Resenha: Assassin's Creed - Renascença, de Oliver Bowden

23 agosto 2011
Postado por Livy

Assassin's Creed - Renascença 


Oliver Bowden 
ISBN: 9788501091338
Ano: 2011
Páginas:
378
Preço: 32,90
Editora: Galera Record
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
Traído pelas famílias que governam as cidades-estado italianas, um jovem embarca em uma jornada épica em busca de vingança. Para erradicar a corrupção e restaurar a honra de sua família, ele irá aprender a Arte dos Assassinos. Ao longo do caminho, Ezio terá de contar com a sabedoria de grandes mentores, como Leonardo da Vinci e Nicolau Maquiavel, sabendo que sua sobrevivência depende inteiramente de sua perícia e habilidade.  Para os aliados, Ezio se tornará uma força de mudança, lutando por liberdade e justiça. Para os inimigos, ele se tornará uma ameaça, dedicado de corpo e alma à destruição dos tiranos que oprimem o povo italiano.  Assim começa uma épica história de poder, vingança e conspiração. Embarque nessa aventura cheia de mistérios e lutas pelo poder, e faça parte também de Assassin's Creed.

Antes de mais nada, irei falar um pouquinho da história do livro Assassin's Creed:

A história do livro se passa na conturbada Itália Renascentista. O ano é 1476, em Florença, onde somos apresentados ao jovem Ezio, filho de Giovane e Maria Auditore, irmão de Federico, Cláudia e Petruccio. Ezio e Federico são boêmios apaixonados por diversão, aventuras, mulheres e brigas.

O grande inimigo do adolescente é Vieri de'Pazzi, filho de um importante dignatário florentino, envolvido com a Igreja. Porém as brigas de rua travadas pelos partidários de Ezio e Vieri irão se estender para além das fronteiras de Florença, acarretando implicações políticas e religiosas que envolverão as duas famílias numa trama conspiratória de ódio, vingança e poder, cujo sangue derramado se espalhará por Veneza e chegará às portas do Vaticano. Forças ocultas estão em curso, articuladas por homens entremeados no poder temporal e religioso da época, visando o domínio do mundo conhecido. Entre eles, os templários.
Ezio se tornará um Assassino, para vingar a honra de sua família e desbaratar essa conspiração, vingando-se daqueles que fizeram trilhar por este caminho.

Resumidamente, esse é o cerne de Assassin's Creed, livro homônimo do jogo lançado pela Ubisoft. Para quem gosta de videogame, esta é uma boa oportunidade: ler o livro e jogar o game. Sem dúvida alguma, é diversão garantida.

A capa do livro é bem fiel ao game e, principalmente, retrata com perfeição o contexto do livro. Ficou bem chamativa, com as letras do título destacadas em relevo. Excelente trabalho gráfico (nota 10 para a Galera Record).

Quanto a originalidade do livro, essa fica por conta do autor que conseguiu transpor para o papel o contexto narrativo do videogame, cujo estilo esta bem focado na ação e na aventura (eu pesquisei, ok? rsrsrs) numa narrativa jovem, de linguagem moderna, fluente, que privilegia a figura de Ezio Auditore no papel de Assassino, fazendo gravitar ao seu redor diversos personagens dos mais variados tipos e performances. Dentre os muitos que o autor utiliza para enriquecer a trama (confira a lista de personagens no final do livro, na pág. 365), tenho que mencionar as figuras de Leonardo DaVinci, Maquiavel, entre outros personagens históricos. E este foi um fator interessante do qual o autor se valeu pra dar todo um estilo próprio para este livro. Os personagens e elementos históricos, misturados com a ficção e toda a ação do livro, deram todo um "charme" para a história.  E por falar nisso, Bowden também soube adaptar a época e os costumes renascentistas muito bem. Isso sem falar na rivalidade que havia, naquela época, entre as cidades de Florença e Veneza.

E por falar em personagens, fica difícil não se simpatizar com Ezio Auditore. Ele é osso duro de roer, destemido e persistente, o tipico um rebelde (uma versão renascentista de James Bond e Bruce Willis, rsrs). As armas que ele utiliza são bem interessantes, também. Claro que Leonardo DaVinci tem uma participação importante, pois, sem ele, Ezio "Assassin" Auditore não passaria de um simples assassino. O fato é que DaVinci era um gênio, e Oliver Bowden, soube explorar essa genialidade em seu livro.

Mas não é só de assassinatos que vive Ezio. Ele também conhecerá o amargo da paixão impossível, antes e após ser celebrado herói. Apesar do autor não se aprofundar "com paixão" neste aspecto. Também Assassin's Creed carece de um pouco de dramaticidade, em algumas situações de luta e de uma carente expectativa (tensão) antes que elas ocorram. Além disso, o ritmo do livro é rápido, mas em certos aspectos este se torna um lado negativo da obra, afinal  alguns acontecimentos atropelam diálogos e um pouco da profundidade da história. Vilões existem aos montes no livro, porém não chegaram a impactar. São maus e merecem o fim que terão, mas não conseguem nos fazer torcer, com uma grande expectativa, pelo fim deles.

