Entrevista com Capista Igor Campos

20 janeiro 2011
Postado por Livy


Se você leu a matéria "A Arte Por Trás da Capa" do blog, e gostou, tenho certeza que vai gostar dessa aqui. Uma super entrevista com Igor Campos, autor daquelas capas maravilhosas. Vamos conferir este super bate papo? 

Igor Campos

Designer gráfico formado pela UniverCidade, atua como capista freelancer desde 2007, para algumas das maiores editoras do Brasil. Era o tipo de criança que ficava desenhando nas bordas de todos os cadernos e livros didáticos que via pela frente, e, que de alguma forma, conseguiu fazer disto uma profissão.

www.igorcampos.com

1 - Olá Igor! Nos fale um pouco sobre seu trabalho. Como foi sua trajetória profissional e pessoal, até chegar onde está hoje: fazendo capas maravilhosas?

Em primeiro lugar, obrigado pelos elogios!

Eu cresci ao redor de histórias em quadrinhos quando criança e sempre soube que iria trabalhar com algo “artístico”. Com o passar dos anos, o amor por design superou a ilustração, assim como os livros começaram a encher as estantes mais que HQs. Quando estava no quinto período da faculdade (Desenho Industrial, UniverCidade-RJ) apareceu uma oportunidade de estágio na Editora Record.

Fiquei um ano criando convites, marcadores e outros materiais que a editora pedia. Fiz minha primeira capa (Ídolo Teen) e algumas outras. No final do ano de estágio (2007), deixei meu portfólio com os editores, e tenho feito capas para eles desde então, além de outas editoras como a Rocco e Tinta Negra.

2 - Quando você decidiu começar a criar capas de livros? Foi uma decisão natural ou algo inesperado?

Como as boas coisas na vida, criar capas foi algo completamente inesperado.

Estava descontente com meu estágio da época, e numa terça-feira de 2006 vi um anúncio da Ed. Record no site da faculdade e resolvi enviar meu currículo. Em menos de 10 minutos eles me ligaram para marcar uma entrevista para o dia seguinte, quarta-feira. Fui à entrevista e na segunda-feira seguinte já estava trabalhando lá.

3 - Antes de começar a criar capas de livros você já gostava de ler? Qual seu livro e autor favorito?

Sempre tive o costume de ler, embora não tanto quanto agora. A parte irônica é que antes de trabalhar no mercado editorial eu podia escolher os livros que iria ler. Agora, pelo tempo acelerado, leio apenas o que estou trabalhando.

Meu livro favorito é 1984 do George Orwell, e meu autor favorito é o Phillip K. Dick.

4 - Como é o processo de criação de uma capa? Como você escolhe as cores e ilustrações que compõe esse trabalho?

Antes de começar a criar gosto de me cercar do mundo que o livro fala. Busco referências no texto de lugar, época, motivações, ações e etc. Deixo todas essas referências na minha frente e a partir daí, desenvolvo o conceito da capa.

Depois que o conceito já está embasado e forte, busco os elementos que o evidenciem: qual ilustração/foto funcionaria na capa, quais fontes mais adequadas como principal e apoio, e se existe a necessidade de outras interferências gráficas como vetores, ícones e etc

5 - Qual é a sua primeira preocupação ao criar uma capa?

A primeira preocupação é criar a atmosfera adequada, entender o clima. Gosto de pensar que ao ver a capa você já está começando a ler o livro. Existe a questão da interpretação gráfica que é tão forte quanto a de texto. Um capista usa em seu arsenal, várias figuras de linguagem como metáfora, hipérbole, antítese, eufemismo, paradoxo e por aí vai.

6 - Como podemos pedir a você para fazer uma capa? Você tem contrato com alguma editora ou trabalha freelancer?

Trabalho como freelancer, com contrato por projeto. Caso desejem contar com uma capa minha, basta enviar um email (igorcampos42@gmail.com) com os detalhes do projeto, e darei total atenção.

7 - De todas as suas criações, qual capa você mais gostou de fazer e por que? E qual foi a capa mais dificil de fazer?

Pode parecer piegas, mas todas as capas foram, naquele momento, a que eu mais gostei de fazer. Mas fazendo uma análise profunda, seria a capa do livro ”Submarino” lançado no final do ano passado pela Galera Record. A capa é completamente ilustrada inclusive o verso, e tive total liberdade de criação.

A mais difícil foi a capa “As Formigas” o primeiro volume da trilogia, lançado pela Bertrand Brasil em 2008, pois foi a primeira capa que fiz como freelancer, fora do Depto de Design da Record. Não tinha nenhuma rede de segurança, e foi o início da minha carreira profissional. Devo ter feito uns 10 layouts diferentes até chegar ao resultado final.

