Resenha: Century - O Anel de Fogo, de P. D. Baccalario

28 janeiro 2012
Postado por Livy


Century - O Anel de Fogo
P. D. Baccalario
ISBN: 9788576764441
Nº Paginas: 280
Ano Edição:
2011
Editora: Fundamento
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
O Anel de Fogo é o primeiro livro de uma série fascinante. A coleção Century é um grande sucesso de vendas na Itália e Estados Unidos e será publicada em outros 12 países. Você não vai conseguir parar de ler!  Um erro nas reservas de um hotel forçou quatro jovens que nunca se viram antes a dividir um quarto de hotel. Foi assim que a italiana Elettra, o americano Harvey, o chinês Sheng e a francesa Mistral se conheceram naquela noite de nevasca em Roma. Ao saírem para explorar a cidade, os quatro encontraram um desconhecido que entregou uma maleta para Elettra. Dentro dela, havia informações sobre um artefato único e poderoso - o Anel de Fogo. Fascinados, eles começaram a buscar pistas que os levassem a esse intrigante objeto. Só que eles não eram os únicos que desejavam encontrar o anel. O impiedoso Jacob Mahler estava disposto a eliminar qualquer um que se interpusesse entre ele e a joia. Mas o que o Anel de Fogo tinha de tão especial?

Itália. Tempos atuais. Vésperas de Ano Novo. Depois de muitos anos, está nevando. Fernando Melodia, dono do Hotel Domus Quintilia, está no aeroporto aguardando a chegada de um hóspede. Dois, na realidade. Mãe e filha, vindas da França. No entanto, Cecile Blanchard e sua filha Mistral estão prestes a descobrir que elas não são as únicas a terem reservado com antecedência o mesmo quarto no Domus. O casal Miller, e seu filho Harvey; See-Young Wan Ho, e seu filho Sheng, também fizeram reserva para o mesmo quarto. Coincidência? 

Elletra, sobrinha de Fernando Melodia, acredita que não. E para melhorar as coisas, um black-out colocará os quatro adolescentes - Mistral, Elletra, Sheng e Harvey -, dentro da maior aventura de suas vidas. Ao saírem para ir à praça, durante a queda de energia, eles acabam encontrando um velho misterioso carregando uma maleta. Esbaforido e apavorado, o homem acaba entregando a maleta para Elletra que, apesar do susto, a leva para o hotel. Porém, o que eles não sabem é que há outras pessoas interessadas no conteúdo da maleta. Pessoas dispostas a matar para reavê-la.

Century, O Anel de Fogo é um daqueles livros do tipo 8 ou 80. Ou você o ama ou você o odeia. Mas não se impressione com isto. Isto é normal e ocorre com diversos livros e autores. Por isso, vou seguir uma linha diferente nesta resenha. Vou apontar os prós e os contras que identifiquei no livro e você, leitor, escolhe o caminho a seguir.

De início, vou assinalar os pontos fortes: A capa é sensacional. Aliás, não somente a deste livro, mas dos outros títulos subsequentes, também: A Estrela de Pedra, A Cidade do Vento e A Primeira Nascente. Todas as capas são maravilhosas. É um excelente trabalho gráfico. Aliás, o trabalho realizado no livro como um todo (falando da parte gráfica) é sensacional. Ficou show mesmo. Na parte interna do livro, você vai encontrar um encarte colorido, na página 128, rico em detalhes gráficos relacionados à história. Só por isso, o livro é uma verdadeira obra de arte.

A ambientação do livro é muito boa. A história se passa na Itália, nos tempos atuais. No entanto, é possível perceber um certo toque de nostalgia - talvez seja por que é véspera de Ano Novo -, quase mágico, na forma como Baccalario encadeia a sua narrativa. Tem-se a impressão de estarmos vendo um daqueles filmes infanto-juvenis da Disney ou da Dreamworks.

Outro ponto interessante são os protagonistas - as crianças. Ao contrário do que ocorre em muitos livros infanto-juvenis, essas não são pedantes ou irritantes. Logo de início eles ganham a nossa simpatia e sustentam a história até o fim, garantindo alguns momentos bem divertidos no decorrer da leitura.

