[Resenha] A Viajante do Tempo, de Diana gabaldon

25 fevereiro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788567296227
Tradução: Geni Hirata
Série: Outlander
Ano: 2014
Páginas: 800
Editora: Saída de Emergência Brasil
Classificação: ♥♥♥
Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?

Nem dá para contar nos dedos há quanto tempo estou desejando ler A Viajante do Tempo, que traz diversos elementos que gosto: viagem no tempo, drama e romance, Escócia e highlanders. Há muito tempo entre os meus livros/ séries desejados, eu nunca tinha tido a oportunidade de ler, até que a Saída de Emergência Brasil lançou o primeiro livro com uma nova e belíssima capa, que me fez decidir finalmente lê-lo. E não me arrependo! Pelo contrário, me pergunto como pude demorar tanto tempo para ler este livro fantástico e intenso, que sem dúvida alguma, é um dos melhores romances que já li.

1945. A Segunda Guerra Mundial acabou. Depois de um período exaustivo em suas vidas, Claire e Frank Randall voltam para casa, e decidem que merecem tirar umas férias e curtir uma segunda lua-de-mel. Depois de muito tempo separados, eles decidem que precisam de mais tempo juntos e partem para a cidade de Inverness, na Escócia.

Entre as pesquisas do marido atrás de seus ancestrais, e alguns mitos e lendas locais envolvendo bruxaria, Claire passa algum tempo sozinha circulando pelos arredores e acaba presenciando um ritual em um antigo círculo de pedras por mulheres locais. Depois, ela acaba achando uma fenda em uma das pedras do círculo, e em meio a estranhos zumbidos e sensações, misteriosamente, acaba sendo transportada para a mesma Escócia, mas a mais de 200 anos atrás. Agora, Claire está na Escócia de 1745, e se vê perdida em meio a uma terra selvagem dominada por clãs, guerra e sangue. Escapando do terrível capitão Randall, que a sobrepuja, e desesperada para entender o que está acontecendo, Claire encontra um destes clãs, e sua vida começa a ficar mais complicada do que poderia estar até o momento.

É o clã Mackenzie, um poderoso clã local, e o jovem Jamie Fraser - do qual ela cuida de um ferimento grave. Sendo acolhida, sob vigilância no castelo do clã, Claire vai exercer seus conhecimentos de enfermagem, e vai se envolver cada vez mais na vida destas pessoas que ele mal conhece. Aos poucos, o jovem e carismático Jamie se torna um amigo e com o tempo ganha seu afeto. Não só isso, mas por incríveis jogadas do destino, Claire e Jamie acabam se envolvendo em uma teia imensa de intrigas, e acabam também se entregando à paixão, que se torna um avassalador amor. Claire, luta dia após dia com sua consciência, entre ser fiel ao seu "futuro" e seu marido ou se entregar ao "presente" e à Jamie e seu amor.

Diana Gabaldon me deixou de queixo caído. Fiquei impressionada com a qualidade de sua história, que além de muito bem narrada é muito bem construída e elaborada. A narrativa de Gabaldon é um show à parte, e fiquei encantada com o desenvolvimento e precisão com que conduziu a trama, mesmo que não tenha gostado exatamente de tudo, e mesmo que tenha me irritado com algumas coisas.

Gabaldon conquista pela narrativa detalhista e bem fundamentada, que com certeza foi fruto de muito estudo e pesquisa histórica para construir algo tão intenso e perfeito em descrições. Sua história é rica em detalhes, tanto históricos quanto "visuais", e é possível, além de adentrar perfeitamente na Escócia de 1745, sentir tudo o que ela nos proporciona com ricas descrições. Cada detalhe é tão intenso que é possível sentir os cheiros, os sabores, as sensações que a história desperta. Uma experiência incrível!

Mas, tudo tem seu porém, e acho que em alguns momentos a autora se estendeu demais. Veja bem, não que isto seja algo ruim, mas teve momentos de sua narrativa que poderiam ter sido suprimidos e não iriam alterar o sentido e continuidade da trama. São estes momentos que tornam algumas passagens do livro um pouco cansativas e monótonas, e que faziam a leitura se arrastar mais do que queria. Mas, isso atrapalha o desenvolvimento ou leitura? Não! Não atrapalha, a meu ver só enriquece ainda mais a história, mesmo que tenha sido um tanto extenso. E, mesmo com suas 800 páginas, A Viajante do Tempo não é, nem de longe, uma leitura chata ou sofrível. Para mim foi impossível largar o livro até que li a última frase e última palavra. Isso se deve pela ótima história e pelo carisma dos personagens, que me envolveram até o final.

O fato de Claire ser madura, decidida, forte e firme, e enfrentar de frente todos os perigos e riscos de uma época que nem conhece, me conquistaram logo de cara. Jamie, foi me conquistando aos poucos, e mesmo me irritando muito em algumas passagens do livro, me ganhou com seu coração de ouro, sua personalidade forte, determinada, encantadora, e em muitos momentos, romântica. Sim, me fez suspirar também. Mas uma coisa interessante é que o romance de Claire e Jamie não se desenvolve logo de cara, do tipo: "meu Deus, como este homem é lindo e másculo, como preciso dele" e vice-versa. Não, se desenvolve lentamente, com muitas jogadas do destino e muitas lutas, contratempos e fugas.

