[Resenha] As Presas, de Andrew Fukuda

18 fevereiro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
Série: A Caçada, Vol. 2 
ISBN: 9788580576412
Ano: 2015
Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Classificação: ♥♥♥
() Favoritado!
Com a morte pairando sobre suas cabeças, Gene e os outros humanos precisam encontrar uma forma de sobreviver na Vastidão, uma área desértica e isolada, por tempo o bastante para escaparem dos predadores sedentos de sangue que os caçam obstinadamente na noite. Conforme a tênue linha entre inimigos e aliados se torna cada vez mais indistinta, uma coisa fica absolutamente clara: se quiser sobreviver, Gene precisará confiar em alguém além dele mesmo. Andrew Fukuda oferece aos leitores uma sequência de desdobramentos tão tensos e aterrorizantes quanto o primeiro livro da trilogia.

UAU! Posso começar minha resenha dizendo que A Caçada se tornou uma das minhas séries favoritas dos últimos tempos? Posso resumir As Presas em uma palavra? Eletrizante é como eu defino este livro! Desde o fim do primeiro livro, A Caçada, eu estava super ansiosa para conferir a continuação, e minha espera foi recompensada com uma sequencia fantástica de tirar o fôlego.

Estou exultante com esta resenha, aliás, nem sei por onde começar. Quero falar de tudo, mas também não quero falar demais. Quero mostrar o quanto adoro a série, mas não sei de que forma mostrar isso para vocês, sem ser repetitiva com relação a minha resenha do primeiro livro:

Há cenas de arrepiar, cheias de sangue e adrenalina. Eu vejo o livro como um fio sendo bem esticado. A cada linha, cada passagem da trama, o fio vai se esticando e vai se esticando cada vez mais. Até que em determinado ponto ele está tão esticado que irá se romper, causando um grande estrago. A Caçada causa justamente esta impressão. A trama vai crescendo em tamanho, adrenalina e ação, até que em determinado momento tudo se rompe, e então o fluxo de acontecimentos é como uma ferida aberta, em que o sangue não para de escorrer. Pura carnificina.

Inicialmente, que fique claro aqui minha imensa satisfação ao me deparar com uma continuação tão intensa, que se iguala em qualidade ao primeiro volume. Andrew Fukuda se superou e me surpreendeu mais uma vez. 

Em 2014, quando li o primeiro volume, logo nas primeiras páginas fiquei cativa e roendo as unhas. A história segue em um crescendo de ação e tensão, até que explode em adrenalina e uma corrida por sobrevivência. É muito difícil ler algo original em se tratando de vampiros. Agora, junte distopia com os vampiros de Fukuda e temos algo original, criativo e envolvente de uma maneira incrível. Mas, para ler esta série você deve esquecer tudo o que já leu sobre estes sanguessugas, que aqui ganham o nome de noturnos. Veja a definição que dei na primeira resenha:

Além de que achei horripilante. Eles têm uma agilidade inimaginável; dormem como morcegos, pendurados nos tetos; e podem devorar um ser humano em segundos. O que achei mais terrível foi justamente este lado animalesco e descontrolado destes vampiros, e quando eles sentem o cheiro de um eper nada pode os segurar. Fukuda soube explorar muito bem o instinto caçador destes seres, assim como sua sede e motivação. Eles me lembraram bastante os vampiros do filme 30 dias de noite (em sua força, sede e maldade).

A história de As Presas começa imediatamente após o final de A Caçada, onde Gene e seus companheiros terão que sobreviver e lutar para chegar ao seu destino, segundo o Cientista queria (não entrarei em detalhes, fiquem tranquilos). O legal, é que o livro já começa com ação, onde Gene e os outros tem que lutar contra o caçadores - vampiros - que os estão perseguindo. Fukuda descreve, segundo o ponto de vista de Gene, em primeira pessoa, cenas de deixar o queixo caído. Detalhista, sanguinário, inteligente!

Pontos prateados, gotas de mercúrio, termos tão singulares, uma tentativa fútil de dar um ar inócuo ao horror, de fazer com que pareçam apenas joias. Mas são pessoas. São caçadores. Estão vindo para cravar as presas na minha carne, me destroçar, me devorar, e saborear meus órgãos.

Neste segundo volume temos todas as respostas para as dúvidas e pontas soltas que ficaram sem resposta em A Caçada. O autor nos mostra como tudo começou e o porque, e ainda mais nos mostra tudo o que está oculto e não conseguimos - nem mesmo Gene - perceber. Vou destacar aqui também a coerência e inteligência da trama. Como disse anteriormente, é muito difícil criar algo original e cativante quando tratamos de dois temas tão popularizados como vampiros e distopia, mas em minha humilde opinião Andrew Fukuda conseguiu! A coerência e originalidade com que ele conduz a trama é louvável!

Neste volume também temos um Gene mais maduro e sábio, aliás, que me conquistou de uma forma que não havia conquistado no primeiro volume. Gene está atormentado por diversas perguntas e anseios, assim como sua busca por respostas e pelo pai. A Sissy, continua nos acompanhando neste livro e, cara, como gostei desta garota! Determinada, perseverante, corajosa, leal! Fukuda criou não apenas uma ótima trama consistente, como também criou personagens extremamente cativantes e de uma importância e perspicácia inegáveis.

Em As Presas temos uma sequência inteligente e coerente, e muito satisfatória. O autor continua dando um show de narrativa, com cenas e história cheias de tensão, ação, sangue - e outros fluídos rs - e detalhismo na medida certa! Fukuda não poupa nas descrições incríveis!

As Presas, igualmente ao primeiro livro, traz uma história arrepiante de arrancar os cabelos, roer as unhas e pular do sofá. Mesclando terror, ação e sobrevivência, este livro entrega o que promete e muito mais! O final é de deixar o queijo caído e os olhos arregalados e ansiando pela continuação. Estou com as unhas no toco e apenas com alguns tufos de cabelo... quase não sobrevivi! Recomendo esta série com toda a certeza!

A caçada apenas começou. A caçada não vai terminar nunca.


Veja também:
A Caçada

Comentários via Facebook

2 Comentários:

  1. Olá Livy.
    Começo o meu comentário com a mesma palavra que você começou a sua resenha, UAU.
    Eu ainda não li o primeiro, não sei o porque. Como sempre, passo livros a frente.
    Vou aproveitar e comprar os dois. Fiquei muito envolvida pela sua resenha.
    Beijos.

    http://www.leituradelua.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Livy!
    Não conheço essa trilogia mas parece ser bem frenética né? Gostei muito da sua resenha.
    Bjoss

    http://kelenvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por