[Resenha] Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld

29 setembro 2015
Postado por Livy


ISBN: 9788566636529 | Tradução: Leandro Durazzo | Ano de Lançamento: 2015 | Número de Páginas: 240 | Capa Dura | Editora: Darkside Books | Classificação: ♥♥♥♥ 

Jake Whyte vive sozinha em uma velha fazenda, em alguma ilha britânica anônima, um lugar de chuvas incessantes e ventos violentos. Apenas ela, seu companheiro indomado, Cão, e um rebanho de ovelhas. Mas algo tem vindo atrás dos animais – de tempos em tempos algo surge à noite, arrebata uma ovelha e a faz em pedaços. Poderia ser qualquer coisa. Há raposas na mata, um rapaz estranho e um homem esquisito, rumores sobre uma fera obscura e formidável. E há o passado desconhecido de Jake, talvez invadindo seu presente, uma história escondida há anos e há milhares de quilômetros, em uma paisagem de cores e sons diferentes. Uma história contada nas cicatrizes que cobrem suas costas. 

Outra ovelha, mutilada e coberta de sangue, as vísceras ainda frescas e o vapor subindo dela como um pudim recém-cozido. Corvos esvoaçam e crocitam, com os bicos reluzentes, e quando agito meu cajado eles voam para as árvores, observando, abrindo suas asas. – Pág. 7

E assim começa Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, escritora nascida em Londres, em 1980. Evie é ganhadora dos prêmios literários: Rhys John Llewellyn, de 2009; Encore, de 2013; Franklin Miles, de 2014; e o European Union Pize for Literarure, por Onde Cantam os Pássaros, em 2014, entre outros. Atualmente Evie vive em Brixton, Inglaterra, onde possui uma livraria. Ela também é autora do livro: After the Fire, A Still Small Voice (2009), seu primeiro romance. Foi aclamada pelo jornal The Dailly Telegraph como uma das 20 melhores escritoras britânicas.

Um estrondo veio de perto do meu quarto. O corrimão tremia enquanto eu voava escada acima. – Pág. 51

Bom, vamos lá! Primeiramente, a edição! Que show essa capa, hein?! É incrível, chamativa, quase hipnotiza a gente com essas gravuras e o tom rosa. E passando a mão pela capa têm-se a sensação de segurar uma camurça. Amei! E os detalhes internos então? Logo ao abrir a capa nos deparamos com um bando de ovelhas, menos uma: há uma silhueta em branco de onde está ausente uma das ovelhas. E isso se repete no final, na contracapa. A borda das folhas é toda pintada de negro, e dentro o livro tem um esmero gráfico de primeira. Um verdadeiro livro de colecionador.

Comentários via Facebook

[Resenha] Sangue Mágico, de Ilona Andrews

27 setembro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788567296326
Série: Kate Daniels, vol. 1
Tradução: Flávia de Lavor
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 256
Editora: Saída de Emergência
Classificação: ♥♥♥♥ 
Se não fosse pela magia, Atlanta seria uma boa cidade para se morar… A magia chega como uma onda e tudo para de funcionar: os carros não ligam, as armas se tornam inofensivas. No momento seguinte, a energia já se dissipou e a tecnologia reassume o controle, fazendo com que os feitiços de proteção já não sejam capazes de defender a sua casa da ameaça de monstros. Nesse mundo, arranha-céus são derrubados por ataques violentos de magia; homens-lobo e homens-hiena vagam pelas ruas em ruínas; e os mestres dos mortos, necromantes levados pela sede de poder, controlam vampiros com o poder da mente. Nesse cenário vive Kate Daniels, uma menina impulsiva e destemida que não leva desaforo para casa. Seu sangue a torna um alvo e, por isso, ela passou boa parte da vida escondida em meio à multidão. Mas quando seu guardião é assassinado, Kate precisa fazer uma escolha: deve continuar na segurança do anonimato ou perseguir o assassino e vingar a morte dos inocentes? 

Gostei muio da capa desse livro, que, a meu ver, ficou bem melhor que a capa da publicação internacional. Kate, aí na capa, nos dá a exata impressão do que ela é no livro: uma guerreira urbana.

