Resenha: O Teorema Katherine, de John Green - Editora Intrínseca

04 junho 2013
Postado por Livy


O Teorema Katherine
John Green
ISBN: 9788580573152
Tradutor: Renata Pettengill
Ano: 2013
Páginas: 304
Editora: Intrínseca
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.
Infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler o livro A Culpa é das Estrelas do autor e não posso comparar um livro com o outro. Mas pelo que percebi, o estilo escolhido por John Green em O Teorema Katherine foi totalmente na contramão do ACEDE.

Em O Teorema Katherine conhecemos Colin Singleton, um garoto que ama anagramas, um verdadeiro prodígio que tem uma dificuldade imensa em socializar. Tanto que conseguiu fazer apenas uma amizade no colégio: Hassan.  Um belo dia, Collin leva o pé na bunda de sua décima nona namorada.
“Então ficou deitado ali imaginando se o seu pesar pararia, e repetiu mentalmente a já decorada mensagem, e quis cair no choro, mas em vez disso sentiu apenas uma dor no plexo solar. Chorar é algo a mais: é você mais as lágrimas. Mas o sentimento que Colin carregava era um macabro choro ao contrário. Era você menos alguma coisa. Ele ficou pensando naquela expressão — para sempre — e sentiu uma queimação logo abaixo da caixa torácica. Doía como a pior surra que já tomara. E ele já havia tomado muitas.”
O pior é que todas as suas namoradas tinham exatamente o mesmo nome: Katherine. Há algo errado ai, não é!? Collin bola um teorema que determinará quanto tempo um relacionamento durará, e qual dos dois terminará, determinando quem será o Terminante e o Terminado! Afinal, todo relacionamento é previsível, não é!? Bem, talvez não seja tão fácil assim resolver o problema. Ele e seu amigo Hassan partem em uma jornada sem rumo, pegando a estrada! No fim das contas, os rapazes acabam parando em Gutshot, no Tennessee. Lá eles conhecem Lindsey, que será muito importante na trama.

O livro tem um humor que me agradou bastante, com personagens inteligentes e bem construídos. A narrativa (que é em terceira pessoa) do tio Green também não deixa nada a desejar: envolve, cativa e nos faz querer devorar o livro com sua fluidez. O Teorema Katherine me proporcionou agradáveis horas de distração.

Agora, uma coisa que me incomodou um pouco no livro foi justamente o Collin. Sim, confesso! Achei ele um tanto enjoado e depressivo. A verdade é que, de modo geral, ele é um personagem bem irritante. Não consegui me simpatizar muito com sua personalidade. Por outro lado eu adorei seu amigo Hassan! Ele é um dos melhores personagens da história! Sério! Ele garante a diversão no livro, ele é muito hilário! Ele serviu como um ótimo balanceador para a melancolia de Collin. Mas mesmo não simpatizando tanto com o personagem, fiquei realmente admirada com a profundidade de seus pensamentos.

Apesar disso, como disse, o livro é muito gostoso de ler! Eu adorei o humor presente na história, assim como o enfoque diferente que John Green deu para o tão temido assunto: término de namoro. Fora isso, eu adorei o modo como Green brinca com as ideias e pensamentos dos personagens, e com suas emoções. Tirei diversos quotes maravilhosos do livro, e também algumas lições importantes e sutis: superação, nunca desistir... e acima de tudo saber que não é algo grandioso que vai tornar você inesquecível ou importante, e sim o que você faz a cada dia, em cada momento da sua vida. John Green mais uma vez usando sua história para nos passar sua mensagem.
“É possível amar muito alguém. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir.”
“Alguma vez você já se perguntou se as pessoas gostariam mais ou menos de você se pudessem vê-la por dentro? Sempre me pergunto isso. Se pudessem me ver do jeito que eu me vejo, se pudessem viver nos meus pensamentos, será que alguém, qualquer pessoa, me amaria?” 
“Eu serei esquecido, mas as histórias ficarão. Então, nós todos somos importantes — talvez menos do que muito, mas sempre mais do que nada.” 



Comentários via Facebook

36 Comentários:

  1. eu também não gostei nada do Colin HAHAHA. Ele é muito chato, insatisfeito, dramático. Pra mim foi o Hassan que segurou o livro todo, apenas. A história também deixou um pouco a desejar, meio sem gracinha demais, mas a narrativa é bem tranquila. Gostoso de ler, mas não me acrescentou nada. Peninha.

