[Resenha] Pines, de Blake Crough

07 maio 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 978-85-422-0493-3
Tradução: Monique D'Orazio
Ano: 2015
Páginas: 342
Editora: Planeta
Classificação: ♥♥♥ 
O agente secreto americano Ethan Burke chega à aparentemente pacata cidade de Wayward Pines, em Idaho, Estados Unidos, com a missão de descobrir o que ocorreu com dois de seus colegas, que sumiram sem deixar rastro. Mas, ao chegar, Burke se envolve em um violento acidente de carro e acorda, dias depois, em um hospital da cidade sem sua carteira, seu celular e a pasta que continha os papéis secretos que o levaram até a região. Sem nenhum documento que con rme sua identidade, o agente não convence os moradores da cidade de que é quem diz ser. Para piorar a situação, ele não consegue contatar sua mulher e filho. Rapidamente, Burke percebe que nem tudo é o que parece ser em Wayward Pines e que o cenário bucólico do lugar esconde algo sinistro.

Blake Crouch é um autor estadunidense nascido em 1978, em Piedmont de Stateville, na Carolina do Norte. Formou-se em língua inglesa e escrita criativa pela Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill. Atualmente vive no Colorado com sua família. Tornou-se autor de sucesso mundial com a publicação de mais de 10 livros, todos, a exceção de Pines, ainda inéditos no Brasil; thrillers de suspense e mistério: Snow Bound; Abandon; Run; Desert Place; Loocked Doors; Stirred; Errie -alguns deles em parceria com outros autores. Porém, seu maior sucesso de vendas, atingindo mais de 1 milhão de exemplares, é a trilogia Pines. O sucesso de Pines é tão grande que já virou seriado pela Fox, com estreia prevista para este mês de maio (mais precisamente dia 14), tendo Matt Dillon no papel principal como Ethan Burke.

A Editora Planeta está de parabéns por esse lançamento. A capa do livro é inspiradora, para não dizer apavorante. O livro está bem editado e com um layout que facilita a leitura, que, aliás, é extremamente viciante.

Pines, o primeiro livro da trilogia, seguido por Wayward e The Last Town, é um thriller de suspense e mistério de tirar o fôlego. A narrativa de Blake Crouch é intensa, precisa e eficiente como um bisturi, e empolgante. Quando se começa a ler o livro, a última coisa que você quer é parar de ler. E mesmo lá, na última página, no último parágrafo e na última linha, você quer continuar lendo. E saber que a história continua em outros dois volumes, só torna o desejo de ler ainda mais compulsivo.

Sem carteira. Sem clipe com dinheiro. Sem identidade. Sem chaves. Sem celular. Apenas um pequeno canivete suíço em um dos bolsos internos.

Ethan Blake é o personagem principal da trama. Ele recobra a consciência em uma cidadezinha do interior dos Estados Unidos, cercada por altas montanhas e florestas, com não mais do que seiscentos habitantes. Gradativamente ele vai se recordando de quem é e o que está fazendo na cidade. Ele é um agente do serviço secreto que, juntamente com um parceiro, estavam em Pine para localizar dois outros colegas de serviço desaparecidos no cumprimento do dever. Acontece que, ao chegar em Wayward Pines, ele e o colega sofrem um violento acidente de carro. Seu colega desaparece, sem deixar vestígios, e Ethan, meio desmemoriado, está tentando entender o que aconteceu com ele e o amigo.

Assim começa o drama vivido por Ethan Burke em Wayward Pines. Ele tenta encontrar os amigos desaparecidos, o colega sumido que viera com ele, e, ao mesmo tempo, entrar em contato com seus superiores e sua esposa. A medida em que ele se vê cada vez mais enrodilhado na vida pacata, bucólica e quase edílica de Pines, sua ansiedade por respostas vai sedendo lugar ao desespero e à angústia de não conseguir sair da cidade.

Por que abandonar o que parecia ser a total e completa perfeição? O suprassumo da cultura típica americana, rodeado de algumas das belezas naturais mais notáveis em que Ethan já havia posto os olhos. Vira fotos de Wayward Pines na noite anterior a deixar Seatle, mas nenhuma delas sequer chegava perto de fazer justiça àquele pequeno vale.

Pines também conta com uma dezena de outros personagens bem caracterizados com o clima perfeito de suspense e mistério. Entre eles, destaco o xerife Pope, o doutor Jenkins, o misterioso e sombrio Sr. Pilcher, a igualmente misteriosa Beverly, a enfermeira Pamela, e a esposa Theresa.

Quando Ethan Burkes começa a compreender o que está se passando com ele, e com as pessoas ao redor, a única coisa que deseja fazer é sair da cidade para rever a mulher e o filho, retomar a normalidade de sua vida cotidiana. Mas algumas pessoas em Pine não pensam assim. O que Pines esconde nas suas entranhas deve permanecer oculta bem fundo, onde está.

- É com essa cidade que há algo errado.
Pam esticou o pé na porta do elevador, impedindo-a de fechar.
- Ethan. Por favor. Você não está pensando com clareza.
- Tire seu pé.
- Estou preocupada com você. Todo mundo está.

Pines é um delicioso thriller de mistério com muito, muito suspense do começo ao fim. E o final é a cereja no topo do bolo, para o qual Blake Cruch guardou o que há de melhor em sua ficção. E foi aí que eu perdi o meu fôlego, nas últimas quarenta páginas. Surpreendentes. Violência, terror e um alto nível de adrenalina. Dramático.

Com ritmo tenso, sombrio e misterioso, Blake me fez recordar filmes como Silent Hill, O Sacrifício, A Vila, Arquivo X. Além, é claro, da série televisiva Twin Peakes, que aqui no Brasil recebeu o título de: Quem matou Laura Palmer? A série foi exibida na década de 1990, e ainda hoje é considerada uma das melhores séries do gênero. Na ocasião, aos doze anos, Black empolgou-se tanto pelo clima de suspense e mistério da série criada por David Lynch, que se deixou influenciar pela série, moldando aí toda a sua carreira como autor. E deu no que deu, outro sucesso: Pines.

Mas não pensem que Blake Cruch fez por menos, ou que ele, simplesmente, repetiu a dose de antigas fórmulas. O que eu encontrei neste livro foi uma história  original e com um final inusitado. E o mais interessante de tudo, o mistério por trás de Pines, de Wayward Pines, poderia, um dia, vir a tornar-se realidade. Seria mesmo possível? Talvez Blake Cruch tenha a resposta, e para sabermos, temos que aguardar os próximos livros da série.

Não há tempo para planejar. Apenas reaja.

Pines é uma leitura obrigatória para quem ama livros de suspense, mistério e curte um thriller de tirar o fôlego, daqueles que você quer ler de uma tacada só, e depois ler outra vez. Eu curti muito e recomendo, e aguardo ansiosamente pela continuação!

Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. Olá, Livy,
    Adorei o enredo, realmente deve ser um livro que te prende do inicio ao fim.
    Vou procurar, com toda certeza.
    Beijos.

    http://www.leituradelua.com

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por