[Resenha] Insônia, de J. R. Johansson

31 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576837176
Série: Sonâmbulos, vol. 1
Tradução: Frank de Oliveira e Júlio Monteiro de Oliveira
Ano de Lançamento: 2014
Número de Páginas: 344
Editora: Vergara & Riba
Classificação: ♥♥♥♥ 
Depois de quatro anos de insônia, Parker Chip não aguenta mais nada. Toda noite, em vez de dormir ele entra no sonho da pessoa que ele olhou nos olhos por último. Se ele não dormir logo Parker morrerá. É quando ele conhece Mia. Seus sonhos são calmos e maravilhosamente descomplicados, e permitem a ele um descanso feliz e altamente viciante. Mas o que começa com um encontro se transforma em obsessão. O desejo furioso de Parker pelo que ele precisa o pressiona ao extremo que ele jamais pensou alcançar. Quando alguém começa aterrorizar Mia com ameaças de morte, a memória de Parker apaga o levando a duvidar de sua própria inocência.  

Insônia é o primeiro livro da série Sonâmbulos lançado em 2014, uma trilogia que já conta com outros dois livros já editados nos Estados Unidos: Paranoia (2014) e Mania (2015). A autora também publicou, neste ano, o livro Cut Me Free, um thriller juvenil num misto de drama e suspense.

Insônia e Paranoia já foram editados no Brasil pela Editora Vergara & Riba. A autora, em seu site pessoal, classifica sua série Sonâmbulos como um "thriller sobrenatural psicológico juvenil", já traduzido para vários países em cinco línguas diferentes.

Sem dúvida alguma Insônia é um thriller juvenil de suspense psicológico, com um toque bem sutil de sobrenatural. Pois, o que ocorre com Parker Chipp no livro é inexplicável. Poderia ser um problema de distúrbio do sono, como acomete muita gente que não consegue dormir direito, se não fosse o fato de que Parker, um adolescente de 16 anos, passar suas noites vagando tal qual uma alma penada no sonho de outras pessoas.

Comentários via Facebook

[Resenha] Joyland, de Stephen King

29 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788581052984
Tradução: Regiane Winarski
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 240
Editora: Suma de Letras
Classificação: ♥♥♥♥ 
Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

Joyland foi editado pela HCC, Hard Case Crime, que é uma marca norte-americana criada para publicações de livros policiais no estilo de romances noir das décadas de 1940-1950. Nessa série de livros, que já conta com mais de cem livros publicados desde 2004, entre novas edições e relançamentos, Stephen King figura com dois livros: The Colorado Kid (2005) e Joyland (2013).

Segundo Setphen King menciona, em uma entrevista concedida ao programa Fresh Air da Rádio Pública Nacional (RPN), a ideia de escrever Joyland surgiu quando ele viu um garoto em uma cadeira de rodas empinando a imagem de Jesus estampada numa pipa, em uma praia, cerca de vinte anos antes do lançamento do livro.

Quanto ao parque de diversões, segundo o autor, Joyland foi inspirado em um parque que existe em Salem, em New Hampshire. Por conta disso, alguns fãs e críticos do autor alegam que a sua ambientação de parque de diversão para Joyland não é fidedigna; ou seja, a forma como um parque de diversões funciona não está descrita corretamente no livro. A isso o King responde na "Nota do Autor", à página 239 do livro: “Pessoal, é por isso que se chama ficção.”

Comentários via Facebook

A linda arte em aquarela de Ashiya

27 julho 2015
Postado por Livy


Olá, pessoal! Hoje vim falar de arte com vocês. Mais uma vez vim mostrar um dos talentos que achei pelas minhas caçadas no Instagram. A arte da vez é da Ashiya, uma ilustradora e designer de 25 anos que utiliza da aquarela para fazer pinturas lindas com inspirações orientais e até em grupos de k-pop que ela adora. 

Infelizmente não achei muitas informações sobre ela, mas achei sua página no DeviantArt com uma breve apresentação: "Olá a todos! Eu sou viciada em k-pop, especialmente em Vixx , Infinite, Beast, B.A.P e Super Junior, então eu faço um monte de fanarts, mas tenho personagens originais também. Planejo desenhar histórias sobre eles no futuro. Eu espero que você vai amá-los como eu amo ~ Agora eu vivo na Rússia e você pode falar livremente inglês, russo ou coreano comigo. Eu nasci em 1990. Eu gosto de desenhar, ouvir música, assistir filmes, dançar e ler." 

