Resenha: Psicose, de Robert Bloch

26 agosto 2013
Postado por Livy

Psicose
Robert Bloch
ISBN: 9788566636154
Tradutor: Anabela Paiva
Ano: 2013
Páginas: 240
Editora: DarkSide®
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
Livro que deu origem ao mais famoso filme de suspense de todos os tempos. Psicose conta a história de Mary Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora. Belo suspense, de tirar o fôlego!

Psicose é um quadro psicopatológico clássico, onde a pessoa sofre de um estado psíquico no qual perde a noção do real. Podem ocorrer alucinações ou delírios, desorganização psíquica que inclua pensamento desorganizado e/ou paranoide, acentuada inquietude psicomotora, sensações de angústia intensa e opressão, e insônia severa.

Independentemente dos termos técnicos e médicos, a Psicose é assustadora. A mente humana é incrível e imprevisível, e pode se tornar muito perigosa. Quando sua mente torna-se sua maior inimiga, e você perde a noção do que é real e do que é certo, pode-se cometer loucuras. É o caso de Edward Theodore Gein, um psicopata que causou uma grande comoção e terror na década de 50Robert Bloch se inspirou nesta figura psicopata para criar seu livro: Psicose. Ed Gein ficou "famoso" pela sua mente doentia, principalmente pelo fato de terem descoberto que ele exumava cadáveres de cemitérios locais e fazia troféus e lembranças com eles. Ed Gein (mencionado no livro de Bloch) foi um homicida culpado pela morte de duas pessoas, além de arrombamento de caixões. Além disso, era suspeito no desaparecimento de mais cinco pessoas. Foram encontrados em sua casa crânios humanos empilhados sobre um dos cantos da cama; pele transformada num abajur e usada para estofar assentos de cadeiras; peitos usados como seguradores de copos; Crânios usados como tigelas de sopa; etc.

Enfim, dá para imaginar o horror? Robert Bloch se baseou em todo este horror para criar a mente doentia e psicótica de Norman Bates, o protagonista deste clássico do terror e suspense, o livro Psicose. Você provavelmente já ouviu falar desta história. Sim, ela foi imortalizada no cinema por Alfred Hitchcock. A famosa "cena do chuveiro", onde Mary Crane é assassinada a facadas por uma senhora louca e ensandecida, virou uma das cenas mais famosas e adoradas dos amantes de cinema e de filmes do gênero. Assim que leu o livro de Bloch, o cineasta Alfred Hitchcock se viu fisgado. Ele simplesmente precisava ver aquela história virar um filme: seu filme! A Paramount desaprovou a produção, por achar a história um tanto excêntrica, mas Hitchcock decidiu se aventurar e arriscar sua sorte: iria em frente com a produção. Comprou todas as 3 mil edições do livro, para que ninguém tivesse acesso ao final da trama e assim, se tornasse uma surpresa o final de seu filme. Além disso, arcaria com todas as despesas necessárias para que o filme se tornasse realidade. Tenho que concordar que Hitchcock enxergou muito além e foi visionário. O filme de 1960, estrelado por Janet Leigh, Anthony Perkins, Vera Miles, John Gavin, entre outros, foi um enorme sucesso. Hoje um clássico! Mas vamos deixar claro uma coisa: tudo começou com Bloch. Não fosse sua história, incrível e inovadora demais para a época, o filme não existiria. A verdadeira mente por trás foi a de um autor norte-americano de fantasia, terror e suspense.

E agora, depois de 50 anos fora de circulação no Brasil, este clássico ganhou uma edição caprichada pela editora DarkSide®. Podemos conferir duas versões: uma com capa dura e outra em brochura, as duas igualmente lindas, com uma diagramação impecável. Uma obra para ler e guardar.

Com tudo isto, e depois de assistir ao filme (e regravação), podemos nos perguntar: por que a história de Robert Bloch virou esta enorme obsessão para Hitchcock e o fisgou? E eu lhe respondo: por favor, leia e entenderá! E eu digo isto com toda certeza; se você é fã do gênero, do filme ou estava há muito tempo esperando para poder conferir o famoso livro que deu origem ao filme... não perca tempo!