Ilona Andrews é o pseudônimo de uma dupla de escritores, marido e mulher. Ilona nasceu na Rússia e Gordon é ex-Sargento do Exército Norte-Americano. Se conheceram na faculdade, na aula de Introdução à Redação, e, desde então, se uniram para sempre, inclusive na literatura. Sangue Mágico é o primeiro livro da Série Kate Daniels no Brasil, e que já está em seu sétimo volume.

A magia voltou enquanto eu estava colocando os itens básicos na bolsa, e tive que usar a Karmelion em vez do meu carro habitual. Uma caminhonete enferrujada e em más condições, de cor verde bile e sem o farol esquerdo, a Karmelion só tinha uma vantagem: andava com água impregnada de magia e podia ser dirigida durante uma onda mágica. - pág. 21

Comentários via Facebook

[Resenha] Estação Onze, de Emily St. John Mandel

23 setembro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788580577075
Tradução: Rubens Figueiredo
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Classificação: ♥♥♥
Certa noite, o famoso ator Arthur Leander tem um ataque cardíaco no palco, durante a apresentação de Rei Lear. Jeevan Chaudhary, um paparazzo com treinamento em primeiros socorros, está na plateia e vai em seu auxílio. A atriz mirim Kirsten Raymonde observa horrorizada a tentativa de ressuscitação cardiopulmonar enquanto as cortinas se fecham, mas o ator já está morto. Nessa mesma noite, enquanto Jeevan volta para casa, uma terrível gripe começa a se espalhar. Os hospitais estão lotados, e pela janela do apartamento em que se refugiou com o irmão, Jeevan vê os carros bloquearem a estrada, tiros serem disparados e a vida se desintegrar. Quase vinte anos depois, Kirsten é uma atriz na Sinfonia Itinerante. Com a pequena trupe de artistas, ela viaja pelos assentamentos do mundo pós-calamidade, apresentando peças de Shakespeare e números musicais para as comunidades de sobreviventes. Abarcando décadas, a narrativa vai e volta no tempo para descrever a vida antes e depois da pandemia. Enquanto Arthur se apaixona e desapaixona, enquanto Jeevan ouve os locutores dizerem boa-noite pela última vez e enquanto Kirsten é enredada por um suposto profeta, as reviravoltas do destino conectarão todos eles. Impressionante, único e comovente, Estação Onze reflete sobre arte, fama e efemeridade, e sobre como os relacionamentos nos ajudam a superar tudo, até mesmo o fim do mundo.

Um livro que se destaca de todos os outros; do qual me lembrarei por muito tempo e ao qual retornarei. – George R. R. Martin 

Emily St. John Mandel nasceu em 1979, em Comox, na costa oeste do Canadá. Ela trabalha na revista literária on-line The Millions. Emily estudou dança contemporânea no Dance Theatre de Toronto, viveu em Montreal algum tempo e depois se mudou para Nova York, onde vive atualmente com o marido. Estação Onze, publicado aqui no Brasil pela Editora Intrínseca é seu quarto romance. O livro foi finalista e vencedor do Arthur C. Clarke Award, em 2015. Os outros três livros da autora são: The Singer's Gun (2009); Last Night in Montreal (2009); The Lola Quartet (2012).

Emily se diz apaixonada por cinema e teatro. Quando pensou em escrever um livro era para ser sobre a vida de um ator famoso de Hollywood. Mas algumas ideias estão fadas a nunca verem à luz do dia. No caso de Emily St. John, isso foi profícuo, pois uma ideia mais interessante a fez olhar em outra direção. Ela se perguntou: "Do que você mais sentiria falta se o mundo como o conhecemos hoje desaparecesse?" – E a resposta que Emily encontrou foi: "Eu sentiria falta da obra de Shakespeare".

E foi assim que nasceu Estação Onze, um livro tocante, esperançoso, revelador, empolgante… Uma reflexão da nossa civilização; do modo como vemos o mundo; como percebemos o outro; a maneira como compreendemos nossa existência neste planeta e qual o sentido que damos para nossas vidas.

