Lançamentos Editora Bertrand via Facebook

14 maio 2011
Postado por Livy

Folhas Caídas, primeiro romance de Thomas H. Cook publicado no Brasil, chega com um suspense de tirar o fôlego, além de uma reflexão acerca de problemas familiares aparentemente comuns, mas que todos tentam esconder.
Após o filho adolescente Keith tornar-se o principal suspeito do sequestro da menina Amy Giordano – desaparecida na noite em que o garoto trabalhou como sua babá –, Eric Moore vê a vida se despedaçar em segundos. Dono de uma loja de material fotográfico, de uma casa espaçosa, e com uma família estável numa cidade tranquila, ele não imaginava como esse inesperado crime mudaria sua realidade.
Uma história de quebra de confiança e do esforço heroico de um homem para manter fortes os laços que o ligam ligado a tudo que ele ama.

"Thomas Cook escreve como um anjo ferido, e Folhas Caídas é uma de suas obras-primas. Sofrimento, suspeita, medo e perdão pairam sobre uma tensão crescente, quase insuportável. Nas mãos de Cook, o romance policial, se é disso que se trata, avança firmemente para o campo da literatura.” (Peter Straub)

“Folhas Caídas é um dos melhores romances que você lerá este ano — arrebatador, estilo soberbo, assustador, surpreendente. Há muito que Thomas H. Cook é um dos meus escritores favoritos. Folhas Caídas mostrará o porquê.” (Harlan Coben)



  
 Diz-se jogo de azar aquele em que a perda ou o ganho dependem unicamente da sorte e não das combinações, do cálculo ou da perícia do jogador. Com essa temática, chega às livrarias Jogos de Azar. Após o relançamento de duas obras do autor e uma longa espera, esse é o primeiro livro inédito de José Cardoso Pires.
Os contos são em grande parte histórias de desocupados, de criaturas privadas de meios de realização, num plano objetivo em que as crepuscularidades da angústia não desempenham, mea-culpa, o papel tantas vezes conveniente ao gosto preocupado dos espectadores. [...] ao organizar este volume, ocorreu-me intitulá-lo ‘Visita à oficina’, o que era uma maneira de regressar, através de um punhado de histórias, a uma experiência literária já vivida e, ao mesmo tempo, uma oportunidade de confronto e de meditação sobre o artesanato do escritor, sobre o jogo de fortuna e azar em que se lança alguém quando descreve um pouco do seu tempo.



 


Ninguém é capaz de prever o momento em que a vida está prestes a mudar de rumo. Felix Hamilton teve o seu ao conhecer a atriz Angel Blake. Dali em diante ele soube: sua vida nunca mais seria a mesma. Assim começa A Gaiola, segundo romance de Marcia Willett publicado no Brasil.

A Hora das Crianças, também publicado pela Bertrand Brasil, foi a estreia da autora no Brasil.





Em 1972, acadêmicos e museólogos do Imperial War Museum começaram a procurar pessoas que sobreviveram à Primeira Guerra Mundial. O livro traz depoimentos de pessoas comuns e de veteranos desse conflito.

“As palavras dos soldados são vívidas como se tivessem sido escritas ontem. Extraordinário.”
(The Mail on Sunday)









A guerra mundial? A que os homens travaram contra o Mundo. Conscientizamo-nos hoje de que o adversário nessa guerra é nada menos do que a nau em que estamos embarcados. Vencedores ou vencidos, arriscamo-nos a afundar ou a desaparecer.
Quando o barco faz água, os marujos continuam lutando entre si? Essa guerra nova nos protegerá então das que travamos uns contra os outros? Eis a aposta, a utopia deste autor.
Michel Serres quis transformar este livro de esperança também em um livro de vida e de lembranças. Violência, conflitos, terrorismos, questões de direito e de origem são por ele tratadas, na condição de filósofo, certamente, mas também sustentadas pela reflexão em narrativas tocantes.






