Resenha: Eu Sei o Que Você Está Pensando de John Verdon

19 setembro 2011
Postado por Livy

Eu Sei o Que Você Está Pensando
 John Verdon

Tradução: Ivanir Calado
ISBN: 9788580410143
Páginas:
352
Lançamento:
15/07/2011
Preço:
R$ 29,90
Editora: Arqueiro
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)
Sinopse: Eu sei o que você está pensando propõe um enigma que parece insolúvel. Um homem recebe pelo correio uma carta provocadora que termina da seguinte forma: “Se alguém lhe dissesse para pensar em um número, sei em que número você pensaria. Não acredita? Vou provar. Pense em qualquer número de um a mil. Agora veja como conheço seus segredos.” O destinatário, Mark Mellery, pensa no número 658 e, ao abrir um envelope que acompanha a mensagem, descobre que o autor da carta previu corretamente o número que ele acabara de escolher de modo aleatório. Como isso seria possível? Desesperado com os bilhetes ameaçadores que se seguem à carta, Mark, um guru da autoajuda, procura um velho colega de faculdade, o brilhante detetive David Gurney, recentemente aposentado do Departamento de Polícia de Nova York. Aos 47 anos, 25 deles dedicados a desvendar terríveis casos de homicídio, David acaba de se mudar com a esposa, Madeleine, para uma fazenda no interior do estado e tenta se adaptar a um novo estilo de vida. Mas sua mente, extremamente lógica, é fisgada pelo quebra-cabeça apresentado por Mark. O “superdetetive”, apelido que ganhou da imprensa no auge da carreira, percebe que encontrou um vilão à sua altura quando as estranhas ameaças terminam em morte. Tudo leva a crer que o assassino, além de ser clarividente, cometeu um crime impossível, deixando pistas sem sentido e desaparecendo no meio do nada. Consumido pelo desafio de encontrar uma resposta lógica para o caso, David aceita trabalhar como consultor na investigação, colocando em risco seu já debilitado casamento e até mesmo sua vida. Considerado uma revelação, John Verdon criou em seu livro de estreia um personagem denso, cerebral, capaz de resolver crimes dignos de Hercule Poirot e Sherlock Holmes. Aclamado pelo público e pela crítica, Eu sei o que você está pensando foi vendido para 24 países.

Uma charada aparentemente indecifrável; um psicopata que, inexplicavelmente, consegue saber o que suas vítimas estão pensando; um detetive de homicídios aposentado que, além de bom naquilo que faz, é considerado um herói e uma sumidade no meio investigativo, verdadeiro caçador de assassinos em série. Um bilhete com um poema enigmático faz Mark Mellery, um guru da autoajuda, a procurar David Gurney, ex-colega de faculdade. Gurney, aos 47 anos, está aposentado após ter-se dedicado à investigação de homicídio por quase 25 anos. Mark é um colega de escola que ele não via há muito tempo e, apesar da contrariedade de Madeleine, sua esposa, Gurney decide ajudá-lo a decifrar a charada contida no poema; pois o remetente, além de desconhecido, ainda conseguiu ler o pensamento de Mark através do bilhete enviado. Desesperado e sentindo-se vulnerável, Mark apela ao ex-colega de faculdade para que descubra quem está enviando os tais poemas para ele; Gurney, por sua vez, intimamente ansioso para voltar a investigar, decide ajudar Mark a desvendar esse mistério. O que os dois não sabem, ainda, é que estão diante de um sociopata muito inteligente e perigoso que está prestes a se tornar um serial killer sem precedentes na história criminal.

Este é o livro de estréia de John Verdon. Para um primeiro romance, ele se saiu muito bem. Tanto que, sinceramente, já elegi Eu Sei o Que Você Está Pensando como o melhor thriller policial de suspense investigativo que já li. É muito bom, mesmo! A capa do livro - que por sinal é muito interessante -, apesar de simples, resume com perfeição o contexto da história no livro. Aquela pegada... aquilo me deixou perturbada e intrigada por um bom tempo, até a conclusão no decorrer da leitura. Confesso que isto e mais alguns detalhes criativos descritos na trama me fizeram perder uns bons neurônios para tentar desvendar os mistérios criados pelo autor.

E criatividade não falta nesse livro. Se a história não é de toda original, é, sem dúvida alguma, uma das mais criativas que já li até hoje. O livro tem o que há de melhor no estilo policial: assassinatos em série; mistério; investigação; ação psicológica; drama existencialista; psicologia; um policial tenaz e inteligente; um assassino criativo e muito ardiloso... Simplesmente, imperdível!
Como segue um gênero bastante lapidado pela literatura e pelo cinema, de original o livro tem o modus operandi do assassino, bons diálogos e um método investigativo, por parte de David Gurney, todo particular do personagem que, por si só, torna o livro meritório de ser lido.