Para os padrões atuais talvez você torça o nariz para este livro. E claro, se formos comparar com os livros de suspense/ terror que vemos atualmente, cheio de tramas elaboradas e reviravoltas cabeludas, Psicose tem uma história simples. Mas, para os padrões da época, era uma história incrível, inovadora e terrível. Mas eu te digo mais: o que assusta não são as mortes ou o sangue. Longe disto, o verdadeiro terror está na mente fria e doentia que causa isto, e Bloch a descreve com maestria.

Sua história narra alternadamente os fatos que envolvem Mary Crane e o psicótico Norman Bates. Mary foge com 40 mil dólares, confiados a ela pelo seu chefe, e que deveria depositar no banco. Acaba pegando uma antiga estrada na rodovia, e chega ao Bates Motel. Como chovia muito e ela estava cansada resolve ficar por ali mesmo e se hospedar. Ao conhecer o dono do motel, Norman, mal sabia ela que suas horas estavam contadas. Estranhando o desaparecimento da irmã, Lila Crane procura o namorado da mesma, Sam Loomis. Ambos acabam se aprofundando no caso e fazendo terríveis descobertas sobre tudo o que aconteceu.

Eu fiquei fascinada com a história. Tudo bem que não foi novidade nenhuma para mim, que já a conhecia através do filme (que foi bem fiel, em certa medida, ao livro). Mas poder ler, conferir a narrativa de Bloch foi uma experiência incrível. Com apenas uma trama simples, o autor conseguiu passar direitinho o que queria e criou uma mente doentia perfeita.

Me vi quase louca com a psicose de Norman Bates. Oprimido pela Mãe dominadora, Bates acaba se revelando um homem doentio e perverso. E achei interessantíssimo e muito criativo o modo como Bloch desenvolveu este personagem e sua psicose. Com uma terrível verdade que se esconde e só se revela ao final. E o mais "fascinante" é ver como a mente humana é cheia de surpresas; e como as pessoas podem fazer julgamentos errôneos, confiando ou acreditando, ou até mesmo não vendo o que está bem diante de seus olhos... ou bem no fundo da mente. Incrível como funciona! Ou melhor, incrível como, apesar de toda a medicina e psicologia, jamais entenderemos por completo como funciona esta máquina, que é a mente humana.
Quando você começa a especular desse jeito, uma vez que reconhece que ninguém sabe como funciona a mente de outra pessoa, você tem de admitir: tudo era possível. pág. 115
Enfim, eu gostei muito de conferir a história original, pela narrativa habilidosa de Robert Bloch. A mente perturbada e doentia de Norman Bates e seu hotel decadente têm um impacto enorme sobre quem lê. Entrando totalmente na mente deste homem, você entende melhor os traumas, loucuras e crueldades que maquina e pensa, de uma forma que nenhum filme poderia nos mostrar. Me desculpe, mas tenho algo a declarar: sim, eu prefiro o livro! Psicose é uma leitura indispensável.

E para encerrar, confira a famosa "cena do banheiro" de Alfred Hitchcock:

Comentários via Facebook

17 Comentários:

  1. já tentei várias vezes assistir ao filme, mas não consegui até hoje!
    esses dias fui assistir pela netflix, mas ele travou logo no começa :(
    não sabia que iria ser relançado o livro, agora, com certeza, irei ler antes de ver o filme! *-*
    que ideia louca do cara comprar todos os livros eim! kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Não assisti a versão atual, e não li o livro. Assisti o antigo.
    Você resumiu tudo ao dizer que o pior terror é a mente quando está deturpada e voltada para algo fora de si.

    ResponderExcluir
  3. Esse já está na minha lista de desejos desde que foi lançado. Estou adorando cada novo lançamento da editora Dark Side. Capas incríveis, diagramação impecável e livros ótimos.

