[Resenha] Planeta dos Macacos, de Pierre Boulle

18 abril 2016
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788576572138
Tradução: André Teles
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 216
Editora: Aleph
Classificação: ♥♥♥ 
Sinopse: Em um futuro não muito distante, três astronautas pousam em um planeta bastante parecido com a Terra. Repleto de florestas luxuriantes e um clima ameno e ar perfeitamente respirável. Mas esse lugar – um pretenso paraíso – não é o que parece. Em pouco tempo, os desbravadores do espaço descobrem a terrível verdade nesse mundo, seus pares humanos não passam de bestas selvagens a serviço da espécie dominante… os macacos. 

Pierre Boulle nasceu em Avinhão, França, em 1912. Formou-se em engenharia e trabalhou como técnico. Durante a Segunda Grande Guerra, Boulle alistou-se na Indochina farncesa. Entrou para o movimento França Livre, em Singapura, quando os Alemães invadiram e tomaram a França. Em 1950, Boulle publicou o seu primeiro livro, William Conrad. A Ponte do Rio Kwai (1952), foi adaptado para os cinemas em 1957. Esse foi o terceiro livro do autor; cinco livros depois, em 1963, Boulle publica O Planeta dos Macacos, o qual seria adaptado para as telonas em 1968, e que deu ao autor o seu justo reconhecimento. Depois disso, até 1992, foram outros 14 livros de considerável expressividade, todos editados em língua francesa. 

Essa edição que estou resenhando, editada pela Editora Aleph, é um show. Uma ótima pedida para quem é fã e, principalmente, para quem é saudosista. Além de um formato em brochura que parece uma agenda, o livro tem uma capa bastante intimista, grotesca, que arremete ao contexto do enredo. O layout do livro é muito legal, pois parece que todo ele foi pintado e rabiscado por um chipanzé. 


Se você viu o filme de 1968, com o ator Chalton Reston no papel principal, ou as suas continuações, ou mesmo as posteriores refilmagens, fique sabendo que os filmes são apenas baseados no livro. Ao ler o trabalho de Pierre Boulle, nós redescobrimos o universo de O Planeta dos Macacos. Eu mesma fiquei muito empolgada com a trama em si, bem mais interessante, em termos de leitura, do que vemos nos filmes. 

O ponto mais impactante do livro é o estado fóbico que Boulle conseguiu criar no livro. Asfixiante, também seria um termo bem adequado. A cada página, a medida em que Ulisses tenta sobreviver a um mundo dominado por símios, onde humanos são tratados como animais, a tensão, a ansiedade, o nervosismo só tende a crescer. A cada capítulo – e todos eles são bem curtinhos (graças a Deus!) -, com a tensão aumentando e nos obrigando a continuar lendo, eu me punha no lugar dele e me fazia a seguinte pergunta: e se isso acontecesse de verdade?

Imaginem só, de um dia para o outro, toda a humanidade deixasse de ser o topo da cadeia alimentar e passasse a ser dominada por uma outra espécie que nos sobrepujasse, não apenas em força bruta, mas em inteligência; ou pior, em perversidade, maldade? 

Penso que Pieere Boulle, ao escrever esse livro, no início da Guerra Fria, tinha em mente fazer uma crítica social e política para as pessoas do seu tempo; principalmente para os políticos. Mais ou menos nesses termos: "Enquanto você ficam correndo atrás de armas atômicas, tentando descobrir quem é o mais poderoso e o mais louco a ponto de levar a Humanidade de volta à Idade da Pedra, uma nova espécie poderia vir a substituí-los e fazer isso por vocês."

Claro que com uma ajudinha com os artefatos nucleares que foi, até meados da queda do Muro de Berlim, em 1991, o maior temor das pessoas no mundo todo, principalmente dos Europeus e Norte-Americanos: a Guerra Nuclear. 

Adorei o livro! Boulle é um escritor muito competente e versátil. O Planeta dos Macacos cativa não só por sua ferocidade, pela profundidade apocalíptica, mas, principalmente, por mostrar até que ponto a nossa espécie pode chegar para aniquilar-se. Isso para não dizer, suicidar-se!

O Planeta dos Macacos é um clássico da literatura moderna. Uma obra digna de uma humanidade que ainda não encontrou um sentido para a sua existência nesse mundo. Portanto, leitura obrigatória para os que gostam de ficção científica de primeira e acreditam que esse mundo tem solução: não só precisamos começar a mudar o nosso modo de pensar, agir e viver, se quisermos que a Vida faça algum sentido para nós! Recomendo!



Comentários via Facebook

4 Comentários:

  1. Oi Livy! Amei a resenha. Não conhecia a editora. Parece uma ótima leitura!
    Beijoca

    Blog Resenhando por Marina

    ResponderExcluir
  2. Oi, Livy! Acompanho seu blog e gosto muito das suas resenhas. Eu gostaria de saber se você vai escrever sobre os livros "Star Wars - Herdeiro do Jedi" e "Star Wars - Darth Plagueis", pois sei que é fã da saga (já li suas resenhas dos outros livros de SW publicados no Brasl). Valeu! Abraços e sucesso, hoje e sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcelo! Muito obrigada pelo carinho! Fiquei muito feliz com seu comentário! Vou sim, em breve vai ter resenha dos dois por aqui :)
      Abraços!

      Excluir
  3. Ôba!!! Vou querer ler as suas resenhas desses 2 livros e saber sua opinião. No momento, eu estou lendo "Star Wars - Herdeiro do Jedi" e estou gostando muito do uso da narrativa em primeira pessoa e conhecendo o Luke Skywalker num momento em que não é mostrado nos filmes. Quanto ao "Darth Plagueis" comprei hoje e vou ler em seguida. Valeu, Livy. Que a Força esteja sempre com você!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por