[Resenha] O Silêncio das Montanhas, de Khaled Hosseini

27 janeiro 2014
Postado por Livy

O Silêncio das Montanhas
Khaled Hosseini
ISBN: 9788525054081
Tradutor: Claudio Carina
Ano: 2013
Páginas: 352
Editora: Globo Livros
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
O Silêncio das Montanhas traz como protagonista os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O Caçador de Pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título "fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas, também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especial os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de O Silêncio das Montanhas tanto quanto eu os amo". Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo - de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia -, a história se expanda, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar. 

Há livros que nos divertem, distraem do mundo cotidiano, nos fazem sonhar ou viajar por mundos distantes. Mas há livros que são como uma facada no peito, um despertar para a realidade! O Silêncio das Montanhas é como um despertar! Este livro me fez sentir muitas emoções, chorei em alguns momentos, me compadeci em outros, fiquei triste em quase todo o livro, mas o mais importante é o quanto este livro foi especial em fazer-me sentir tantas vidas dentro de mim.

Vou ter que concordar que Hosseini é realmente um exímio contador de histórias, com sua escrita descritiva, poética e fluída! Não tive a oportunidade de ler os outros dois livros do autor: A Cidade do Sol e O Caçador de Pipas, mas posso dizer que se são tão bons quanto este, ele já tem uma fã! Ele toca suas emoções, senão no livro inteiro, mas em alguns momentos você é pego (fisgado) diretamente sem chance de escapar, por mais que se debata, ele leva lágrimas aos seus olhos, dor ao seu coração e simpatia ao que você está lendo! Claro, o livro não é perfeito, pois ele retrata a vida, e a vida não é perfeita! E já que ele mostra a realidade disto, ele é imperfeito, mas de maneira singular e poética. 

A história é contada não apenas por Abdullah ou Pari, mas também por alguns outros personagens que de alguma forma interagem direta ou indiretamente com os irmãos e sua família. Um romance/ drama que ultrapassa os limites do tempo e do espaço, onde sua história atravessa os anos e passa pela França, Grécia, Estados Unidos e Afeganistão.
Eles me dizem que vou entrar em águas que logo vão me afogar. Antes de ir em frente, deixo isto na praia para você. Rezo para que a encontre, irmã, para que saiba o que estava em meu coração quando afundei. Abdullah
Eu achei a fórmula maravilhosa, não só podemos conhecer o drama dos dois irmãos separados, mas também vislumbrar outros em suas emoções e vivências, em seus próprios dramas e suas correlações  com o drama principal. É uma viagem salutar na alma humana, com desdobramentos de decisões e ações que se desenrolam por décadas até os dias atuais. Apesar do drama pessoal de cada personagem ser o elemento principal para a trama, também há o drama da guerra, da própria história de um país devastado pela ganância e burrice humana!
Posso resumir numa palavra, guerra. Ou melhor, guerras. Não uma, nem duas, mas muitas guerras, tanto grandes como pequenas, justas e injustas, guerras entre diversas castas de supostos heróis e vilões, e cada herói nos fazendo sentir mais saudade do antigo vilão. Nabi
No entanto vamos descobrir que de um ato tão triste e de uma decisão extrema, também pode haver um lado bom. Da separação forçada dos irmãos que se amavam incondicionalmente, apesar de parecer algo mal, pôde acontecer coisas boas em suas vidas, e justamente por causa deste acontecimento. A pergunta é: o mal pode se tornar algo bom? E é na profunda análise da trama que vemos justamente isso. As diversas nuances da verdade humana.

Os capítulos são contados quase sempre por personagens diferentes, no passado ou no presente, dependendo de quem está nos mostrando sua história e sua visão da vida e fatos. Portanto viajamos através dos anos tanto quanto por países e culturas diferentes. E entre tantas vidas, anos e lugares, o que mais me emocionou é como tudo se encaixa e encontra seu devido lugar. Como a vida pode ser tão surpreendente! Este é um livro triste, mas muito belo!

Como ouvi um dia: não julgue o livro pela capa! E realmente o livro vai muito além da simplicidade da capa! Creio que ler é um experiência única, em que vivemos outras vidas pelos olhos de outras pessoas (e personagens), e neste caso Housseini conseguiu isso e muito mais. Valeu a pena ler e me emocionar!
Sinto uma coisa dentro de mim me atraindo, me puxando, como um rebocador. Quero ceder aquela sensação, ser envolvido por ela, quero renunciar a tudo, me desnudar do que sou, jogar fora, como uma cobra descartando a velha pele. Markos

Comentários via Facebook

10 Comentários:

  1. Faz muito tempo que eu pretendo ler O caçador de pipas.
    Parece ser muito bom. Ainda não li nenhum livro desse autor, mas começaria por ele. Ótima resenha. Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ah, adorei a resenha!! A história parece tão ótima quanto "A cidade do sol".
    Com certeza irei ler.
    Beijos,

    http://orocardovento.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  3. Depois de ler essa sua resenha, só tenho uma coisa a dizer: Uau!

    Fantástica a forma como você descreveu o livro, e isso me deu mais vontade ainda de ler. Li O Caçador de Pipas e A Cidade do Sol e já achei que os dois eram bom o suficiente para que o Khaled nunca mais precisasse ou pudesse escrever algo tão lindo e tão tocante.
    Mas pelo que você descreveu, o livro realmente te tocou e te emocionou da forma como nós, leitoras, adoramos!

    Vou ler com certeza! Parabéns pela resenha!

    Até mais!

    ResponderExcluir
  4. Depois de ler essa sua resenha só me passa uma coisa pela cabeça: UAU!

    Do jeito que você descreve, o livro parece ser realmente fantástico!
    Eu li O Caçador de Pipas e A Cidade do Sol e achei que o Khaled não precisava (e nem poderia) escrever algo tão lindo e tocante como esses dois.
    Mas pelo jeito que você descreveu, ele parece ter te tocado e te emocionado do jeito que nós, leitoras, mais adoramos!

    Muito legal a resenha, parabéns!
    Eu com certeza vou ler este livro o mais rápido possível!

    Até mais!

    ResponderExcluir
  5. O bom de ler um drama é que podemos perceber e sentir toda a fragilidade e beleza da vida humana. O livro deve ser tão bom quanto a resenha! Li "O Caçador de Pipas" que também é muito triste... e belo!

    ResponderExcluir
  6. Lógico que a capa é a primeira capa que chama atenção em um livro, mas sempre procuro olhar um pouco além disso. Eu gostei desta capa, não é "A Capa', mas gostei. Agora o enredo sim, ele parece mesmo ser ótimo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  7. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir
  8. Já li os outros dois livros do autor, "A cidade do Sol" estará sempre entre meus livros favoritos, e por isso resolvi ler "O silêncio das montanhas."
    Gostei muito da sua resenha,pois acho que você captou bem o que o autor quis passar: a vida é imperfeita, nem sempre as coisas acontecem no tempo em que deveriam acontecer e o tempo passa muito rápido.
    O autor nos dá essa sensação de finitude iminente com o ritmo em que escreve o livro.
    "O silêncio das montanhas" é uma ótima leitura e apesar de algumas similaridades é muito diferente dos livros anteriores.

    ResponderExcluir
  9. Super indico A CIDADE DO SOL. Chorei muito e acrescentou muito em minha vida! É um dos meus prediletos. Também li, o silêncio das montanhas, achei incrível. Parabéns pela resenha e pelo Blog. Você é uma grande incentivadora.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por