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca tive coragem de assistir essa cena do banheiro, dá até vergonha haha.
    O livro eu tenho muita vontade de ler, apesar da capa assustadora e de todo o meu medo, acho que vou gostar bastante.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  5. Sempre fui curiosa pela história mas nunca vi o filme, sou medrosa,kkk. A cena do banheiro ficou na história!

    ResponderExcluir
  6. Sinceramente nunca assisti ao filme (morro de medo rsrsrs).
    Mas fiquei com muita vontade de ler esse livro, pois parece ser bom.

    ResponderExcluir
  7. Cara, adorei sua resenha (também fiz uma do livro, vem ver)! ♥ Foi ótimo ter contextualizado o Norman-Bates-Gein, e melhor ainda ter reforçado que o terror do livro não é o assassinato, mas a mente fria. Sim, é uma história simples, mas ainda hoje ela assusta.

    Eu tbm vi o filme primeiro, e recomendo que todos façam isso por uma razão: a leitura do livro vai ser mais prazerosa, pois você vai captar as artimanhas do autor em dizer sem realmente falar. Os diálogos com a Mãe, no caso. É muito top.

    Beijo! Parabéns pela resenha :}

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  8. Apesar de não ser grande fã de psicologia, sou obrigada a admitir que tenho certa fascinação com a mente de psicopatas. Não consigo saber da onde vem essa curiosidade, mas acho que é porque não consigo entender o que se passa na cabeça de uma pessoa assim. Por exemplo: o que se passava na cabeça de alguém que arrombava caixões e fazia troféus com eles, como Ed Gein? Enfim, vou parar de divagar.
    Não assisti o filme, mas acho que Hitchcock exagerou além das medidas kkk acho que ele era um pouco louco. Com certeza quero ler esse livro, parece ser ótimo! A DarkSide só traz historias assustadoras, muito bom!

    ResponderExcluir
  9. Quero muito conferir conferir este livro. Nunca vi o filme, mas quero ler este livro e correr pra assisti e conferir este sucesso.

    ResponderExcluir
  10. Nunca assisti o filme, mas deu uma vontade agora. Eu quero o livroooo.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei curiosa, não sabia que havia um filme deste livro e sinceramente, as mentes de psicopatas me fascinam. Mas tenho um certo medo, pois a mente humana infelizmente é capaz de ser bem mais cruel que a ficção.

    ResponderExcluir
  12. Adoro um psicopata seja protagonista ou antagonista, e mais ainda quando o livro é adaptado e posso ter um gostinho de como seria se fosse real.

    ResponderExcluir
  13. Rsrs, o cara foi corajoso heim, comprar 3 mil livros só pro povo não saber o final e ainda fazer um filme arcando com todos os custos, OMG. Tudo bem que fez um sucesso horrendo, mas quem poderia imaginar?! Inclusive agora tem uma série de TV chamada Bates Motel que acredito que fala do mesmo cara.

    ResponderExcluir
  14. Parece ser legal, mas eu não curto esse gênero, tanto em livros quanto em filmes!
    Quem sabe se um dia tenho a oportunidade de lê-lo e abolir esse "preconceito"? ^_^

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  15. Sou fã da Psicologia/Psicanalise. E
    Realmente a mente do ser humano é fascinante e incerta. Os 10% do nosso inconsciente ja é suficiente pra mudar algumas certezas, razoes, ou ate mesmo o visivel.
    Infelizmente nao li o livro, mais quero muito ler.

    ResponderExcluir
  16. Amei sua Resenha sobre O Livro Psicose do Autor Robert Bloch
    vou comprar esta semana na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi Campinas
    assisti ao filme mais de 5 vezes

    ResponderExcluir
  17. Tenho lido algumas resenhas deste filme e estranho que ninguém tenha percebido o ponto central da história: a relação doentia entre mãe e filho. Aquele final foi relatado porque nenhuma filmagem poderia demonstrar o quanto uma mãe (ou um pai) pode lesar a mente de uma criança e fazer dele um psicopata.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por