Crítica Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos

26 junho 2016
Postado por Livy


Sinopse: O mundo pacífico de Azeroth está à beira de uma guerra enquanto sua civilização enfrenta uma raça temível de invasores: guerreiros Orcs fugindo de sua casa moribunda para colonizar um novo lugar. Enquanto um portal se abre para conectar os dois mundos, um exército enfrenta destruição e o outro enfrenta a extinção. De lados opostos, dois heróis são colocados em um caminho de colisão que decidirá o destino de suas famílias, seu povo e seu lar. Então, uma saga espetacular de poder e sacrifício começa, onde a guerra tem muitas faces, e todos lutam por algo. 

Eu ainda não li nenhum livro da saga Warcraft e muito menos joguei o videogame homônimo, mas me apaixonei pelo filme. A qualidade gráfica, os efeitos sonoros e trilha sonora, as cenas de luta, o ritmo quase contínuo de aventura e ação, os cenários medievais e fantásticos, personagens variadíssimos, torna Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos um grande candidato a criar uma tendência no cinema hollywoodiano: os de videogames de RPG que fizeram sucesso nos consoles e que poderão vir a se tornar filmes, como: Diablo, The Elder Schroll's, Fallout, Dragon Ages Origins, Neverwinter Nights, The Witcher, entre outros, citando aqui apenas alguns dos mais conhecidos; principalmente os videogames da Blizzard, produtora de World of Warcraft, Diablo e Starcraft, entre outros. 


O filme Warcraft ficou a cargo do diretor Ducan Jones, filho do popstar David Bowie. Ele foi diretor dos filmes "Lunar" (2009) e "Contra o Tempo" (2011). Ele também assina o roteiro com Chris Metze, gamer designer da Blizzard para os games Diablo, World of Warcraft e Starcraft, e de Charles Leavitt, roteirista do filme "No Coração do Mar", remake do clássico "Mobi Dick". Por aí se vê que a Universal Studios e a Blizzard, esta última detentora dos direitos autorais do videogame World of Warcraft, apostaram alto no time que compõem a parte técnica do filme Warcraft. 

O elenco também não ficou a desejar, com destaque para os atores que interpretam Durotan (Toby Kebbell), Garona (Paula Patton), Medivh (Ben Foster), Aduin Lothar (Travis Fimml), Lady Tara (Ruth Negga), Blackhand (Clancy Brown), Gul'dan (Daniel Wu) e Haddgar (Ben Schnetzer). 

O que me empolgou em Warcraft? Eu poderia dizer TUDO, pois amei o filme. Mas, três coisas me cativaram:

1- A história, ou drama, de Durotan, sua esposa e o nascimento igualmente dramático do seu filho e único herdeiro, e o fim que a família foi conduzida ao longo do filme, sempre de forma dramática e envolvente, pra não dizer emocionante; 


2- A luta de Garona, a mestiça Orc-Humana, para tornar-se livre e conquistar o seu lugar entre os dois mundos em guerra; a forma como ela consegue isso é muito interessante, igualmente dramática e emocionante.

Pausa! Agora você talvez esteja pensando: "Tá bom, mas, pera aí! Você tá falando de um filme de ação, aventura e fantasia, ou tá falando sobre um drama?" Pois é, além de ser um ótimo filme de ação, aventura e fantasia, Warcraft não deixou pra menos na questão drama e emoção. Há várias cenas emocionantes no decorrer do filme, e eu poderia citar uma dúzia delas, mas não quero estragar a diversão de ninguém. Mas, tenho a minha favorita dentre elas, e está no momento de maior luta de Durotan e sua esposa para salvar seu herdeiro da morte. 


Outra parte emocionante no filme, que merece destaque, é um resgate suicida e dramático que Aduin Lothar faz em meio uma luta feroz entre Orcs e Humanos, quase no final do filme que, a meu ver, só essa cena já pagou o ingresso. 

3- Warcraft é uma história repleta, pra não dizer recheada, dos principais elementos do gênero fantasia, com uma qualidade gráfica de cair o queixo. Coisa similar nós só vamos encontrar em O Senhor dos Anéis, de Peter Jackson. 

Os efeitos especiais ficaram a cargo da fabulosa Industrial Light&Magic, de George Lucas, responsável por efeitos especiais de filmes da Saga Star Wars, Indiana Jones, Capitão América: Guerra Civil, Terminator Genesys, Jurassic Park, Jurassic World, entre outros títulos de sucesso. 


E volto a dizer, a Blizzard, produtora de ótimos videogames de sucesso mundial, acertou em cheio com essa franquia cinematográfica, lançando, com toda certeza, uma brecha para títulos de peso a serem projetados nas telonas do cinema em um futuro próximo. Só para se ter uma ideia desse imenso sucesso, Warcraft já arrecadou mais de 400 milhões de dólares em todo o mundo, superando franquias de sucesso adaptadas dos videogames, como: Príncipe da Pérsia, Tomb Raider, Angry Birds, Residente Evil 4: O Recomeço, Final Fantasy, etc.

Do meu ponto de vista, Warcraft atende a todos os gostos, a partir do público juvenil até o adulto. É uma excelente adaptação cinematográfica de uma dos videogames de RPG mais cultuados no mundo, com fôlego suficiente para emplacar novas continuações, como faz a Marvel, a DC Comics e outras produtoras de entretenimento jovem, que estão apostando massivamente em Hollywood. E nós, aficionados por cinema, agradecemos!



Comentários via Facebook

6 Comentários:

  1. Oi Livy, confesso que não estava animada para ver o filme. Nunca tive contato com essa história por nenhum dos meios que existem, mas depois de ler aqui, fiquei curiosa para saber um pouco mais. Acho que vou ver o filme.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  2. Oi Livy
    Eu tô louca pra ver esse filme mas não consegui ir ao cinema
    Essa semana vou tentar ir ao cinema, mas n sei se o horário disponível vai ser bom pra mim!
    Adorei a resenha, me deixou mais ansiosa!


    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Livy,
    Eu não fiquei muito animada com o filme, não.
    Quando li sua resenha, vi que era completamente diferente do que eu havia pensando.
    Com toda certeza vou ver, parece muito bom.

    Beijos.

    Leitura de Lua

    ResponderExcluir
  4. Oii Livy,
    Tive que ler sua resenha, porque faz tempo que to com vontade de ver esse filme e não sabia se valeria a pena, e agora percebo que vale!!
    Amei sua crítica positiva nos faz ficar mais ainda curiosos para assistir!

    Beijo carinhoso
    • Senhorita Inspiradora

    ResponderExcluir
  5. oi livy,

    eu não fui muito animada para ver o filme no cinema mais
    o filme e totalmente diferente ,ele e ótimo ,amei o filme !

    Sua resenha ficou ótima !

    ResponderExcluir
  6. oi Livy,

    eu amei o filme mesmo não estando animada para ir vê no cinema mais no final acabei gostando muito de ter visto o filme !

    amei sua resenha sobre o filme WARCRFT .

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por