[Resenha] Indo Longe Demais, de Tina Seskis

16 maio 2016
Postado por Livy


ISBN:  9788501068224
Tradução: Regiane Winarski
Ano de Lançamento: 2014
Número de Páginas: 308
Editora: Record
Classificação: ♥♥♥♥♥ 
Sinopse: Emily Coleman tem uma vida aparentemente feliz, um filho adorável e um marido perfeito, mas, numa certa manhã, decide deixar tudo para trás... Para onde ir agora? O que fazer? Emily está perdida, sozinha no mundo e, por mais que ela tente, não consegue fugir de um passado perturbador.Com uma narrativa ágil e instigante, Tina Seskis conduz o leitor por frustrações, medos e traumas da protagonista que, depois de uma reviravolta em sua vida perfeita, decidiu que o melhor a fazer seria fugir do próprio destino. Com um final surpreendente e uma trama de tirar o fôlego, Indo longo demais é um suspense fascinante, que prende o leitor do início até a última página. 

Será que fugir é a melhor opção?

Indo Longe Demais é o primeiro livro da escritora inglesa Tina Seskis, que já publicou outros dois livros desde então: A Serpentine Affair; Six Femmes. No final do livro, na Nota da Autora, Saskis conta que começou a escrever o livro em 2010, “quando minha mãe estava ficando inexplicavelmente mal, e eu a encorajava a ler os capítulos para que seguisse em frente, sem saber onde a história ia dar.” Saskis completou a primeira versão do livro alguns dias antes da mãe, Sylvia Blache Harrison, falecer, em 3 de julho de 2010. O livro é uma homenagem à mãe. 

Saskis tem um jeito peculiar de escrever. Seus personagens, bem como a sua narrativa, são urbanos e caracterizam o modo de vida dos ingleses. Não obstante, não muito diferente do modo de vida da maioria da população urbana do planeta, onde os valores materiais e o consumismo desenfreado, egoísta em sua maioria, está em constante conflito com os valores morais e éticos de seres humanos que tentam encontrar a sua Humanidade.


A trama de Indo Longe Demais é focada numa espécie de thriller policial que versa pelo existencialismo, do que pelo suspense, propriamente dito. Não que o suspense não exista no livro, ele só não é tão evidente como deveria ser num romance do gênero policial. Está mais para um drama, onde as personagens vão se mesclando umas as outras para compor um drama pessoal, do que para um Thriller psicológico.

A narrativa é dita ora em terceira pessoa, ora em primeira pessoa, na ótica de Emily, indo do nascimento de Emily e de sua irmã gêmea, Caroline, até os dias presentes. No entanto, esse vaivém temporal é confuso, pois Saskis só faz distinção entre eles quando narra o capítulo em terceira pessoa, quando aí sabemos que está no pretérito, e quando o narra em primeira pessoa, transportando-nos de volta ao momento presente.

Se não há suspense, há, pelo menos, uma certa dose de mistério relacionado à fuga de Emily, que é mantido desde o nascimento das gêmeas até o desfecho final. O qual, a meu ver, não chega a surpreender, ficando a desejar pelo tanto que a sinopse e a primeira metade do livro nos promete.

O começo da trama é bem interessante, envolvendo-nos na narrativa concisa e bem detalhada de Saskis, mas, à medida em que vamos mergulhando na vida íntima de Emily, conhecendo outros personagens e seus dramas pessoais, a leitura torna-se um tanto enfadonha da metade em diante, melhorando um pouco só mais para o final.

O crédito de Tina Saskis foi criar uma personagem forte com uma personalidade comum e factível, com problemas existenciais vivendo uma vida cheia de medos, incertezas, defeitos e de aceitação, cuja personalidade tenta dissociar-se do passado conflituoso e encontrar um caminho seguro rumo ao futuro incerto.

Como no dizer da própria Saskis, “para seguir em frente”, a despeito dos problemas, dos defeitos, das mazelas da vida e das incongruências do cotidiano… esquecer o passado, curar as feridas e continuar andando, sempre em frente. 

Comentários via Facebook

5 Comentários:

  1. Gente do céu, como que eu não conhecia esse livro? Adoro os que tem um pouco de suspense mas fiquei com um pé atrás em relação ao que você disse sobre ele não surpreender, só me resta agora ler.

    http://idealizandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Livy, tudo bem?
    Indiquei uma tag para você lá no blog.
    Beijos

    http://quantomaislivrosmelhor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá! :)
    Descobri seu blog procurando a resenha de "Encontra-me em Vila Rica". Não encontrei, infelizmente, mas fica uma sugestão.
    Estou acessando seu blog pelo celular, então talvez o meu acesso seja reduzido. Mas acho que seria muito bom um mecanismo de busca. Gostei muito do trabalho que você faz aqui, seria um prazer ler publicações antigas também.

    Boa noite <3

    ResponderExcluir
  4. Oi Livy,
    Eu tentei ler esse livro, mas simplesmente não deu para aguentar até o final. Acho que li umas 100 páginas, no máximo.
    Achei a estória enrolada, forçada e não deu para levar a sério a protagonista.
    Comecei a ler esperando um suspense, mas pelo andar da carruagem me parecia que iria enveredar para um drama.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Comprei esse com créditos que tinha num sebo. Quando ler eu comento o que eu achei

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por