8 - Qual é sua inspiração na hora da criação de um novo design?

Além do próprio material do projeto, não consigo trabalhar sem música, desde Strokes e Interpol a The Smiths e Beach Boys, uma boa trilha é essencial.

Outra grande fonte de inspiração é uma boa noite de sono. Várias vezes um layout problemático se resolve esquecendo-o por algumas horas e retornando com a mente descansada.

9 - Quais são os projetos futuros, ou atuais, em quais está trabalhando?

Recentemente finalizei o layout para o primeiro volume da versão brasileira da série Beautiful Creatures, chamada “Dezesseis Luas” para a Galera Record. Um novo layout para a série “Sapatólatras” e algumas capas para a BestSeller como “Proust foi um Neurocientista”.

Finalizei ainda este ano para a Rocco Jovens Leitores um livro chamado “A Morte do Calouro” da autora Cecilia Vasconcellos, e estou ainda desenvolvendo uma capa para a Nova Era e para a BestSeller.

10 - Se você pudesse desenhar uma capa nova para qualquer livro, qual livro seria?

Sou grande fã de Ficção Científica, e adoraria fazer um projeto gráfico para todos os livros do Phillip K. Dick em uma caixa especial.

11 - Quais conselhos você daria para quem ama design e gostaria de se tornar capista?

A melhor forma de entrar no mercado editorial é com um estágio em alguma editora, ou em um escritório de design que trabalhe com esse mercado. Se isso não for uma opção, faça capas por conta própria, estude a forma como outros profissionais trabalham e apresente seu portfólio para pequenas editoras. (todo ano no RJ são realizadas feiras literárias, como a Primavera dos Livros e a Bienal do Livro, este ano)

12 - Sabemos que todo trabalho tem um lado bom e um ruim. Quais são esses lados quando se trata de ser capista e design?

O lado bom é poder fazer algo que muitas pessoas tem acesso, e que de alguma maneira faz parte da sua vida. Todo mundo se lembra de um livro especial que teve, e ao ver a capa consegue se lembrar do momento que vivia ao lê-o. Ter seu trabalho fazendo parte da memória afetiva das pessoas é algo muito recompensador.

O lado ruim é o pouco reconhecimento do mercado e da sociedade ao trabalho do designer. Tenho sorte, pois no mercado editorial, todos os editores entendem o papel do design na produção do livro.

Em muitas áreas do design, porém, a contratação de um designer é muitas vezes considerada um luxo, quando deveria ser uma necessidade. Isso gera prazos curtíssimos, contratos de risco (concorrências e trabalhos gratuitos) e a desvalorização do know-how do profissional.

13 - Para finalizar deixo esse espaço pra você falar sobre o que quiser e nos deixar um recadinho!

Como já falei demais sobre mim e a profissão, aproveito esse espaço para agradecer a chance de explicar um pouco melhor o trabalho de um capista, e parabenizá-la pelo blog. É com iniciativas como essa que aproximamos os leitores dos responsáveis pela produção dos livros.

E como gostei da iniciativa, estou preparando um making-of de um livro que produzi chamado Eu, minha (quase) namorada e o guru dela, contando o desenvolvimento de uma capa, desde o pedido do trabalho até a impressão final.

Espero que gostem! Obrigado!

Nós que agradecemos pelas capas e trabalhos maravilhosos que tem feito, e com certeza irá fazer. Obrigada!




Comentários via Facebook

5 Comentários:

  1. Nossa, adorei essa entrevista!! Eu não conhecia a fundo o trabalho de um capista, mas adorei conhecer o universo por trás de uma boa capa!
    Achei genial a sua idéia de divulgar curiosidades sobre o meio literário Livy!
    Bjos.


    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias.

    ResponderExcluir
  2. Venho agradecer à Livy pela informação que deu neste blog pois vou pedir ao Igor que me faça a capa do meu Livro Oracular Àrvore das Vida.
    Perpero que ele tenha espaço na sua agenda...
    Beijinho de Portugal

    Este ano vou ao Rio à feira do livro

    Luz Compasso

    http://compassoebussola.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ótima matéria sobre o assunto! Muito bom o trabalho do Igor!! Gostei — meus parabéns!
    E para quem gosta do assunto "capas de livros" deem uma passada no meu blog: Os 7 segredos da criação de capas de livros" http://blog.capista.com.br
    Um abraço!
    Rubens
    www.capista.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, achei o blog lindo! Também trabalho como capista, se alguém aqui do blog se interessar é só visitar meu site: http://capista-dayla.blogspot.com.br/

    Como escritora uso o site: http://escritoradaylaassuky.blogspot.com.br/

    beijos :*

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por