Conheça o filme francês La Belle et la Bête

10 julho 2014
Postado por Livy


Exuberante. Essa é a palavra que escolhi para classificar o filme La Belle et la Bête, ou A Bela e a Fera, em sua versão francesa. O filme irá ser exibido nos cinemas à partir de 02 de Outubro no Brasil, mas eu já assisti e vim falar um pouco dele para vocês.

Sinopse:

Na trama, passada em 1810, após o naufrágio de seu navio, um comerciante financeiramente arruinado exila-se no campo com seus seis filhos, três rapazes e três moças. Apenas a filha mais nova, Bela, uma menina alegre e cheia de graça, fica entusiasmada com a vida rural. O destino surge implacável de novo, e quando o pai arranca uma rosa para a filha de um jardim encantado e é condenado à morte pelo proprietário do castelo, um monstro. A destemida Bela oferece-se no lugar do pai, mas uma vez dentro do palácio, encontra não a morte, mas sim uma vida estranha, cheia de magia, luxo e tristeza. Todas as noites, sem exceção, Bela janta com a fera, e todas as noites ela é visitada por sonhos que retratam a triste história dela. O gigante começa a se sentir cada vez mais atraído pela bela jovem, que usa toda a sua coragem para chegar ao fundo da maldição que atormenta seu estranho admirador.


A Bela e a Fera é um dos meus contos favoritos e a mensagem que passa de um amor que ultrapassa qualquer aparência ou preconceito é linda. Nesta versão francesa, entre o elenco temos Vincent Cassel e Léa Seydoux que vivem, respectivamente, a Fera e a Bela. Vivenciamos quase que literalmente o conto original francês de A Bela e a Fera, com algumas variantes. Nesta versão, se você espera encontrar alguma semelhança com o tão amado desenho da Disney, não se engane: as semelhanças são poucas e quase não existem.


Na verdade, o ponto forte do filme é justamente a exuberante e bela fotografia, assim como os ótimos efeitos visuais. O figurino, ambientação, trilha sonora e efeitos estão primorosos. Um verdadeiro show para os olhos. Eu mesma fiquei encantada com a beleza dos ambientes, das roupas e dos detalhes que compõem cada cena do filme. Pelo menos para mim valeu a pena assistir o filme só pelo fato de poder apreciar um longa tão bonito visualmente.


O filme começa com uma moça contando um conto para seus filhos na hora de dormir. A história que ela nos conta é justamente a da Bela e a Fera. A sensação de que tinha era a de estar vendo um conto de fadas se desenrolar realmente na minha frente. Isso foi possível justamente pelos belos detalhes que mencionei.

Senti que o roteiro poderia ter sido melhor desenvolvido, principalmente no que diz respeito ao relacionamento da Bela com a Fera. Achei o romance que crescia ali muito superficial, e no que o filme tem de exuberância de sobra, careceu de emoção.

No filme o relacionamento entre os dois é muito rápido e não consegui ver ali, nem sentir, em que momento eles poderiam ter se apaixonado, muito menos virar amigos. Foi justamente esta parte que me fez considerar o filme carente de um bom roteiro.

A origem do conto:

Como disse, o filme é quase que literalmente baseado no conto original francês. Mas muitos poucos sabem como surgiu este conto, e qual sua verdadeira história (além a da contada pelo desenho da Disney). Por este fato achei o filme ainda mais interessante (apesar da falta de emoção). Então vamos conhecer a origem do conto e a história.

Aparentemente o conto pode ter seus primeiros indícios ma mitologia grega, onde a fera seria a figura de uma serpente, e a qual teria dado origem a diversos outros contos com a figura da serpente em outros países. Mas sabe-se que os primeiros indícios do surgimento deste conto como o conhecemos vêm da Idade Média. Passando oralmente o conto por muito tempo, em 1697 temos a versão de Charles Perrault. E então eis que surge a versão de uma mulher!

