[Resenha] O Código do Apocalipse, de Adam Blake

31 março 2014
Postado por Livy

O Código do Apocalipse
Adam Blake
ISBN: 9788581633862
Tradutor: Camila Fernandes
Ano: 2014
Páginas: 464
Editora: Grupo Editorial Novo Conceito
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Depois das investigações de Manuscritos do Mar Morto, a ex-detetive Heather Kennedy recebe um telefonema com uma proposta de trabalho. Um suposto roubo no Museu Britânico precisa ser investigado. Kennedy rapidamente deduz que alguém teve acesso a livros sobre Johann Toller, um profeta europeu louco do século 17. Acreditando que o fim dos dias estava em suas mãos, Toller fez uma série de previsões relacionadas ao Apocalipse e aos eventos que o precederiam. Mas nenhuma delas havia se tornado realidade até então. Agora, pouco a pouco, os sinais se confirmam. Com a ajuda do mercenário e antigo parceiro Leo Tillman e de uma jovem que pertence a uma tribo secreta, Kennedy deve lutar para impedir que a próxima profecia se concretize: a destruição de uma cidade sem nome...

O Código do Apocalipse de Adam Blake me surpreendeu em tudo. A começar pela capa. A composição das letras do título em alto-relevo com o monge de asas místicas de fundo, como que feitas de fogo etéreo, ficou bem legal. Reflete bem o contexto da história, criando uma espécie de cartão de visita para o Fim do Mundo que nos aguarda na leitura. Pra ser franca, gostei mais desta capa do que da do Manuscritos do Mar Morto, o primeiro livro da série.

Outro ponto que merece destaque, é que O Código do Apocalipse está ótimo. Superou, e muito, o Manuscritos do Mar Morto. Não que o primeiro livro tenha sido ruim. Pelo contrário, eu o recomendo, também, mas este se supera.

Se você ainda não comprou o Manuscritos do Mar Morto, e está roendo as unhas para ler este, pode ficar tranquilo. A leitura deste segundo livro de Blake não comprometerá o entendimento do que se passa aqui. As referências que o autor faz sobre alguns episódios do livro anterior são mínimas e não chegam a comprometer a leitura atual. Mas claro, os fatos que uniram Heather Kennedy e Leo Tillman na cruzada contra a Tribo (ou o Povo de Judas), estão lá. Por isso, encontre um tempo para ler o Manuscritos do Mar Morto assim que possível.

Em O Código do Apocalipse, a narrativa de Adam Blake evoluiu consideravelmente, em relação ao livro anterior, e está mais solta, dinâmica, bem ilustrativa e com bastante ação. O desenvolvimento da personagem Heather ficou agradável e cativante. A introdução de Diema e de Ben Rush também foi bem-vinda. Os dois têm carisma e suas participações correspondem precisamente com o que se espera deles no computo geral da trama. Gostei muito da Diema, da forma como ela luta e interage com Leo, Heather e Rush. O papel dela na história é preponderante e decisivo. E, sinceramente, sem ela a história ficaria a desejar. Kennedy continua homossexual, obviamente. E seu caso amoroso com Izzy evoluiu do primeiro para o segundo livro, porém as coisas andam meio na corda bamba para as duas. Apesar do romance das duas não estar lá àquelas coisas, achei Izzy uma personagem bem bacana e agradável, e em alguns momentos me simpatizei com ela e com o seu pesar, e penso que ela merecia dar um chega pra lá em Heather. Quem sabe a ex-detetive “durona” visse a doçura que é a pessoa que dorme ao seu lado. Vamos ver se isso corre no próximo livro da série.

Os vilões também não ficaram para trás. A Tribo está de volta. Desta vez, dividida entre instaurar o Apocalipse ou impedir que ele ocorra. Como no livro anterior, os membros dessa seita secreta, de fanáticos doentios, estão de volta para aterrorizar uma vez mais o sono de Heather Kennedy e Leo Tillman. Posso dizer que eles me deixaram revoltada o livro todo. A Tribo simboliza perfeitamente as seitas religiosas fundamentalistas, dogmáticas, fanáticas, que acreditam possuírem a única verdade sobre Deus e o mundo e querem, a qualquer custo – principalmente o de vidas inocentes, em alguns casos (como no Oriente Médio, por exemplo) - provar que sua fé, sua bíblia e seus santos e líderes são os legítimos herdeiros da palavra de Deus. Blake sintetizou no Povo de Judas toda a intolerância e ignorância da fé religiosa, milenar e primitiva. Faz a Sociedade Secreta número um e preferida dos conspiradores de plantão, os Iluminatis, parecer o “Clube do Bolinha”.

Isso porque a Tribo nos odeia. Eles são um povo com regras específicas, de mais de 3 mil anos de existência. São tolerantes a nosso respeito na medida em que precisam de nós para procriarem. Nada mais. Para eles nós não passamos de uma subespécie. E por essas e outras, eles odeiam mortalmente a ex-detetive policial Heather Kennedy e veem em Leo Tillman a própria encarnação do mal. Então, já dá pra imaginar o quão difícil vai ser para eles desbaratarem essa conspiração…

O Código do Apocalipse tem uma história bem legal e com muita ação, um pouco de suspense, um tiquinho de mistério e um plano diabólico para começar o Apocalipse. Do meu ponto de vista, nesse segundo livro Adam Blake preocupou-se integralmente em focar sua narrativa num thriller de ação, mais do que no de mistério do primeiro livro. Desta forma, ele saiu-se à margem do estilo Dan Brown, mudando o rumo da sua escrita. O que, a meu ver, ficou muito agradável e interessante. Penso que autores devem procurar o seu próprio estilo de escrita e deixar os chavões e os famigerados clichês de lado, para nos proporcionar uma leitura mais limpa e menos repetitiva. Por isso, não se engane, O Código do Apocalipse só se assemelha com o outro “Código” no título, nada mais.

Assim posto, O Código do Apocalipse é altamente recomendado. Um livro gostoso de ler, com boa história, narrativa agradável, personagens evoluídos, uma trama perfeita e um inimigo que James Bond adoraria destonar. Eu mesma odiei esses fanáticos da Tribo.

Esta, certamente, foi uma grata surpresa que Adam Blake me proporcionou. Ele provou que é possível fazer um segundo livro ser melhor que o primeiro. E todos nós temos que agradecer, pois só temos a ganhar com isso.

Mas fiquem de olho, pois Heather Kennedy ainda tem muito fôlego e promete muito nos próximos livros da série. Por que ela é a ex-tira mais durona e difícil de matar que existe. A Tribo que o diga…! Boa leitura!

Comentários via Facebook

7 Comentários:

  1. Ainda não conhecia esse livro e achei bem interessante, gostei de saber que o livro conseguiu te surpreender e fiquei muito curiosa! Parece ser muito bom e achei legal não ser necessário ter lido o primeiro livro para ler este. A estória parece ser mesmo cheia de ação e surpresas! Espero poder ler e me impressionar com o livro também! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani ;) Este livro me surpreendeu de verdade! Não esperava muito dele, mas foi bom! :) Se você gosta do gênero, vai gostar deste livro! :)

      Excluir
  2. Oi amiga adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos..acesse o link..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos..acesse o link..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos..acesse o link..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir
  5. Olá Livy,

    Confesso que antes de ler sua resenha não tinha grandes esperanças para o livro. Porém, depois do que li aqui, posso pensar melhor no assunto.

    Beijinhos,
    Nati.
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá! Estou lendo " Manuscrito do mar morto" e estou com " O código do apocalipse" na fila de leitura.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por