Eu estou simplesmente apaixonada por sua arte! São pinturas lindas, com cores suaves e muito bem harmonizadas. Os traços são lindos e delicados! Uma das coisas que mais gostei é justamente os traços orientais que ela traz para sua arte (como adoro tudo relacionado à isso, então foi amor à primeira vista). ❤ E agora chegou a parte boa, conhecer o trabalho da Ashiya. Veja como sua arte em aquarela é linda:

Comentários via Facebook

[Resenha] Doce Relíquia Mortal, de Nora Roberts & J.D. Robb

26 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788580413779
Série: Mortal, vol. 20
Tradução: Renato Motta
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 532
Editora: Bertrand Brasil
Classificação: ♥♥♥♥ 
Laine Tavish é a conhecida dona da Doce Relíquia, uma encantadora loja de antiguidades. Seus clientes, no entanto, nem imaginam que ela é filha de um trapaceiro conhecido pela polícia e que cresceu como uma fora da lei, sempre se mudando de cidade. Mas o passado de Laine acaba por alcançá-la. Seu tio há muitos anos desaparecido visita a Doce Relíquia e deixa um misterioso alerta antes de morrer atropelado por um carro. Logo em seguida, a casa de Laine é saqueada. Agora, as respostas sobre quem a persegue – e por quê – precisam ser encontradas por ela e pelo enigmático e atraente Max Gannon. E uma fortuna em diamantes roubados e desaparecidos faz parte desse mistério. Décadas depois, na Nova York do ano 2059, uma boa parte do velho tesouro que Laine e Max tanto buscaram continua sumida. Mas agora há mais alguém à procura dos diamantes; uma pessoa disposta a matar por eles.

Nora Roberts é uma autora estadunidense de renome internacional, com cerca de 200 romances editados em diversas línguas ao redor do mundo. Nora nasceu Eleanor Marie Robertson, em 1950, na cidade de Silver Spring, no estado de Maryland, Estados Unidos. Ela também adotou o pseudônimo de J. D. Robb na série Mortal, a qual é composta por mais de vinte livros já publicados, inclusive pela Bertrand Brasil. Nora também assina pela pseudônimos de Jill March e Sarah Hardesty, com obras publicadas no Reino Unido, Inglaterra. Ela começou a escrever em 1979, para matar o tempo, mas só dois anos depois, em 1981, que ela conseguiu publicar seu primeiro romance: Irish Thoroughbred, com o pseudônimo de Nora Roberts. Posteriormente, Nora publicou 23 livros entre os anos de 1982 e 1984, porém o sucesso só viriam em 1985 com a publicação de Playing the Odds, da série McGregor. E a partir daí o sucesso de Nora Roberts nunca mais parou.

Atualmente a série Mortal conta com 50 livros já publicados nos Estados Unidos. A série foi iniciada em 1995, com o lançamento de Naked in Death. O quinquagésimo livro editado neste ano é Obssession in Death. Remember When, ou Doce Relíquia, argumento desta resenha, é o vigésimo livro da série Mortal publicado em 2003. E acreditem, é o primeiro livro que leio da Nora. E minha impressão, de forma geral, foi positiva.

Comentários via Facebook

[Resenha] O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs

24 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788580442670
Série: Srta. Peregrine, vol. 1
Tradução: Edmundo Barreiro e Márcia Blasques
Ano de Lançamento: 2012
Número de Páginas: 336
Editora: Leya
Classificação: ♥♥♥♥ 
Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas. 

“Eu tinha acabado de aceitar que minha vida seria apenas comum quando coisas extraordinárias começaram a acontecer comigo.” – Prólogo. 

A primeira coisa que me atraiu nesse livro foi a belíssima arte gráfica e seu estilo de livro antigo. A capa e a contracapa, em tom sépia, tem um toque sobrenatural que remete aos filmes de terror sobre construções assombradas, lugarejos onde se ocultam antigos e sinistros segredos de família, e filmes noir de mistério e terror dos anos 1950. Adorei também as páginas com arabescos iniciando os capítulos e as fotografias em preto e branco ilustrando situações narradas no livro, colocadas em pontos estratégicos pelo autor para aguçar a nossa curiosidade, ou provocar aquela sensação de desconforto que antecede um momento de susto. Segundo o autor, as fotos são reais, emprestadas de amigos colecionadores de fotografias antigas. Simplesmente, maravilhoso. Só por esses aspectos, o livro merece ser lido.



Ransom Riggs nasceu na Flórida, Estados Unidos, e formou-se em cinema e TV pela Universidade do Sul da Califórnia, onde vive atualmente. Como cineasta, realizou vários curtas-metragens; nas horas vagas, é blogueiro e repórter especializado em viagens. Seu primeiro romance, O Orfanado da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, tornou-se rapidamente um sucesso de público e crítica.

Comentários via Facebook

365 dias de inspirações filosóficas

23 julho 2015
Postado por Livy


365 dias de inspirações filosóficas é um calendário definitivo com mensagens motivacionais para cada dia do ano, o autor o levará a refletir sobre os mais diversos aspectos da vida, da felicidade e do amor. Uma breve frase por dia fará você se sentir disposto a ir em busca de seus sonhos e realizá-los!

