Resenha: Lua de Mel, de James Patterson e Howard Roughan - Editora Arqueiro

29 abril 2013
Postado por Livy

Lua de Mel
James Patterson e Howard  Roughan
ISBN: 9788580411249
Tradução: Cássia Zanon
Lançamento: 21/01/2013
Páginas: 224
Preço: R$ 24,90
Editora: Arqueiro
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
Linda, sexy e bem-sucedida, Nora Sinclair é desejada pelos homens e invejada pelas mulheres. E sua vida tem tudo para ficar ainda mais perfeita quando seu namorado, o atraente e rico Connor Brown, pede sua mão em casamento. Mas o que para muitos seria o começo do “felizes para sempre”, para Nora é a contagem regressiva para “até que a morte os separe”. Uma sucessão de acontecimentos misteriosos.  Coisas muito estranhas ocorrem às pessoas próximas a Nora, principalmente aos homens que entram em sua vida. E isso acaba despertando o interesse do FBI. Sarcástico, malicioso e implacável, o agente John O’Hara é esperto o suficiente para saber que belas fachadas podem esconder grandes perigos. Se há algo de errado com Nora, ele é o homem certo para descobrir. Um detetive dividido entre a justiça e a obsessão. Mas a primeira coisa que O’Hara vai aprender é que Nora não seduz os homens, simplesmente. Ela os domina. Quanto mais tempo o agente passa perto dela, mais confuso se sente, até já não ter certeza se ainda está em busca da verdade ou se virou prisioneiro de uma atração que pode ser fatal. 

Vou começar esta resenha com uma frase que os autores do livro colocaram no primeiro parágrafo do Prólogo:  “As coisas nem sempre são o que parecem ser”. Essa frase, no livro, irá acompanhá-lo no decorrer da leitura. O tempo todo você estará diante de fatos e acontecimentos que podem não ser exatamente o que aparentam ser. 

Com esse clima de mistério, envolvendo os personagens principais, Nora Sinclair e John O’Hara, Patterson e Roughan conduzem uma trama em constante suspense. Um suspense empolgante que nos prende às páginas do livro do começo ao fim, fisgando nossa atenção por pouco mais de 200 páginas que, aguçando o nosso interesse em desvendar os segredos por trás da fatal Nora e do charmoso O’Hara, pode ser facilmente lido de um só fôlego. 

Lua de Mel  empolga por conter elementos que costumamos ver em thrillers de suspense e os quais amamos intensamente. Apesar de comuns, ficam ainda melhor na narrativa fluente dos autores, como se alguém nos estivesse confidenciando um acontecimento, instigando o nosso interesse a medida em que os personagens Sinclair e O’Hara acabam se conhecendo e fazendo  um jogo de gato e rato entre eles. O interessante é que um e outro acaba invertendo as posições nesse jogo, e as surpresas por conta disso são fantásticas. E esse aspecto, sem dúvida alguma, é o ponto alto da trama. 

Além desses personagens, também temos a chefe de O’Hara, Susan. Uma bonita agente linha dura que sabe perfeitamente onde lhe dói o calo. Por isso ela não larga do pé de O’Hara. Ainda mais com uma femme fatale como Sinclair a poucos passos do bonitão. Há ainda outros personagens, com os quais Nora irá se envolver, além da mãe Olivia e as enfermeiras que cuidam dela.  Porém a trama em si gira perfeitamente bem ao redor de Nora e John.    

Tudo em Lua de Mel é um jogo de espelhos e fumaça. Nora e John sabem criar personalidades e influenciar pessoas para conseguir informações ou atingir seus objetivos. Ambos são mestres de fingir ser o que não são. E isso torna a trama ainda mais picante. Porque, além das mortes que vão acontecendo ao longo das páginas, há ainda uma fortuna incalculável sendo disputada por lados opostos. Gente interessada nesse dinheiro, capaz de matar qualquer um que tente intrometer-se no caminho deles. E querendo ou não, os dois acabam na linha de tiro desses oportunistas. 

O final do livro foi tudo o que eu esperei dele. Para quem já leu outros livros do James Patterson, sabe muito bem o que esperar.  Enfim, ele é tão imprevisível quanto os seus personagens. Lua de Mel é feito de máscaras e ilusões. Simplesmente, um bolo de casamento de brigadeiro com morangos! 

Comentários via Facebook

7 Comentários:

  1. ainda não li nenhum livro do autor, apesar de o estilo dele ser o meu gênero preferido...
    este livro dele acho que é o que mais me deixa curiosa. só a sinopse dele já é de babar né? :P

    ResponderExcluir
  2. Nossa, adorei a sua resenha. Preciso ler algum livro do James Patterson.
    rsrssrs
    Achei engraçado você comparar o livro a um bolo de casamento.
    Aguardo mais novidades do blog.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Do James Patterson, já li O Diário de Suzana para Nicolas e ameiiii.
    Sei que são 2 tramas diferentes, mas a escrita do autor é muito boa.
    Gosto dessa temática investigativa e estou bem curiosa com essa trama, :)

    ResponderExcluir
  4. Achei que já tinha comentado aqui, mas vou garantir.
    Estou louco para ler algum livro do James Patterson. Ele é um dos melhores autores de livros policiais da atualidade.
    A sua resenha ficou ótima.
    Parabéns!
    Beijos!!!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Estou com ele aqui prontinho para leitura.
    Bjs, ROse.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por