Resenha: O Atlas Esmeralda de John Stephens

23 janeiro 2012
Postado por Livy











O Atlas Esmeralda
John Stephens


Tradução: Livia de Almeida
Infantil e Juvenil
ISBN:
9788581050133
Lançamento:
03/10/2011
296 páginas
Preço:
R$ 34,90
Editora: Suma de Letras
Pontuação: ♥ ♥ ♥ (3/5)
Sinopse: O Atlas Esmeralda conta a história de três irmãos. Kate, a mais velha, tenta proteger seus irmãos a todo custo. Michael, o do meio, é nerd e adora histórias sobre magia. E Emma, a mais nova, é uma encrenqueira capaz de bater em garotos maiores do que ela. Dez anos atrás, numa noite de inverno, os três foram tirados de suas camas às pressas, perseguidos por criaturas estranhas e levados para longe de seus pais. Nunca mais os viram e passaram todo esse tempo de orfanato em orfanato, sem nenhuma explicação para o que aconteceu. Um atlas encantado surge agora no caminho deles, prometendo revelar as respostas para todas as suas perguntas. A ornada das crianças passa por uma terra habitada por gigantes, anões, lobos famintos, crianças prisioneiras e uma ondessa que é a fonte de todo o Mal. Esta é a história de três crianças que só queriam salvar sua família e acabam tendo que salvar o mundo.

Numa noite fria e tenebrosa, três crianças, Kate (4 anos), Michael (2 anos) e Emma (ainda de colo), são tirados do lar para serem deixados em um orfanato, com o consentimento dos pais. Dez anos depois, os três irmãos, agora adolescentes, estão prestes a conhecer um caminho diferente em suas vidas. Eles ainda acreditam que seus pais virão buscá-los, apesar dos anos que passaram indo de um orfanato para outro. Cambridge Falls será a próxima parada do trio, um orfanato administrado pelo Dr. Stanislaus Pym. Ali a verdadeira aventura de suas vidas terá início, numa corrida desesperadora para reencontrar os pais e, de quebra, salvar o mundo de um mal milenar.

A capa do livro  (aliás um excelente trabalho gráfico) sintetiza muitobem o que o leitor vai encontrar ao ler as 295 páginas do livro. Todos sabem que sou apaixonada por capas (aliás, que leitor não é?). Desta forma, posso dizer que adorei a capa desse livro. Ela tem profundidade e um toque de magia que me fez lembrar os velhos contos de terror dos anos 1980. Excelente.

O livro segue o gênero magia-fantasia. Uma aventura infanto-juvenil, que não foge muito ao estilo de outros títulos, como: Harry Potter, As Crônicas  de Nârnia, Spiderwick, Percy Jackson, Os Seis Signos da Luz, entre outros. Porém, O Atlas Esmeralda, por carecer de originalidade não possui a mesma profundidade e a mesma intensidade quanto aqueles.

Kate, Michael e Emma, os protagonistas adolescentes do livro, podem até não ser Harry, Ron e Hermione, e Cambridge Falls está longe de ser a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, mas os irmãos, assim como os locais e demais personagens inseridas no livro, cumprem com simpatia o papel que lhes cabem numa história de aventura, fantasia, mistério e magia.

A narrativa fácil e direta de John Stephens pode desencantar alguns leitores mais exigentes, porém, acho que esse fato não vai incomodar aos fãs devotos de fantasia e magia. Pois, a medida em que Kate, Michael e Emma vão se envolvendo com a atmosfera sombria de Cambridge Falls, e com seus habitantes, o leitor perceberá que O Atlas Esmeralda pode ser uma leitura descontraída e agradável, e que deve ser apreciado em sua totalidade; ou seja, com todos os volumes da saga.

Ah... e como não poderia faltar em um livro de fantasia e magia, O Atlas Esmeralda também tem vilões terríveis. Porém, dentre todos, a Condessa é a  própria encarnação do mal. Uma alma antiga no corpo de uma adolescente que me fez lembrar uma série de vilãs malvadas da literatura e do cinema  hollywoodiano, como se Stephens tivesse colocado em um caldeirão todas elas e acrescentado algumas pitadas de muitas maldades para desse caldo fervente ter extraído essa Condessa. E maldade é o seu sobrenome.

Sem querer revelar mais do que isso (para não estragar a leitura de ninguém), gostei muito do ataque dos lobos numa das melhores sequências de ação e terror do livro. Sob uma chuva torrencial, à noite, os três irmãos são perseguidos por uma matilha de lobos esfomeados. E isso tendo que descer por um precipício cheio de obstáculos e lama. Confesso que fiquei grudada no livro até o capítulo seguinte. Foi pavoroso. Coisa de filme de terror. Adorei. Claro que há outras cenas tão empolgantes e interessantes quanto esta, porém, você vai ter que o livro ler para ver.

John Stephens escreve muito bem. Aliás, experiência como escritor não lhe falta. Desta forma, O Atlas Esmeralda tem boa narrativa, bons personagens, uma história interessante, com aventura garantida, mesclando toques sombrios, típicos dos livros de terror, e mistério, característica fundamental dos gêneros de aventura.

