[Resenha] Os Três, de Sarah Lotz

29 maio 2014
Postado por Livy

Os Três
Sarah Lotz
ISBN: 9788580412697
Tradutor: Alves Calado
Ano: 2014
Páginas: 400
Editora: Arqueiro
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... Essa mensagem irá mudar completamente o mundo. 

Livy, administradora do blog No Mundo dos Livros, fã de livros e filmes de terror, concordou em falar sobre o tão aguardado e polêmico livro "Os Três" e o que sentiu com a leitura. O relato/ desabafo que você vai ver abaixo se encontra na íntegra de nossa conversa iniciada em 28 de Maio de 2014.

O que achei da leitura de Os Três? Mesmo depois de um bom tempo do término da leitura eu ainda me pego, às vezes, olhando para o nada, pensativa. Confesso que Os Três foi uma leitura que me causou uma gama de emoções, e ainda causa certa sensação de desconforto. Na verdade, se pudesse resumir o livro em uma só palavra, seria: perturbador.

Sim, por diversos motivos a leitura de Os Três foi perturbadora. Não se trata de um livro de terror, propriamente dito, mas causa, em alguns momentos, o impacto de um livro digno do gênero. Mas, mesmo escrevendo esta resenha, ainda me encontro em um limiar, onde não sei ao certo se amei ou odiei o livro. Ele teve este efeito em mim. Não consegui gostar dele ao todo, mas ao mesmo tempo, não consigo classificá-lo como horrível, pois posso dizer que ele tem um certo ar genial. E tem cenas de arrepiar, passagens realmente surpreendentes. Em muitos momentos tive vontade de abraçar a autora, e em outros de dizer: “I hate you, Sarah Lotz”.

Durante toda a leitura me senti na corda bamba, em que, dependendo do final do livro, eu cairia para o lado em que eu o amaria, ou do lado em que o odiaria. Mas, qual é a minha surpresa, ao termina-lo e continuar na corda bamba!? Total! Não foi uma leitura fácil e demorei um pouco para terminá-lo (mais do que queria e pretendia), mas também não foi uma leitura totalmente chata e/ou horrível. Então porque eu demorei em ler? Bom, uma coisa que você deve saber logo de cara é que a história do livro é contada de uma forma diferente. Sarah Lotz utilizou do estilo de narrativa onde podemos encontrar relatos dos personagens ao invés de uma narrativa linear em terceira ou primeira pessoa. Estes relatos muitas vezes se tornaram repetitivos e em alguns momentos desnecessários, e achei alguns relatos realmente monótonos. Por isso demorei um pouco para ler.

O que esperar da narrativa? O livro é dividido em partes: Queda, Conspiração e Sobreviventes. Ao todo são dez partes, intercaladas, que mostram a passagem do tempo entre as conspirações mirabolantes e o que acontece com as crianças sobreviventes Hiro, Bobby e Jess. O livro é narrado todo com relatos, transcrições, trechos de e-mails e jornais, bate-papos, etc. lembrando o estilo de um documentário. Elspeth Martins é jornalista investigativa e é a responsável por este apanhado de fatos que compõem o livro Da queda à conspiração, um livro polêmico que mostra "a verdade" sobre Os Três.

O livro se inicia com o avião que cai na "floresta dos suicidas" em Aokigahara, no Japão, onde a Pamela May Donald acorda em meio aos destroços do acidente, quase morrendo, e tem um último pensamento de deixar um isho (mensagem) onde diz: O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise eles que o menino, não é para ele... e a mensagem acaba. Você já pode imaginar o furor que esta mensagem causou? Pois bem, é muito pior do que você pode sequer imaginar.

