Entrevista com Rogério Pietro

25 dezembro 2010
Postado por Livy



Rogério Pietro é Farmacêutico, mestre em Biotecnologia e doutor em Ciência dos Alimentos. Seus hobbies são escrever, desenhar, pintar, tocar violão e estudar todo tipo de ciência.

Nascido em 13 de janeiro de 1974, lançou seu primeiro livro infanto-juvenil em 2008. A obra Gabriel Querubim e os Meninos Guardiões do Mundo dos Sonhos foi publicada inteiramente com recursos do autor. Até mesmo o desenho da capa do livro foi feito pelo Rogério.

Em pouco tempo, a aventura do menino que vive fantasias e perigos quando dorme ganhou a aprovação de todos que leram. Em 2010, ao participar de um feira do livro em São Bernardo do Campo, o autor vendeu praticamente 1 exemplar de Gabriel Querubim a cada 5 pessoas que visitaram a feira. Isso chamou a atenção de uma editora no estande ao lado. Após um contato muito amistoso, a editora ficou com um exemplar da obra. Uma semana depois, Rogério foi convidado a produzir a segunda edição do livro com aquela editora.


Além desse projeto literário para 2011, o autor tem um conto publicado no fórum www.harry.com.br chamado “Cyberharry.com.br”, misturando o futuro da internet com a mitologia de Harry Potter. Esse conto ganhou o prêmio de melhor fan fic de 2010, prêmio esse escolhido pelos usuários do Fórum. Confiram em:

Mas seu primeiro conto publicado na internet está no site Scriptonauta. Sob o título “Deus Salve a América”, o autor apresenta um conto de ficção-científica inspirado na queda de um OVNI durante a Segunda Guerra Mundial. Esse conto foi lido e elogiado por meio de um contato pessoal com Chris Carter, o criador da série Arquivos X. Siga o link para ler:

Tem também outros livros de ficção e aventura já escritos, todos eles esperando a melhor oportunidade e momento para surgirem nas livrarias.
Mais informações do seu trabalho podem ser encontradas em http://gabrielquerubim.blogspot.com/






1 - Olá Rogerio. Pra quem não conhece seu trabalho, nos conte mais sobre seu livro e o que mais nós podemos esperar pro ano que vem.
Oi, Livy! Gabriel Querubim é um livro que conta as aventuras de um menino de sete anos que viaja para uma dimensão paralela quando dorme. Escrevi esse livro na tentativa de dar mais vazão à imaginação e a um estilo mais leve e agradável de ler. Produzi esse livro sem grandes pretensões, mas as pessoas que leram gostaram tanto do meu trabalho que resolvi apostar nele. As aventuras dos três querubinos (nome dos guardiões do mundo dos sonhos) se tornaram tão vivas em minha mente que os personagens ganharam vida própria e exigiram uma continuação. Em 2011 vou lançar a segunda edição revisada e melhorada desse livro. Na esteira dele virá o segundo e último volume de Gabriel Querubim, que já está escrito... Tudo isso é possível porque participei de uma Feira do Livro em São Bernardo do Campo (na verdade ajudei a organizar a feira) e meu livro foi tão bem recebido ali que chamou a atenção de uma editora, que vai relançar a obra com capa nova em 2011. Eu recomendo que quem tiver interesse no livro espere esse lançamento.

2- Dá pra perceber que você gosta do tema "anjos". Como isso surgiu?
Dos meus estudos (nada profissionais) em arqueologia e das versões originais de textos sagrados. Comecei a perceber que o que hoje conhecemos pelo nome de anjos foi uma criação cultural recente, certamente influenciada por traduções mal feitas de manuscritos antigos. A explicação para o os contatos com esses “mensageiros” (do grego “ággelos” e do latim “angelus”) pode residir mais em nós mesmos do que em algo sobrenatural (palavra que significa acima ou fora da natureza).
  
