Resenha: Infinity Ring - Um Motim no Tempo, de James Dashner - Editora Seguinte

14 março 2013
Postado por Livy

Infinity Ring - Um Motim no Tempo
James Dashner
ISBN: 9788565765114
Coleção: Infinity Ring, Vol. 1
Tradutor: Alexandre Boide
Páginas: 248
Lançamento: 4 de Abril de 2013
Interatividade: Jogo
Onde Comprar: Travessa | Livraria Cultura
Editora: Seguinte
Pontuação: ♥ ♥

Quando os amigos Dak Smyth e Sera Froste descobrem o segredo da viagem no tempo — um dispositivo conhecido como Anel do Infinito —, acabam envolvidos numa guerra secreta que decidirá o futuro da humanidade. A história havia saído desastrosamente de seu curso natural, e agora caberia a eles voltar no tempo para corrigir as Grandes Fraturas — e, no caminho, ainda salvar os pais desaparecidos de Dak.A primeira parada é na Espanha de 1492, quando um navegador chamado Cristóvão Colombo está prestes a ser lançado ao mar, durante um motim terrível

Um Motim no Tempo é o primeiro livro da série juvenil Infinity Ring, que contará com sete volumes.  Os próximos volumes serão escritos por Carrie Ryan, Lisa McMann, Matt de la Pena, Matthew Kirby e Jennifer Nielsen (e o Dashner volta para escrever o último). A série foi idealizada pela Scholastic, editora americana que também criou a série 39 Clues,  onde os leitores poderão aprender muito sobre história, ciências e muito mais, se divertindo. Além disso, a série será multimídia, ou seja, contará com jogos e atividades (confira aqui o primeiro jogo que a Editora Seguinte disponibilizou).  

Eu amo quando um livro trata de um assunto do qual eu sou fascinada ao extremo: viagem no tempo. Eu sempre amei e adoro as implicações que este tipo de tema causam. Uma de minhas principais motivações para gostar tanto do assunto é toda a possibilidade que se aplica quando a viagem no tempo é o cerne de um livro. A famosa Teoria do Caos, ou mais especificamente o Efeito Borboleta (saiba mais aqui) onde uma pequena ação pode causar uma reação sem tamanho, se aplica muito bem ao caso. Principalmente nesta série.

Mas antes de mais nada, penso que, quando um autor se aventura por este caminho e resolve criar uma aventura com esta temática, deve tomar muito cuidado. Pois dependendo de como desenvolva sua história a coisa toda pode perder o sentido muito facilmente. Já vi muitas delas parecerem muito promissoras (principalmente em filmes) e acabar decepcionando. Não pelo tema ser batido ou não, mas por ser um assunto realmente delicado. Imagine as implicações de se viajar no tempo!? Claro que o autor tem toda a liberdade que lhe cabe ao criar um história fantástica e fantasiosa e fugir um tanto do que seria crível, apesar de se tratar de algo inatingível (será!?) no momento, apenas um sonho.
Esmiuçando um pouco o assunto, podemos pensar um tanto, né!? A famosa frase "E se..." pode ser aplicada aqui. "E se tal coisa tivesse acontecido?""E se fulano não tivesse morrido?". O bacana é que a viagem no tempo permite que infinitas possibilidades sejam aplicadas. O interessante é ver como determinadas ações influenciam e afetam outras ações, vidas e até mesmo o futuro de determinadas pessoas ou de toda uma nação. (Sim, sim eu poderia divagar eternamente sobre o assunto... então, continuemos com a resenha).

Quando soube do grande lançamento da Editora Seguinte, fiquei realmente ansiosa para conferir o resultado. E adorei! James Dashner está de parabéns. Já conhecia seu trabalho em Maze Runner - Correr ou Morrer (um de meus livros favoritos), e não esperava menos do autor. Apesar de ter usado um estilo um pouco diferente, continua mostrando sua habilidade narrativa de forma muito talentosa. O livro tem apenas 248 páginas, mas poderia ter mais 500 e não cansaria nem um pouquinho. Sim, tio Dashner tem este efeito sobre mim. E o melhor, ele introduziu o tema com maestria. O livro é realmente bom e a série é muito promissora.

Neste primeiro livro somos apresentados aos prodígios juvenis Dak e Sera. Amigos inseparáveis  e nerds assumidos. Dak ama e entende tudo relacionado à História, o garoto tem a mania de, nos momentos mais inoportunos, dar uma verdadeira aula. Um tanto avoado e desengonçado em alguns momentos de apuro, Dak conta com a ajuda da mente sempre centrada de Sera para o ajudar. Sera, por sua vez, é calma e madura, e é apaixonada por Ciências. E não qualquer tipo de Ciências, mas tudo o que há de mais complexo, envolvendo até física quântica, por exemplo. Ambos tem uma mente prodigiosa e um talento sem igual para solucionar problemas. E me cativaram.