Não só no Japão aconteceu um acidente, mas em outros três países também aconteceram terríveis acidentes de avião, e todos ao mesmo tempo. E o mais incrível é que em cada um houve apenas um sobrevivente e um não confirmado. HiroBobby e Jess, fazem parte do grande acontecimento que marcou a vida de todos os envolvidos e de todo o mundo: a Quinta-Feira Negra deixou sua marca em milhares de pessoas. Desde o acidente as coisas começam a sair do controle tanto para os familiares das crianças, como para a população em geral, e conspirações começam a aparecer. Ainda mais quando o tal do pastor Len "entende" que a mensagem é para ele e é um sinal de Pamela, alertando sobre o Apocalipse. Sim, ele acredita que as crianças são os Cavaleiros do Apocalipse e são o prenúncio da desgraça que assolará a todos, e que os escolhidos serão arrebatados logo. Só que ele ultrapassa o fanatismo e causa diversos desastres. De outro lado também há teorias de que as crianças são na verdade extraterrestres e fazem parte de uma grande armadilha dos Outros.

Entre tramas políticas, religiosas e pessoais, Sarah Lotz amarra bem suas ideias, personagens e acontecimentos. O legal do livro de Lotz é justamente esta narrativa em forma de documentário. Achei muito interessante pois conhecemos a fundo o ponto de vista de cada personagem, suas dores, suas perdas, suas lutas e suas impressões. Outro ponto positivo para este estilo é que podemos ver os acontecimentos por diversos ângulos, o que nos dá uma visão bem mais geral e aprofundada de tudo o que está acontecendo. Confesso que em muitos momentos me vi tão imersa na leitura que fiquei tentada a pesquisar se alguns fatos não eram reais.

Eu particularmente gostei muito do início e do fim do livro que são narrados em primeira pessoa, pois passam o clima certo de tensão, suspense e surpresa. Também gostei dos relatos inciais dos acidentes, e dos relatos que nos mostram as crianças e como elas estão interagindo com seus parentes. Achei alguns relatos e personagens desnecessários e maçantes, mas ao todo a ideia é bacana.

Os Três é um livro assustador, não por ser sobrenatural, mas porque mostra como o mundo e as pessoas podem se perder em julgamentos e temendo sem conhecer; criando ideias, teorias e conspirações precipitadas. Lotz explora o lado humano da forma mais crua e primitiva, onde os medos, os anseios, as tristezas, as tragédias, a crueldade, a esperança, o fanatismo, e a loucura estão inerentemente presentes a nosso ser, e vivem de mãos dadas com nossas vidas, a ponto de a qualquer momento romper as fronteiras da sanidade e do bom senso. Mostra o lado sombrio do ser humano sob uma luz muito forte, inegável e impossível de não se ver e reconhecer.

Não é uma leitura recomendada se você não tem nervos de aço ou não gosta do gênero, tanto do livro quanto do estilo narrativo. Em muitos momentos eu me vi entediada com relatos enfadonhos, outros momentos me vi nauseada, e em outros me vi morrendo de raiva (passei mais raiva que qualquer outra coisa). Roí as unhas do inicio ao fim. Lotz consegue manter o suspense e a tensão desde o principio, e é impossível parar de ler até a última letrinha da história.

Eu gostei de muitos detalhes, gostei e torci por muitos personagens, e me vi temendo e odiando outros. Lily é a avó de Bobby e seu marido sofre de Alzheimer. Paul é o tio de Jess, que se vê profundamente atormentado pela morte do irmão, da cunhada e da sobrinha (irmã da garota sobrevivente). Chiyoko é a prima que cuidará de Hiro, e é uma adolescente aborrecida que não suporta sua vida e os pais, e tem como único amigo o recluso e problemático Ryu. O que eles têm em comum? Eles terão que aprender a lidar com as crianças que já não são mais as mesmas e apresentam comportamentos estranhos. E os relatos destes comportamentos e acontecimentos foram os meus favoritos no livro. #arrepiante

No final é a própria Elspeth que nos presenteia com um capítulo de deixar os nervos à flor da pele. E é justamente o finalzinho, lá nas últimas linhas, que eu fiquei de queixo caído: surpreendente.

