar de qualquer pessoa. Nels e Tyra não têm escolha. Precisam fugir do castelo, desbravar um mundo oculto repleto de magia e espectros sombrios e encontrar uma agulha, a relíquia capaz de remendar o que foi descosturado na Grande Tapeçaria. E o tempo corre contra eles, pois o fio de Nels está prestes a desaparecer para sempre. 


Michael Jensen trabalhou por dez anos na criação de Trama. Pode-se dizer que ele criou a alma do livro, aguardando que alguém lhe desse o corpo. E coube ao escritor David Powers King essa finalidade, encarnando Trama em forma literária. David é apaixonado por filmes e por histórias de zumbis, autor do livro The Undead Road com ótima aceitação de crítica; também é coautor do livro The Spirit of Christimas. Jensen, por sua vez, é um conceituado músico, cantor, compositor, dançarino.

Amei a capa de Trama, belíssima, resumindo perfeitamente a criatividade e originalidade de Michael Jensen. Pode-se dizer que ele é um artesão de qualidade que soube compor uma trama engenhosa que as mãos habilidosas de David Powers souberam tecer com sutileza e esmero. Trama é um daqueles livros empolgantes que nos cativa logo de início.


A narrativa de Trama é em terceira pessoa, onde acompanhamos o jovem Nels, que sonha em ser um nobre da corte, mais precisamente, um cavaleiro, e Tyra, uma jovem princesa no reino de Avërand. E ao redor desses dois personagens principais é que vai desenvolver toda a história mágica de Trama. É uma espécie de conto de fadas.

Livy
sou a Livy, e sou a administradora do No Mundo dos Livros, que surgiu em 2010 pelo amor pela leitura e a escrita. No blog os leitores terão um espaço onde podem encontrar novidades do mundo literário, e também do cinema, séries, HQ's, música e etc.





[Resenha] Eles merecem a morte, de Peter Swanson

quarta-feira, 11 de maio de 2016
Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788525060884
Tradução: Rodrigo Salem 
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 302
Editora: Globo Livros
Classificação: ♥♥♥♥♥ 
Sinopse: Ted Severson e Lily Kintner se conhecem na sala de espera do aeroporto de Heathrow, em Londres, aparentemente de maneira casual. Embalados por drinques despretensiosos e motivados pelo longo atraso no voo noturno que os levará de volta a Boston, os dois iniciam uma estranha brincadeira de revelar grandes segredos um ao outro. Então, Ted acaba falando sobre a traição de sua esposa, Miranda, e da vontade que sente de matá-la. Curiosamente, Lily se prontifica a ajudá-lo, o que faz com que um improvável relacionamento seja selado entre eles. Enquanto os planos de Ted e da enigmática Lily tomam forma, Miranda e seu amante Brad também traçam seus próprios estratagemas. Assim se inicia uma perigosa e mortal corrida contra o tempo, em que será preciso estar sempre dois passos à frente dos oponentes para sobreviver. Para tornar a vida dos protagonistas ainda mais difícil, Henry Kimball, o empenhado detetive da polícia de Boston, começa a seguir os passos de todos eles, tentando juntar as peças de um quebra-cabeças que a princípio parece sem solução. 

Peter Swanson é um escritor estadunidense, autor de contos e poesias históricas, já tendo recebido alguns prêmios por suas poesias. É autor de dois livros: The Girl with a Clock for a Heart e Eles Merecem a Morte (The Kind Worth Killing), este último lançado no Brasil pela Editora Globo Livros.

Eles Merecem a Morte não é o melhor thriller policial que já li. No entanto, a escrita coerente e envolvente de Swanson, não fica nada a dever para muitos títulos do gênero, assinados por escritores de renome que, muitas vezes, acabam sendo mais do mesmo.


Toda a narrativa é em primeira pessoa, porém na ótica dos personagens, cujo nome intitula os 32 capítulos das três partes a que a obra se subdivide: As regras dos bares de aeroportos; A casa inacabada; Esconda bem os corpos. Desta forma, iniciamos o livro com a narrativa de Ted, seguida de Lily, intercalados a cada capítulo, ao longo de toda a primeira parte do romance; saindo Ted e entrando Miranda na segunda parte, dividindo a narrativa com Lily; e, na terceira parte, entra Kimball, disputando espaço com Lily, até o desfecho. Percebe-se, então, que Lily é o centro de toda a trama, e não é pra menos; afinal de contas, ela consegue envolver as pessoas no seu magnetismo e articular com elas os seus desejos mais sórdidos.

Livy
sou a Livy, e sou a administradora do No Mundo dos Livros, que surgiu em 2010 pelo amor pela leitura e a escrita. No blog os leitores terão um espaço onde podem encontrar novidades do mundo literário, e também do cinema, séries, HQ's, música e etc.