Se tem uma coisa que eu adoro são frases e textos para se refletir, inspirar, acalmar, ganhar força, etc. E hoje vim trazer uma dica bem legal para quem gosta também. É o calendário 365 dias de inspirações filosóficas, por Gabriel Chalita. Esta é uma ótima opção para se presentear alguém, e claro, a si mesmo. 


Uma das coisas mais legais neste calendário é que ele pode ser usado em qualquer ano, pois, apesar de ter datas e meses, não são datas específicas. Ou seja, você seleciona o mês em que está, e vai mudando as páginas conforme os dias vão passando. Cada dia traz uma nova e bela mensagem. Algumas são inspiradoras, outras dão um puxão de orelha, outras fazem refletir, outras confortam, outras inspiram sonhos e felicidade. Algumas falam de amor, outras do passado e da infância, outras são poéticas. Eu sempre viro as folhinhas logo que levanto pela manhã e leio a frase, algo que traz um pouquinho de conforto todo dia.

Comentários via Facebook

[Resenha] Uma Saga na Toscana, de Belinda Alexandra

22 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788539507948
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 472
Editora: Fundamento 
Classificação: ♥♥♥ 
Florença, 1914. Um homem misterioso deixa uma criança recém-nascida aos cuidados das irmãs do convento de Santo Spirito. Uma pequena chave prateada escondida em suas vestes é a única pista sobre sua identidade. Quinze anos mais tarde, a vida da órfã Rosa Bellochi está prestes a mudar. A jovem precisa deixar a proteção das freiras para se tornar a nova preceptora da filha do marquês de Scarfiotti, membro da aristocracia local. Entretanto, seu novo lar está prestes a ser também sua ruína. A atmosfera sombria e cruel que envolve a família Scarfiotti vai destruir a inocência da moça e arrastá-la para uma teia de assassinatos, conspirações e segredos, devastando tudo ao seu redor. Contando apenas com seu instinto de sobrevivência e sua paixão incondicional por um homem de passado sombrio, Rosa terá que enfrentar um destino incerto e sacrificar sua liberdade, corpo e dignidade mas nunca sua fé em nome daqueles que ama. Toda recompensa requer um sacrifício. Somente o amor poderá perdoá-la. Somente a verdade poderá salvá-la. Uma saga na Toscana é um romance histórico arrebatador, repleto de amor e ódio, mentiras, intrigas e mistérios em meio ao cenário desolador da Segunda Guerra Mundial.

Uma Saga na Toscana, de Belinda Alexandra, é um livro cheio de reviravoltas, mistérios, emoção e sutilezas. Lendo a sinopse imaginei um livro que trazia uma história de amor e drama em meio à Segunda Guerra Mundial, mas é muito, muito mais que isso. Eu fiquei surpreendida com os rumos que a história seguia, me emocionei, me revoltei, me envolvi muito com a leitura!

Sou muito emotiva e sempre acabo me envolvendo muito com os personagens, e este livro me deixou com o coração na mão em muitos momentos. Rosa Bellochi foi deixada em um convento ainda bebê por um homem. Ele queria salvar a criança já que ali ela poderia ter um futuro melhor, mas fica o mistério de quem ele é e o por que a deixou lá. Também não sabemos a origem de Rosa e quem era sua mãe. Os anos passam e Rosa convive com as freiras, tendo uma educação rigorosa mas muito culta, aprendendo diversas línguas, matérias e a tocar instrumentos musicais. Sua grande paixão e prazer é tocar sua flauta. Porém, após completar 15 anos, Rosa tem que deixar a proteção do convento para viver sua própria vida. Ela vai para a vila da família Scarfiotti, onde será preceptora de uma garota de 8 anos. Tudo estava indo bem, mas é ali, e a partir dali, que devido a um grande mal entendido, Rosa se vê, ainda tão jovem, diante de uma situação que é o gatilho para que sua vida comece a mudar, seguindo caminhos tortuosos e muito difíceis, obrigando Rosa a descobrir sua força interior. E, claro, eu não tenho como contar ou resumir o que acontece, ou dar mais detalhes, sem soltar milhares de spoilers.

Comentários via Facebook

Adormecida: cem anos para sempre

21 julho 2015
Postado por Livy


Um príncipe aventureiro, perdido no deserto, entra em um antigo castelo em ruínas para passar a noite. Uma aura de maldição paira no lugar. Ele se vê envolvido em uma história que se repete há muitos anos e de cujo desfecho ele terá de participar, ou será para sempre prisioneiro do castelo. Assim, o príncipe acompanha o batizado de uma princesa amaldiçoada por uma estranha e sensual feiticeira, que o seduz com seu canto mágico e lhe promete poder e imortalidade.

A esta altura do campeonato tenho certeza que, para os que acompanham o blog, não é mais segredo que eu sou *cof cof* viciada em quadrinhos. Outra paixão imensa são os contos de fadas e suas releituras. Então quando eu recebi esta linda edição em capa dura de Adormecida: cem anos para sempre, da Editora BesouroBox, foi amor à primeira vista.


