[Resenha] Cair das Trevas, de Cate Tiernan

18 novembro 2013
Postado por Livy


Cair das Trevas
Cate Tiernan
ISBN: 9788501092663
Tradutor: Regiane Winarski
Ano: 2013
Páginas: 256
Editora: Galera Record
Pontuação:  ♥ ♥ ♥  ♥ 
Depois de 450 anos, esperava-se que Nastasya já tirasse de letra essa história de imortalidade. No último outono ela buscou refúgio em River's Edge, uma espécie de retiro espiritual onde ela e outros imortais tentam estabelecer a paz com seu passado tortuoso. Porém, em vez disso, tudo o que Nastasya descobriu - além de que detesta acordar cedo numa cama dura para catar ovos de galinhas furiosas - é que ela não está segura em lugar nenhum. Nem mesmo ao lado do cara/viking/deus grego mais gato do mundo, Reyn, que ela ainda não descobriu se é sua ruína ou sua última chance de ter um amor. Nastasya conseguiu se manter bem até o Ano-Novo, mas parece que agora, depois que fez um pedido um tanto ambicioso na hora da virada, tudo está indo por água abaixo. Nada que faz dá certo, tragédias acontecem quando ela está por perto, tudo parece não ter propósito e, pior, ela nem sabe mais porque continua sequer tentando! Como sempre soube, sua família vem de uma grande linhagem das trevas, e Nastasya já está se convencendo de que não há escapatória. Como se não bastasse, os súbitos e totalmente enlouquecedores beijos de Reyn não estão ajudando... Mas quando Nastasya não aguenta mais a pressão e resolve fugir de tudo para seguir o próprio rumo, ela se vê numa situação ainda mais sombria, perigosa e destruidora do que jamais pôde imaginar. River's Edge nunca pareceu tão longe, ou tão agradável...
Cair das Trevas é o segundo volume da série Immortal Beloved, da autora Cate Tiernan. Já li o primeiro livro, Amada Imortal, e adorei!

Tiernan manteve o ritmo e a qualidade narrativa, e ainda conseguiu criar reviravoltas incríveis! Depois de todas as idas e vindas de Nastasya, ela conseguiu me surpreender ainda mais! Nas é uma cabeça dura, e continuo com vontade de pular no pescoço dela, mas não consigo evitar de sentir um afeto imenso pela personagem!

A narrativa de Tiernan é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Nas, algo que apreciei muito em sua história. O modo como Nas conta os fatos, nos faz entrar completamente em sua cabeça, em seus sentimentos e em seu humor sarcástico. A moça, com seus mais de 400 anos de existência, tem todos os motivos para ser insegura e não confiar nos outros, e é justamente o que ela faz. Ela se esquiva de tudo e todos que demonstram qualquer sentimento positivo com relação à ela. Ainda mais por acreditar que, depois de cometer tantos atos egoístas ao longo dos séculos, não tem salvação e é totalmente das trevas. Ela realmente acredita que jamais poderá ser salva, e que traz destruição e poder maligno para onde quer que vá. Até mesmo para River's Edge, a fazenda onde River (uma imortal muito, muito antiga... e boa) a abrigou, e onde ensina magik boa e diversos ensinamentos edificantes para os imortais que ali estão vivendo, como uma grande família.

O que Nas não consegue enxergar é que todos, em algum momento da história e dos séculos, já foram ruins, odiosos ou egoístas, e já cometeram atrocidades. River ensina que todos podem e têm salvação, basta querer. Mas Nas insiste em fugir.

Depois de diversos acontecimentos ocorridos em Amada Imortal, finalmente alguns pontos não esclarecidos vêm a luz em Cair das Trevas. Conhecemos mais a fundo muitos dos personagens e seus dramas pessoais, assim como entendemos melhor alguns detalhes do passado de Nas e de Reyn.

Uma das minhas partes favoritas são os insights de Nas, onde temos vislumbres de seu passado. Também gostei de conhecer mais detalhes do passado de uma das minhas personagens favoritas: River. Com sua tranquilidade adquirida com anos de existência e muito aprendizado, ela nos mostra que também já cometeu seus pecados, mas mesmo assim preferiu seguir os caminhos da luz. O que a torna ainda mais sólida e interessante, e seus ensinamentos mais coerentes.