    Beijocas!
    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. li poucas resenhas deste livro, mas todas que li reclamavam do Colin, por ser dramático demais
    eu li ACEDE e estou doida para ler este! parece ser muito bom, e acho doida essa história de 19 namoradas com o mesmo nome Oo

    ResponderExcluir
  3. Será possível que John Green consegue escrever algo que não seja triste? Pq eu ainda não paro de pensar em A Culpa é das Estrelas. =(
    Mas ele escreve muitíssimo bem e sabe criar uma história como ninguém, portanto pretendo ser algum dia ler O Teorema Katherine.

    Beijos,
    Resenhando Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o livro acaba sempre trazendo assuntos engraçados sobre as piores tragédias. O Hassan, por exemplo, solta piadinhas no momentos mais inesperados, tornando o livro em uma grande comédia.
      Então, o livro acaba nem sendo tão triste assim. :)

      Excluir
  4. Não li nenhum dos livros dele, mas vejo várias vídeo-resenhas e resenhas escritas e dizem que ele é um bom autor. Não sei a história de ACEDE, achei esse livro interessante para se ler nas férias.

    ResponderExcluir
  5. N fiquei interessado no teorema katherine, eu li ''quem é voce, Alasca?'' do John green tbm, e perfeito Livy, leia.

    ResponderExcluir
  6. Tio Green me entristeceu o coração com A culpa é das estrelas ): Parece que ele deixou a tristeza daquele livro de lado e buscou um tema descontraído. Estou com muita vontade de ler esse livro, apesar de não entender como o cara namora esse tanto de Katherine seguidas, teria desistido na segunda kkkk'

    Enfim, ótima resenha.

    ResponderExcluir
  7. Eu tbm não li ACEDE, na verdade ganhei esse livro num sorteio e até hoje não chegou, mas quando eu ler posso comparar minha impressões com a sua.
    Geralmente personagens depressivos não me incomodam muito, mas tem vezes que eu estou feliz e a depressão dos personagens me puxa pra uma vibe mais triste e acaba sendo bem chato...

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler esse livro mas acho que não deve ser melhor que A culpa é das estrelas.

    Beijos

    Andressa
    http://livrosechocolatequente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Estou lendo A Culpa é das Estrelas e está me emocionando bastante, depois que ler este!!!

    ResponderExcluir
  10. Estou na página 121 de "A Culpa É Das Estrelas" e estou amando. Acho que em seguida lerei "Quem É Você, Alasca?" e depois lerei "O Teorema Katherine".

    Mas eu estou ansiosa mesmo é para ler "Paper Towns" que vai lançar no Brasil semestre que vem.

    ResponderExcluir
  11. Estou lendo A culpa é das estrelas agora, então não tenho muito o que opinar sobre o autor. É diferente ...
    Mas este livro está sendo bem comentado e achei a sinopse bem bacana. Acho que lerei este depois da A culpa é das estrelas :)

    ResponderExcluir
  12. Adooro livros assim , fiquei louca por esse .. :)

    maquiagenseseusafins.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Vou agora mesmo ler ele!!! Mas to com resenho de ler e ficar frustrado com o final (como em ACEDE)... Em fim, ótima resenha!!!

    ResponderExcluir
  14. Vou agora mesmo ler ele!!! Mas to com resenho de ler e ficar frustrado com o final (como em ACEDE)... Em fim, ótima resenha!!!

    ResponderExcluir
  15. oi! Descobri seu blog hoje e ameiii!
    serio tem dicas otimas de livro! peguei varias dicas de livros pra ler!
    esse teorema de Katherine eu li e gostei muito , apesar de preferir a culpa e das estrelas ainda!rs
    mil beijos e sucesso!

    ResponderExcluir
  16. li recentemente a culpa das estrelas e ainda estou me recuperandoo , livro mt bom q prende agente , msm sendo triste , ameei' naum achei interessante esse livro sem comparação '

    ResponderExcluir
  17. li recentemente a culpa é das estrelas e ameei , naum achei esse livro mt interessante , gosto de histórias romanticas q retratam mais e pelo q eu vi é meio drepe '

    ResponderExcluir
  18. Quero muito ler A culpa é das estrelas, mas não sei se tenho vontade esse livro.