Há também uma certa atemporalidade na narrativa, dando-nos a impressão de que a história se passava numa época mais antiga, como na virada do século XIX,  ou primeiro quarto do século XX. Não sei se essa impressão é causada pela falta de uma cronologia explicita, ou se John Stephens premeditou isso para criar essa sensação de "perdidos no tempo" que a narrativa nos causa.

O Atlas Esmeralda não é um livro original. Alguns aspectos narrativos, nos arremetem a títulos mais antigos e consagrados de público, já mencionados anteriormente. Algumas comparações são inevitáveis, lamentavelmente. John Stephens bem que tentou, porém os irmãos viajando através do livro mágico para o passado nos lembra os irmãos entrando no guarda-roupas, em Nârnia. Da mesma forma, fica difícil não pensar em Hogwarts quando os três irmãos chegam em Cambridge Falls. Aqui temos a procura dos irmãos pelo livro mágico, em Os Seis Signos da Luz, pelas pedras mágicas. Emma, a irmã caçula, nos lembra Lúcia, a caçulinha em As Cronicas de Nârnia. Corajosa, destemida. Até mesmo a traição cometida por Michael nos arremete a Edmundo e a Feiticeira Branca, em Nârnia.

Excetuando-se essas similiridades, O Atlas Esmeralda é uma obra que merece ser lida. A função do autor é alimentar o desejo de aventura que nós temos dentro de nós. Por isso, o que importa de verdade, é mergulhar na imaginação do autor e deleitar-se com sua fantasia, deixando de lado os clichês e enaltecer-se com o maravilhoso universo criado pela magia da leitura. Uma leitura que é simples, gostosa, e nos remete ao tempo de aventuras da infância. Eu gostei. Boa leitura. 
 NOTA EXTRA:
HISTÓRIA =  ♥ ♥ ♥  (3/5) 
NARRATIVA = ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)
PERSONAGENS =  ♥ ♥ ♥ ♥  (4/5)      
ORIGINALIDADE =  ♥ ♥ ♥ (3/5)
REVISÃO/ TRADUÇÃO =  ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)      
CAPA/ DIAGRAMAÇÃO =  ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

Comentários via Facebook

11 Comentários:

  1. Estou querendo muito ler esse livro, pois ele me desperta muito a curiosidade, e com a resenha, tive mais acesso ao que a obra apresentava. Sua crítica só fez com que minhas expectativas aumentassem, rs. Entendo também a partes similares a outras obras consagradas, e acho que isso as vezes é um ponto ruim, e em outras, algo bom. Depende como o autor usa as ideia e ser original.

    Abraços,
    Joshua - Blog Pensamentos do Joshua - pensamentosdojoshua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. A capa está bem sugestiva mesmo, lindíssima! Ele tem mesmo um ar muito similar a outros clássicos do estilo. Sua resenha, que alias esta muito bem feita me deixou extremamente curioso para ler esse livro.
    Beijos

    http://1livromecontou.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu estou mega ansiosa para ler este livroooo =)

    PArece ser mega interessante... Adorei a resenha.

    :)


    Beijo,
    Lariane - Leituras & Devaneios

    ResponderExcluir
  4. Por ser um infanto bem juvenil, achei mesmo que esse livro não fosse agradar aos leitores mais exigentes (tipo eu :S). Mas não vou negar que fico super curiosa toda vez que vejo um exemplar nas livrarias... essa capa também me atrai, e MUITO!

    Abraços,
    http://leitorasanonimas.com

    ResponderExcluir
  5. Gostei da sua resenha!
    Ela só aumentou a vontade de ler este livro.

    ResponderExcluir
  6. Oie =)

    A capa deste livro é linda demais mesmo!!!
    Gostei muito da temática do livro também e como tenho uma queda por livros infanto-juvenil este é um que vai entrar para minha lista!

    Parabéns pela resenha flor!

    anereis.

    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  7. É interessante prestar atenção nas idiossincrasias de cada um dos irmãos, já que em Desventuras em Série, uma série de 13 volumes escritas por Lemony Snicket, temos três irmãos órfãos que são EXTREMAMENTE parecidos com os irmãos de o Atlas Esmeralda. Violet Baudelaire é a mais velha, ficou incumbida de cuidar de seus irmãos; Klaus Baudelaire é o do meio, é nerd e adora livros; e Sunny Baudelaire é um bebê extremamente destemido e engraçado. Não estou fazendo alusão alguma para dizer que algo é plagiado, mas a ideia de que três irmãos órfãos e cada um com suas habilidades, me fez lembrar muito de Desventuras em Série. Outra obra que também pode ser facilmente comparada, são os livros de Crônicas de Narnia, já que irmãos também acabam indo para outro lar longe de suas casas, e descobrem outro mundo. Estou muito ansioso para poder ler O Atlas Esmeralda.

    ResponderExcluir
  8. Eu vou comprar esse livro deve ser cheio de fantasia,aventura,eu não vejo a hora de compra-lo logo!


    De:Maria Fernanda

    ResponderExcluir
  9. Tenho estado a ler este livro^^ é realmente fantástico :D

    ResponderExcluir
  10. Ótimo livro! Li e reeli. Vale a pena

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por