Segundo a autora, Paula Mastroberti, esta história é uma releitura de A bela Adormecida. Este é o primeiro trabalho em quadrinhos da Paula, que teve seu início em 1988. O interesse e amor da autora por contos de fadas surgiu desde pequena, e continuo na vida adulta. Sempre fascinada por mitologia, e leitora ávida de Andersen, Grimm e Oscar Wilde, Paula seguiu lendo os contos originais em suas versões integrais, e admirando os quadrinistas europeus de ficção científica e fantástica. Paula também estava apaixonada por frandes artistas como Gustave Doré, Arthur Rackham e Charles Robinson

Comentários via Facebook

[Resenha] Muito Além do Tempo, de Alexandra Monir

19 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788564850927
Série: Timeless, vol. 1
Tradução: Martha Argel e Humberto Moura Neto
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 272
Editora: Jangada
Classificação: ♥♥♥ 
Uma tragédia atinge a família de Michele Windsor, e ela é forçada a morar com os avós que nunca conheceu. Em sua mansão histórica em Nova York, repleta de segredos de família, Michele encontra um diário que tem o incrível poder de fazê-la retroceder no tempo, até o ano em que foi escrito, 1910. Lá Michele encontra o rapaz que ela viu em sonhos durante toda sua vida. Em pouco tempo, ela se vê apaixonada por ele. Quando se dá conta, Michele está vivendo uma vida dupla, lutando para conciliar seu mundo de estudante com suas viagens ao passado. Mas, quando se depara com uma descoberta terrível, ela é lançada numa corrida contra o tempo para salvar o homem que ama, e empreender uma busca que determinará o destino dos dois.

Muito Além do Tempo é o primeiro livro da série Timeless, de Alexandra Monir. Traz em sua história um tema que eu adoro, que é a viagem no tempo. Gosto de ver como cada autor explora este assunto, como cada um dá sua visão para a passagem do tempo, as viagens, os motivos, etc. Este livro já traz uma visão mais mágica e romântica do tema, e este foi um dos fatores que me fizeram gostar da leitura.

Os Windsor são uma das mais abastadas e famosas de Nova Iorque, que há muito tempo construiu seu império de poder e tradição e, sendo uma família tradicionalmente rica, tem o costume de ter tudo o que quer. Isso se estendeu à atual herdeira, Marion. Depois que ela conheceu um belo e misterioso rapaz, e se apaixonou, ela decidiu viver seu grande amor, mesmo que fosse contra a vontade de seus pais. Ela fugiu para a Califórnia e lá recomeçou a vida, mas um dia seu amado sumiu, e ela, vendo-se sozinha, teve que lidar com o fato de estar grávida e não poder/querer mais contar com os pais. Por isso, decide-se a fazer o melhor possível para criar sua filha.

Comentários via Facebook

Edição Especial de O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

17 julho 2015
Postado por Livy


Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. 

A Geração Editorial lançou recentemente uma versão de luxo em capa dura do clássico universal e imortal O Pequeno Príncipe. Uma edição primorosa, ricamente ilustrada e colorida em papel especial de excelente qualidade. Eu fiquei simplesmente encantada. 


O Pequeno Príncipe é um dos livros mais queridos da minha vida, e adorei essa edição, pois a qualidade editorial e o cuidado com os mínimos detalhes já se faz notar logo nas primeiras páginas. Cada página, cada capítulo, cada detalhe é único e especial, com muitas cores, enfeites, fora as ilustrações originais. Essa edição é ideal para se presentear quem amamos. 

Comentários via Facebook

[Resenha] Operação Perfeito, de Rachel Joyce

16 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788581052564
Tradução: Camila Mello
Ano de Lançamento: 2014
Número de Páginas: 304
Editora: Suma de Letras
Classificação: ♥♥ 
Em uma manhã nebulosa de 1972, a vida de Byron Hemming, de 12 anos, muda de repente. Tudo acontece em menos de dois segundos, quando ele e a mãe se envolvem em um acidente de carro. Embora o garoto tenha certeza de que o acidente aconteceu, sua mãe age como se nada tivesse acontecido. Nos dias e nas semanas seguintes, Byron embarca em uma jornada para descobrir o que realmente houve naquela manhã que mudou sua vida. Junto com o amigo James, ele cria a Operação Perfeito, um conjunto de planos para tentar resolver a situação.

Rachel Joyce é uma escritora inglesa. Seu livro de estreia, A Improvável Jornada de Harold Fry, recebeu ótimas críticas de público, blogs e da imprensa especializada, além de ter sido uma das grandes finalistas do prêmio literário Commonwealth Book Prize, e foi publicado no Brasil pela Suma de Letras em 2013.