Bem, afora os prós, os contras também são bastante evidentes. Entre alguns, vou destacar estes: A história é muito "lugar comum", sem muita inovação, criatividade ou originalidade. É uma história infanto-juvenil rasa, sem lances empolgantes. Os personagens, em sua maioria, apesar de simpáticos, não nos arrebatam com atuações dignas de uma grande história de aventura. Nem mesmo o vilão, Jacob Mahler, e seu violino mágico, consegue impactar nosso interesse e mantê-lo até a última página. Algumas de suas ações são cômicas, para não dizer ridículas. Baccalario não se aprofunda na intimidade dos seus personagens. Tem bons personagens, mas são superficiais. Eles existem, e pronto. Estão lá, movem-se, falam, agem, e é só.

O livro também peca por apresentar uma aventura sem emoção alguma e completamente desprovida de momentos memoráveis. O suspense é fraco e o grau de mistério envolvendo o tal anel custa a aguçar o nosso interesse.

Concluindo: O Anel de Fogo é um livro mediano, para jovens que estão começando a ganhar gosto pela leitura. Leitores mais exigentes, calejados na leitura e que ultimamente tenham degustado livros mais elaborados, irão se ressentir um pouco pelos muitos pontos fracos ao longo da leitura.

Não quero com isso desmerecer o livro. Muito pelo contrário.  No entanto, como leitora e divulgadora de literatura, tenho por obrigação pesar os dois lados e expô-los, para que os leitores possam ter uma outra perspectiva de um mesmo objeto. Acredito que ele tem o seu público certo e muitos leitores o acharão muito bom, de leitura fácil, ágil e agradável. Certamente, muitos desses leitores vão desejar ler as continuações. E levando-se em consideração de que o público alvo da Editora Fundamento é o infanto-juvenil, o livro com certeza agradará aos leitores desta faixa etária. 

Comentários via Facebook

9 Comentários:

  1. Amei a resenha.
    Ainda não li este livro, mas fiquei com muita vontade agora...rs
    BjO
    http://the-sook.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Estou querendo muito ler este livro, e que sabe, haja oportunidade.

    Abraços,
    Joshua - Blog Pensamentos do Joshua - pensamentosdojoshua.blogspot.com - por favor, dá uma passadinha lá no blog :D

    ResponderExcluir
  3. Nossa que pena Livy.
    Estava com muita expectativa em relação ao livro, mas pelo jeito ele não é essas coisas. Adoro uma boa aventura e sendo infanto-juvenil é melhor ainda, por isso apostava minhas fichas em relação a Century.
    É uma pena que ele seja assim, mas acho que ainda quero dar uma oportunidade a ele... se vir a chance de ler, acredito que eu leia. rs

    Beijão
    http://manialiteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não tive a oportunidade de lê-lo, vontade não me falta...rs. Adorei a resenha...
    Att.,
    Luks

    ResponderExcluir
  5. eu ja li é muito melhor do que na resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, o livro para min foi bem elaborado onde cada detalhe faz a diferença para descobrir o paradeiro do anel!

      Excluir
  6. Sua resenha desmerece o livro.
    Atualmente a mitologia greco-romana se tornou uma fórmula mágica para vender livros para o público jovem.
    O autor de "Century" vai além, busca uma sintese entre mitologia e história.A mitologia é abordada tangencialmente,a grande originalidade do autor está em agregar diversos conteudos em torno de um único e misterioso aterfato o "anel de fogo".
    O autor sintetisa a lenda de prometeu, mitra (deus romano do sol), Nero, Arquimedes e astrologia em uma única trama.
    Muitos mistérios não são revelados, aumentando o interesse sobre as continuações da série.
    Agora os personagens e as "cenas" de ação poderiam ser melhor exploradas.

    ResponderExcluir
  7. Na minha opinião:

    Originalidade: 4/5
    Personagens: 3/5
    Narrativa: 2/5 (A descrição das personagens é pobre)
    História: 4/5
    Conhecimento: 4/5


    ResponderExcluir
  8. Eu li a trilogia e amei e esse livro realmente está demais. Gostei muito da resenha.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por