Comentários via Facebook

[Resenha] Cidade Banida, de Ricardo Ragazzo

14 setembro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788542205411
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 384
Editora: Planeta
Classificação: ♥♥♥
No futuro, a Terra foi assolada por inúmeras guerras, o que dizimou 99% da população humana e transformou sua vida animal e vegetal. Boa parte dos seres humanos acabou confinada dentro dos muros de Prima Capitale, regida pelas draconianas regras do Supremo Decano. Por causa da rigidez do governo, todos os bebês nascidos no lugar precisam passar pelo crivo dos chamados cognitos, seres com poderes psíquicos capazes de prever o futuro. Caso, nesta visão, seja revelado que o novo cidadão cometerá um crime, sua sentença é a morte. Seppi Devone foi um desses bebês vetados. No entanto, sua mãe, Appia, consegue fugir com ela, livrando-a da cruel sentença. Elas vivem incógnitas numa comunidade no meio da mata e Appia cria sua filha como um garoto. Mas, quando Seppi completa 15 anos, o destino bate à sua porta e a garota terá de enfrentá-lo. Afinal, a adolescente é a única esperança que muitos oprimidos têm de se livrar do mal a que são submetidos pelo Supremo Decano. Irá ela abraçar essa sua missão? 

Ricardo Ragazzo é um escritor paulistano bacharel em direito. É autor dos livros A Garota das Cicatrizes de Fogo e 72 Horas Para Morrer. Cidade Banida é seu primeiro livro distópico baseado e inspirado em Star Wars e HQs da Marvel.

Cidade Banida tem uma capa bem legal com um toque sombrio que arremete ao pós apocalipse e à distopia. O layout, a diagramação e o trabalho gráfico do livro também ficaram bem legais. Logo na página nove do livro nos deparamos com um glossário do universo glimpse, todo ilustrado com figuras em preto e branco. Particularmente, gostei das figuras do Tilki e do Te hokioi, exemplo de duas criaturas criadas pelo autor. O prólogo já começa com o título: Terra – Ano Indeterminado. E já de cara se vê o que vem pela frente.

Comentários via Facebook

[Resenha] Ascensão da Força Sombria, de Timothy Zahn

09 setembro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576572107
Série: Vol. 2, Trilogia Thrawn
Tradução: Fábio Fernandes
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 504
Editora: Aleph
Classificação: ♥♥♥  Favoritado!
No segundo volume da consagrada Trilogia Thrawn, a luta de Luke, Han e Leia em defesa da Nova República continua. Mais uma vez, eles enfrentarão as tropas imperiais dissidentes, comandadas pelo poderoso grão almirante Thrawn. Quando Talon Karrde é capturado por forças inimigas, Mara Jade relutantemente recorre à ajuda de Luke Skywalker, que é forçado a interromper seu treinamento com um curioso mestre para ampliar o domínio da Força. Enquanto isso, Han Solo e Lando Calrissian seguem com suas investigações, a fim de descobrirem um possível traidor da Nova República. E, cumprindo a promessa feita a Khabarakh, Leia Organa viaja a Honoghr em busca de novos aliados contra a tirania de Thrawn.

Ascensão da Força Sombria é o segundo volume da sensacional trilogia Thrawn, da série Legends, que está inserida no Universo Expandido de Star Wars. Para quem ainda não sabe, o Universo Expandido, segundo a StarWars.Wikia.com, arremete a um período de anos que se inicia há 25 mil anos antes de A Ameaça Fantasma (Episódio I) e vai até 137 anos depois de O Retorno de Jedi (Episódio VI). Somente histórias aprovadas e oficializadas pela Lucasfilm podiam fazer parte da expansão. Desta forma, nada do que está inserido nos livros, gibis, animações, desenhos e filmes, do UE pode contradizer os acontecimentos narrados nos seis filmes da série cinematográfica. A série Legends foi criada para diferenciar as novas narrativas que ocorrem após os seis episódios oficiais, já que, após 2014, devido a nova trilogia oficial da saga, nenhuma inserção poderá ser feita no Universo Expandido a partir do sétimo episódio sem esse selo.

