Filme Se Eu Ficar

11 setembro 2014
Postado por Livy


Ontem eu fui assistir ao filme Se Eu Ficar no cinema, e sai de lá com os olhos vermelhos e o nariz escorrendo, como se estivesse enfrentando uma bela crise de rinite. Sabe como é, sou chorona por natureza, e meu sobrenome é manteiga derretida. Por isso vim dividir com vocês minhas impressões sobre este filme que é (era) um dos mais aguardados para Setembro

Ficha Técnica:

Título original: If I Stay
Distribuidor WARNER BROS.
Lançamento: 4 de setembro 
Ano: 2014
Duração: 1h46min
Gênero: Drama
Nacionalidade: EUA
Direção: R.J. Cutler
Roteiro: Shauna Cross
Compositor: Heitor Pereira
Produtora Executiva: Gayle Forman
Elenco: Chloë Grace Moretz (como Mia Hall); Mireille Enos (como Kat Hall); Joshua Leonard (como Denny Hall); Jamie Blackley (como Adam);  Stacy Keach (como Grandpa); Liana Liberato (como Kim Schein); Jakob Davies (como Teddy Hall); Aisha Hinds (como Nurse Ramirez); entre outros
Sinopse: Mia Hall (Chlöe Grace Moretz) é uma prodigiosa musicista que vive a dúvida de ter que decidir entre a dedicação integral à carreira na famosa escola Julliard e aquele que tem tudo para ser o grande amor de sua vida, Adam (Jamie Blackley). Após sofrer um grave acidente de carro, a jovem perde a família e fica à beira da morte. Em coma, ela reflete sobre o passado e sobre o futuro que pode ter, caso sobreviva.

Minha Opinião: 

Se Eu Ficar é baseado no best-seller da Gayle Forman, que foi publicado aqui no Brasil pela Editora Rocco e em Agosto de 2014 relançado pela Editora Novo Conceito. Confesso que não li o livro, pois vi muitas resenhas abordando alguns pontos desfavoráveis na história, e uma delas sendo a falta de emoção na trama. Então fui assistir ao filme no cinema sem ter conhecimento da história, sem fazer comparações, sem esperar nada. E isso é muito libertador.

Vejo que o filme cumpriu bem com seu papel com a carga dramática, apesar de algumas falhas que deixaram de dar à história uma carga emocional muito maior. O filme tem seu foco principalmente no romance de um casal jovem e descolado de músicos que tem tudo para dar certo, mas que também tem tudo para dar errado.

Adam (Jamie Blackley) é o típico garoto popular que todos conhecem e adoram, e tem sua própria banda de punk rock. Mia (Chloë Grace Moretz) é totalmente o oposto: retraída, tímida e nem de longe popular, vive pela emoção que a música lhe traz, e é um prodígio do violoncelo. Mia e Adam acabam se conhecendo na escola, e Adam a convida para sair. A partir daí a vida de Mia muda muito.

Mais de um ano e meio depois, Mia está aguardando sua carta de aceitação na famosa Julliard, e não quer sair de casa no meio de uma grande nevasca, mas seus pais a convencem a ir visitar os avôs junto com eles e seu irmãozinho. No caminho, um acidente terrível faz com toda sua família seja levada ao hospital em estado gravíssimo, e a própria Mia, em coma.

Agora em espírito, ainda em coma, Mia vai vagar pelo hospital onde ela e sua família estão internados, e vai ver a vida e os sentimentos das pessoas que a amam com outros olhos. Entre a vida e a morte, ela vai ter que lutar pelo que acredita ser certo: morrer ou ter motivos para ficar.


As cenas são alternadas entre o presente e o passado com flashbacks de Mia sobre sua família e sobre o relacionamento dela com Adam, e os momentos que a levaram até ali. Tudo isso nos faz sentir mais empatia pela personagem e seu drama. Principalmente nos apegamos à família da garota, que é tão diferente e tão bonita.

As atuações de Mireille Enos (a mãe) e Joshua Leonard (o pai) estão maravilhosas, e me fizeram me emocionar diversas vezes ao longo do filme. 