Mas meu porém foi a conclusão do mistério. Sim, é a tal maldição do final vago. Depois que terminei a leitura fiquei uns bons momentos em uma overdose literária. E ainda, quando penso no livro, me pego olhando para o nada, refletindo sobre a leitura e o fim da história. Não foi bem o que eu esperava, e na verdade não foi tão esclarecedor quanto eu pensava que seria. Criei uma expectativa em torno do final e me vi cheia de dúvidas. Todos os personagens foram bem amarrados e entendi perfeitamente o destino de cada um. Mas ao final a sensação que tive foi a de ter assistido a um episódio de Além da Imaginação, onde o final é totalmente surreal, inimaginável e, muitas vezes, além de perturbador nos deixa em dúvida. Eu me senti assim. Fiquei pensando: sou burra ou sou louca? É isso mesmo que entendi? É isso mesmo que pensei? Será????  Sim, entendi, mesmo sem compreender totalmente. É o tipo de final que você pode tirar suas próprias conclusões e criar sua própria conspiração. O tipo de final ambíguo que pode ser isso ou pode ser aquilo. E sinceramente, eu odeio finais assim! Odeio com todas as minhas forças, ler um livro, criar expectativa sobre ele, e chegar ao final e não ter as respostas necessárias. Mas provavelmente é justamente esta sensação que a autora quis passar: o incerto, o duvidoso. Afinal isto nos dá muito mais medo do que aquilo que conhecemos, pois para uma ameaça desconhecida não podemos nos preparar.

Enfim, ao todo o livro é muito interessante. Faz muito tempo que um livro que não é do gênero terror me perturbava assim, e me deixava tão aflita. Os Três é uma leitura densa e surreal, mas não se engane procurando aqui um livro de terror, pois ele passa bem longe disso, seu terror é muito sútil. Divirta-se e tire suas próprias conclusões!

Comentários via Facebook

31 Comentários:

  1. To com esse livro, e li alguns parágrafos assim que chegou, e achei a narrativa bem empolgante, parece uma leitura que trabalha bem o psicológico, espero ter nervos suficiente pra levar a leitura.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  2. Eu quero muito ler este livro. Terror bom é o que te deixa assim nesse psicológico alterado. Causa arrepios, mas sem ser muito escancarado.
    Amei a resenha.
    Meu livro se perdeu no correio, fiquei chateada :( Mas não desisti da leitura não. E com as resenhas que ando lendo, inclusive a sua, a vontade só aumenta!!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Livy.
    A sua resenha é a primeira que li do livro Os Três e confesso que fiquei bem empolgada com toda a história. Eu já tinha imaginado que haveria um ponto de mistério aí no meio envolvendo as crianças e esse mistério é uma das partes que mais gosto nos livros que leio.
    Estou com uma vontade tremenda de lê-lo. Espero não me arrepender depois.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Oi Livy tudo bem?
    Quando vi que sua classificação foi apenas três coraçõezinhos fiquei meio assim, puxa eu esperava que a Livy desse uma classificação mais alta, mas aí fiquei mais curiosa ainda para saber o que não te agradou tanto no livro e depois de ler essa resenha super longa (rsrs) consegui entender os pontos que você não gostou muito, mas mesmo assim estou curiosa para conhecer esse livro, mesmo com o final vago, as vezes é legal ler livros em que o autor nos dá um final assim onde podemos imaginar algo diferente...quero saber o que essa três crianças tem de tão especial ou seria sinistro...e essa mensagem?? Realmente dá um certo medo....
    Mais uma vez você arrasou na resenha...e o livro vai para a minha lista.