Eu, da minha parte, não li o primeiro livro da autora. Portanto, não posso comparar Operação Perfeito com aquele. Numa ocasião mais oportuna, pretendo ler A Improvável Jornada de Harold Fry, porque li boas críticas e, também, recebi boas indicações favoráveis do mesmo de meus amigos blogueiros.

Comentários via Facebook

Mangá Wish, uma linda história de amor

15 julho 2015
Postado por Livy


Ohayou, pessoal! Hoje vim trazer mais uma dica de mangá! E vou falar de mais uma belíssima obra da CLAMP, um grupo de quatro mangakás mulheres. Wish é um mangá que conta com quatro volumes e foi publicado no Japão ente 1996 a 1998. A Editora JBC começou a publicar a série agora em Junho e o segundo volume já está nas bancas, agora no mês de Julho. 


Na trama, um médico chamado Shuichiro está caminhando a noite, voltando do trabalho depois de realizar uma cirurgia de oito horas, e se depara com um estranho ser pendurado em uma árvore, sendo atacado por corvos (enviados pelo demônio Kouryu). Surpreso, ele descobre que o ser pequeno, gorducho e cabeçudo é nada mais, nada menos, que o anjo Kohaku. Shuichiro decide resgatá-lo, mas acredita estar sonhando, afinal estava muito cansado e devia estar alucinando. 


Quando acorda no dia seguinte, descobre que Kohaku realmente existe e, persistentemente, insiste que, em troca da gentileza de ter sido salvo, ele concederá um desejo a Shuichiro. Isso porque ele não pode simplesmente ir embora sem agradecer-lhe por ter salvo sua vida. Mas o médico não tem nenhum desejo, pois sua vida é bem resolvida e tudo está bem no trabalho.

Comentários via Facebook

[Resenha] Vivian Contra o Apocalipse, de Katie Coyle

14 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788522031115
Tradução: Flora Pinheiro
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 288
Editora: Agir Now
Classificação: ♥♥♥ 
Vivian Apple tem 17 anos e mal pode esperar pelo fatídico “Arrebatamento” — ou melhor, mal pode esperar para que ele não aconteça. Seus devotos pais foram escravizados pela Igreja há tempo demais, e ela está ansiosa para que tudo volte ao normal. O problema é que, ao chegar em casa no dia seguinte ao suposto evento, seus pais sumiram e tudo o que restou foram dois buracos no teto…  Ela está determinada a seguir vivendo normalmente, mas, quando começa a suspeitar que eles ainda podem estar vivos, Vivian percebe que precisa descobrir a verdade. Junto com Harp, sua melhor amiga, Peter, um garoto misterioso que tem os olhos mais azuis do mundo e informações sobre um possível paradeiro dos seguidores da Igreja (ao menos é o que ele diz), e Edie, uma Crente que foi “deixada para trás”, os quatro embarcam em uma road trip pelos Estados Unidos em pleno pré-apocalipse. Mas, depois de atravessar quilômetros enfrentando eventos climáticos bizarros, gangues de fanáticos religiosos vingativos e um estranho grupo de adolescentes autointitulado “Novos Órfãos”, Vivian logo vai entender que o Arrebatamento foi só o começo.

Vivian Contra o Apocalipse é o primeiro livro da autora Katie Coyle, uma norte-americana nascida em Nova Jersey, e que vive atualmente com o marido na Califórnia. Seu livro de estreia recebeu boas críticas, pontuado com 4 estrelas em média nos principais sites de livros online.

O segundo livro da série é Vivian Versus América, já editado nos Estados Unidos, com uma pontuação bem acima do primeiro livro na crítica especializada e na opinião dos leitores daquele país. E este fato, para uma escritora jovem e estreante, é um feito importante, pois aponta para uma carreira promissora com a perspectiva de futuros bons lançamentos. Da minha parte, adorei Vivian Contra o Apocalipse, e aguardo ansiosamente a continuação da série.

O livro é muito gostoso de ler, com uma narrativa jovem, agradável, de fácil leitura e assimilação. Os personagens possuem personalidades que vão se aprofundando ao longo da narrativa e de forma bem objetiva; nada daquelas encheções de páginas e mais páginas para falar de um único aspecto da vida passada do sujeito. Katie Coyle cria seus personagens com características comuns e reais; tão comuns e reais quanto os que encontramos em nosso dia a dia pelas ruas, no trabalho ou em um shopping.

Comentários via Facebook

[Especial Dia Mundial do Rock] Conheça a banda One Ok Rock

13 julho 2015
Postado por Livy


Hoje, dia 13 de Julho é o Dia Mundial do Rock, e eu não iria deixar a data passar em branco sem trazer um post especial. Eu ia fazer um post com algumas músicas que eu gosto do gênero, mas então decidi falar sobre uma única banda, pela qual sou apaixonada, viciada, etc., como uma dica para vocês.

