[Resenha] Voos e Sinos e Misteriosos Destinos, de Emma Trevayne

12 fevereiro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788565765435
Tradução: Álvaro Hattnher
Ano: 2014
Páginas: 312
Editora: Seguinte
Classificação: ♥♥♥
Nesta fábula moderna, com gosto das aventuras clássicas que encantam os jovens leitores há tantos anos, conhecemos a história de Jack Foster, um garoto de dez anos que, como qualquer um da sua idade, sonhava viver grandes aventuras. Ele morava em Londres mas estudava em um colégio interno, voltando para casa apenas nas férias, quando ficava completamente entediado. Mas, um certo dia, Jack atravessa uma porta mágica e, do outro lado, encontra uma cidade ao mesmo tempo muito parecida e muito diferente daquela que conhecia. Em Londinium, apesar de reconhecer as ruas e prédios, ele encontra um cenário steampunk, com engrenagens e fuligem por todos os lados. Por ali era raro encontrar alguém que não tivesse nenhuma parte do corpo feita de metal. E era justamente isso que a Senhora - uma mulher rígida e temperamental que governava a cidade desde sempre - buscava: um filho de carne e osso. Jack logo descobre que aquele lugar era extremamente perigoso, e que voltar para casa não seria tão fácil quanto tinha sido chegar até ali...

Voos e Sinos e Misteriosos Destinos
me atraiu imediatamente pelo lindo título rimado, pela belíssima edição e capa, e por seu mote. Steampunk sempre me atraem, e com uma premissa tão interessante eu fiquei super curiosa para conferir. Mas, apesar de no geral ter curtido o livro, ao ler as primeiras páginas desta história, devo confessar que não me entusiasmei muito, principalmente por não conseguir simpatizar com o personagem principal.

Londres, 1899. Jack Foster, um garoto de 10 anos, um típico "pobre menino rico", é mantido no internato a maior parte do ano e passa somente as férias em casa. O que não quer dizer muito, pois seus pais o mantem à distância a maior parte do tempo, com apenas os empregados a lhe fazer companhia. Como aparentemente não possui nenhuma amizade próxima, o garoto se diverte apenas em desmontar qualquer coisa mecânica, assim como remontá-las depois e com seus soldadinhos de chumbo. Não, nada de outras distrações para o garoto, apenas sua imaginação e sua chatice característica o impulsionam no dia a dia. Ah, mas é claro que teria que surgir algo para atrair a atenção da mente entediada de Jack, e a novidade é um misterioso "mago" que anda participando das reuniões que sua mãe realiza em casa, e das quais o menino é proibido de se aproximar.

O estranho homem seduz sua tola mãe, assim como seus convidados, com promessas de contatos com o além, assim como com truques que encantam não só os adultos, como o sedento Jack que anseia por aventuras e se pega ansioso para aprender aquelas maravilhas com aquele homem. Jack não perde a oportunidade de seguí-lo quando, num passeio, por acaso, avista o "mago" em apressado passo a caminho da torre do Big Ben. Apenas um descuido da governanta que o acompanha, e Jack acaba por ir atrás do homem e ao fazer isto acaba por adentrar numa estranha aventura, que o leva a um mundo paralelo, onde encontrará uma cópia quase fiel de sua Londres: ali é Londinium. Onde as pessoas são parte carne e parte mecânicas, e com problemas respiratórios - sequelas causadas pelo pesado e sujo ar que poderia ser cortado com uma faca de tão denso -, ali ele é uma verdadeira aberração por ser carne e osso. Até aí ainda não havia apreciado nenhum personagem, mas a trama já ganhava mais corpo e já me deixava curiosa pelos caminhos que tomaria a seguir.

Ao tomar consciência da real situação que se encontra, o garoto primeiro se desespera e depois se empolga com as perspectivas de sua aventura. Daí em diante conhecerá algumas pessoas que serão de muita ajuda em sua jornada, como também saberá mais sobre Lorcan, o malvado "mago", que na verdade sempre o quisera ali em Londinium, para que pudesse ser entregue como "filho" à Senhora que a governa, uma mulher temperamental e muito poderosa. Num mundo em que existem dragões e fadas mecânicos, assim como outros seres e pessoas tão diferentes do que o garoto está acostumado, mimado, amado e paparicado pela sua "nova mãe", Jack se perde no meio de tantas novidades e oportunidades. Mas chegará um dia em que ele se pergunta: "Será que meu antigo lar era tão ruim assim?".

