[Resenha] Eu Sou a Lenda, de Richard Matheson

05 janeiro 2016
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576572718
Tradução: Delfin
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 384
Editora: Aleph
Classificação: ♥♥♥ 
Sinopse: Uma impiedosa praga assola o mundo, transformando cada homem, mulher e criança do planeta em algo digno dos pesadelos mais sombrios. Nesse cenário pós-apocalíptico, tomado por criaturas da noite sedentas de sangue, Robert Neville pode ser o último homem na Terra. Ele passa seus dias em busca de comida e suprimentos, lutando para manter-se vivo (e são). Mas os infectados espreitam pelas sombras, observando até o menor de seus movimentos, à espera de qualquer passo em falso… Eu sou a lenda, é considerado um dos maiores clássicos do horror e da ficção científica, tendo sido adaptado para o cinema três vezes. 

Richard Matherson (1926-2013), foi um escritor, roteirista e colunista estadunidense, bacharelado em jornalismo, que se notabilizou por escrever romances de terror, ficção científica e fantasia. Iniciou sua carreira em 1950, escrevendo contos. Seu primeiro livro, Someone is Bleending, surgiu em 1953. A partir daí, Matherson acumulou sucessos literários como: Eu Sou a Lenda (1954); The Shrinking Man (1956); Hell House (1971); What Dreams May Come (1978); entre outros.


Muitos de seus livros tornaram-se filmes, como Eu Sou a Lenda, filmado em 1964 com o título de The Last Man on Earth (O último homem na Terra), estrelado pelo ator Vicent Price, e na versão de 1971, com o título The Omega Man, estrelado pelo ator Charlton Heston; e duas novas versões em 2007: I Am Legend, com Will Smith, e I Am Omega, com Mark Dacascos.

Richard Matherson também colaborou com séries de TV, como Além da Imaginação e Star Trek, a série original. Em 63 anos de carreira como escritor, produziu mais de 28 livros e quase uma centena de contos. Dois filmes baseados em seus livros merecem destaque pela qualidade literária, voltado para o amor e o enlevo espiritual: Em Algum Lugar do Passado (1980), estrelado por Christopher Reeve e Jane Seymor; e Além da Vida (1998), estrelado por Robin Willians – os quais eu recomendo que assistam, pois são filmes belíssimos!


Esta edição da Editora Aleph de Eu Sou a Lenda ficou um primor; uma edição espetacular para os fãs de Matherson e colecionadores das boas edições da editora. Eu me incluo entre eles. Primeiro, porque sou fã de Eu Sou a Lenda desde que assisti ao filme estrelado por Will Smith. Depois, porque vi o original baseado no livro, de 1964, em preto e branco; segundo, porque ao ler o livro, o primeiro de Matherson que leio, acabei me apaixonando por sua escrita. Portanto, Eu Sou a Lenda é altamente recomendado, pois é uma ótima ficção de terror, bem diferente do que eu vi nos filmes que nele se basearam.


"O mundo ficou louco, pensou. Os mortos andam por aí e eu acho isso normal."

Eu Sou a Lenda é um clássico, e como todo clássico ele tem cunhado em si a época em que foi escrito; ou seja, a cultura e a tecnologia da ocasião. Mas, o mais interessante deste livro é que ele é atual. O quadro apocalíptico que Matherson criou é tão probabilístico que só de pensar que um vírus poderia transformar a humanidade em uma nova espécie, notívaga e devoradora de sangue, prestes a se extinguir, tendo em Richard a perspectiva funesta do único e último expoente do que fomos, é aterrorizante, só pra dizer o mínimo. Se transportarmos a situação descrita no livro, que se inicia em 1976 com o vírus devastando o mundo e transformando as pessoas em vampiros, para época atual, certamente a tragédia seria muito pior.


Há que se lembrar que Matherson criou um novo gênero dentro do tema "vampirismo", inovando-o, numa época em que todos estavam cultuando livros de ficção científica, voltados para a possibilidade de um dia o homem chegar à lua. A Guerra Fria estava apenas começando. Então, é de se admirar, e até louvar, a sua criação que, na década de 1950, trouxe ao gênero terror um novo e aterrorizante aspecto ao unir terror com ficção científica. Sensacional, não é mesmo?


Portanto, para os que acham que o tema “vampiros” e “apocalipse” é recorrente, batido e saturado, lembre-se disto: Matherson foi o precursor, o pai de todos esses livros distópicos que hoje abundam as estantes mesclando vampiros e sci-fi com anjos e demônios intercalados em suas fileiras. Bom, para quem ainda não leu, leia. Este eu recomendo! 

Comentários via Facebook

3 Comentários:

  1. Olá Livy,
    O layout está realmente lindo. Muito fofo.
    Esse livro está na minha lista de desejados. Sua resenha está ótima e me convenceu a adquirir nessa próxima compra.
    Beeeeeeeijos.

    http://www.leituradelua.com

    ResponderExcluir
  2. Ai que máximo! Eu adoro o filme e estou paquerando o livro desde que vi essa capa linda da Aleph! Deixa ele dar bobeira numa promoção que vou acabar comprando, hahah.

    Beijos,
    www.naestradadafantasia.com

    ResponderExcluir
  3. Ele me chamou muito a atenção pela capa e as ilustrações uma vez que vi na Saraiva, mas acabei não comprando. Agora na última Black Friday comprei! Estou louca pra ler :)
    Bjs!

    www.1livro1filme.com.br

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por