Agora, imagine que eles vivem em um mundo dominado por uma organização denominada SQ. Esta organização (que existe há mais tempo do que se possa imaginar) dita leis e regras à sociedade. Vemos neste livro, uma realidade diferente da que estamos acostumados (apesar de toda a tecnologia empregada na história do livro e de os personagens viverem em uma sociedade um pouquinho diferente da que conchemos não torna o livro um distópico, ok!?), uma realidade onde cataclismos terríveis, causados por grandes Fraturas ocorridas nas história, ameaçam a vida na Terra. Estas Fraturas seriam acontecimentos que não deveriam ter sido levados adiante. Como por exemplo, os irmãos Amâncio terem descoberto a América no lugar de Cristóvão Colombo. Uma consequência destas Fraturas no tempo são as Reminiscências, uma espécie de déjà-vu ao contrário, que traz uma sensação horrível de perda e tristeza. A sensação que se tem, la no fundo da mente, é de que algo deveria estar acontecendo ou ter acontecido, mas está perdido. Ou se sente a falta de alguém, que se sabe que deveria existir, mas não existe.

Quando os pais de Dak criam o Anel do Infinito, um dispositivo que permite a viagem no tempo, e Sera consegue fazê-lo funcionar, a aventura através da história tem inicio. Na viagem inicial de teste, os pais de Dak desaparecem. Os jovens se veem no meio de um grupo que se denomina Guardiões da História, e irão fazer uso do dispositivo para corrigir as Fraturas. O que no fim das contas fica a encargo de Dak, Sera e mais um integrante, o Riq (também, mas um jovem prodígio). Eles viajam para o ano de 1492, e têm que evitar que um terrível motim aconteça, e que Cristóvão Colombo seja jogado ao mar. Mas devem tomar cuidada com os Guardiões do Tempo, pessoas treinadas para identificarem viajantes do tempo, e evitarem que as Fraturas sejam consertadas.

Não vou entrar muito em detalhes sobre as organizações e a minucias da trama, pois o bacana é ir descobrindo as coisas conforme a leitura se desenvolve. E garanto, vale a pena conferir!
Gostei muito dos personagens. Recheado de fatos históricos e referências cientificas, com quebra-cabeças, enigmas e muita inteligência, James Dashner construiu um livro introdutório fantástico, com personagens incríveis, sagazes e envolventes. Com diálogos inteligentes e tiradas sarcásticas Dak e Sera, e tantos outros personagens se entrelaçam para criar uma trama cativante, que me fez devorar o livro. Muito fácil de ler, garante uma leitura divertidíssima e prazerosa! 

Espero que Carrie Ryan (autora de A Floresta de Mãos e Dentes) consiga manter o mesmo ritmo do primeiro livro, pois eu o amei! Estou ansiosa pela continuação da saga, e para ver os resultados que a viagem dos garotos causou no futuro (ou melhor, no presente).

Se você está ansioso para ter o livro em mãos, fique esperto: o lançamento está previsto para o dia 04 de Abril e já pode ser encontrado em pré venda na  Travessa e Livraria Cultura.

Comentários via Facebook

10 Comentários:

  1. gosto de filmes com este tema, mas livros nunca li nenhum :S
    gostei da história, apesar de achar ela sobrecarregada demais... vou esperar vir para o brasil para mim conferir *--*

    ResponderExcluir
  2. Adoro esses tipos de livro, tempo e muita confusão. Acho que leria sim, apenas a capa que não me agradou muito.

    ResponderExcluir
  3. Mais uma série extensa, 7 volumes!!!
    Li outras resenhas e foram bem positivas também, ;)

    ResponderExcluir
  4. Capa Linda, historia interessante e otimas resenhas, ainda precisa perguntar se eu vou comprar?

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nenhum livro com essa temática, mas a sua resenha ficou muito boa. Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Achei bem legal a temática do livro e bem interessante ser escrito por autores diferentes, mais uma resenha que é só elogios, quero muito ler esse livro.

    ResponderExcluir
  7. Adoro o tema viagem no tempo em livros, séries e filmes. Acho fascinante mesmo. E independente de autor, tento ler e assistir tudo o que aborda esse tema. O que acho arriscado nessa série, é que fora o primeiro e o último volumes, os outros serão escritos por autores diferentes, o que pode causar uma certa confusão, pois cada autor tem seu estilo de narrativa. Mas não posso negar que a ideia é ousada.
    Enfim, quero ler essa série.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler o livro pois tem tudo o que eu gosto viagem do tempo com histórias históricos, enigmas e aventuras. O Bom de livros assim é que ele não fica lento e massante.

    ResponderExcluir
  9. Ja assisti filmes sobre viagem no tempo, mas ainda não li nenhum livro.
    Um Motim do tempo parece ser ótimo, cheio da venturas (Que eu ADORO.
    o que eu acho muito interessante é as consequências de se viajar no tempo, pois qualquer pequena alteração no passado pode mudar todo o presente ou o futuro de milhares de pessoas..
    Quero muito ler..
    ótima resenha. =)

    ResponderExcluir
  10. Achei a capa meio estranha! Mas adorei a resenha e com certeza leria o livro!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por