Entre diversos flashbacks conhecemos mais sobre eles e o modo como largaram até mesmo alguns de seus sonhos para criar os filhos e fazer o melhor por eles. Pais amorosos e descolados, são, desde que Mia se entende por gente, a maior força que ela poderia ter. Me vi emocionada com cenas que mostraram a força do amor que sentiam pela filha, e por sua paixão pela música. 

Outro destaque é para Stacy Keach, avô de Mia, que tem duas cenas de importância, e justamente duas das cenas que mais gostei no filme. Onde uma delas chorei com suas belas palavras.

Uma das coisas que me incomodou um pouco na história como um todo, foi a falta de destaque para a dor de Mia pela perda dos pais (não, não é um spoiler, pois no próprio trailer isto já fica bem claro). Afinal, digo por mim mesma, só de imaginar perder meus pais, a dor de perder o que há de mais precioso neste mundo, me vejo sem chão. A própria Mia, claro, se vê sem motivação para lutar e continuar viva depois de perdê-los, mas este drama fica em segundo plano levando-se em conta o próprio romance e sua história com Adam.

Mas sim, as românticas de plantão, como eu, irão suspirar e derramar muitas lágrimas. O filme é clichê sim, é lindo sim, é melodramático sim, mas cumpre seu papel. O romance de Mia e Adam é fofo, bonito e triste ao mesmo tempo. Ambos estão perdidamente apaixonados, mas também estão apaixonados pela música e têm seus próprios sonhos para conquistar. Adam aquece nossos corações com atitudes e gestos tão bonitinhos que é impossível não suspirar. Jamie Blackley Chloë Grace Moretz estão bem em seus papéis, de um casal apaixonado que também sofre com muitas dúvidas, incertezas, dramas pessoais e dificuldades. 

Outro ponto que eu gostei foi o lado musical do filme. A paixão com que os protagonistas lidam com a música é linda. Mia respira música, e, como ela mesma diz, seu coração parece bater junto e no mesmo ritmo que a música.

A mensagem que a história passa é bonita, onde aprendemos que dar valor ao que nos é importante é algo premente. Nunca sabemos quando nossa vida pode mudar drasticamente, em questão de segundos. É isso que Mia aprende com seu passado e com o fatídico acidente de carro. Em sua jornada de lembranças e sua observação no hospital, ela percebe como cada momento é precioso, como cada pessoa é importante. E entende pelo que vale viver: o amor. Pois nunca esteve só, como achava que estava, e percebe que o amor, de todos os sentimentos, é o que nos une sempre, mesmo depois da morte. 


Perdão, amor, saudades, amizade. Se Eu Ficar é sim um filme emocionante. Concordo com algumas críticas que dizem que o filme é clichê, mas a vida não é assim? Acontecimentos, sentimentos, dores e tristezas similares? É o que nos faz ter empatia pelo próximo. É o que nos une na dor, é o que nos torna humanos. Porque sim, a vida é uma imensa bagunça, mas é aí que está sua beleza.

Confesso que chorei sim, e que me emocionei muito com filme, com a dor da perda e a descoberta de um verdadeiro amor. E sim, eu gostei do filme. Se Eu Ficar é romântico, é triste, é doloroso, bonito e tocante. Não tem um grande roteiro, ou uma grande história, mas nos mostra de forma simples e pura como a vida é valiosa.

A Trilha Sonora: 

Acho que tinha acabado, não é mesmo!? Só que eu não poderia falar de Se Eu Ficar e não falar da trilha sonora que contribuiu para a carga emocional do filme. Misturando composições do Adam, músicas clássicas, e outras músicas, temos uma trilha sonora bem bacana. Vamos conferir:

1-) Who Needs You, The Orwells
2-) Until We Get There, Lucius 
3-) I Want What You Have, Willamette Stone
4-) All of Me,  Tanlines 
5-) Promise, Ben Howard 
6-) Say Something, A Great Big World & Christina Aguilera 
7-) Never Coming Down, Willamette Stone 
8-) Halo, Ane Brun & Linnéa Olsson
9-) I Will Be There, Odessa
10-) Mind, Willamette Stone
11-) Morning, Beck
12-) Karen Revisited, Sonic Youth 
13-) Today, Willamette Stone
14-) Heart Like Yours, Willamette Stone
15-) Heal (If I Stay Version), Tom Odell 
16-) I Never Wanted To Go (Bonus Track),  Willamette Stone
17-) Suite No. 1 in G Major for Solo Cello, BWV 1007: Prelude (Bonus Track), Bach Prelude
18-) Cello Concerto in A Minor, Op. 33 (Excerpt) (Bonus Track), Saint Saens
19-) Sonata in B Minor for Solo Cello, Op. 8 (Bonus Track), Alisa Weilerstein

Trailer: 

Comentários via Facebook

19 Comentários:

  1. Nossa, eu quero muito ver esse filme. Tb não li o livro e resolvi não ler pelo mesmo motivo que vc: tb li resenhas desfavoráveis sobre ele, em relação a abordagem, que poderia ser mais recheada de emoção. Quando eu ver o filme, tb será sem comparações, o que será ótimo! Olha, vi gente comentando que chorou mais com esse filme do que com o A Culpa é das Estrelas. Não pensei que esse filme provocaria tantas lágrimas assim, apesar de saber que o tema é um tema "chorável", hehe! E como sou manteiga derretida, vou preparar a caixinha de lenços, pq sei que vou desidratar...
    Ficou show essa trilha sonora no final do post. Nascida numa família de músicos, amo tudo relacionado à música!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  2. Oiee ^^
    Aaah como eu chorei nesse filme! Estou até agora tentando superar e fazer uma resenha, mas não tá dando *-*
    Ameeei tudo, com exceção das vozes da dublagem que são HORRÍVEIS! Fiquei morrendo de vontade de ler o segundo livro ♥ é mesmo uma história linda ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei da dica Livy. Estou louca pra assistir este filme! Só de ver o trailer fiquei toda emocionada...haha. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Livy :)
    Eu também não li o livro "Se eu ficar". Sei lá, não me chamou a atenção.
    Mas confesso que me interessei em assistir o filme.
    Me parece ser bem mais emocionante... eu gosto de sofrer com filmes/livros ( é meio louco, mas é verdade rsrs) Gosto também me façam refletir... acho que esse faz isso.
    E Livy, você simplesmente arrasou com essa lista (trilha sonora) no final. Amei de mais da conta <3

    Beijos linda!

    http://umacertajovem.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Livy!

    O post ficou sensacional, completíssimo <3
    Eu li o livro e realmente, faltou uma boa dose de emoção extra. Eu nem me emocionei no livro e fico em dúvida se vou me emocionar no filme também. Ao contrário de você, sou bem durona pra essas coisas e choro só em últimos casos (ou quando estou sensível).
    De qualquer modo, não posso esperar pra ver e assistir. Acho que também me incomodaria o fato dela não dar atenção na dor da perda dos pais, eu me imagino no lugar dela e cara... Perder toda a família é pra chorar o filme inteiro por isso.
    Adorei a playlist, Say Something é a minha preferida!

    Beijocas
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá Livy! :)

    Eu li o livro e amei! Li muitas críticas também, mas isso não impediu a minha curiosidade, rs. E também sou uma manteiga derretida, meu Deus, rsrs. Chorei demais no livro, e confesso que me arrepiei ao ler a sua opinião sobre o filme. Ou seja: vou chorar MUITO no filme, posso prever, rs. Estou ansiosa para assisti-lo! Infelizmente, só veio dublado para a minha cidade, então vai ter que ser assim mesmo :/
    Adorei saber a sua opinião!

