Resenha: Os Deixados Para Trás, de Tom Perrotta - Editora Intrínseca

17 setembro 2012
Postado por Livy

Os Deixados Para Trás Tom Perrotta
Tradução: Rubens Figueiredo
ISBN:
978-85-8057-214-8
Lançamento:
21-07-2012
Editora: Editora Intrínseca
Pontuação: ♥ ♥  
Sinopse:  O que aconteceria se, de repente, sem nenhuma explicação, pessoas simplesmente desaparecessem, sumissem no ar? É o que os perplexos moradores de Mapleton, que perderam muitos vizinhos, amigos e companheiros no evento conhecido como Partida Repentina, precisam descobrir. Desde o ocorrido nada mais está do mesmo jeito - nem casamentos, nem amizades, nem mesmo o relacionamento entre pais e filhos. O prefeito da cidade, Kevin Garvey, quer acelerar o processo de cura, trazer um sentimento de esperanças renovadas e propósito para sua comunidade traumatizada. Ainda que sua família tenha sido desfeita com o desastre: sua esposa o deixou para se juntar a um culto cujos membros fazem voto de silêncio; seu filho, Tom, abandonou a faculdade para seguir um profeta duvidoso chamado Santo Wayne; e sua filha adolescente, Jill, não é mais a dócil estudante nota dez que costumava ser. Em meio a tudo isso, Kevin ainda se vê envolvido com Nora Durst, uma mulher que perdeu toda a sua família no 14 de Outubro e continua chocada com a tragédia, apesar de se esforçar para seguir adiante e recomeçar a vida. Com emoção, inteligência e uma rara habilidade para enfatizar os problemas inerentes à vida comum, Tom Perrotta escreve um romance impressionante e provocativo sobre amor, conexão e perda.
Os Deixados Para Trás é um livro inquietante. Tem um contexto centralizado no cotidiano moderno, da sociedade do novo milênio, do século XXI. É, antes de mais nada, uma crônica. A crônica do cotidiano norte-americano. Ou, quem sabe, de todas as pessoas do mundo. Reflete bem o modo de ver e pensar das pessoas deste século. Por isso, nos deparamos com pessoas comuns, vivendo vidas comuns, buscando realizar os seus sonhos ou lutando para manter os sonhos já conquistados.

Tom Perrotta é dotado de uma escrita caprichosa. Suas descrições dos personagens e das situações e locais são muito acurados e precisos. Refletem bem a sua criatividade voltada para roteiros de seriados. O que não é de estranhar, pois ele está adaptando o livro para uma série de TV, que será exibida pela HBO, na TV paga. Por esse motivo, creio que identifiquei várias situações novelísticas em sua narrativa. Enquanto lia, eu tinha a nítida impressão de estar vendo um seriado impresso. Cada capítulo, um episódio. Um episódio cheio de lições de vida, de moral, reflexão social e religiosa. Um dos pontos principais enfocados pelo autor é o fanatismo. Algo tão comum e recorrente nos dias de hoje, tão comum de ser visto nos noticiários de todo o mundo. 

A história de Os Deixados Para Trás se passa em Mapleton. Tem como pano de fundo o Arrebatamento, ou a Partida Repentina, de várias pessoas em todo o mundo. Desta forma o Arrebatamento apregoado por várias religiões, no qual Deus transportaria fisicamente para o Céu os Escolhidos que, após os sete anos de tribulações que assolariam os que ficariam no mundo, fariam-nos herdar à Terra completamente pacificada e renovada, premiou, no livro, sujeitos de todos os tipos, credos, raças e condições sociais. Para desgosto dos mais fanáticos e ortodoxos da religião, em todo o mundo. Pois, cada religião, alega ser ela a única conduzir os eleitos ao Paraíso na Terra.
Seguindo essa ótica, Tom Perrotta usa Mapleton como um teatro para esmiúçar esse contexto. Até que ponto as pessoas que sofreram o Arreatamento são de fato merecedoras desse fenômeno, ou até que ponto as que ficaram no mundo são desmerecedoras de serem salvas.

À medida em que nos enfronhamos na leitura e com os personagens, vamos conhecendo um pouco mais da realidade por detrás desse extranho fenômeno, e descobrimos que há muita distinção entre santo e demônio, e que, na maioria das vezes, vemos lobos disfarçados de cordeiros, mas nunca o inverso.