O conto francês (o mais parecido de como conhecemos hoje) foi originalmente publicado por Gabrielle-Suzanne Barbot de Gallon de Villeneuve que escreveu “La Jeune Amériquaine, et les Contes Marins”, em 1740. No entanto, a versão mais conhecida foi um resumo da obra original, publicado em 1756 por Madame Jeanne-Marie LePrince de Beaumont, que encurtou o conto e fez algumas modificações. Depois disso, a primeira versão inglesa surgiu em 1757. Ao longo do tempo variantes do conto foram surgindo na Europa, e também foram ganhando diferentes sentidos.


Na história original (e claro, no filme) temos um castelo mágico sim, mas nada de objetos falantes e uma rosa mágica. Assim como a Fera não tem inimigos.

A história do conto:

O conto A Bela e a Fera relata a história da filha mais nova de um rico mercador, que tinha três filhas, porém, enquanto as filhas mais velhas gostavam de ostentar luxo, de festas e lindos vestidos, a mais nova, que todos chamavam Bela, era humilde, gentil, e generosa, gostava de leitura e tratava bem as pessoas. Um dia, o mercador perdeu toda a sua fortuna, com exceção de uma pequena casa distante da cidade. Bela aceitou a situação com dignidade, mas as duas filhas mais velhas não se conformavam em perder a fortuna e os admiradores, e descontavam suas frustrações sobre Bela, que humildemente não reclamava e ajudava seu pai como podia.  

Um dia, o mercador recebeu notícias de bons negócios na cidade, e resolveu partir. As duas filhas mais velhas, esperançosas em enriquecer novamente, encomendaram-lhe vestidos e futilidades, mas Bela, preocupada com o pai, pediu apenas que ele lhe trouxesse uma rosa. Quando o mercador voltava para casa, foi surpreendido por uma tempestade, e se abrigou em um castelo que avistou no caminho. O castelo era mágico, e o mercador pôde se alimentar e dormir confortavelmente, pois tudo o que precisava lhe era servido como por encanto. Ao partir, pela manhã, avistou um jardim de rosas e, lembrando do pedido de Bela, colheu uma delas para levar consigo. Foi surpreendido, porém, pelo dono, uma Fera pavorosa, que lhe impôs uma condição para viver: deveria trazer uma de suas filhas para se oferecer em seu lugar.

Ao chegar em casa, Bela, mediante a situação resolveu se oferecer para a Fera, imaginando que ela a devoraria. Ao invés de a devorar, a Fera foi se mostrando aos poucos como um ser sensível e amável, fazendo todas as suas vontades e tratando-a como uma princesa. Apesar de achá-lo feio e pouco inteligente, Bela se apegou ao monstro que, sensibilizado a pedia constantemente em casamento, pedido que Bela gentilmente recusava. Um dia, Bela pediu que Fera a deixasse visitar sua família, pedido que a Fera, muito a contragosto, concedeu, com a promessa de Bela retornar em uma semana. O monstro combinou com Bela que, para voltar, bastaria colocar seu anel sobre a mesa, e magicamente retornaria.

Bela visitou alegremente sua família, mas as irmãs, ao vê-la feliz, rica e bem vestida, sentiram inveja, e a envolveram para que sua visita fosse se prolongando, na intenção de Fera ficar aborrecida com sua irmã e devorá-la. Bela foi prorrogando sua volta até ter um sonho em que via Fera morrendo. Arrependida, colocou o anel sobre a mesa e voltou imediatamente, mas encontrou Fera morrendo no jardim, pois ela não se alimentara mais, temendo que Bela não retornasse.

Bela compreendeu que amava a Fera, que não podia mais viver sem ela, e confessou ao monstro sua resolução de aceitar o pedido de casamento. Mal pronunciou essas palavras, a Fera se transformou num lindo príncipe, pois seu amor colocara fim ao encanto que o condenará a viver sob a forma de uma fera até que uma donzela aceitasse se casar com ele. O príncipe casou com Bela e foram felizes para sempre. Fonte

Conclusões:



Esta é apenas uma das versões (e o filme se baseou nela pelo que pude perceber), mas há uma variedade grande de versões da história, inclusive a Fera geralmente não é descrita e sua aparência fica para a imaginação de quem estiver lendo o conto. Mas não vou falar nada sobre as verdades que descobri sobre o conto, pois fiquei de cabelo branco só de saber (fica para um outro post).


