[Falando em Série] The Last Ship

28 setembro 2014
Postado por Livy


Eu sempre fui uma seriadora ávida. Sempre quero ver mais e mais séries. Já acompanhei muitas e ainda acompanho, outras abandonei, e outras ainda quero muito assistir. Mas de uns tempos para cá eu estava (estou) muito envolvida com The Walking Dead, que é, sem sombra de dúvida, minha série favorita e queridinha  (e vai voltar agora em Outubro. AHHH, eu piro!) (calma, deixa eu respirar *Livy, respira*). Certo, como estou aguardando a quinta temporada de TWD e eu estava super carente de séries, resolvi assistir algumas novas. 

Comecei a assistir Penny Dreadful, e simplesmente abandonei no quarto episódio. Depois me aventurei com Helix e, apesar da história interessante, não conseguiu me prender. Resumindo achei que em ambas há muita enrolação e pouco resultado. Pois então eu comecei a assistir três séries que realmente me prenderam, e UAU, quero mais. Assisti toda a primeira temporada de The 100 (logo falo do que achei aqui no blog), e estou acompanhando The Strain (que é muito, muito, muito boa). Mas hoje vim falar para vocês de The Last Ship, que é uma ótima série, e já ganhou espaço entre as que pretendo continuar assistindo. Agora, vou mostrar para vocês porque gostei tanto da série. Confira:

Ficha Técnica


Título: The Last Ship
Gênero: Drama
Número de episódios: 10 / Primeira Temporada
Duração por Episódio: 42 minutos
País de origem: Estados Unidos
Distribuída por: TNT Original Production
Criadores: Hank Steinberg e Steve Kane
Produção: Todd Arnow
Produtores Executivos: Michael Bay, Andrew Form, Brad Fuller, Hank Steinberg, Steve Kane e Jonathan Mostow
Compositor da música tema: Nathan Whitehead
Elenco principal: Eric Dane (como comandante Tom Chandler); Rhona Mitra (como Dr. Rachel Scott); Adam Baldwin (como comandante Mike Slattery); Charles Parnell (como Hugh Jeter), Sam Spruell (como Quincy Tophet), Travis Van Winkle (como tenente Danny Green); Marissa Neitling (como tenente Kara Foster); Christina Elmore (como tenente Alisha Granderson).
Elenco recorrente: Jocko Sims (como tenente Carlton Burk); Andy T. Tran (como tenente Andy Chung); John Pyper-Ferguson (como Tex), Fay Masterson (como engenheiro-chefe Andrea Garnett), entre outros.
Sinopse: A missão deles é simples. Encontrar uma cura. Parar o vírus. Salvar o mundo. A série abre com uma grande catástrofe mundial: uma epidemia que matou 80% da população do planeta. Por sua localização durante o surto, a tripulação de um navio de guerra da marinha americana, o USS Nathan Jones, sobrevive à dizimação e agora deve encontrar uma maneira de salvar a humanidade da extinção. 

Minha Opinião 


Tudo começou quando minha mãe (linda) disse que viu uma nova série passando na TNT. Para falar a verdade eu não estava dando muita importância, ainda mais por nunca ter ouvido falar da série. Mas como sou curiosa resolvi assistir o primeiro episódio assim que a reprise passou. E, pensei comigo mesma: poxa, a ideia desta série é muito boa. Pesquisei sobre a série, e me interessei bastante. Lá fui eu maratonar The Last Ship.

Não perdi tempo e fui logo assistindo, avidamente, todos os episódios. Não consegui parar de assistir até chegar ao último episódio. E quando terminei pensei: Não, não, não, não façam isso comigo. Meu coração não aguenta. MEU DEUS, preciso de mais. E não é exagero não, eu pensei isso e muito mais. O season finale é... espera aí, vamos do início.


O mundo está sendo dizimado por um vírus mortal. Este vírus sofreu uma mutação e é indestrutível. O terror se instalou, e a humanidade sofre com uma das piores crises de doença contagiosa que já enfrentou. Dra. Rachel Scott (Rhona Mitra), do Controle de Doenças Contagiosas, vai atrás da causa do vírus, e tenta encontrar no Ártico a origem dele. Para isso ela embarca no navio de guerra americano USS Nathan Jones. Ela consegue achar o vírus original, mas os russos também estão atrás do vírus. 


Mas a história da série não se resume a isso. Além da corrida pelo vírus, há muitas reviravoltas e muita aventura e ação, e uma boa dose de drama. Todos no navio enfrentam algum grau de dificuldade, assim como têm que enfrentar inimigos, lutar pela sobrevivência e esperança, enfrentando dor e tristeza. Sua última missão parece simples: lutar para continuar vivos, e encontrar uma vacina e/ ou cura para a doença que está matando milhões de pessoas, e tem uma causa desconhecida.