One Ok Rock é uma banda de J-Rock (japanese rock). Esta é simplesmente a mais fodástica e sensacional banda japonesa de rock do momento, pelo menos na minha opinião. Conheço, ouvi e ouço várias outras, mas não há nenhuma que se compare ou que me cause tanto impacto quanto One Ok Rock. Para quem gosta de animes deve ter como referência, ou já ouviu falar de, Asian KungFu Generation (da qual sou fã também), que é uma das mais notórias e fantásticas bandas de J-Rock do momento. Inclusive muitos animes como Naruto, Bleach, Fullmetal Achimist, etc., tiveram suas aberturas embaladas ao som deles.


Desde muito tempo ouço Asian KungFu Generation, justamente por causa dos animes, eu viciei. Maaaaas, desde que os ouço nunca havia achado uma banda que os superasse em meu coraçãozinho. Então conheci One Ok Rock e tudo mudou! Esta é uma banda tão boa quanto e me conquistou, se tornando minha banda preferida, superando Asian KungFu Generation, pois tem um estilo bem diferente. Tudo aconteceu por acaso quando assisti ao filme Space Pirate Captain Harlock (animação japonesa de 2013) e nos créditos tocou uma música do One Ok Rock. Procurei até achar a música, ouvi outras músicas da banda, e, desde então, viciei de uma forma que vocês não têm noção. É One Ok Rock no café da manhã, no almoço e no jantar. Eu ouço e ouço sem parar, sem cansar, sem enjoar.

Comentários via Facebook

[Resenha] A Rainha Normanda, de Patricia Bracewell

10 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788580413779
Série: Emma da Normandia, vol. 1
Tradução: Maria Luíza Newlands
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 400
Editora: Arqueiro
Classificação: ♥♥♥♥ 
Em 1002, Emma da Normandia, uma nobre de apenas 15 anos, atravessa o Mar Estreito para se casar. O homem destinado a ser seu marido é o poderoso rei da Inglaterra, Æthelred II, muito mais velho que ela e já pai de vários filhos. A primeira vez que ela o vê é à porta da catedral, no dia da cerimônia. Assim, de uma hora para outra, Emma se torna parte de uma corte traiçoeira, presa a um marido temperamental e bruto, que não confia nela. Além disso, está cercada de enteados que se ressentem de sua presença e é obrigada a lidar com uma rival muito envolvente que cobiça tanto seu marido quanto sua coroa. Determinada a vencer seus adversários, Emma forja alianças com pessoas influentes na corte e conquista a afeição do povo inglês. Mas o despertar de seu amor por um homem que não é seu marido e a iminente ameaça de uma invasão viking colocam em perigo sua posição como rainha e sua própria vida. 

O livro é o primeiro de uma trilogia que traz como protagonista uma jovem normanda de 15 anos que se torna rainha da Inglaterra no ano 1000 d.C. Baseado em crônicas anglo-saxônicas da época, e em uma extensa pesquisa, com personagens reais e fictícios, A Rainha Normanda teve boa aceitação de crítica e público internacional. O primeiro e segundo volume (The Prince of Blood) da trilogia tiveram, em sites de pontuação, uma média de 4 estrelas cada, e vê-se logo que a autora acertou na mosca com essa trilogia de estreia, despontando em pouco mais de dois anos como uma promissora autora de romances históricos. Da minha parte, adorei o livro. Aliás, amei essa capa da edição brasileira, bem superior a capa da edição norte-americana; apesar delas serem parecidas.

Bom, o livro, como a própria sinopse menciona, é um romance histórico, do gênero drama medieval. A narrativa de Patricia Bracewell é excelente, com boas descrições de localidades, ótima ambientação de época, ótima descrição das personagens, com descente evolução e detalhamento de suas personalidades, e me cativou. Até mesmo o clima frio e chuvoso da Inglaterra é usado para enfatizar o humor dos personagens, ou de determinada situação cênica. Há toda uma intriga palaciana em clima de guerra envolvendo a Inglaterra e a Dinamarca, com direito a ataques relâmpagos por parte dos dinamarqueses e saques as cidades fronteiriças àquele país, com violência extrema regada com estupros e até infanticídios. Mas, claro, essa violência é moderada e filtrada pela autora em pequenas doses, porém sem deixar de criar uma atmosfera sombria e fatalista que paira sobre o reino inglês.

Comentários via Facebook

HQ Star Wars - A guerra nas estrelas, uma história que você nunca viu!

08 julho 2015
Postado por Livy


Há muito tempo, em uma galáxia ainda mais distante…
Adaptação do primeiro esboço do roteiro original de George Lucas para o que viria a se tornar Star Wars. Mas esta galáxia distante de muito tempo atrás é diferente daquela que você viu nos filmes. Prepare-se para altas aventuras e duelos de espadas laserCavaleiros JediCavaleiros Sith, uma familiar princesa Leia, um Han Solo muito diferente e uma batalha para derrotar um Império maligno! 

