[Resenha] Jurassic Park, de Michael Crichton

25 outubro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576572152
Tradução: Márcia Men
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 528
Editora: Aleph
Classificação: ♥♥♥
Uma impressionante técnica de recuperação e clonagem de DNA de seres pré-históricos foi descoberta. Finalmente, uma das maiores fantasias da mente humana, algo que parecia impossível, tornou-se realidade. Agora, criaturas extintas há eras podem ser vistas de perto, para o fascínio e o encantamento do público. Até que algo sai do controle. Em Jurassic Park, escrito em 1990 por Michael Crichton, questões de bioética e a teoria do caos funcionam como pano de fundo para uma trama de aventura e luta pela sobrevivência. O livro inspirou o filme homônimo de 1993, dirigido por Steven Spielberg, uma das maiores bilheterias do cinema de todos os tempos.


“E aí, sem nenhum aviso, o lagarto saltou na mão estendida. Tina podia sentir os dedinhos dos pés dele beliscando a pele de sua palma, e sentia o surpreendente peso do corpo do animal pressionando seu braço para baixo. E então o lagarto subiu correndo pelo braço dela, na direção do rosto.” – Pág. 34

John Michael Crichton foi um escritor estadunidense nascido em Chicago, em 1942, falecido em Los Angeles, em 2008. Foi escritor, produtor de filmes e de séries de TV, além de diretor. Especializou-se em escrever livros do gênero thriller tecnológico. Entre os seus sucessos literários estão: O Enigma de Andrômeda; O Grande Roubo do Trem; Sol Nascente; Jurassic Park e a continuação Mundo Perdido; Linha do Tempo; Congo e Presa.

Michael Crichton escreveu 25 livros entre os anos de 1967 à 2009. Seu último trabalho, completo, foi Latitudes Piratas. Crichton estava trabalhando em um novo livro, Micro, quando faleceu. A finalização do livro ficou a cargo do autor Richard Preston, e foi publicado em 2011. Crichton também foi autor de quatro livros de não-ficção e de vários contos e roteiros para cinema e TV.

Ainda hoje, Michael Crichton é considerado um dos melhores autores de thrillers tecnológicos. Suas obras possuem um diferencial que poucos autores do gênero, ou de qualquer outro gênero literário, possuem: cada livro é único. Seus romances são inovadores e à frente da época em que foram publicados, apresentando tecnologias e pesquisas científicas de ponta. Um bom exemplo disso pode ser encontrado em seus livros: Jurassic Park, Congo, Presa, O Enígma de Andrômeda e Esfera. A maioria dos seus livros foram adaptados para o cinema ou TV.

Crichton ainda é pouco conhecido do leitor brasileiro, o que é lamentável. Seus livros são ótimos e possuem o diferencial de sempre trazer novos personagens e tramas inéditas.

“- O que eles fizeram – disse Dodgson – foi construir a maior atração turística na história do mundo.” – Pág. 99

Uma vez mais a Editora Aleph emplacou de primeira. Essa edição de Jurassic Park ficou um espetáculo. Da capa, passando pelo belíssimo layout, a diagramação esmerada, bordas das páginas em vermelho vivo, o livro é quase um visual cinematográfico! E o mais legal de tudo isso é que esse primor gráfico faz jus ao livro! Adorei!

Comentários via Facebook

[Resenha] No Coração da Floresta, de Emily Murdoch

20 outubro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788522031085
Tradução: Maryanne Linz
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 272
Editora: Agir Now
Classificação: ♥♥♥
E se tudo o que você soubesse fosse uma mentira? E se a pessoa que deveria te proteger não tivesse condições nem mesmo de cuidar de si mesma? Carey é uma jovem de 15 anos com uma história de vida difícil. Levada às escondidas pela mãe para um parque nacional quando ainda era uma criança, tudo o que ela e a irmã menor conhecem é a floresta. Elas só têm uma a outra, considerando que a mãe, viciada em drogas e mentalmente instável, muitas vezes desaparece por dias sem fim. É durante um desses sumiços que repentinamente as meninas se vêem diante de dois estranhos, que as tiram da floresta e as levam para um mundo novo e surpreendente de roupas, meninos e aulas. Agora Carey precisa enfrentar a verdade por trás do seu passado e decidir se vale a pena revelar um terrível segredo, que, caso descoberto, pode colocar em risco a segurança e a nova vida das duas irmãs.


Primeiro falemos da edição! Gostei muito da capa desse livro. Acho que ela captou o clima do livro em toda a sua essência. O livro conta também com um excelente trabalho gráfico e editorial, com um layout bem bacana.

Emily Murdoch gosta de poesia e livros. Mora atualmente no estado do Arizona, nos Estados Unidos. No Coração da Floresta, ou If You Find Me, é seu primeiro romance publicado em 2013 no Reino Unido.

“Mamãe diz que num importa o quanto as pessoas sejam pobres, mesmo que você seja um ricaço, um duro ou alguma coisa no meio do caminho, o mundo dá o que tem de melhor quase de graça.”  – Pág. 13

No Coração da Floresta é um livro narrado em primeira pessoa, na ótica de Carey. Ela é levada pela mãe problemática e viciada para longe do mundo civilizado, internadas em uma floresta. Algum tempo depois, nasce Janessa. Os anos passam num fluir de pobreza e deploração. Carey está com 15 anos e Janessa com 6 anos quando largam a floresta e vão morar na cidade. Durante muito tempo elas suportaram um mundo de privação e os vícios e distúrbios mentais da mãe. Até o dia em que a genitora desaparece. Após alguns dias de sumiço, a vida de Carey e Janessa muda drasticamente.