    Beijos!!!
    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Livy, não li toda sua resenha, quis saber apenas se você gostou, pois será minha próxima leitura.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  6. Livros de terror são uma coisa nova pra mim, mas como sou medroso demais não sei se me arrisco.
    Vou adicionar a lista em qualquer caso ahuahuhau

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Livy!
    Conheci seu blog agora, mas gostei do seu espaço. =)
    Tenho lido algumas resenhas sobre esse livro e elas têm me instigado bastante. Adorei o seu texto, sua opinião ficou concisa e bem explicada. Estou curiosa (e até mesmo um pouquinho medrosa) com relação a esse livro. =P
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. o livro já não é mt meu estilo pq não curto coisas relacionadas a terror, mas não posso dizer q nao fiquei curiosa com essa sinopse.
    agora pela resenha percebi q ou demoraria horrores para ler o livro ou nao leria de jeito nenhum.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  9. Odeio quando acontece esse final vago. Tinha visto comentários sobre esse livro, mas nem sabia do que se tratava. Pela sinopse, fiquei curiosa; pela sua resenha, intrigada. O enredo tem potencial, mas a autora não sou explorá-lo 100%, deixando a desejar nesses relatos tediosos e num final com sensação de vazio.
    Não sei se vou ter coragem de ler, fico muito influenciada com as leituras durante o sono. Sim, sou medrosa. rs!
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  10. Fiquei curiosa, mas não gosto muito de finais que nós tiramos nossas próprias conclusões...rsrs

    bjs

    http://nandaaflordapele.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Também não sou fã de finais ambíguos... por que os autores fazem isso???? Mesmo você tendo dito que o terror é sutil, tenho certeza que esse livro me amedrontaria e tiraria meu sono. Não gosto de leituras que têm esse efeito sobre mim, então não leria.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  12. esse com certeza foi o grande lançamento do mês, parece um livro que prende do começo ao fim
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Fiquei empolgada com a sinopse e intrigada com sua resenha, adoro livros desse gênero, e pela sua resenha, é mais suspense do que terror, o que eu também gosto, então vou dar a chance de lê-lo e saber se irei ficar na corda bamba assim como você, rs, enfim.. espero me envolver com a trama e gostar desse livro.
    Parabéns pela resenha maravilhosa.

    ResponderExcluir
  14. Olá Livy. Li o livro até o final e depois busquei resenhas pela Internet sobre Os Três. Faço minhas as suas palavras. Realmente perturbador.

    ResponderExcluir
  15. Oi Livy!
    Estou muito curiosa para ler "Os Três", mas não tinha ideia que era assim tão perturbador.
    Adoro livros que me deixam pendurada ainda depois da leitura, pensando...analisando...mesmo que seja para descobrir se gostei deles ou não, rsrs.
    Gosto muito quando autores experimentam com suas narrativas e não fazem um texto linear, então gostei de saber dessa estrutura de depoimentos.
    Mal posso esperar para ver qual vai ser a minha gama de emoções ao ler esse livro (estou prevendo que eu também vou roer as unhas, rsrs)
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi Livy!
    Estou muito curiosa para ler "Os Três", mas não tinha ideia que era assim tão perturbador.
    Adoro livros que me deixam pendurada ainda depois da leitura, pensando...analisando...mesmo que seja para descobrir se gostei deles ou não, rsrs.
    Gosto muito quando autores experimentam com suas narrativas e não fazem um texto linear, então gostei de saber dessa estrutura de depoimentos.
    Mal posso esperar para ver qual vai ser a minha gama de emoções ao ler esse livro (estou prevendo que eu também vou roer as unhas, rsrs)
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi,
    este livro estava na minha lista mas uma amiga leu e adorou, mas acabou contando umas partes para mim rs..raiva ou não. E assim como você fala do final 'em aberto' eu acabei tirando ele da minha lista de desejados, eu detesto quando compro um livro e a autora deixou oi finalzinho em aberto ou pra gente imaginar o que quiser...eu comprei o livro ela recebeu para escrever então escreva...sei que posso ser dura neste ponto, mas me irrita muiiito alguns autores fazerem isto, mas se o livro sair em uma promo no sub quem sabe, beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oi Livy! Eu li bem rápido, engraçado que mesmo sendo uma leitura complicada e densa, eu devorei por precisar saber a verdade, e no final ela não veio, aí foi mais chocante ainda, e posso dizer que precisei digerir o impacto que causou em mim. A carga psicológica é enorme, a insanidade e privação de razão apresentada me deixaram pasma, até porque sei que são reais, as pessoas são muito sugestionáveis e agem assim mesmo. Este livro mexe com tantos valores, que é impossivel ficar indiferente. Ótima resenha, entendi perfeitamente seus sentimentos.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  19. Eu tô quase abandonando esse livro. Não consigo avançar na leitura com esse monte de relatos. O início tava sensacional, mas agora estou ficando com sono...