Outro personagem que tem um grande destaque, e muito merecido, é Reyn (suspira). Desde o final do primeiro livro ele e Nas assumiram sua paixão e finalmente parecem estar se acertando. Mas só parecem! Nas continua se esquivando do guerreiro viking, pois ainda guarda mágoa por tudo o que ele fez no passado em comum dos dois. Quis realmente dar uns bons tabefes nela por ser tão burra. O que ela não enxerga é que todos tem a capacidade de mudar seus destinos e vidas, e que podem escolher mudar suas ações e fazer coisas boas. Um passado de dor não pode ser apagado, claro, mas pode ser "superado" com novas ações. Basta querer! Adoro o Reyn, sua personalidade e presença marcantes.

Nas por sua vez surta, literalmente, em diversos momentos do livro. Assombrada por seu "lado negro", as coisas começam a dar errado, tanto para ela, quanto para as pessoas ao seu redor, e ela acredita que tudo é culpa sua. Digamos que se um avião caísse na do outro lado do mundo ela iria se culpar. Seu nível de desconfiança e de "não, eu não mereço" chega a extremos neste livro. Mas ela continua sendo minha personagem preferida (depois de Reyn, rs). Nas é o exemplo perfeito de que tudo tem solução. Ela acaba aprendendo! E este é um ponto que gosto nesta personagem: ela cai, quebra a cara e erra, mas aprende com a lição. Ela não é perfeita, não é linda, não é o melhor exemplo a ser seguido, mas é justamente por isto que é tão interessante. Nas arrasa! E é neste livro que ela começa a perceber o peso que suas ações tiveram.  Na época parecia tudo bem, mas agora ela consegue enxergar o quanto suas atitudes tiveram peso sobre a vida de outras pessoas e o quanto foi egoísta. Digamos que seu passado volta para assombrá-la.

E Incy volta para assombrar a vida de Nas também, com sua magik negra e seu modo calculado e frio de ser. Adorei o confronto dos dois, e o modo como Nas acaba mostrando que não pode mais ter a vida que tinha, que realmente mudou e quer ser melhor, que quer seguir um caminho bom. Incy é sedutor, calculista e odioso, e sua aparição é o ponto alto do livro, e bate de frente com a realidade que Nas está vivendo.

Mais uma vez Tiernan mostra que é possível sim escrever um ótimo livro sem grandes lenga-lengas e sem enrolação. Ela vai direto ao ponto, sem grandes aventuras ou peripécias, mas atinge seu objetivo. Adoro sua narrativa, o modo como constroe seus personagens e desenvolve sua trama. Tiernan nos mostra que uma continuação pode ser tão boa quanto o primeiro livro. E como não poderia faltar, ela fecha o livro com chave de ouro e de forma que me senti muito satisfeita! Estou ansiosíssima pela continuação!

E para completar o pacote, a diagramação do livro está impecável e o trabalho gráfico, lindo demais! A capa é do tipo emborrachada (aquela que parece aveludada) e os detalhes em verniz. Adoro esta capa!

Se você gosta de livros que abordam o sobrenatural, vai gostar desta série. Trazendo os imortais (sem ser vampiros) à tona de uma forma muito bem elaborada. Recomendo!

Comentários via Facebook

2 Comentários:

  1. Oi Livy, eu gosto sim de livros sobrenaturais, com ou sem vampiros, pra mim tanto faz. Eu ainda não comecei a ler esta série, mas desde seu lançamento, ela já está anotada na minha lista.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Achei este livro bastaste parecido com a série da Lauren Kate. Não sei se o leria, já que Fallen e cia, publicada pelo mesmo selo da Editora, me decepcionou bastante. Mas achei interessante a questão da autora abordar o sofrimento dos imortais devido às suas diversas "vidas" passadas (tipo, vampiros no divã), embora tenha que dizer que ainda prefiro a saga Crepúsculo! Rs :P
    Mas, divagações a parte, achei a capa muito atraente e a resenha muito bem escrita, a empolgação da leitora nos contagia... Beijos

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por