Eu adoro quadrinhos! Acho que a esta altura do campeonato não é nem segredo mais! E também não é segredo que eu sou super fã da saga Star Wars, graças aos filmes que assisti desde pequena, e aos livros que tenho lido ultimamente e resenhado aqui no blog. Então, quando vi essas HQs editadas pela Panini Comics, fiquei encantada de imediato. Comprei sem parar para pensar e li de um só fôlego. Nos parágrafos a seguir comentarei sobre estes dois volumes com algumas fotos para ilustrar esse belíssimo trabalho. Vamos lá!


Até a recente Grande Rebelião, os Jedi-Bendu eram os guerreiros mais temidos do universo. Durante cem mil anos, gerações de Jedi aperfeiçoaram sua arte como os guarda-costas pessoais do Imperador. Foram os principais arquitetos da invencível Força Espacial Imperial, que expandiu o Império por toda a galáxia, desde o equador celeste até os mais longínquos confins da Grande Fenda. Agora esses lendários guerreiros estão quase extintos. Um por um. Foram caçados e destruídos como inimigos do Novo Império por um feroz e sinistro grupo de guerreiros rivais, os Cavaleiros Sith. - Introdução do volume 1. 

Bom, já nessa introdução dá para perceber que o que temos nestes quadrinhos é algo totalmente novo dentro do universo expandido de Star Wars. Sim, essa história é completamente diferente de tudo o que você já leu ou viu em Guerra nas Estrelas. Na realidade, é o roteiro original, a ideia conceptual de George Lucas, que ele criou na metade da década de 1970. Em termos gerais, o que você vai encontrar nesses dois volumes do HQ é o que George Lucas tinha em mente para filmar Star Wars. Em cima desse roteiro inicial, uma equipe de artistas composta por designers e desenhistas, que fizeram milhares de esboços sobre os personagens, localidades, espaçonaves, armas, robôs e criaturas, para o projeto, até Lucas decidir mudar todo o roteiro.

Comentários via Facebook

[Resenha] Os Filhos de Odin, de Padraic Colum

07 julho 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788567028569
Tradução: Santiago Nazarin
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 224
Editora: Única Editora
Classificação: ♥♥♥
Antes de o tempo como nós o conhecemos começar, deuses e deusas viveram na cidade de Asgard, que significa Local dos Deuses. Uma era de mágica, quando seres míticos podiam usar seus poderes e definir os caminhos do futuro, e proteger o mundo. Entre as cruzadas de Odin para encontrar a sabedoria necessária para salvar o mundo, os feitos incríveis de Thor e seu martelo e as travessuras de Loki, o agente do bem e do mal, Padraic Colum reconta as sagas nórdicas revelando o tempo em que a magia, os poderes e as maravilhas fantásticas corriam pelo universo.

Padraic Colum nasceu no condado de Longford, no norte da Inglaterra, em 1881, e faleceu em 1972. Ao longo de sua vida foi escritor, poeta, dramaturgo, biógrafo e grande estudioso do folclore irlandês. Segundo os críticos de sua obra, foi o autor responsável pela Renascença Céltica. Iniciou sua carreira como escritor escrevendo peças teatrais. The Saxon Shillin foi sua primeira peça, de 1902. Em 1907, publicou seu primeiro livro intitulado Wild Earth. Na América, Colum escreveu uma série de livros infantis sobre as lendas e folclores, começando por The King of Ireland's Son (1916). Também escreveu uma série de livros juvenis sobre o folclore havaiano (1922). The Adventure of Odysseus (1918) e Os Filhos de Odin são consideradas as mais importantes obras da literatura folclórica  juvenil.

Os Filhos de Odin (original de 1920) e The Golden Fleece (1924) receberam o prêmio literário Newbery Honor Book. Os Filhos de Odin está pontuado com 4 estrelas, em média, nas principais livrarias online.

Nesses tempos, os Deuses estavam vivos: Odin e Thor, Hödur e Baldur, Tyr e Heimdall, Vidar e Vali, assim como Loki, agente do bem e do mal. E as belas Deusas viviam entre eles; Frigga, Freya, Nanna, Iduna e Sif. Contudo, quando o Sol e a Lua foram destruídos, os Deuses foram destruídos também – todos, exceto Baldur, que havia morrido antes, Vidar e Vali, os filhos de Odin, e Modi e Magni, os filhos de Thor.

Os Filhos de Odin é dividido em cinco partes: Os habitantes de Asgard, O coração da bruxa, Odin – o andarilho, A espada flamejante e o Crepúsculo dos Deuses; subdivididas em diversos capítulos com títulos bem interessantes, como: Como Freya ganhou o seu colar e perdeu o seu amado.