    ResponderExcluir
  20. Achei sua resenha incrível, eu li o livro e me senti exatamente como você, amando e odiando ele, e mesmo agora lendo outro livro (Morte Súbita) as vezes me pego pensando no final dele!

    ResponderExcluir
  21. Então... Essa é a primeira vez que eu 'ouço' falar sobre esse livro e admito que fiquei curiosa, não tanto pela história, mas pela forma que você descreveu a escrita. Provavelmente vou ler por pura curiosidade em como a autora manejou uma história contata em forma de relatos.

    Ah sim! Quase esqueci de cumprimentar a resenha. Parabéns!

    ResponderExcluir
  22. Menina, que livro é esse?
    Eu não tinha a menor ideia de que esse livro pudesse ser assim tão interessante.
    Sabe, eu não dei muita importância para Os Três, porque imaginei tratar-se apenas de mais um livro de fantasia. É, eu me enganei.
    Pois é, agora “preciso e quero” ler Os Três!
    Parabéns pela resenha, que me deixou mega curiosa!

    ResponderExcluir
  23. Esse livro é deve ser muito show, mostrou ser muito interessante. Já está na minha lista para ler *-*

    ResponderExcluir
  24. Nossa, que resenha!
    Eu achei esse livro envolto em mistério. Ainda não li mas a capa não nos deixa imaginar o que há por trás. Não leio sinopses então só sei o que falaram. Mas procurei não saber demais para ter meus próprios sentimentos.
    Ao ler a palavra pertubador sobre esse livro nessa resenha, só me senti mais tentada ainda a ler. Deve ser um livro que mexe muito com nossos sentimentos.

    bjs.

    ResponderExcluir
  25. Tenho lido muitas resenhas em relação a esse livro e, realmente, ele está dividindo opiniões. É inegável que a premissa é muito interessante. Essa inclusão de temas como: Religião, teorias da conspiração, e por aí vai, são muito legais. Na minha opinião, acho que o livro teria mais impacto se a narrativa fosse mais convencional. Como você disse, o início e o final foram os melhores, pois eles eram narrados em primeira pessoa. E em relação ao final, é uma pena que ele tenha sido assim. E também odeio finais assim. Sempre quero que os autores coloquem um ponto final, mesmo que eu seja completamente contra o desfecho.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  26. A capa de cara já chama MUITA atenção e tenho que admitir que me cativou inicialmente por isso.
    Esse livro divide opiniões e isso é o segundo ponto que mais me desperta curiosidade!

    ResponderExcluir
  27. Eu já li e fiquei com a mesma sensação. O problema foi que eu li assim que lançou, então não tinha nenhuma resenha disponível. Hoje, depois de desistir entender o final, recebi uma notificação num grupo de leitura no Facebook de uma pessoa perguntando sobre ele. E enfim veio a vontade de entender o lindo final do livro. Alguém pode enviar uma explicação para mim por e-mail para evitar spoilers? heitor19982@hotmail.com. Desde já agradeço !

    ResponderExcluir
  28. um bom livro, certas partes não me agradaram, foi muito dramática que deixou a leitura um pouco chata.

    ResponderExcluir
  29. gostei de sua resenha senhorita livy, porém para mim foi um livro um pouco chato, não me causou aquele impacto que eu esperava, muito drama, onde deixou o livro monótono.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por