[Resenha] Quando Tudo Volta, de John Corey Whaley

15 maio 2014
Postado por Livy

Quando Tudo Volta
John Corey Whaley
ISBN: 9788581633848
Tradutor: Carolina Caires Coelho
Ano: 2014
Páginas: 224
Editora: Novo Conceito
Pontuação: ♥ ♥ ♥   
Uma morte por overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa? Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é o seu maior admirador. O desaparecimento (ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas. Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.

Quando Tudo Volta é a estreia do autor John Corey Whaley no mundo literário, e depois de lê-lo considero que foi um excelente começo. A história foi muito bem desenvolvida, seus personagens são como antigos conhecidos que acabamos reencontrando. E porque não dizer, às vezes, eu me encontrei em alguns deles.

A leitura é fácil e rápida. Os únicos senões do livro para mim foram as poucas descrições físicas dos personagens e o final. Apesar da falta de descrição, não me atrapalhou em usar a imaginação e visualizá-los quase perfeitamente (acredito eu), pois a riqueza dos outros detalhes me permitiram isto. Talvez o autor quisesse que isso realmente acontecesse, e imaginássemos como bem entendêssemos, afinal eles podem ser qualquer um e ter qualquer aparência. Um vizinho, um amigo, um parente. O final me deixou em dúvida se é aquilo mesmo que entendi. Isso aconteceu justamente pelas atitudes de dois personagens, um deles inclusive é o próprio Cullen que tem uma fértil imaginação (que não se cansa de usar durante toda a história).

A trama tem início com a morte por overdose de Oslo, primo de Cullen e Gabriel, e como eles enfrentam o drama que a tia está passando. Eles continuam suas vidas, mas não muito depois a família passa pelo desespero do desaparecimento de Gabriel (ou seria fuga!?). Tudo isso com o pano de fundo do frenesi que a cidade de Lily, Arkansas, vive naquele momento específico. Toda a atenção está voltada somente para o suposto reaparecimento de um pássaro raro, que foi considerado extinto à décadas, e por isto mesmo, seria uma verdadeira oportunidade para aquela pequena cidade de 3 mil e poucos habitantes aparecer no mapa, levantando assim a autoestima e o astral de todos. Portanto todas as atenções, inclusive da mídia, estão voltadas para o famoso pica-pau Lázaro, dificultando a divulgação do pedido de ajuda para encontrar o jovem desaparecido, ficando apenas os familiares e alguns amigos (e uns poucos agentes policiais) responsáveis pela procura e investigação.

Dos personagens, o que posso dizer? Eles são tão verdadeiros e reais, que tornam a história ainda mais tocante e sincera. Aliás eles são a essência da história e a própria história. Cullen Witter é um jovem de 17 anos que é um tanto cínico perante as coisas da vida, responsável, um tanto anti-social (e por isso mesmo não gosta de chamar a atenção para si), e por isso não se importava nem um pouco que seu irmão Gabriel, de 15 anos, fosse o oposto: alegre, maduro, jovial e uma pessoa que acreditava em segundas chances; que não se deixava levar por falsas aparências; que tornava as situações muito melhores. Para seu irmão mais velho ele era seu ídolo, aquele que lhe mostrava seus exageros e que lhe permitia ser alguém melhor; sendo seu melhor amigo.

Fora da família os irmãos tem a amizade de Lucas Cader, a qual Cullen em particular não sabe como conseguiu, afinal o rapaz é muito popular (provavelmente porque Lucas gosta de proteger os mais fracos, principalmente os irmãos), e também contam com a amizade de Mena, a namorada de Lucas. Os quatro sempre estão unidos.

Através de Cullen conhecemos alguns outros personagens, entre os quais, John Barling, que é justamente o responsável pela febre que tomou a pequena cidade de Lily, pois afirma com toda a certeza que viu o raro pássaro pelas imediações e não descansará enquanto não provar o fato e trouxer o pica-pau Lázaro aos olhos de todos. Também conhecemos a jovem Ada Taylor, a viúva negra (chamada assim por causa de seus envolvimentos amorosos, que acabam sempre em morte para os infelizes) e que é, vejam só, a paixão do garoto Cullen. Claro que ele também tem um rival, o Russel, um valentão da escola, que é namorado da moça.

Também destaco dois outros personagens: Samuel e Sarah Witter, os pais. Eles mostram todo o processo desesperador da perda, tudo que se faz e tudo que se vai; tudo que não se consegue fazer, o vazio que fica, o tormento que não termina para os que não sabem onde está e o que aconteceu com seu ente querido que simplesmente desapareceu da face da Terra.

Cullen lida da forma dele com esta perda usando sua fértil imaginação, que por vezes chega até a ser tétrica e desconsoladora, pois é atormentado com visão de zumbis (todos que conhece, inclusive Gabriel). Odeia a celeuma causada pela procura do pássaro, pois isto leva a imprensa em peso para a cidade, mas não ajuda em nada na investigação do desaparecimento de seu irmão. Por isso mesmo ele se divide entre o ódio e pena do pobre pica-pau, tão vorazmente procurado. Paralelamente aos conhecidos de Cullen, vemos Benton Sage Cabot Searcy (este último fanático pela bíblia) e seu entrelaçamento com a cidade.

