Filme Alice Através do Espelho

03 junho 2016
Postado por Livy



Hey, gente! Como estão? Vamos falar de cinema hoje? Quem não sabe, que fique sabendo agora: sou viciada neste mundo de Alice no País das Maravilhas. O filme Alice Através do Espelho acabou de sair nas telonas e, claro, já fui logo conferir! Faz um tempinho que eu não vinha falar sobre algum filme que assisti por aqui, e resolvi conversar com vocês sobre ele. 

Aí você pensa: "Miga, sua louca, você fazendo crítica de filme?". Antes de mais nada, não sou crítica de cinema, longe disso! Não vou ficar aqui analisando e esmiuçando sobre detalhes técnicos do filme, nem nada parecido. Só vim mesmo abrir meu coração com vocês! E falar o que senti assistindo ao filme


Vamos do começo: eu amei o primeiro filme, Alice no País das Maravilhas, de 2010, dirigido pelo Tim Burton. Sou suspeita, já que adoro os trabalhos dele! O que mais me chamou atenção no filme foi a atmosfera mais densa, nonsense, sombria e bizarra até, que só poderia vir da mente de Burton e que caracterizou bem a sensação que é ler a obra de Lewis Caroll, apesar de não seguir fiel ao livro. Gostei do modo como ele deu um ar mais adulto à história, assim como a força feminina que Alice (Mia Wasikowska) representou no filme.

Agora temos o segundo filme da franquia, Alice Através do Espelho. Estava bem ansiosa para conferir, justamente por ter adorado o primeiro.


Com o lema de que tudo é possível, e contrariando qualquer padrão imposto pela sociedade, temos uma Alice dona de seu próprio nariz, capitã do navio Wonder, herança de seu pai. Hamish Ascot (Leo Bill), assume os negócios do pai de Alice e quer sua mãe assine um acordo no qual ela teria que entregar seu navio em troca da hipoteca da casa. Assim, ela teria que abandonar sua vida de aventuras para trabalhar no escritório de Hamish. Tudo o que Alice não quer, claro!

Em meio a uma festa na casa dele, ela reencontra Absolem (Alan Rickman) que a guia até um espelho, atravessando-o. Indo atrás, Alice se vê novamente no País das Maravilhas, e reencontra nossos queridos personagens, A Rainha Branca, o Coelho Branco, o Gato de Cheshire, o Dormidongo, a Lebre de Março, e os irmãos Tweedles. Ela então descobre, através deles, que seu grande e querido amigo, o Chapeleiro Maluco, está definhando, muito triste e doente, por não saber o que de fato aconteceu com sua família anos atrás, e cabe à Alice correr contra o tempo (literalmente) para salvar seu amigo e descobrir a verdade.


No geral gostei do filme, apesar de que esperava um pouco mais. Ele é uma "gracinha", agradável, com belas mensagens, belo visual e muito colorido, mas não me surpreendeu e acabou se tornando "mais do mesmo". Achei este um pouco infantil demais em alguns momentos. Bem diferente do que senti assistindo ao primeiro. O que o antecessor ganhou em originalidade e maturidade, este segundo deixou um pouco a desejar, apesar de aqui termos uma Alice mais madura e segura de si.

Achei que sob a direção de James Bobin e roteiro de Linda Woolverton, a atmosfera que encontramos no original mundo de Alice e no primeiro filme, se perdeu um pouco, ganhando um estilo totalmente diferente, bem mais familiar e juvenil, primando mais pela emoção do que dando ênfase ao mundo maluco que Alice encontra no País das Maravilhas. O ponto positivo é que o filme ganhou mais ritmo e é bem mais dinâmico que o primeiro, tendo mais aventura.

Mas, peraí, é a mesma roteirista do primeiro filme minha gente!? Como pode isso? Mesmo tio Burton estando na produção do filme, não conseguiu salvar a atmosfera tão característica do mundo que encontramos no País das Maravilhas. Foi justamente o fato de eu não conseguir sentir que estava lá, que me decepcionou um pouco. Estava em um mundo colorido e lindo, mas não exatamente no País das Maravilhas.


O que garante emoção é o poder e o laço de amizade entre Alice e o Chapeleiro Maluco, e o drama da Rainha Vermelha. A principal atração são as atuações! Mia Wasikowska em seu papel de Alice, arrasa novamente, mostrando e mantendo a força feminina no filme. Helena Bonham Carter, como a Rainha Vermelha, está novamente impecável. Aqui vemos um lado dela que não conhecíamos, entendendo como e por que ela se tornou amargurada, e devo confessar que cheguei a simpatizar com ela. Johnny Deep, como sempre, arrasa. Foram eles que deram luz e brilho ao filme, e que me fizeram ficar vidrada assistindo. Já Anne Hathaway que me perdoe, mas sua personagem, a Rainha Branca, ficou muito morna e sem vida nesta sequencia. 


O filme traz questionamentos interessantes, como por exemplo, o papel feminino na sociedade - em uma época em que a mulher tinha que se submeter à ditames de uma cultura completamente machista. Também temos reflexões bem bacanas sobre amor e amizade. Percebi que uma das principais mensagens do filme é justamente a do poder que o amor e a amizade têm, de transformar, de manter a sanidade e a vida, de dar força e coragem. Também temos uma bela mensagem sobre família, perdão e paciência. E ainda uma reflexão sobre o poder do tempo e sua passagem, sabermos aproveitá-lo, pois cada segundo, minuto, hora, dia e ano é precioso e um presente.


Apesar de não ser uma adaptação fiel à obra ou à atmosfera sombria criada por Lewis Carroll, ou ao estilo maravilhoso de Tim Burton no primeiro longa, Alice Através do Espelho é um filme que funciona bem como aventura e fantasia, e é ótimo para quem quer diversão despretensiosa. Bem no melhor estilo "familiar" Disney de ser. É agradável, e como entretenimento, valeu a pena assistir, sim.

Beijos e até o próximo post! 


Comentários via Facebook

3 Comentários:

  1. Oii Livy!!
    Ainda não assisti, mas maioria tiveram essa expressão mesmo do segundo filme. Sinceramente estava mal empolgada no começo, mas agora prefiro não criar grandes expectativas pra não me decepcionar. Mas mesmo não irei porque gosto mundo da Alice então rsrsrs.
    Ameii sua resenha esta perfeita!!

    Beijo carinhoso da Kaa
    • Senhorita Inspiradora

    ResponderExcluir
  2. Oi Livy!
    Eu também ADORO o Tim Burton. Fui assistir ao primeiro Alice com toda a empolgação e curti, mas não foi tudo o que eu esperava. Achei lindo em todos os aspectos visuais, mas sei lá...faltou alguma coisa. Quanto ao segundo, ainda não tive oportunidade de ver. Que pena que vc achou que caiu no mais do mesmo. Mas que bom que valeu mesmo assim..
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não assisti O.O
    Mas, estou ansiosa desse lado *_*

    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por