Mas não é tão simples assim. Para isso, eles têm que proteger a Dra. Scott e toda a pesquisa que ela está fazendo. As dificuldades no caminho são imensas, e aparecem das formas mais inusitadas. Inimigos e problemas aparecem para complicar toda a missão. Falta de equipamentos e comida, desidratação, perseguições, falta de comunicação, entre outros. Mas eles não vão desistir fácil. Aliás, Tom Chandler (Eric Dane), capitão do navio, não desiste. 


Ele é praticamente o alicerce de toda a tripulação, mesmo enfrentando suas próprias dores, é o tipo de pessoa que inspira. O tipo de homem que inspira confiança, lealdade, amizade, e força. Ele é meu personagem preferido na série (além da própria doutora) e que me comoveu diversas vezes com seu caráter íntegro e determinado, lutando pelo que é certo e pelo bem maior de todos, até mesmo deixando de lado seu próprio bem estar. Um ótimo coração. (E só para constar, criei uma leve paixonite (cof cof) pelo capitão Chandler (ou pelo ator, sei lá). Tipo um Rick, só que sem os zumbis. Cara decidido, corajoso, destemido. Meu herói! (olhos brilhando, mãos no peito. Suspiro).

A Dra. Scott também não fica para trás, mostrando o quanto é forte, corajosa e determinada, e não desiste até encontrar tudo o que precisa para conseguir seguir com sua pesquisa e tentar encontrar uma cura. Ela proporcionou, também, ótimas cenas na série. Na verdade a série tem muitos personagens de peso e destaque, como Mike Slattery (Adam Baldwin), braço direito de Chandler, e que mostra, em diversas situações, sua força. Cada ser humano no navio tem um peso a carregar: a dor de uma perda, a incerteza do amanhã, a tristeza de ver companheiros morrendo, a incerteza do destino dos familiares e amigos que estão em terra. Mas seguem nesta missão, pelo bem maior da humanidade. Eles são a última esperança.

Eu adorei toda a primeira temporada. E este lado humano na série é muito pungente, e garante, junto à toda tensão e ação do seriado, algo mais palpável e muito tocante. Não é à toa que a série é categorizada como drama, mas vai muito além disso. Em muitos episódios eu cheguei realmente a me emocionar. Cada drama, cada pessoa no navio, cada situação, cada conflito é bem real e muito envolvente. É difícil não se apegar emocionalmente aos personagens. Nos últimos episódios, por exemplo, em algumas situações e cenas eu cheguei a verter lágrimas, e chorar como se não houvesse amanhã. Em outros casos, me emocionava e lágrimas vinham aos olhos. 

E em outros eu torcia, ou morria de raiva de alguma situação. Em outras eu roí as unhas. Enfim, você está aí pensando que eu quase tive uma crise de nervos assistindo? Pois sim, vamos dizer que sim (risos). The Last Ship está recheado dos bons elementos que compõe uma ótima série, e que garantem um ótimo entretenimento. As cenas são fantásticas, as maquiagens muito bem feitas, a trilha sonora é ótima, e a história e desenvolvimento dos capítulos é excelente. 


A história segue num crescendo, e além do drama (que tanto gostei na trama), a ação é um dos pontos fortes da série. E o que achei interessante é que a história não fica parada apenas em alto mar, há muitas aventuras em terra firme também. Além de que eu ficava de boca aberta com toda a ação estratégica que há em todas as cenas de combate e das missões em terra. Também vemos como os humanos se corrompem perante catástrofes, onde o bem e o mal fica delineado de uma forma totalmente bruta e crua. 

O que eu adoro quando acompanho uma série é que eu realmente me sinta envolvida, ou sinta uma conexão com algum personagem ou situação. Isso acontece facilmente em The Last Ship. Além da gama de emoções que a série me despertou, senti empatia por praticamente todo o elenco principal e secundário (com execessão dos inimigos, obviamente, que aparecem no caminho). É possível se emocionar; torcer; gritar; se apegar emocionalmente aos personagens e seus dramas; ter ataques de nervos e urrar de alegria. E uma série que proporciona tudo isso só pode ser ótima.

Aliás, é uma ótima pedida para todos aqueles que adoram séries voltadas para algum acontecimento apocalíptico, ações militares e estratégia, vírus e drama. Já vi muitas histórias com tema parecido, mais acredite, eu não me entendiei nem um pouco; pois a forma como a história é apresentada é bem interessante. E como estava dizendo anteriormente, o season finale é... OMG! Eletrizante, aterrorizante, destruidor! Eu preciso de mais

Então sim, adorei e recomendo! E não há nada que eu possa falar aqui que vá mostrar o quanto eu estou apaixonada por esta série, e o quanto ela é boa. É sério, só assistindo para ver. Vou continuar recomendando. Assistam! Vocês ainda vão me ouvir falando muito dela =)


Esta é uma série que fala de humanidade. Das dores da perda, da luta pela sobrevivência, em crer no impossível. Fala sobre esperança. Da luta pela humanidade. Da luta pelo futuro.