Independentemente de qualquer simbolismo ou versão, inclusive no filme, ainda há a bela mensagem do perdão, da aceitação e do amor que não se importa com aparências, julgamentos, passado ou erros.

La Belle et la Bête é um filme que vale a pena ver, pelo simples fato de ser um filme visualmente lindo. Se fosse levar em consideração apenas a história criada para o filme, o mesmo não teria valido tanto a pena. Eu amei a versão, apesar do fraco roteiro, e recomendo para quem ama estes filmes live-action de contos de fadas.

Também estou ansiosa para conferir o live-action da Bela e a Fera que será feito pela Disney. Tenho certeza que será tão belo e emocionante quanto o desenho.

Trailer:

Comentários via Facebook

11 Comentários:

  1. aaaa esse filme é encantador!! Tbm não aguentei e já assisti!! Não esperava tanto por ser um produção francesa, mas olha os franceses estão de Parabéns uma ótima produção lindoo, divino tudo perfeito!! Cenário, vestuários, esses vestidos dela é lindos, além de ser ótimas atores interpretaram belamente o clássico.
    Ameii a post!!

    Bjox karinhoso da Kaa
    ♥ Uma Pequena Inspiradora

    ResponderExcluir
  2. Oi Livy!
    Eu lembro que li aqui no blog sobre o lançamento do filme e fiquei muito curiosa, vou ver se encontro para assistir nas férias! Eu tinha essa versão do conto em um livro infantil, mas infelizmente perdi o livro...
    Beijos
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Livy

    Que visual lindo esse filme parece ter. Nunca fui fã de nenhum dos contos de fada, mas gosto bastante ver ver as várias adaptações que tem surgido por ai.
    Fiquei empolgada no início do seu post e depois triste quando soube que o que faltou em beleza faltou em roteiro, a parte mais importante.
    Talvez eu assista, mas vou mesmo esperar pelo live-action da Disney.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  4. Nossa deve ser muito legal!
    Eu adorei o seu blog!
    Beijos.

    www.thailamelloni.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Uauuu a fotografia e efeitos visuais desse filme são lindos, de encher os olhos.
    E como eu AMO releituras tenho certeza que vou amar, ainda mais sendo do meu conto preferido!Amei

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  6. Primeira vez que entro no seu blog e já amei!
    Fiquei louca para ver esse filme agora. Adoro filmes franceses, adoro a história de A Bela e A Fera e amei esse trailer *-*
    Também já li algumas resenhas suas aqui e to amando tudo!
    Beijos, Isa.

    www.heartofsunday.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Livy!
    Eu adorei o seu post!! A Bela e a Fera também é um dos meus contos de fadas favoritos e, agora, estou super ansiosa para o lançamento do filme aqui no Brasil!
    Adoro seu blog, ele é lindoo :)
    Se puder, visite o meu e me diga o que achou...
    Beijos

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, oi.
    Não sabia desse filme. E como assim não tem objetos falantes? Eu adoro a xícara criancinha UAHSUAHSUA Adorei o post, ficou lindo. O filme parece ser muito bonito visualmente, espero poder ver. Eu nem vejo as verdades por trás desses contos, sabe? Não quero estragar a versão bonitinha da minha infância UAHSAU

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing
    http://thisadorablething.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Livy! Ainda não vi esta adaptação, mas o cenário é de tirar o fôlego, estas imagens selecionadas por você enchem os olhos. Eu adoro a história e quero poder conferir este filme em breve, uma pena a abordagem do sentimentos do casal ter sido superficial, é a relação deles a mensagem da história.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Recentemente vi o trailler no cinema e agora vi essa postagem sua e fiquei bem ansiosa pra assistir o filme.
    Estou amando estas adaptações de contos de fada.
    Amei, saber os detalhes.
    Bjuuu
    http://orocardovento.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  11. Estou tão ansiosa para assistir, apesar de ser feito por uma produção francesa, parece ser muito bom. :D

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por