Como disse antes, eu não consegui sentir empatia por Jack, apesar de alguma melhora no personagem mais para o final do livro, que me permitiu que eu o terminasse senão "gostando" dele, mas pelo menos numa boa trégua de sentimentos. Também não consegui me conectar logo de início com a trama e com Jack, demorei um pouco para "entrar no clima". Sentia que faltava algo mais para que curtisse mais a leitura. Mas nem por isso o livro foi ruim, pelo contrário, ele tem muitos lados positivos.

Os personagens que a autora criou que realmente me conquistaram foram Beth, uma garota totalmente mecânica, que fala e se movimenta graças a uma chave de corda, e criada pelo bom Dr. Cataplasma, um médico muito especial, responsável pela criação das partes mecânicas que as pessoas precisam para viverem melhor naquela cidade. Sua mais sublime criação, que considera como uma filha, é a Beth. Tem também o bom amigo do Dr. chamado Xeno, que é responsável pela parte, digamos, etérea ou mágica das criações do Dr., afinal elas precisam de uma real pitada de "vida" para serem mais do que apenas metal que anda. Ele é responsável por dar alma às criações do doutor. Também não posso deixar de mencionar Arabella, a criada principal da Senhora, que traz equilíbrio à convivência dela com Jack.

Todos estes adoráveis personagens me conquistaram. Um aparece mais do que outros, mas todos eles são amigos para qualquer momento e ajudam muito Jack no decorrer de sua jornada neste história. A mim ajudaram a curtir melhor este estranho lugar, a ver mais do que se mostra, e tornaram a história muito mais tocante, interessante, e com mais vida.


Há no livro algumas ilustrações feitas num jogo de luz e sombras que, como a própria autora comenta, ajuda a mostrar o que ela imaginava ao escrever a história e que podem ajudar o leitor a visualizar melhor alguns momentos.

Achei os capítulos finais do livro bons e repletos de emoção e aventura. A história melhora muito e a participação final dos meus personagens favoritos é muito boa e emocionante. Jack amadurece, o que torna tudo bem mais aceitável para mim. É claro que ele escorrega de vez em quando, mas ele é apenas humano e um garoto, ainda tem muito o que apreender, apesar de que já teve um bom começo, com sua aventura inesperada. Foi muito bom ver alguns fiapos de maturidade entrar pelos ossos do personagem, assim como mais bom senso e algumas pitadas de humildade (às vezes).

Também em questão de steampunk o livro dá um show. Eu adorei o modo como a autora construiu seu mundo e como abordou o assunto no livro. Seu modo peculia, em certos momentos, de contar sua história foi para mim outro ponto forte do livro, pois Emma Trevayne conseguiu criar o clima perfeito para sua trama, com una narrativa tão singular quanto o mundo criado por ela. Muito inteligente.

Voos e Sinos e Misteriosos Destinos é um livro interessante, e para quem gosta de leituras juvenis e/ou steampunk, este livro é uma ótima dica. Apesar de alguns pormenores - como minha falta de empatia com Jack e estranheza com seu egoísmo e sua falta de emoção. Achei-o sem carisma. -, me garantiu uma boa leitura, leve e agradável.

Comentários via Facebook

5 Comentários:

  1. Ah ótima resenha, estou bem ansioso para fazer a leitura, além de eu achar essa capa muito linda. Também achei bem bacana as ilustrações para o leitor visualizar melhor a história

    http://criativosounao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. amei sua resenha !! como vc falou o título rimado do livro ja chama bastante atenção...
    bookmoda123.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da sua resenha e achei interessante o livro, principalmente as ilustrações.

    http://lovelyplacee.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Livy,
    Achei a arte do livro totalmente encantadora, pena que o personagem não cativa de igual maneira, mesmo assim espero poder conferir um dia, gostei da sua resenha. Creio que o título cativa realmente por sua rima. Beijos Elis!!!

    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. OiOi Livy!
    Acho a capa desse livro linda e o enredo me atrai, contudo o fato de você achar que o personagem não cativa já é uma prerrogativa para que minha curiosidade diminua um pouco.
    Vou esperar um momento literário mais adequado para fazer a leitura.
    Amei tua resenha, acho que tu foi bastante clara e verdadeira, parabéns!

    Beijocas ;*
    @pirulitolimao | http://agarotadalivrariia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por