Trailer 

Comentários via Facebook

22 Comentários:

  1. OMG, como eu nunca ouvi falar dessa série??? Atualmente estou acompanhando poucos: The Blacklist, Castle, The Big Bang Theory e Game of Thrones. Eu adoro esse tema apocalíptico + vírus mortal. Vou assistir, com certeza. Dica anotadíssima!!!

    Suelen Mattos
    _____________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  2. Gente, essa série parece ser demais *o*
    Tenho que reservar um tempinho para assisti-la.
    Esta faltado horaaas nos meus diaaas, preciso de mais tempo para assistir e ler tudo que quero.
    Adorei a dica ^^
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  3. Gostei da dica Livy. Não conhecia a série, mas pelas suas palavras pude perceber o quanto ela é ótima. Ah, também estou na expectativa pela nova temporada de The Walking Dead! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  4. Meu pai assiste haha e de vez em quando sento para assistir com ele. E até que gosto dela, agora... mentira que você abandonou Penny Dreadful??? Hahaha é uma das minhas últimas séries favoritadas e estou ansiosa para a segunda temporada, agora quanto a Helix eu a abandonei no quinto episódio :/ Não houve aquela conexão e resolvi deixar pra lá e assistir outras. Séries são tudo de bom <3

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  5. Oie Livy =)

    Ahhh! Também abandonei Penny Dreadfrul, mas foi no terceiro episodio rs...

    Não conhecia esse seriado, mas gostei da premissa dele.

    Eu atualmente só estou acompanhando os retornos das séries que já acompanho e tentando colocar em dia as que estão atrasadas.

    Mas a dica já está anotado aqui =D

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  6. oie Livy
    também sou viciadinha em séries. Assisto tantas, que nunca consigo colocar tudo em dia.
    E sério que você abandonou Penny? eu amo essa série, mas confesso que os episódios são meio paradinhos no início.
    Essa eu já tinha visto o pilot, e gostei muito. Quero continuar acompanhando, ainda mais depois desse seu post super empolgante!
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei a dica Livy.. Quando vi o comercial anunciando a série na TNT confesso que achei que tinha potencial... mas como bem disse nossa colega aí de cima falta horas nos meus dias para assistir e ler td q tenho vontade... A única série a que sou fiel no momento é The walking dead..(uuuu... OMG... tá chegando a hora da volta já estou na expectativa há meses..kkk).. estava acompanhndo tbem Under the dome mas ela estava tão morna...A dica já esta anotada para quando tiver uma oprtunidade...bjinhuss

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Nossa, não tem como não ter vontade de assistir essa série imediatamente depois de ler a resenha. Série super recomendada. Esse gênero sempre chama minha atenção, mas eu ainda não havia ouvido falar da série!
    Eu também comecei a assistir Helix, mas acabei desistindo...
    Assim que chegar em casa vou assistir alguns episódios pra ver se concordarei com você.
    Super obrigada pela dica, eu estava mesmo querendo assistir a algo novo.
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oii,
    Geezuis eu acompanho um monte. E vivo fazendo projeto adiciono mais ainda.
    Mas essa por algum motivo deixei passar, preciso dar uma olhada.
    Tem Eric Dane SOS

    Lindo seu blog, parabéns!
    Estou seguindo!

    bjs e tenha uma ótima semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  10. AMO distopias, mas confesso estar sem tempo para ver seriados e esse em especial não faz muito meu estilo. Eu costumo ver seriado só para relaxar, nada mais complicado que uma comédia romântica porque minha rotina é MUITO estressante, mas vou ficar de olho nesse.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oie,
    poxa ando totalmente sem tempo para ver seriados, nem os que acompanho tenho conseguido ver.
    Adorei a dica, vou anotar, mas acho que não vou assisti tão cedo rsrsr

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Livy! The Strain eu vi o primeiro episódio e acabei deixando de lado, vou ver se retomo nas férias. Eu sou viciada em séries também e esta aqui ainda não tinha me chamado atenção, agora sabendo mais sobre o enredo vou ver alguns episódios, quem sabe gosto. Estão estreando várias e nem dá tempo de conferir todas, é bom ver opiniões como a sua, ajudam bastante.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  13. Olá Livy.
    Helix também não me prendeu, abandonei.
    The Last Ship eu vi chamadas, mas acredita que achei que fosse só mais uma?
    Depois dessa sua resenha maravilhosa eu vou começar a acompanhar.
    Obrigada pela dica. rs
    Beijooos