Comentários via Facebook

6 on 6: Crianças da Literatura

13 outubro 2015
Postado por Livy

Olá, pessoal! Vamos a mais um post do Projeto 6 on 6? Em comemoração ao Dia das Crianças o tema do mês é Crianças da Literatura e o objetivo é mostrar crianças da literatura que mais gostamos, nos identificamos, etc. Confesso que foi bem difícil escolher, e ainda mais achar os livros na minha estante (sério, tem livros empilhados por todos os cantos). E não achei todos os livros que queria indicar (#chateada), por isso trouxe alguns dos livros com protagonistas crianças que mais gosto e que me marcaram ou me cativaram de alguma forma! Vamos conferir? 



// Dorothy e Alice.  São clássicos que eu não poderia deixar de mencionar! Ambas tem algo de força, determinação e coragem em suas personalidades. Além de que adoro a aventura que cada uma delas vive... vivendo uma longa jornada de fantasia, dificuldades e desafios. São sem dúvida duas das minhas personagens infantis preferidas.

// As Crônicas de Nárnia. Susana, Lúcia, Pedro e Edmundo... Mais alguns dos personagens da literatura infantil clássica que eu adoro! Fora que o mundo de Nárnia é fascinante!

// A Quase Honrosa Liga de Piratas. Hilary e sua gárgula vivem muitas aventuras no mar nesta série. Eu adoro histórias de piratas, e não havia lido nada do tipo com protagonista criança. Ainda mais protagonista feminina! Então adorei!

// O Pequeno Príncipe. Por último, mas não menos importante! É claro que entre estas indicações não poderia faltar o amor maior da minha vida que é este livro clássico e maravilhoso, com o protagonista de uma bela história como essa!

E é isso pessoal! Ficam aqui minhas indicações e algumas das crianças literárias que admiro. Gostaram do post e das fotos? Também não deixem de conferir os posts das outras meninas participantes do projeto:  Ana e BiaLu, Mari, Mily e Tamy. 

Beijos e até o próximo post! 

Comentários via Facebook

[Resenha] Filha da Floresta, de Juliet Marillier

06 outubro 2015
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788588477971
Série: Sevenwaters, vol. 1
Tradução: Yma Vick
Ano de Lançamento: 2012
Número de Páginas: 608
Editora: Butterfly
Classificação: ♥♥♥♥  Favoritado!
O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos… Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da Natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que os transformou de bravos guerreiros em belos cisnes selvagens… Os invasores da floresta, os salteadores de além-mar, os bretões e os vikings, estão todos decididos a destruir este lindo paraíso. Porém, o mais urgente para os guardiões de Sevenwaters é destruir o mal sombrio que se introduziu em seu domínio: Lady Oonagh, uma feiticeira, bela como o dia, mas com um coração negro como a noite. Landy Oonagh conquista Lorde Colum, mas não consegue encantar a prudente Sorcha e seus bravos irmãos. Frustrada por não conseguir destruir a família, ela aprisiona os jovens guerreiros com um feitiço que somente a força silenciosa de Sorcha pode quebrar. Se falhar, todos continuarão encantados e morrerão! Mas os seres da floresta veem Sorcha como sua filha e a colocam sob a guarda de um destemido guerreiro, porém o preço dessa proteção é abandonar a segurança de tudo o que conhecia para seguir até terras estrangeiras e hostis… Em pouco tempo, a jovem se vê dividida entre o seu dever, que significa a quebra da maldição que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção. 

Juliet Marillier é uma escritora neozelandesa nascida na cidade de Dunedin, em 1948, que se firmou como autora de romances de fantasia histórica, principalmente inerentes à cultura celta. Seus livros são cultuados e lidos em todo o mundo e já foram vencedores de diversos prêmios literários. Ao todo Juliet Marillier já recebeu 14 prêmios entre os anos de 2000 à 2015. Filha da Floresta foi finalista de duas premiações em 1999 e 2000, mas só foi premiado em 2001 e 2010.

Juliet Marillier publicou cinco séries de fantasia, entre elas a Saga Sevenwaters, com o primeiro volume: Filha da Floresta, seguido de Filho das Sombras e Filha da Profecia. Essa trilogia fez tanto sucesso que rendeu uma continuação com O Herdeiro de Sevenwaters, seguido de A Vidente de Sevenwaters e A Chama de Sevenwaters.

“Filha da Floresta é um romance baseado no conto germânico dos Irmãos Grimm, Os Seis Cisnes. Além dos clássicos elementos das fábulas… o romance descreve uma história de coragem vinda de perdas, e de vidas modificadas para sempre. (…) Em minha história, abordo dilemas humanos dentro de um contexto de fantasia, pois o objetivo dos contos é descrever experiências difíceis e mostrar o que há de melhor e pior no ser humano.” – Juliet Marillier (em Nota da Autora, do livro).

Filha da Floresta é um conto maravilho transformado em romance histórico. E a sua beleza começa já pela belíssima capa da edição brasileira pela Editora Butterfly. A composição gráfica do livro é igualmente belíssima, com ótima diagramação, ortografia e tradução impecáveis.

E sobre a história: adorei!!!! Para ser sincera, só o fato de ser um livro de fantasia histórica já ganhou uma estrela na minha consideração final. E só por isso, do meu ponto de vista, Filha da Floresta merece nossa atenção e leitura. É um romance que possui todos os elementos de um livro de sucesso:

Comentários via Facebook

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por