Com uma narrativa que aborda o gênero Thriller de suspense, John Verdon sabe trabalhar a escrita de forma a criar, psicologicamente, ou traçar sutilmente, o caminho que ele quer que nossa mente trilhe. Mais curiosa do que analítica, nossa mente, ansiosa para descobrir quem é o assassino, acaba caindo nas armadilhas armadas pelo autor. E isto funciona muito bem o tempo todo, do começo ao fim do livro. O tempo todo eu sabia que estava no caminho certo. Até sabia (desconfiava com certeza absoluta) quem era o assassino e por qual motivo ele estava matando. Até chegar as últimas páginas e descobrir que havia apostado no cavalo de corrida errado.

O óbvio nem sempre é o correto e o improvável, muitas vezes, poder ser o certo. Mas até mesmo essa máxima pode ir por água abaixo nas mãos de John Verdon. Ele sabe brincar com nossa mente. Verdon sabe discimular perfeitamente num jogo de fumaça e espelhos, capaz de criar verdadeiras ilusões díginas de um mágico. A história é bem ambientada e tem um clima denso, tenso, como naqueles filmes policiais do tipo: Seven, O Colecionar de Ossos e O Silêncio dos Inocentes. O final, igualmente, é imprevisível, surpreendente e apavorante!

Quanto aos personagens, gostei muito desse David Gurney. Não fica nada a dever aos grandes detetives do gênero. O relacionamento dele com Madeleine é meio etéreo, meio platônico... Ela não anima muito, mas tem algumas participações interessantes. Mark Mellery é outro personagem interessante, assim como o detetive Hardwick, entre outros. O assaqssino... bom, só vou dizer que esse é realmente um crápula que merece a pena máxima.

Concluindo, John Verdon caprichou nesse livro. Ele é bem modesto ao tratar do livro, mas, no fundo, o sujeito nasceu para ser escritor, e dos bons. Eu Sei o Que Você Está Pensando pode até não ganhar nenhum prêmio de "o melhor livro policial do ano", mas, sinceramente, merecia o título de "o mais criativo e impressionante livro policial e de suspense do ano"!
Ponto de leitura obrigatório para todos! Amantes do suspense, apaixonados por mistério, adoradores de serial killers, viciados em thriller policial, aficcionados em roer unhas...!!!

Recomendadíssimo!
NOTA EXTRA:
CAPA =  ♥ ♥ ♥ ♥  (4/5)
HISTÓRIA = ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)
NARRATIVA = ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)
PERSONAGENS =  ♥ ♥ ♥ ♥ ♥  (5/5)      
ORIGINALIDADE =  ♥ ♥ ♥ ♥   (4/5)

Comentários via Facebook

7 Comentários:

  1. Eu quero muito ler este livro. Parece ótimo! Como já disse, gosto de me aventurar em livros de estreia, e já que você disse que é bom, não tenho nem medo de me decepcionar.
    E eu como adoro um suspense policial, vou ter que "subir" o livro na fila de compras, rsrsrs.
    Adorei, muito boa resenha!
    Bj,
    Lucas,
    http://livrosfilmeseconversafiada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Meu deus menina, que enredo hein...parece um livro incrivel mesmo. Ja estava na minha lista e tua resneha só reforçou a vontade de ler.
    Gostei de saber q tu achou muiito criativa a historia e q nem tudo é o q parece ..vou lembrar disso quando for ler!
    beijokinhas

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não gosto muito de suspense policial, mas a sua resenha me fez ficar com vontade de ler esse livro. Pelo jeito que você falou na resenha ele parece ser ótimo.
    Vou dar uma procurada.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Que estoria!
    Minha colega da facu tava lendo esse livro esses dias, e ela ficava lendo em plena aula.
    Agora entendi o pq kkkkk
    Esse livro e mt bom! Ainda nao li, mas sua resenha nao me deixa pensar outra coisa.
    Nao sou mt fa da capa... mas a historia.
    Nossa, sou fa de suspense.
    Bem que podeia ter uma dica do assassino ne?!
    kkkkkk
    bjim

    ResponderExcluir
  5. A história é extremamente única!
    Amo suspense!
    Mas, assim como a colega Jadi, do comentário acima, não me amarrei na capa. Não achei muito criativa!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. eu vi esse livro na fnac e achei interessante...
    tava atrás de uma resenha pra ver se era bom mesmo!! gostei!!

    ResponderExcluir
  7. Afeeeee... não acredito que passei o "carro na frente dos bois" e acabei lendo FECHE BEM OS OLHOS antes de ler esse EU SEI O QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO.

    De qualquer forma, ao que parece o primeiro livro é tão bom quanto o segundo (que não li, mas engoli cada umas das páginas em pouco menos de 12 horas) e já está na minha lista de compras.

    Hummmmmmm... pena que alguns personagens do primeiro livro já não serão para mim um mistério completo. Infelizmente, já sei quem são os mocinhos da história.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por