Resenha: Instintos Cruéis de Carrie Jones

28 setembro 2011
Postado por Livy

Instintos Cruéis 
Carrie Jones


Tradução: Ana Death Duarte
Páginas: 338
Editora: Underworld
Pontuação: ♥ ♥ (2/5)
Sinopse: Zara White suspeita que um cara estranho esteja meio que a perseguindo, de um modo bem compulsivo e obsessivo. E ela também tem uma obsessão... por fobias. E é bem verdade que ela não é mais a mesma desde que seu padrasto morreu. Mas precisava ser exilada no Maine, para morar com a avó ? Isso já parece um pouco extremo, não ? No entanto, foi uma atitude tomada com o suposto propósito de fazer com que Zara mantenha sua sanidade... porém, ela está bem certa de que o verdadeiro problema é que sua mão não consegue lidar com ela nesse momento. Zara não poderia estar mais errada. Acontece que o cara que meio que a persegue não é um produto da sua imaginação. Na verdade, ele ainda a está seguindo, deixando para trás um misterioso rastro de poeira dourada. Algo não está certo - algo não humano - nessa cidadezinha estagnada no Maine, e todos os sinais apontam para Zara. Neste romance sinistro e cativante, Carrie Jones nos presenteia com uma boa dose de romance e suspense, além de no apresentar uma criatura que nunca havíamos pensado que deveríamos temer.

O que eu posso dizer? Vocês viram a pontuação que dei ao livro? Dois! Isso mesmo. Mas não pelo fato da estória ser ruim, o buraco é mais embaixo. Eu vou explicar, e quando você terminar de ler a resenha, vai entender minha pontuação, que eu gostaria muito, muito mesmo, que tivesse sido pelo menos um três!

De modo geral eu posso dizer que gostei da estória (da estória). Gostei da trama que a autora desenvolveu (apesar de ser meio fraquinha). E o toque de romance no livro ficou muito legal. Além disso, a diagramação do livro é linda. E isso se deve, é claro, à talentosa Marina Ávila, que faz trabalho fantásticos para a editora Underworld. A capa, que também ficou por conta da Marina, ficou linda (e sombria) e combina muito bem com a estória do livro.
Outro ponto forte do livro é toda a "mitologia" que a autora criou, com o uso de criaturas e um "sistema" que as envolve, bem legal (mas nada inusitado, claro, e nada inédito também). Outro ponto legal do livro, é o uso dos nomes de fobias (os quais a Zara, personagem central do livro, do qual é narrado sob sua visão, faz uso em diversas passagens da estória) que iniciam os capítulos e dão um toque de suspense pelo que o mesmo nos trará. E para finalizar o lado bom do livro, ele tem um toque interessante, com um suspense  e aventura suave, e um clima bom. Mas o problema é que os pontos positivos param por aí. Infelizmente.

O que eu posso garantir, é que Instintos Cruéis tinha tudo para ser um livro muito bom, não digo inovador, mas bom. Tinha tudo para ter personagens legais, com uma trama cheia de aventura e bom suspense. Mas não foi bem assim.

Não li a versão original do livro, então não posso dizer se este é um pecado da autora ou da tradutora, mas a narrativa é péssima. E creio que este pecado foi cometido pela tradutora, pelo modo estranho como tudo foi escrito. No livro inteiro há o uso de diminutivos como: gatinho, bonitinho, fofinho, friozinho, bobinho, cachorrinho, coelhinho, etc. Caramba! Isso irrita muito! Muito mesmo! E com certeza, quase me levou à loucura! Foi por muito pouco mesmo. Além desse fator irritante², outra coisa que tornou a narrativa um tanto chata foi o uso de gírias e certos diálogos sem sentido e, na minha opinião, vazios. Ou até mesmo estranhos.
E para piorar a situação, o livro teve um péssimo trabalho de revisão, estando cheio de erros. Eu juro, nunca vi tantos erros em um livro.

Agora sim, do lado da autora, posso culpá-la pela péssima construção de personagens. Faltou profundidade e certo carisma. O único personagem que realmente me agradou foi o Nick (o par romântico de Zara). Até mesmo Zara me irritou muitas vezes, ainda mais com o seu "fofinho" pra lá, "gatinho" pra cá, "bonitinho" acolá.... ahhhhhhhhhhh
E tudo no livro é muito óbvio, sem grandes surpresas, sem grandes emoções...

