[Resenha] Twist, de Tom Grass

23 dezembro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788522030705
Tradução: Mariana Kohnert
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 288
Editora: Agir Now
Classificação: ♥♥♥♥ 
Como seria a vida de Oliver Twist se ele fosse um menino órfão em pleno século XXI? Recém-fugido de uma instituição para jovens criminosos aos 18 anos, Oliver é apaixonado por arte. Dotado de uma memória incrível, passa seus dias recriando de cabeça quadros famosos nos muros de Londres enquanto sonha em estudar artes plásticas. Porém, seus talentos chamam a atenção de Fagin e sua gangue de ladrões, que possuem outros planos para Twist… 

Twist, editado aqui no Brasil pela Editora Agir Now, é uma espécie de “releitura” moderna do clássico Oliver Twist, de Charles Dickens (1837-1839). De fato, Dickens é um dos grandes nomes da literatura inglesa da Era Vitoriana. No século XIX, os livros de Dickens eram aguardados com grande expectativa e lidos avidamente, por causa do seu estilo poético, de crítica social crivado de censuras (hoje considerada por alguns como sentimentalista e melodramática), e por suas personagens possuíam um caráter forte e marcante. Em Oliver Twist, Dickens nos fala da delinquência do proletariado da época, da orfandade, onde acompanhamos o jovem Oliver em suas aventuras e desventuras em uma sociedade preconceituosa, racista e brutal, em plena Era Industrial. O livro de Dickens rendeu vários filmes e refilmagens no cinema

Tom Grass, em seu primeiro livro, nos traz em Twist o jovem Oliver Twist, órfão, com 18 anos, sem dinheiro, sem eira nem beira, correndo da polícia para manter-se livre. Na fuga, Oliver encontra Dodge que o apresenta a Cornellus Fagin, um bandido colecionar de artes. Ali em conhece Red, uma garota deslumbrante que o enfeitiça logo de cara. A medida que Oliver se enfronha cada vez mais na gangue de Fagin, mais as coisas vão ficando complicadas para o lado dele, na mesma proporção em que cresce a sua paixão por Red.

Tom Grass não somente faz uma releitura do jovem Oliver Twist, sempre metido em confusões, mas refaz todos as personagens do clássico de Dickens, emprestando-lhes um toque bem peculiar, próprio de sua escrita. A narrativa de Grass é convincente, fluente, atrativa e de fácil entendimento, apesar de um pouco arrastada, o que faz com que a história demore um pouco para engrenar. A descrição dos locais, das personagens e das situações vivenciadas é competente e detalhada sem pedantismo ou exageros.

Oliver Twist de Tom Grass pode não vir a fazer o mesmo sucesso que o Oliver Twist de Charles Dickens, mas é uma releitura bem original, gostosa de ler, com bons momentos de aventura, reflexões, reviravoltas mirabolantes e situações até engraçadas em alguns momentos, inteligente e emocionante, que agradará a todas as idades. Há elementos muito interessantes também como o le parkour e grafite, que contribuem para dar ainda mais personalidade à nova roupagem da história de Oliver Twist. Os personagens são muito carismáticos, principalmente Oliver, e é impossível não torcer por este rapaz de boa índole, astuto, que enfrenta todas as dificuldades com muita criatividade.

Seja como for, se você nunca leu Oliver Twist de Charles Dickens, não precisa se preocupar, Twist lhe dará essa oportunidade, transportando o clássico de há 150 anos para você ter esse gostinho de ler um clássico com um formato moderno.


Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. Oi Livy, tudo bem?
    Gostei da dica! Não conhecia nem o Oliver Twist original, nem a releitura moderna.
    Feliz Natal!
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por