Comentários via Facebook

6 on 6: Férias

06 julho 2015
Postado por Livy

Hey, pessoal! Julho chegou e hoje vai ao ar mais um post do projeto 6 on 6, que eu e as lindas dos blogs Na Estrada da FantasiaPsicose LiteráriaNa Sua EstanteUm Amor de Livro e Books On First estamos participando! O tema do mês é Férias e chegou a hora de vermos algumas fotos do projeto! Tudo bem que, para mim, são apenas as férias do curso, e que minhas férias do trabalho só chegam em Setembro, mas já é alguma coisa, né? 

A ideia do projeto é trazermos seis fotos com o tema voltado para nosso amor à literatura. Então, neste post, vocês irão ver fotos baseadas no tema + literatura. A intenção aqui é mostrar o que eu faço nas férias, o que gosto de fazer/ler, e o que as férias significam para mim. Mas claro, tudo envolvendo os livros! ❤ Então confiram abaixo o que eu gosto de fazer nas férias:

Comentários via Facebook

Zetman - vol.1, um mangá incrível!

03 julho 2015
Postado por Livy


Zetman é incrível! Sério! Um dos grandes lançamentos de 2015 da Editora JBC, esse mangá é uma grande e grata surpresa! Zetman, do mangaká Masakazu Katsura, mesmo autor de Video Girl Ai e DNA², é de deixar o queixo caído. Quando abri o mangá e comecei a ler, não imaginava que iria ser fisgada tão intensamente por esta história que mistura ficção científica, ação, drama e terror com maestria. A história prende do início ao fim e ainda me deixou querendo mais. E olha que só li o primeiro volume, que foi lançado agora em Junho. E posso garantir que vou continuar acompanhando os próximos volumes, pois Zetman promete ser incrível.


Zetman possui algumas páginas coloridas em papel couché, formato 12 x 18 cm, e aproximadamente 250 páginas. O preço é R$ 17,50 a cada edição, que serão publicadas mensalmente. A primeira fase de Zetman conta com 20 volumes (é muita história para acompanhar <3).


E antes de mais nada tenho que dizer que este mangá é de encher os olhos. Estou simplesmente apaixonada pela arte fodástica de Masakazu Katsura (que teve suporte de seu estúdio K2R) que consegue, de forma estupendamente maravilhosa, casar cenas de ação e emoção, com riqueza de traços e detalhes magníficos! O mangá é tão bem trabalhado que eu ficava alguns minutos admirando cada página para absorver a arte. Aliás, as cenas de ação e lutas são de tirar o fôlego!  A arte contribui para dar "movimento" às cenas. Impressionante! Também é impressionante o realismo das características dos personagens, assim como o modo como os sentimentos são bem "visíveis" em cada expressão; e cenários, este que é um fato de grande mérito de Katsura, e uma das principais características de sua arte. Estou encantada! 

Comentários via Facebook

Anime Ao Haru Ride, um shoujo fofo!

01 julho 2015
Postado por Livy


Oi, pessoal! Hoje vamos falar de anime? Em Janeiro, quando o novo layout do blog foi ao ar, eu havia dito que algumas mudanças iriam ser feitas, e que iria trazer dicas de animes e mangás ao longo do ano, pois é um tema que adoro. Vocês já estão conferindo algumas indicações de mangás que tenho feito aqui no blog, e hoje trago a primeira dica de anime para vocês. Para quem não sabe, desde pequena sou apaixonada por animes, sempre assisti vários, dentre eles: As Guerreiras Mágicas de Rayearth, Sailor Moon, Sakura Card Captor, Dragon Ball, X/1999Samurai X (Hurouni Kenshin), Naruto, PokémonVampire Knight, Zero no Tsukaima, Bleach, Death Note, Chobits, Claymore, entre muitos e muitos outros. Ao longo dos próximos meses vou trazer muitas (muitas mesmo) dicas de animes para vocês assistirem e viciarem!

Kou Tanaka e Futaba Yoshioka <3
Para começar, vim falar de Ao Haru Ride (アオハライド, Aoharaido), que em uma tradução literal significa Passeio pela Primavera Azul. Assisti este anime em apenas dois dias! Dois dias! E isso porque tinha que parar para comer, trabalhar e dormir, claro. Praticamente não conseguia parar de ver, pois é viciante e muito fofo! Sabe aquele anime que você quer assistir todo de uma vez e quando termina quer mais? A primeira temporada conta com 13 episódios, com cerca de 24 minutos de duração cada, e termina em aberto, pois no mangá a história tem continuidade.

O anime se baseia nos primeiros 15 capítulos do mangá, sendo que lá no Japão ele conta com 49 capítulos encadernados em 13 volumes. Ou seja, ainda tem muito pano para a manga. E, antes de começar a falar do anime propriamente dito, tenho que dizer que meu maior desejo é que ele não fique apenas na primeira temporada, e que sua segunda temporada acabe se tornando uma realidade, apesar de ainda não haver nenhum notícia confirmando de que será realmente feito.

Comentários via Facebook

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por