Resenha: O Aprendiz do Ladrão de Túmulos, de Allan Stratton - Editora Planeta

23 abril 2013
Postado por Livy


O Aprendiz do Ladrão de Túmulos 
Allan Stratton
ISBN: 9788542200775
Tradutor: Livia Almendary
Ilustrações: Jim Kay
Ano: 2013
Páginas: 304
Editora: Planeta
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
Neste livro, os leitores serão convidados a viver uma grande e divertida aventura, mergulhando nas profundezas da grande floresta, descendo uma montanha em alta velocidade a bordo de um caixão e caminhando pelas passagens secretas do palácio do arquiduque. O universo de O aprendiz de ladrão de túmulos, do premiado escritor canadense Allan Stratton, é habituado por bandoleiros, eremitas e ursos bailarinos; e por um garoto separado de sua família pelo mar. Nesse mundo, nada é impossível: com um pouco de sorte e muita imaginação – até para um aprendiz de ladrão de túmulos.

O Aprendiz do Ladrão de Túmulos foi além do que imaginava. A sinopse do livro não elucida muita coisa sobre a história e o que podemos esperar da trama de Stratton. Este infanto-juvenil me trouxe certa nostalgia, e me fez lembrar os filmes que costumava assistir quando criança, onde aventuras com cavaleiros e castelos traziam certa magia. Esperava muito mais uma juvenil com trama fraca e boba, mas no fim das constas encontrei um livro cheio de surpresas.

João foi achado ainda bebê pelo infame ladrão de túmulos Knobbe, no arquiducado de Waldland, quando estava à procura de corpos e tesouros na praia. O garotinho apareceu dentro de um baú incrustado de joias, trazido pelo mar. Mas nada poderia indicar de onde ele vinha, além de um sinal de nascença em seu ombro, uma águia. João cresce sob os cuidados do ladrão, e o mesmo o usa por beneficio próprio, apesar do garoto o considerar como um pai. Mas, claro, ele quer saber de onde vem, e quem realmente é. Assim como não quer passar a vida toda cavando túmulos e túneis para saquear corpos enterrados e já em decomposição. 
João fez uma promessa para as estrelas:
- Um dia, descobrirei quem sou, e, desse dia em diante, viverei na luz, respirarei ar puro e nunca mais precisarei rastejar ao lado de coisas mortas. 
Conhecemos também a condessa Ângela Gabriela. Uma garota que adora teatro de marionetes e se sente muito só em seu castelo. Seus pais são um tanto ausentes, e ela não possui amigas. Sua criada Ama, é um tanto insolente e não gosta do teatro que a garota se empenha tanto em criar. 
Mas o destino de Ângela e João está prestes a mudar, definitivamente, quando o arquiduque Arnulf decide se casar com a garota. Isso não é nada bom, pois nenhuma de suas esposas sobreviveu. Com seus pais capturados pelo arquiduque, e com o terrível Necromante (um ser que vive nas profundezas do cemitério, horrendo) e seu exército de Malvados (pequenas criaturas parecendo crianças) em seu encalço Ângela se vê em uma corrida para salvar aqueles que ama e a si mesma, assim como o arquiducado que está sendo governado sob a tirania de Anulf, com a ajuda de João e de tantos outros personagens que aparecerão em seu caminho.

Gostei do desenvolvimento da trama criada por Stratton. O livro tem uma história cheia de aventura e ação, e até mesmo um pouquinho de terror e romance. Mas tudo na medida certa, sem exageros. De forma geral considero O Aprendiz do Ladrão de Túmulos um livro leve e gostoso para se ler. 
Gostei da narrativa de Stratton, ele vai direto ao ponto, sem enrolação e sem se estender em longas descrições. Como disse, tudo neste livro tem uma medida certa, e acho que Stratton acertou em cheio. Com capítulos curtíssimos, a leitura parece render muito mais. Além disso, gostei do estilo desenvolvido, e ao final imaginei ter lido um conto de fadas. Sim, achei que o autor criou uma trama que tem todas as características de algo do gênero.

Com inicio, meio e fim muito bem delineados, personagens bem construídos e uma trama interessante, podemos considerar O Aprendiz do Ladrão de Túmulos uma ótima opção para quem gosta de infanto-juvenis e histórias cheias de aventura. Este livro foi bem melhor do que esperava, e acabei a leitura satisfeita com o resultado. Cheio de reviravoltas, com ação frenética e sacadas muito inteligentes, Stratton criou um novo conto de fadas, com um corajoso garoto chamado João que descobre ser muito mais do que achava. E uma garota chamada Ângela, que aprende a ter força e determinação. Com vilões que tem seu merecido final, e com uma moral ao final: Nunca deixe de acreditar que tudo é possível... basta usar a inteligência e ter fé.
- Ângela - disse a mãe -, não importa a gravidade de uma situação, nunca perca as esperanças. A esperança guiará  você durante os momentos mais sombrios quando aqueles ao seu redor sucumbirem ao desespero.
P.S.: E não poderia deixar de mencionar o primoroso trabalho gráfico. Com ilustrações de Jim Kay, o livro tem vários capítulos iniciados com desenhos, e está cheio de artes bacanas. Uma diagramação linda e impecável.

Comentários via Facebook

3 Comentários:

  1. acho que já ouvi falar neste livro... não me recordo. mas resenha, é a primeira que leio!!!
    adorei... *-*
    porque as esposas do Arnulf não sobreviveram? Oo
    adoro livros que tenham capítulos curtos. parece que realmente, a leitura vai mais rápido né? :P

    ResponderExcluir
  2. Também é a primeira resenha que leio sobre esse livro, mas já tinha ouvido falar em outros blogs. Gostei bastante! Essas resenhas que você faz são ótimas. São capazes de influenciar os leitores de maneira inteligente, sutil.
    (:
    Quanto ao enredo, achei interessante, me pareceu um livro que merece respeito e ser um bom passatempo, para se ler sem compromisso.

    Abraços!!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro.
    Pela sua resenha percebi que é uma boa pedida para quem curte infanto juvenil.
    ;)

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por