O que é BookCrossing?

19 abril 2013
Postado por Livy


Você já ouviu falar em BookCrossing? Não? 
Bom, simplesmente imagine estar andando pelas ruas e se deparar com um livro "largado" na calçada. Ou estar num ponto de ônibus e se deparar com um livro "esquecido" embaixo do banco. Ou estar andando por um praça e ver um livro ao pé de uma árvore. As possibilidade são infinitas, e você pode encontrar um livro em qualquer lugar, a qualquer momento. 

A esta atividade de "esquecer" um livro em locais públicos, de forma totalmente gratuita, se dá o nome de BookCrossig. Além de um ato de solidariedade e desprendimento, esta também é uma forma muito bacana de disseminar a leitura e compartilhar conhecimento indiretamente. Ou seja, fazer do mundo uma imensa biblioteca gratuita e totalmente livre.

Mas como surgiu esta atividade? 
O BookCrossing.com foi criado por Ron Hornbaker em março de 2001, enquanto ele e sua esposa Kaori admiravam o site PhotoTag.org, que rastreia de câmeras descartáveis perdidas no mundo. Ele já sabia da popularidade do WheresGeorge.com (que rastreia dinheiro em circulação nos EUA pelo número serial) e isso o fez pensar: que outro objeto físico as pessoas gostariam de rastrear? Alguns minutos depois, ao olhar para sua própria estante de livros, ocorreu a ideia de rastrear livros. Ron percebeu que até aquele momento nada como o BookCrossing havia sido feito em uma escala significativa, e então decidiu o nome, registrou o domínio e Kaori rascunhou o logo do livro correndo em uma placa de trânsito. O resto foi mera execução.

Com o apoio de seus parceiros Heather e Bruce Pedersen, Ron começou no dia seguinte a trabalhar na programação do site e quatro semanas depois o www.bookcrossing.com foi lançado. Desde então, BookCrossing tem sido o foco de incontáveis programas de TV, rádio e artigos de jornal em todo o mundo; conquista cerca de 300 novos membros todos os dias; tem sua própria categoria no editável diretório do Google, no Wikipédia e foi adicionado ao Concise Dicionário Oxford de Língua Inglesa como uma palavra nova. O BookCrossing continua crescendo e chegando mais perto de fazer do mundo todo uma biblioteca, capturando a paixão e a imaginação de quase um milhão de pessoas no mundo todo, que querem ajudar a espalhar a generosidade dos livros.

E no Brasil?
Já vimos por aqui muitas manifestações deste tipo. Recentemente pudemos conferir algo bem parecido com a divulgação do livro A Culpa é das Estrelas, onde blogueiros e leitores "esqueciam" o livro em pontos movimentados de suas cidades, por todo o país. 

No Brasil também há pontos de BookCrossing. O primeiro Ponto de BookCrossing no país foi criado em São Paulo em outubro de 2007. Desde então vários pontos foram criados e você pode criar um também. Locais bacanas para começar a "esquecer" seus livros são espaços públicos ou locais movimentados. Veja como clicando aqui.

Mas você também pode aderir à esta atividade de forma independente, que já será bacana. Mas não esqueça de embalar seu livro, e deixar um recadinho na primeira página avisando que o livro não está perdido, e que quem o achou pode levá-lo para casa e apreciá-lo.


Tem um movimento bem bacana rolando em São Paulo, a página é do jornalista Felipe Brandão, de 29 anos, que já deixou cerca de 20 livros "esquecidos" pela cidade. Por dia, ele recebe mais 10 e-mails de pessoas que fizeram o mesmo. Segundo Felipe, a idéia do “Esqueça um Livro” é “exercitar o desapego literário, brincar e espalhar conhecimento”, clique aqui e confira. 

Saiba mais sobre o movimento de BookCrossing no site oficial. Aproveite esta ideia e compartilhe conhecimento!
Fonte

Comentários via Facebook

7 Comentários:

  1. Oi, Livy!
    O Estado brasileiro que mais se pratica o BookCrossing é o de Minas Gerais... uma curiosidade!!
    Pratico a bookcrossing fazem alguns anos e desde que me tornei blogueira, ele tem acompanhado o meu blogue. Está rolando a 6ª Edição do BookCrossing Blogueiro e sinta-se convidada a conhecer e quem sabe participar :)

    ResponderExcluir
  2. demais essa ideia! vi alguma coisa parecida na televisão, mas como não gosto de assistir tv nem dei muita importância :S
    acho que não iria conseguir desapegar assim tão fácil de um livro meu, já que quando gosto de um prefiro deixar na minha estante para ler outra vez!
    mas achei legal a ideia! é uma ótima forma de propagar o amor pela leitura...

    ResponderExcluir
  3. Nossa!!
    Gostei bastante dessa ideia. Eu particularmente adoro essa sua coluna sobre curiosidades...
    Como eu queria que na minha cidade acontecesse essa prática.
    rsrs
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, essa ideia já é praticada a um bom tempo, entretanto não é divulgada com facilidade. Já fui até mesmo em encontros de trocas de livros, caça aos livros e muitos outros bem interessantes. A iniciativa é nobre.

    Mesmo com muitos brasileiros, ainda é pouco o índice de leitores, e a maioria perde esse costume. É bom espalhar novidades pro mundo da leitura ficar ativo...

    Beijos! Ótimo post!

    ResponderExcluir
  5. Muito boa essa ideia e vale a pena se compartilhada

    ResponderExcluir
  6. Poxa muito legal essa ideia!
    Não conhecia e achei super válida, =D

    ResponderExcluir
  7. Oi Livy
    Sabe que faz tempo que venho pensando nisso?
    Acho a ideia muito bacana!
    Qualquer dia desses, esqueço um livro por aí! =)
    beijo

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por