    ResponderExcluir
  19. Não consegui ler este livro ainda, e não sei se tenho vontade, rs.
    Li A Culpa é das Estrelas e me encantei pela história. O John escreve muito bem mesmo!
    Mas a história deste não me chamou muito a atenção..
    Enfim, ótima resenha!
    Beijos,
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Quero muito ler O Teorema de Katherine e A Culpa é das Estrelas. Só vejo elogios às narrativas de John Green. E essa resenha me deu mais uma amostra de que é mesmo imperdível.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  21. Os livros de John Green são bons. O forte dele não é a ação, e sim o desenvolvimento psicológico dos protagonistas. Eu li os quatro publicados (A culpa é das..., O teorema Cath..., Cidade de papel e Alasca), e fiquei satisfeito com a profundidade com que ele retrata a personalidade dos protagonistas. Neste livro, Collin talvez seja um tanto depressivo, até meio autista, o que é característico de crianças prodígio. Apesar disso, quando acabamos o livro, percebemos que ele encontra o equilíbrio, assim como Hassan, e a mensagem final que fica é a esperança de um futuro mais feliz.

    ResponderExcluir
  22. Os livros de John Green são bons. O forte dele não é a ação, e sim o desenvolvimento psicológico dos protagonistas. Eu li os quatro publicados (A culpa é das..., O teorema Cath..., Cidade de papel e Alasca), e fiquei satisfeito com a profundidade com que ele retrata a personalidade dos protagonistas. Neste livro, Collin talvez seja um tanto depressivo, até meio autista, o que é característico de crianças prodígio. Apesar disso, quando acabamos o livro, percebemos que ele encontra o equilíbrio, assim como Hassan, e a mensagem final que fica é a esperança de um futuro mais feliz.

    ResponderExcluir
  23. Gostaria de saber se John Green fala no livro , porque ele escolheu o nome : Katherine?! Quem já leu poderia me ajudar?!
    Grata, Katherine rsrs.

    ResponderExcluir
  24. O livro é muito bom, me identifiquei muito com Colin e mesmo ele sendo um pouco dramatico, acho que mostra exatamente como nos sentimos depois de um pé na bunda. O teorema Katherine além de interessante, é muito divertido.

    ResponderExcluir
  25. Li A.C.E.D.E e é incrivelmente perfeito..achei bem legal essa história de um cara namorar 19 Katherine seguidas gosto de persistência e esse Collin não desiste mesmo de tentar então vou ler o livro e rir e chorar porque John Green tem o dom de nos fazer sentir vários sentimentos ao mesmo tempo :D

    ResponderExcluir
  26. Oi adorei.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  27. Esse livro é ótimo. Sou completamente apaixonada por ele, adoro os personagens, o enredo, o autor e a forma como o John descreve os personagens. <3

    ResponderExcluir
  28. Gente, o que leva uma pessoa á namorar pessoas exatamente com o mesmo nome até na escrita???? Será que ele teve um sonho que sua vida seria bem sucedida com as katherines?????? Porque se for assim, ele se deu mal até onde entendi....... Collin, aparte dos anagramas acho fascinante, mas vidrado em uma única coisa, é perca de tempo de mais. kkkkkkkk.
    Não tive a oportunidade de lê-lo, mas acredito que vou concordar com você Livy na parte da bucolidade de Collin...... essa obsessão dele pode ser chatissima, mas pelo menos segundo voc, existe Hassan para descontrair...

    Bjsss Livy

    ResponderExcluir
  29. Já li a ACEDE, e estou lendo Cidade de Papel, agora pretendo ler O Teorema Katherine, Will & Will Um nome e Um destino e Quem é você, Alasca? John Green é um autor fantástico!

    ResponderExcluir
  30. Gosto muito dos livros de John Green já li "A culpa é das estrelas" e "Quem é você Alasca?" espero que "O Teorema Katherine" seja bom igual aos outros!

    ResponderExcluir
  31. Olá, peguei a sinopse por aqui, porque eu fiz um post no meu blog e não estou com meu livro no momento.. Dei os créditos na postagem !! Espero que não se importe
    meu blog é o www.blogoxemulher.blogspot.com passa lá quando tiver tempo ;)

    ResponderExcluir
  32. Oii, eu estou vendendo esse livro pelo enjoei, e estou colocando suas resenhas como base para a pessoa saber um pouco sobre. Posso?

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por