3 - Qual você acha que é a nova onda litarária?
Será que existe moda também no mundo dos livros?
Uma análise muito superficial dos últimos 20 anos nos mostra que o interesse das pessoas em relação aos temas dos romances literários é completamente guiado pela moda.
Como ponto de partida, podemos lembrar o mega-fenômeno Harry Potter. O primeiro livro da série foi lançado entre 1997-98, dependendo do continente. Conforme as continuações foram surgindo e a série do bruxo adolescente foi caindo no gosto de leitores ao redor do mundo, a onda literária era a bruxaria. Tudo o que fosse relacionado a feitiços, varinhas, e fantasias de crianças com poderes mágicos surgia nas livrarias e vendia bem. Títulos como “O estilo de vendas de Harry Potter” ou “O feitiço da administração” eram comuns.
Depois veio o Código da Vinci (2003) e, com ele, uma enxurrada de tudo o que fosse relacionado ao gênio italiano. Quem publicasse qualquer coisa com temas relacionados a templários, pintores renascentistas e códigos de sociedades secretas figurava facilmente na estante de lançamentos. Grande parte desse sucesso, diga-se bem de passagem, foi causada pelas pessoas que mais queriam que o livro fosse silenciado. Afinal, nada vende mais do que uma boa polêmica, ainda mais se envolver aspectos religiosos.
O Caçador de Pipas (2003, eu acho) também causou uma onda de livros relacionados ao Oriente Médio. Todo mundo queria ler estórias a respeito da cultura e dos costumes do Afeganistão e países afins (ou nem tanto).
Depois veio a onda quase nauseante de vampiros. Pegando carona com a saga Crepúsculo, uma verdadeira bibliorréia (palavra recém-inventada) de aventuras com adolescentes apaixonadas por seres sugadores de sangue surgiu e ainda pode ser encontrada nas prateleiras. É até difícil hoje encontrar um livro cuja capa não seja preta e com alguma coisa vermelha (OK, na maior parte das vezes tem esses dois elementos e mais uma boca com dentes compridos).
O mais interessante, porém, é poder entender essas ondas em tempo real. Por exemplo, a fase dos vampiros está passando, lentamente, e deve encontrar um dente de alho e uma estaca no coração com o fim de 2011. É um fenômeno natural. Tudo que é demais enjoa com o tempo.
E a próxima onda, qual será?... Para um bom observador, ela já chegou e provavelmente vai crescer muito em 2011... Alguém arrisca um palpite?
A próxima onda literária será dos anjos... Tudo o que for relacionado a essas criaturas celestiais, preferencialmente estórias de adolescentes que se apaixonam pelos seres alados, vai surgir nas estantes das livrarias nos próximos meses. É interessante notar que essa onda não tem um carro chefe, um livro que se possa dizer “esse começou tudo!”. Alguns títulos legais, capas bonitas e, como sempre, muita coisa sem valor surfando no movimento.
 
4- Como surgiu a paixão pela leitura e pela escrita?
A paixão pela leitura surgiu graças ao mestre Arthur Conan Doyle, autor das aventuras de Sherlock Holmes. Muito antes de existirem os livros de séries que hoje enchem as prateleiras das livrarias, a série do detetive inglês conquistou o mundo com seu estilo literário perfeito e estórias cativantes. A escrita surgiu pela necessidade de colocar no papel a enxurrada de idéias que brotavam na cabeça. No começo fiz histórias em quadrinhos, mas como era um processo muito trabalhoso e lento, optei pelas palavras puras.

5 -  Qual é o maior sonho que você ainda não realizou?
Ver meus livros se transformarem em filmes... Sonho é sonho, oras!

6- O que você faz quando não está escrevendo?
Sou farmacêutico. Trabalho desenvolvendo estudos de pesquisa clínica para as indústrias farmacêuticas. Fora isso (que ocupa grande parte do meu tempo), gosto muito de desenhar, pintar, estudar, pesquisar, pedalar e, claro, tocar meu violão.

7- Quais são seus projetos futuros?
Além dos dois volumes de Gabriel Querubim, tenho outros seis livros prontos, engavetados, envolvendo vários estilos entre ficção-científica, aventura e filosofia. Na cabeça tenho mais dois livros prontos e fragmentos de vários outros que ainda nem foram concebidos.

8- O que você espera pra 2011?
Muitas coisas boas! A nova edição de Gabriel Querubim e sua continuação nas melhores livrarias do Brasil, projetos científicos dando frutos e vários desafios vencidos.

9- Se você fosse um anjo, o que faria?
Como assim “se você fosse”...? rsrsrs

10 - Qual foi sua melhor leitura e a pior leitura na vida? Que livro te marcou?
Li muita coisa boa. O livro “Você Pode Curar Sua Vida”, de Louise L. Hay, mexeu comigo. No campo da literatura, uma das coisas mais fantásticas que já li foi um conto do Érico Veríssimo chamado “A Ponte”... A pior eu prefiro nem dizer, porque o livro era tão péssimo que nem merece comentários.

11- O que vc diria pra quem tem um sonho, como ser escritor, e não sabe como começar?
Ninguém vai surgir diante de você e dizer que quer apostar no seu sonho. Se você tem um sonho, especialmente de ser escritor, comece fazendo as coisas por si mesmo. Escreva muito, releia depois e reescreva tudo de novo. Aprenda o português correto. Uma dica muito importante é nunca copiar as idéias dos outros, os livros da modinha. Saiba de antemão que ser escritor no Brasil é tão difícil quanto ganhar na Mega-sena, e isso não é um exagero. Não é brincadeira... Mas ganhar uma bolada pode te ajudar muito, porque custa muito, mas muito caro (para o autor!) realizar esse sonho... A melhor dica que posso dar é essa: primeiro mostre serviço, depois procure parceiros. Enfim, desistir não é uma opção.

12- Pra finalizar, mande um recadinho pros leitores do blog.
É uma honra fazer parte de um grupo onde as pessoas amam os livros e adoram ler. Vamos trocar nossas idéias nesse espaço legal que a Livy criou para nós!

Comentários via Facebook

2 Comentários:

  1. Muito legal essa entrevista =D

    A propósito, gostei da resposta da pergunta 11. Principalmente da última frase "desistir não é uma opção"

    Sucesso para ti

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, André!

    Hoje eu entendo mais do que nunca que criar um livro não é apenas escrever. É um processo que envolve uma batalha constante. Vence quem persiste!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por