Uma outra coisa que me chamou atenção no livro foi que, do meu ponto de vista, Tom Perrotta se inspira nos acontecimentos de 11 de setembro para compor sua narrativa: o atentado ao World Trade Center, em Nova Iorque (ou Arrebatamento em Mapleton, em 14 de outubro); a cidade abalada; as pessoas sem rumo, abatidas, desnorteadas, perplexas... A tentativa de Kevin, o prefeito recém empossado, de reerguer a moral da cidade; a busca por respostas; o sonho norte-americano desfeito; a dor por aqueles que partiram; o fanatismo levando aos extremos e às suas consequências religiosas ou sociais. Os Deixados Para Trás é um livro para se ler e refletir.

Este não é um livro de fácil digestão. Vai agradar uns e descontentar outros. Primeiro, porque o livro não tem suspense, mistério, ação, mortes ou grandes acontecimentos. É quase como uma régua numerada, linear, reta e lisa. O cotidiano das pessoas em Mapleton é o foco central do livro: seus dramas pessoais podem interessar uns e desinteressar outros. Em dado momento a leitura torna-se cansativa, justamente pela carência de momentos inusitados e surpreendentes.
A narrativa é boa, os personagens são interessantes e bem construídos, o cotidiano norte-americano é exposto com exatidão. No entanto, o livro peca pela falta de paixão do autor. Perrotta escreve, escreve, mas a gente fica sem saber exatamente do que ele quer nos convencer.

O trabalho gráfico do livro ficou muito bom. Parabéns à Editora Intrinseca pelo excelente acabamento da obra, a qualidade da diagramação, a ótima tradução do Rubens Figueiredo, a sinopse caprichosa na orelha da capa, e o ponto alto: as capas duplas. Uma capa com o sapato masculino, e  a parede em tons de rosa e a outra com o sapato feminino, e a parede em tons de azul. Ficou show! 

Apesar de alguns pontos negativos, no geral, gostei do livro.
Não me surpreendeu ou encantou, como esperava que o fizesse, pela capa e pela sinopse do livro, ou pelos comentários na contra-capa. Mesmo assim, à medida em que me envolvia com o drama particular de cada personagem, acabei me interessando pela narrativa e ela me absorveu até o final. Em geral, é um livro muito interessante, que nos faz refletir! Confira e tire suas próprias conclusões! Boa leitura!

Comentários via Facebook

14 Comentários:

  1. já ouvi falar muito bem do autor, mas o livro não me chama muita atenção. acho que, como você falou, que é quase como uma régua numerada, sem grandes acontecimentos e tudo o mais, não me atrai muito.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que eu li tua resenha antes de por o livro na minha lista de compras.
    Não que eu tenha achado ruim, mas estou numa fase que meio chata, onde não aguento ler livros sem grande movimentação. Eu fico com tédio e acabo abandonando, hehehe.

    ResponderExcluir
  3. Quando eu soube do lançamento do livro, e li sua sinopse, fiquei bem empolgada, mas alguns pontos que você citou me deixaram um pouco duvidosa, achei que teria mais misterios e tal, no entanto ainda quero ler o livro e saber o que há por de tras dessa estória =D

    Bjs

    Da Imaginação a Escrita

    ResponderExcluir
  4. Se fosse levar em conta a sinopse e a capa, parece muito bom, mas vocÊ levantou em sua resenha alguns pontos que deixam a desejar. mesmo assim parece um bom livro.

    ResponderExcluir
  5. Quando vi a capa desse livro, achei bem interessante, mas não esperava que a história fosse tão boa. Após ler a sua resenha, estou repensando sobre esse livro rs Já que de inicio nao tinha gostado nada dele, nem a sinopse me convenceu mt.
    Bjim

    ResponderExcluir
  6. Pela capa achava que a historia era completamente diferente.Me desinteressei pelo livro, sei lá, não gosto muito de enredos assim. Bjksss

    ResponderExcluir
  7. Bem como eu já vi o filme e não gostei muito, provavelmente eu não vá ler, quando olhei pra capa imaginei alguém com chulé rsrsrsrs, não sei por que talvez a fumaça tenha gerado esse pensamento em mim kkkkkkkk

    bjos

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. nossa depois dessa resenha fiquei muito curiosa

    ResponderExcluir
  10. Eu tinha muita vontade de ler esse livro, mas devo dizer q minha vontade diminuiu com a resenha.

    Não, não que o livro pareça ruim, mas é que no momento eu prefiro algo mais agitado, cheio de ação, aventura, mistério....

    ResponderExcluir
  11. Eu estava bem animada no começo da resenha mas desanimei um pouco...rsrs

    Esperava um grande mistério para ser desvendado.

    Mas mesmo assim estou curiosa e pretendo ler.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  12. Adoro quando o autor foca em personagens e não em acontecimentos, as pessoas não são só agulhas para se passar uma linha e costurar, elas tem alma, sofrem, choram, erram e lutam com motivo. Sua resenha me deixou curioso. Vou comprar!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por