    ResponderExcluir
  14. Oi Livy

    Quando saiu a sinopse dessa série, antes do lançamento, fiquei de olho nela achei a premissa bastante interessante. Entretanto, fui assistindo inúmeras outras séries que estrearam na mesma época e acabei esquecendo dela. Há algum tempo li uma review não muito animadora e acabei desistindo de assistir.
    Como várias das séries que assisto estão voltando do hiatus não dá para começar a assistir ela agora, mas a dica já está anotada.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  15. Achei Helix bem sem graça também. Esperava bem mais pela propaganda que tinha visto. The Strain, está muito boa. Ainda não tinha visto essa que você indicou, mas pelo jeito temos o gosto parecido e acho que vou gostar. Anotei aqui para assistir.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  16. Oiee ^^
    Eu AMOO essa série! Conheci ela através da minha irmã e me apaixonei ♥ mal vejo a hora de chegar logo o ano que vem para ver a segunda temporada, que promete ser ainda mais interessante e assustadora...haha'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Menina, tive que volta aqui! Na mesma semana em que li seu post fui assistir a série com a minha mãe. Acabamos assistindo ela todinha, ficamos o dia inteiro assistindo, não conseguimos largar. Essa série é mesmo incrível.... e aquele final foi de roer as unhas de vontade de ver mais. Agora é aguentar até ano que vem pela próxima temporada.... Valeu pela dica!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  18. Zapeando pela net, encontrei seu blog. Também por acaso, conheci The Last Ship antes mesmo de estrear. Como sou fã da Rhona Mitra, fui em busca dos episódios e quando dei por mim, já estava assistindo e me empolgando cada vez mais.
    Eric Dane é uma figura conhecida, Adam Baldwin também. Mas devo confessar que todo o elenco empolga. Estou torcendo por um romance entre a Rachel e o Tom. Tenho mania de casais nas séries que eu gosto. Apesar de que aprovei bastante o amadurecimento da amizade entre a Dra. Scott e o Comandante Slattery. Eles simplesmente foram cúmplices no oitavo episódio. Tex é um cara eficiente, mas não merece a mocinha. E depois que a esposa do Comandante Chandler morreu... fiquei pulando de ansiedade ( coitada da mulher ). Até do velho capitão russo, com cara de bandido de desenho animado, eu gostei. Quero ver onde a turma dos russos vai consertar as avarias daquela banheira.
    O gancho para a segunda temporada foi ótimo. Nathan James, cadê você?
    Vamos ter que esperar até julho de 2015. Af!!!
    ;)
    Eli.

    ResponderExcluir
  19. Zapeando pela net, encontrei seu blog. Também por acaso, conheci The Last Ship antes mesmo de estrear. Como sou fã da Rhona Mitra, fui em busca dos episódios e quando dei por mim, já estava assistindo e me empolgando cada vez mais.
    Eric Dane é uma figura conhecida, Adam Baldwin também. Mas devo confessar que todo o elenco empolga. Estou torcendo por um romance entre a Rachel e o Tom. Tenho mania de casais nas séries que eu gosto. Apesar de que aprovei bastante o amadurecimento da amizade entre a Dra. Scott e o Comandante Slattery. Eles simplesmente foram cúmplices no oitavo episódio. Tex é um cara eficiente, mas não merece a mocinha. E depois que a esposa do Comandante Chandler morreu... fiquei pulando de ansiedade ( coitada da mulher ). Até do velho capitão russo, com cara de bandido de desenho animado, eu gostei. Quero ver onde a turma dos russos vai consertar as avarias daquela banheira.
    O gancho para a segunda temporada foi ótimo. Nathan James, cadê você?
    Vamos ter que esperar até julho de 2015. Af!!!
    ;)
    Eli.

    ResponderExcluir
  20. Hoje começa a segunda temporada (finalmente).
    Mas eu queria saber se alguém sabe do livro, pelo que entendi a série foi inspirada em um romance de mesmo título. Esse romance foi lançado no Brasil?

    ResponderExcluir
  21. Ótima resenha Livy. Gosto bastante dessa série e estava pesquisando sobre ela pra escrever no meu blog. De longe o seu texto foi o mais interessante e completo que achei. Parabéns!

    ResponderExcluir
  22. E além de tudo, percebe-se na série como é viver num navio militar, demonstra o respeito hierárquico, as regras que os militares devem seguir, e tem muita ação, planejamento, na ponte de comando do navio se passa várias cenas. Pra quem gosta de história ou temas de guerra, isso é ótimo. ;)

    http://vestigiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por