Da minha parte, todos os livros de Star Wars, da saga oficial ou do Universo Expandido, serão sempre bem-vindos. Eu amo essa saga e estou ansiosa para finalizar essa trilogia Thrawn que, a meu ver, é uma das melhores que já li. A Editora Aleph está se superando a cada nova publicação de Star Wars. Além das capas primorosas, o layout e a arte gráfica são sensacionais.

O legal dessa trilogia é que Timothy Zahn conseguiu resgatar toda a beleza da narrativa, aventura e ação dos três filmes clássicos de Star Wars (episódios VI, V e VI), mantendo os personagens originais daqueles filmes: Luke Skywalker, Leia Organa, Han Solo, Chewbacca, Lando Calrissian, R2D2, C3PO, entre outros. Para os fãs da saga original, isso é um prato cheio.

Comentários via Facebook

6 on 6: Top Literário

07 setembro 2015
Postado por Livy

Olá, pessoal! Como estão? Os últimos dias aqui no blog não tiveram muitas postagens pois estava sem internet. E na verdade ainda estou, então pode ser que os próximos dias ainda sejam um pouco escassos de postagens, mas vou tentando atualizar como posso: PC de amigos, pelo celular... vou tentar trazer postagens para vocês.

E hoje o post é especial! Trata-se de mais um 6 on 6, e o tema deste mês é Top Literário. Eu e as meninas participantes do projeto resolvemos trazer dicas literárias para vocês, para inspirar e, quem sabe, incrementar sua wishlist ou meta de leitura.

Eu fiz um Top 6 com meus autores preferidos. Claro que é muito difícil escolher apenas seis autores, sendo que tenho dezenas de autores que amo e indico muito, e tantos outros que estou conhecendo agora e amando também. Confesso que não foi uma tarefa fácil, mas escolhi aqueles que sempre estão entre os mais indicados quando alguém me pergunta, ou aqueles que eu realmente amo muito! Todos que eu listei aqui abaixo li vários (ou alguns) livros e não me arrependi, por mais que o livro não fosse o melhor do autor. Também procurei escolher aqueles que eu compro livro sem medo, que sempre quero ler mais e mais, que sempre estão na minha wishlist literária. Enfim, vamos conferir? 




Minhas indicações de autores são:

//  Jojo Moyes. Eu simplesmente amo a forma como ela escreve e consegue dar vida aos personagens e a paixão que transborda de suas histórias. Sempre trazem alguma lição e alguma emoção à tona.

// Cassandra Clare. Esta mulher é um caso antigo de amor e ódio hahaha. Eu sou apaixonada pela série Instrumentos Mortais e pela série Peças Infernais. Mas confesso que ela só entra para a lista por ser uma esmagadora de corações, sem compaixão. Eu adoro a intensidade de seus personagens e a forma como ela conduz ambas as séries.

// Lucinda Riley. Eu simplesmente sou apaixonada por sua narrativa e a paixão com que escreve. Suas histórias são recheadas de sentimentos e sempre me emocionam muito. Simplesmente esta é uma autora maravilhosa, e suas histórias são intensas, cheias de valores e lições.

// Stephen King. Dispensa comentários! Simplesmente o maior autor de terror da atualidade. Eu amo seus livros, e mesmo os mais fracos que já li do autor, foram ótimos.

// Dean Koontz. É um autor não muito conhecido, mas eu adoro! Ele tem uma pegada mais sobrenatural, mais suspense, em alguns casos voltado para o terror. Ele escreve muito bem, suas histórias são envolventes demais! Super recomendo!

// Carlos Ruiz Zafón. Outro autor maravilhoso. Ele consegue provar que não é necessário escrever livros de 600 páginas para contar uma boa história. É um verdadeiro mestre do Thriller de suspense e mistério. Senão o melhor, um dos melhores que já tive o prazer de ler.

E é isso pessoal! Ficam aqui minhas indicações. Espero que tenham gostado do post e das fotos, e de saber quais são alguns dos autores que mais gosto! E não deixem de conferir os posts das outras meninas:  Ana e BiaLu, Mari, Mily e Tamy. 

Beijos e até o próximo post! 

Comentários via Facebook

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por