Realmente apreciei ler este livro. Gostei das visões atormentadas de Cullen, assim como sua mania de inventar títulos para livros que quem sabe um dia escreverá, tudo com referência as situações pelas quais passa em sua vida. E também gostei dos pensamentos ou dizeres do Dr. Webb (que nunca aparece no livro) mas que Cullen nos presenteia em muitos momentos da história. É através dele que ele expressa seus mais importantes pensamentos e sentimentos.

O Dr. Webb diz que a vida é cheia de complicações e confusões, e que os seres humanos costumam ter dificuldade para enfrentá-la [...] A vida, segundo ele, não precisa ser tão ruim o tempo todo. Não precisamos nos sentir tão ansiosos com tudo. Podemos simplesmente viver. Podemos nos levantar, prever que o dia terá alguns momentos  bons e alguns momentos ruins, e então aceitar esse fato. Aceitar tudo e lidar com as coisas da melhor maneira [...] Quando perguntei a ele sobre o sentido da vida, o Dr. Webb ficou calado e me disse que a vida tem um único sentido, que ela só tem o sentido que cada um de nós dá a ela.

Gostei da capa, pois apesar de simples, simboliza bem tanto o desaparecimento de Gabriel quanto a procura pelo pássaro mencionado na história; e ainda em um fundo azul de um céu infinito de esperanças.

Fiquei impressionada com o porque de tudo e como tudo no fim faz sentido. Tudo e todos estão interligados. Quando Tudo Volta é um livro comovente. Seu suspense me prendeu, e sua leitura fácil foi gratificante. Cheio de lições e verdades, é um livro que vale a pena ser lido.

Comentários via Facebook

15 Comentários:

  1. Ótima resenha! E o livro entrou na lista de metas de 2014!
    Beijoo, Gabe.

    http://mundomagicolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua resenha, porque mudou um pouco a imagem que eu tinha do livro. Vi umas críticas negativas por aí e já estava desanimada, sabe?
    E que bom saber que as poucas descrições não atrapalharam a imaginação. Adoro visualizar o personagem na minha cabeça.

    Bjs,
    Kel Costa
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da resenha, agora mais curiosa para essa leitura.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gostei da resenha, agora mais curiosa para ler.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Livy.
    Gostei muito da resenha e já vi esse livro pela blogosfera, mas não havia me interessado muito nem lido a resenha ainda.
    Eis que chego aqui e leio tudo. Me interessei bastante pela história e quero ler esse livro o quanto antes.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oi Livy,
    Eu li o livro mas para mim ele não foi uma boa leitura, achei que o autor se perdeu em vários momentos da história deixando de explorar vários pontos, os personagens que mais gostei foram o Lucas e o Gabriel, achei que o Cullen divagava demais...mas foi bom ler sua resenha e ver que você gostou, afinal cada um tem uma visão diferente da leitura, isso que é o mais fantástico no mundo literário, o que eu não gostei o outro leitor pode vir a amar e cada um só saberá se gostou quando ler.
    Ótima resenha.

    Beijos!!!
    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Eu imaginava outro contexto para este livro e fiquei surpresa em saber que se trata de assuntos mais reais, curiosa para saber se o garoto aparece de volta, e como acontece esta busca, a capa é mesmo muito linda, simples e cativante, beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Livy ! Este livro parece ser bastante interessante e diferente de coisas que temos visto por aí... ao mesmo tempo em que parece misturar fantasia e realidade, o que temos visto tanto...
    Fiquei curiosa com este Dr. Webb, será que não é baseado nas filosofias que encontramos pela Internet (web) afora?

    ResponderExcluir
  9. Oi Livy, ainda estou com um pé atrás com este livro, não sei se lerei por hora.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  10. Achei tão linda essa capa! Gosto de capas simples, adorei saber que além de linda, tem algo realmente relacionado a história. Ultimamente não sei de onde tiram as capas de alguns livros. Tinha lido algumas resenhas bem negativas e decidido que não leria, mas agora fiquei em cima do muro.

    Beijos,

    http://www.interacaoliteraria.com/

    ResponderExcluir
  11. Esse é o tipo de livro que estou louco pra ler, não só por essa capa linda - onde mostra que menos é mais, sem ser extravagante - e por ser bem elogiado ultimamente, mas também porque li em uma resenha que é melhor que John Green. Meu Deus! Melhor que John Green? Preciso tirar minhas próprias conclusões, e sua resenha apenas acresceu mais empolgação para mim! Quero adquirir o quanto antes pra saber se isso é mesmo verdade. Ótima resenha!

    Abraços,
    - pensamentosdojoshua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oie Li =)

    Eu até estava disposta a dar uma chance para esse livro, mas depois comecei a ler tantas resenhas negativas que desisti.

    Tipo não é um estilo que me chama muito a atenção já, e as resenhas que li realmente me desanimaram rs... Mas que bom que vc gostou ^^

    Beijos e uma ótima semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  13. Já ouvi/vi comentários negativos sobre o livro, assim como positivos também, então, vou dar uma chance ao livro sim, gostei da sua resenha, espero que esse livro me agrade.

    ResponderExcluir
  14. Eu estava procurando uma resenha que tivesse a mesma opinião que a minha sobre esse livro, e finalmente achei. Eu adorei esse livro pq ele é totalmente despretencioso, o personagem principal é o cara mais sem graça de todos, diferente de inúmeros livros onde onde os personagens são humanos perfeitos demais ou um grande problemático, e o Cullen é só um garoto como qlqr outro real. Eu gostei muito do livro.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por