A Viajante do Tempo não é um livro frufuzinho, daqueles que escorrem açúcar e mel. Então se é isso que você procura ao lê-lo, não se engane. Aqui, a história é muito mais brutal e real. As cenas e acontecimentos são fortes e intensos, assim como o romance de Claire e Jamie, as cenas de batalha e de fugas, e o desenvolvimento de outros personagens. Tudo é muito intenso e cruel, sangrento e brutal. E eu adorei isso! Ao longo do livro tem cenas fantásticas de tirar o fôlego. Uma das minhas cenas preferidas envolve a Claire e uma matilha de lobos.

Mas, como tudo pode ficar ainda pior, este lado cruel e brutal fica ainda mais evidente quando o nojento e asqueroso Jonathan Randall, ou simplesmente Randall, entra em cena. Ao longo de todo o livro este verme faz e acontece! Como eu o odeio, e se não estou enganada, não me lembro de quando senti tanto ódio por um personagem em um livro. Não dá nem para chamá-lo de homem, pois é um verdadeiro monstro. Todas as coisas que ele faz... Ai, que raiva! Se eu pudesse, eu entraria no livro e o matava com minhas próprias mãos. É, minha gente, o negócio é feio a este ponto!

Aliás, terminei o livro com um misto de revolta, raiva, choro e sorriso. Senti tanta coisa nos últimos capítulos do livro que não sei nem como explicar. Foi um final tão impactante e... e... e nem tenho palavras para descrever. Meu coração foi partido umas cem vezes!

A Viajante do Tempo, apesar de alguns altos e baixos, me proporcionou uma leitura intensa e impressionante que me marcou muito! Com certeza foi uma excelente surpresa literária, e está entre uma de minhas melhores leituras dos últimos anos!

Comentários via Facebook

8 Comentários:

  1. Oláááá!
    Amei seu blog, não tem outra palavra para definir.
    Sou amante de livros desde os meus 6 anos de idade, quando aprendi a ler, e não parei desde então. Estou sempre atrás de uma nova aventura, romance, suspense que me tire um pouco do mundo real. Parabéns pelo seu trabalho, que de longe percebe-se que é feito com muito amor. Boa sorte e sucesso.

    ResponderExcluir
  2. Deu super vontade de ler o livro e fazer uma resenha tbm para o blog.. Adorei!

    ResponderExcluir
  3. Planejei para assistir à série, mas acho que tenho primeiro que conferir os livros... A sua resenha me deixou empolgada para ler, sendo que eu não tinha lido muitas opiniões positivas.

    Beijos! || ape56.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oii, eu quero muito ler os livros dessa serie!!Eles são muito grossos!!
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Nossa Livy, que livro incrível.
    Parece clichê, mas fiquei até sem palavras.
    Fiquei sem palavras para comentar também, gosto de livros que me toque, e que me façam sentir um misto de sentimentos.
    Eu sinceramente, me encantei por ele.
    Vou procurar. rs
    Beijos.

    http://www.leituradelua.com

    ResponderExcluir
  6. Ai, a sinopse do livro é maravilhosa. Mas vou dizer que nem consegui terminá-lo :x Me decepcionei... Achei que a autora levou tudo para um lado muito menos interessante do que podia ter sido. Mas pelo menos você gostou! Acho interessante como livros podem provocar reações tão diferentes... beijos, Jú
    docurailusoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Caramba!!! Não imaginava que esse livro tinha tudo isso!!!
    Adorei. E já adicionei na minha lista hahah...
    Amo esse tipo livro, e estou muito ansiosa para comprar e lê-lo.
    Ótima resenha Livy! <3

    Beijos!
    http://umacertajovem.com/

    ResponderExcluir
  8. Oiiii!
    Por coincidência terminei de ler o livro ontem, e realmente, é encantador, apaixonante e nos faz desejar ter todo o tempo do mundo apenas para devorar a história e quando você termina de quer ler a continuação e eu estou doida para fazer isso!
    Hoje resolvi buscar blogs de leitura e encontrei esse (estou adorando: reúne o que eu mais gosto: livros, filmes e séries!) e também encontrei a resenha do livro que eu acabei de ler!
    Se você puder, gostaria que postasse a resenha e a sua opinião sobre os outros livros da série.
    vou apenas fazer uma correção no que você escreveu: Claire descobre o círculo de pedras por causa de um senhor que a leva para ver as plantas da Escócia e lhe mostra o local. Ela diz a seu marido que gostaria de levá-lo até lá, coincidentemente, Frank faz uma visita ao vigário, que conta a ele sobre um ritual realizado por bruxas da cidade. Assim, eles vão juntos presenciá-lo, e com o desenvolver dos acontecimentos, os dois saem às pressas do lugar. Claire volta sozinha no dia seguinte, quando acontece o resto.
    Vale a pena ler o livro com certeza!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por