    Beijos,
    Ana M.
    www.vicioemlivros.com

    ResponderExcluir
  7. Estou louca para ver esse filme, é o tipo de filme que eu preciso ver no momento. Assim que estrear aqui na minha cidade eu vou ir correndo para o cinema! =)
    http://pactoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi tudo bom?
    Sim, eu ainda falo que todos irão chorar com esse filme. O livro não havia me animado, mas o filme me fez chorar de soluçar assim peguei amor.
    Boa resenha
    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Livy, td bem? Ha eu estou doida para assistir, eu ia semana passada pra ver em Sorocaba mas ai o carro quebrou xD
    Aqui em Itapetininga só estreou ontem, e eu estou vendo que dia vou poder ir!!
    Li o livro todo e chorei!! Acho que na verdade não foi o livro que não soube passar emoções, foi a própria protagonista que estava sem motivação perante a tudo o que lhe aconteceu. Quanto ao romance no livro o casal vivia o drama da incompatibilidade, e por isso tudo soou meio sem emoção. Ao me ver foi isso que aconteceu e que acabou decepcionando algumas pessoas.
    Estou doida para assistir!!

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Todos comentado RSR Tenho que ler e ver o filme <3
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oii Livy, tudo bom? Adorei o post, estou louca para assistir esse filme *o* Trilha sonora incrível!!!

    Convido você e suas leitoras e conhecer meu blog: Entre os Livros

    ResponderExcluir
  12. Li o livro e também senti que faltou emoção, sinceramente, a única cena que me tocou profundamente foi a que avô de Mia conversa com ela, creio que seja a mesma que você mencionou =P
    No livro também não tem muito destaque sobre a dor de ela perder os pais, Mia chega a se preocupar bastante com o irmão, acredito que por passar por vários "choques" de uma vez só, ela tem ficado anestesiada, por esse motivo não demonstrou tanta dor quanto imaginávamos.
    Eu com certeza irei chorar quando for assisti-lo, o trailer já me emocionou imagina o filme.

    Samantha Artes e Books

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Bem, não li o livro e nem sei se quero. Mas, admito, que sinto vontade de ver o filme. O fato da protagonista não dar tanta importância para o acontecimento com os pais deve me deixar um pouco aflita, mas irei assistir o filme mesmo assim.

    Adorei a dica =)
    Mariana

    http://odiariodeumacinefila.blogspot.com.br/
    http://leiturasefofuras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Ao contrário de você,eu li o livro antes. E apesar de terem mudado algumas coisas, amei os dois. Também sou uma manteiga derretida, e chorei horrores, tipo metade do filme... rs... Comecei quando os avós dela chegaram ao hospital e aí chorei mil vezes até o final - que foi alterado, mas ficou mais fofo. Realmente o romance teve muito mais destaque que a dor de perder os pais, mas confesso que não pensei nisso enquanto assistia nem por um segundo.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  15. Olááá!
    aaaah não me aguentava de curiosidade!
    quando lançou no cinema, minhas amigas deeeram tudo para trás e nao queriam ir comigo, entao pronto, resolvi ir sozinha!
    e que filme liiindo! sai do filme tããããão leve!
    mesmo tendo algumas mudanças com relação ao livro eu achei que mudaram o que precisaram, para conseguir vender o filme - e não condeno por isso.
    realmente as cenas do vovô ficaramm liiiiiindas! e acho que fez todo mundo ficar com aquele nó na garganta e os olhos marejados!
    adorei a trilha sonoraaa!
    tinha esquecido de baixar... vou procurar JÁ!

    adorei as imagens ! ficaram lindas!

    Um beeijo Lara.
    Blog Meus Mundos no Mundo | | Página Coração Furta-Cor

    ResponderExcluir
  16. Oi Livy.
    Eu espero me emocionar com o filme já que com o livro isso não aconteceu, mas pelo trailer dá sentir que será diferente com a adaptação.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  17. Ate hoje não pude ver o filme estou muito triste :(
    -G
    http://oocaderninhopreto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Eu não conhecia o livro antes de ouvir falar do filme... e pela história ser meio clichê como vc disse , provavelmente não me sentiria atraída por ela. Mas quando vi o trailer pensei que poderia ser um filme que me faria derramar algumas lágrimas...
    Sua resenha foi ótima... quem sabe eu não resolva assistir??? Bjuss

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por