Ah, acho que deu pra entender bem o que achei do livro, não? Apesar disto tudo, eu realmente (quase) gostei do livro (tirando todos estes detalhes negativos), o livro prometia ser realmente bom. Eu não recomendo este livro, de verdade, não recomendo. Mas esta é uma opinião minha, sobre o meu gosto. Os pontos negativos realmente fortes foram a revisão mal feita e a tradução, então em todo caso, talvez você acabe se apaixonando pela estória, o que não aconteceu comigo. Então, se você gosta de  livros sobrenaturais, claro que tem muitos livros mais legais por aí, mas talvez você acabe gostando de Instintos Cruéis. Afinal de contas, este é o primeiro livro de uma série, então talvez a continuação seja melhor, com uma boa revisão e tradução, etc. O que quero dizer é: não deixem de ler o livro pela minha opinião, ok? Pode ser que você, ao lê-lo, pense diferente de mim! ;) E se você está com vontade, vá em frente.
 NOTA EXTRA:   
HISTÓRIA = ♥ ♥ ♥ (3/5) 
NARRATIVA = ♥ ♥  (2/5)
PERSONAGENS =  ♥ ♥ ♥  (3/5)      
ORIGINALIDADE =  ♥ ♥ ♥  (3/5)
REVISÃO/ TRADUÇÃO =  (1/5)    
CAPA/DIAGRAMAÇÃO =  ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)  

Comentários via Facebook

8 Comentários:

  1. Haha, ri muito dessa história dos diminutivos! É uma chatice mesmo, concordo com o seu ponto de vista. É uma pena que a revisão e a tradução tenham sido tão mal feitas, isso empobrece muito o livro (que, em termos de estética, é riquíssimo)!
    Depois de ler essa resenha eu com certeza irei pensar duas vezes antes de querer comprá-lo novamente. Obrigada pela sinceridade!

    Abraços,
    http://leitorasanonimas.com

    ResponderExcluir
  2. É tão ruim quando o livro tem uma revisão/tradução ruim! Strange Angels tb foi assim, a histtória era até legal, mas a tradução era péssima. Ouvi muita gente reclamando desse aspecto dos livros da Underworld, o que é uma pena porque ela tem livros q parecem ser ótimos! Mas talvez daqui pra frente ela melhore isso.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, ando vendo vários comentários ruins sobre os livros dessa editora, por causa dos erros. Nossa! É muito ruim mesmo quando tem erros.
    Mas ainda sim, quero ler esse livro e outras da editora Underworld.

    Beijos,
    Mandi *;
    http://bookandcupcake.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Acho que com certeza eu passaria raiva em um livro assim e largaria ele de vez. Achei ótima a sua coragem em ler o livro mesmo passando raiva. rs
    Pelo menos a capa e a diagramação são lindas né Livy? rs

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. KKKK
    sua resenha foi até engraçada.
    Acho a capa do livro mt linda, bem trbalhada e tals.
    Mas desde o começo a sinopse nao me chamou a atençao. Acho que as pessoas tao indo mt na onda "se eu escrever um livro sobrenatural vou fazer sucesso" e acabam nao fazendo um livro bom.
    Ainda nao li, mas minha unica vontade de ter ele era somente pela capa.
    bjim

    ResponderExcluir
  6. Tenho visto o pessoal falando isso sobre os livros da Under, que a tradução/revisão deixa a desejar, mesmo com todas as capas lindas e com a ótima diagramação.
    Acho que não leria Instintos Cruéis, ainda mais depois de sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bah livros com erros para mim é a gota final, esse tipo de coisas n deveria acontecer, acho terrivel colocarem no mercado um negocio assim.
    Isso pra mim ja detona um livro.
    Entendo completamente teu ponto de vista.
    ABraço

    ResponderExcluir
  8. A capa é tão linda mas que pena que tenha tanto erros,seria melhor antes de publicar os livros passar por uma revisão antes de ir a venda.Isto acontecendo a editora não vai manchar a sua reputação.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por