Em pleno século XIV, um lindo menino de cabelos dourados é abandonado e submetido a crueldades indescritíveis. Mas Luca Bastardo não é um menino comum. Ele possui um dom que o levará a abraçar os antigos mistérios da alquimia e da cura e a tornar-se fiel confidente dos poderosos Médici. E, quando ele desaparece, tem início um suspense surpreendente de fé, arte e magia. Conheça Imortal, o primeiro livro de Traci L. Slatton publicado no Brasil.
Com extremo realismo, Imortal apresenta ao leitor a cidade de Florença em um período turbulento de sua história, com vários acontecimentos trágicos e marcantes: a Peste Negra, a Inquisição, a ascensão ao poder dos Médicis e a Renascença. Além disso, a autora combina personagens fictícios, como o protagonista, com personalidades famosas, dentre elas Giotto, Da Vinci, a família Médici.




Maré Alta é a mais comovente crônica da nova geração sobre a Segunda Guerra Mundial. Com proximidade realista, detalhes históricos meticulosos e pontos de vista abrangentes, Shaara descreve os eventos significativos e crescentemente dramáticos que empurraram os EUA para o vórtice desse conflito monumental.
Com cenas inesquecíveis de batalhas nos desertos implacáveis do norte da África e no interior acidentado da Sicília, Shaara narra a história pelas vozes das figuras mais heroicas do conflito.
Do autor, a Bertrand Brasil publicou Até o Último Homem.


Comentários via Facebook

8 Comentários:

  1. Obrigado pelas dicas de lançamentos :D
    Gostei muito, achei alguns livros interessantes...
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Ótimos lançamentos da editora. Valeu pelas dicas. Bjs, Rose;D

    ResponderExcluir
  3. Primeiro de tudo que eu adorei a capa de Folhas caídas. A sinopse também me deixou com vontade de ler *-*

    Acho que vou esperar um pouquinho para ver se vejo alguma resenha desse livro, aí se gostar vai para minha lista, rsrs

    ResponderExcluir
  4. A Gaiola, já esta na lista de pedidos.
    Que capa é essa [cara de espanto!]
    http://www.divinaescrita.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Bons lançamentos, mas gostei mesmo de folhas caidas. Gosto de dramas pessoais...

    ResponderExcluir
  6. O Folhas Caídas foi o que mais me interessou, fora que a capa é linda...
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Thomas H. Cook é impiedoso conosco, através desse excelente romance " Folhas Caídas", espanca-nos sem piedade, como um Jesuíta enraivecido, mostrando-nos e ensinando-nos o quanto as vezes somos capazes de julgar as pessoas de forma indevida, o quanto as aparências enganam, e o quanto ficamos presos aos estereótipos, ou seja, mostra a fraqueza e a estupidez humana.
    Ao mesmo tempo, mostra que se formos mais respeitosos com as pessoas e a vida teremos mais chance de sermos melhores como pessoas. Tudo isso, feito através de um livro de tirar o fôlego, li o livro em 7 horas, impossível parar de ler. Não é só o mistério que nos prende, há também a humanidade de seus personagens, suas fraquezas e forças, o tempo que os esmagam, que faz com que tenham remorsos, arrependimento, perdas irreparáveis isso tudo feito de forma impiedosa, bem que alguns críticos disseram que ele parece um anjo ferido, sua espada é cortante, parece o arcanjo Gabriel.
    E isso tudo feito através da boa e excelente literatura, ou seja, a arte a serviço da vida; é isso que deve ter qualquer arte, a capacidade de nos atingir, de alegrar-nos, de ferir-nos, de marcar-nos para sempre; de não sairmos impunes depois de sua leitura.

    Ele já tinha feito isso no genial "O Caso Da Escola Chatham", que deu a ele o prêmio Edgar Allan Põe, que seria o Oscar do romance policial; parece que continua com o mesmo apetite mostrando o quanto somos capazes das melhores e piores coisas, isso tudo de forma arrebatadora de sua escrita.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por