Em suma, Assassin's Creed não é perfeito, mas apesar de alguns contras, conta com uma narrativa intensa e cheia de ação e aventura do início ao fim, o que atinge em cheio, o gosto dos jovens leitores (tanto garotos, quanto garotas que gostam do estilo ou do jogo), além de contar com cenas cinematográficas e muito bem boladas. Este é um ótimo livro pra quem adora o gênero.

Comentários via Facebook

23 Comentários:

  1. Não gosto de jogos nã!
    Mas é uma boa dica este livro né, Livy?

    Gostei da dica, não faz meu tipo, mas a resenha ficou mara *-*

    Bjokas - Mariana

    ResponderExcluir
  2. Eu vi esse livro se não me engano no Saraiva e me interessei por ele. A capa é muito linda e bem trabalhada e eu sou apaixonada por essas coisas de batalhas e tal! rs


    ps. amei tua resenha!
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei bastante, no começo nem sabia que tinha um jogo, e como eu adoro jogar video-game, eu vou gostar do livro também.

    ResponderExcluir
  4. Oi Livy!
    Fiquei muito curiosa pra ler o livro, achei super interessante o fato de ser baseado em um jogo e amei a época em que se passa!
    Sou fã de DaVinci e ler histórias em que ele aparece sempre desperta minha vontade!
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito da epoca renascentista, mas o foco dessa historia n chama muito a atenção.
    AChei o trabalho da capa fantático...
    quero ler igual para tirar a prova dos nove, afinal resenhas boas sobre, nao faltam.

    ResponderExcluir
  6. Nao gosto de livro desse estilo...
    Nao gostei mt da capa tbm.
    Nao sei, mas a historia em si nao me chama aatençao. Nao gosto da ideia de ser baseado em um jogo msm, e nao sou mt fa de jogos...
    chata eu ne?! kkkk
    bjim

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro essa capa. Passa um ar de mistério e de vídeo game muito boa! haieuaehue ;D E a história parece ser ótima. Gostei bastante da resenha ;)

    beijos!
    www.desejoliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Essa capa é muito bonita, e o jogo desse livro é muito legal,pela sua resenha eu fiquei muito curioso quanto ao livro, ja que o jogo é legal o livro deve ser muito melhor!!

    ResponderExcluir
  9. eu jogava esse jogo com meu pai... :D

    Sua resenha ficou muuito boa, me deu mais vontade de ver essa livro que promete ser bom! :D

    Otimo trabalho!!

    ResponderExcluir
  10. Achei muito legal esse negocio de jogo virar livro, tem muitos jogos que eu gostaria que virassem livros.

    ResponderExcluir
  11. pow gosto mt da tematica desse livro não joguei o game pq tenho play 2 e so tem p/ play 3 e x-box mais sei que é um dos melhores jogos lançados

    ResponderExcluir
  12. Apesar de ser um livro de ação, eu quero ler!
    Quem é fão do jogo, deve ser bom, pelas críticas, etc
    Curiosíssima para ler, haha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. A resenha ficou ótima, parabéns Livy !
    O Livro parece ser muito legal. Meu irmão tem esse jogo e eu sempre tenho mania de encher o saco dele perguntando a historia do jogo: Por que ele mata esses caras? Por que ele fez isso?...
    Sempre faço isso com esse e outros jogos dele, qualquer dia ele me mata. Mas agora com o livro, talvez eu esteja a salva. Doida para ler !

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pela resenha.
    A capa é interessante, mas acho o conteúdo mais importante e pela resenha o livro parece ser bom, cheio de aventuras e ainda mais que é em Florença uma cidade maravilhosa. TO Anciosa para ler.

    ResponderExcluir
  15. O jogo ja e bem interessante e agora com o livro se torna ainda melhor.

    ResponderExcluir
  16. Ótima resenha, parabéns.
    Parece um livro muito interessante, com um mistério e tanto a desvendar. Vai para lista de desejos.

    Bjkas!
    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  17. Resenha perfeita..estou querendo este livro de tanto escutar meu filho falando do jogo... fiquei bastante curiosa para ler!

    ResponderExcluir
  18. Resenha muito boa,me convenceu a ler o livro

    ResponderExcluir
  19. Nao gostei muito da capa mas a historia parece ser interessante !

    ResponderExcluir
  20. esse livro me ganhou mais pela capa do que pela história, mas quando tiver chance lerei e a resenha me motivou mais um pouquinho pra ler.

    ResponderExcluir
  21. Excelente jogo e espero - excelente livro!

    ResponderExcluir
  22. Ando neste momento à procura de resenhas desse livro (foi assim que encontrei o seu post) e fiquei curiosa por ter muitos factos e personagens histórias. Ultimamente tenho ficado muito curiosa acerca de livros inspirados em jogos porque assim posso falar com o meu namorado sobre isso e é muito engraçado pois são duas "áreas" diferentes (jogo x livro) mas que se interligam. Acho que vou dar uma oportunidade a Assassin's Creed, e por acaso acho que o meu namorado não tem esse jogo,então se eu gostar da história eu ofereço hahahahaha :)
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por