[Resenha] Os Amantes de Hiroshima, de Toni Hill

09 junho 2016
Postado por Livy

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788584190409
Tradução: Fátima Couto
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 504
Editora: Tordesilhas
Classificação: ♥♥♥♥ 
Sinopse: Em uma cidade que se ergue contra os poderosos, há segredos que continuam debaixo da terra. Em maio de 2011, em uma casa abandonada perto do aeroporto, a polícia de Barcelona encontra dois mortos envoltos em uma mortalha de flores. Abraçados, eles foram ali sepultados junto com uma grande quantia de dinheiro. Héctor Salgado e sua equipe são encarregados da investigação, um quebra-cabeça cercado de pistas demais. Enquanto isso, o inspetor Salgado, mais do que nunca unido à agente Leire Castro na busca por sua ex-mulher, também precisará investigar o que nunca imaginara até chegar à obscura origem do desaparecimento de Ruth e a uma verdade de consequências trágicas e imprevisíveis. 

Os dois primeiros romances de Toni Hill, protagonizados pelo inspetor Héctor Salgado, foram publicados em mais de vinte países, com grande êxito de venda e de crítica: O Verão das Bonecas Mortas (Tordesilhas, 2013) e Os Bons Suicidas (Tordesilhas, 2014), cujas resenhas vocês podem conferir aqui no blog.

Achei linda a capa desse terceiro livro da série Hector Salgado, menos intimista que as versões dos livros anteriores. O livro parece volumoso à primeira vista, mas a impressão fica apenas por aí, pois ao começarmos a leitura, ela flui rápida e agradável, por conta das letras grandes e a escrita cativante do autor.

Hector Salgado está de volta nesse terceiro volume da série para seu desfecho. E envolto em mais mistérios. Não somente um novo assassinato, mas o de fantasmas ainda não resolvidos no primeiro e no segundo livro. Um desses fantasmas que assombram a vida de Hector é o do desaparecimento de Ruth. Sem dúvida alguma, esse é o maior mistério por trás de Os Amantes de Hiroshima. Afinal de contas, quem acompanha a série desde O Verão das Bonecas Mortas, sabe que Toni Hill guarda o melhor para o final. Estava ansiosa para saber que fim levou a ex-mulher de Hector Salgado que desapareceu misteriosamente no meio de uma investigação complicadíssima em Os Bons Suicidas. E Toni Hill nos dará essa resposta, e outras, que vínhamos formulando desde o livro anterior, em meio ao novo caso de homicídios sobre o qual ele se debruça, a morte de um casal de jovens, mortos há sete anos.

O livro é dividido em 4 partes: As Vítimas, Os sobreviventes, Os Abutres, Os Carrascos, onde Toni Hill tece uma trama com um tom denso, meio macabro, que vai ganhando forma, peso e cores sombrias à medida em que os personagens vão sendo construídos. São indivíduos presos a sentimentos de culpa, amargurados por coisas não foram feitas, remoendo vidas que se desfizeram no ar como bolhas de sabão. Hector mesmo continua sofrendo com a impossibilidade de investigar o sumiço de Ruth, por determinação de seus superiores. E isso o faz tecer várias reflexões que nos vão pondo a par de sua intimidade com a ex-mulher e o filho. Da mesma forma quanto aos outros personagens que, à medida em que a trama avança e se adensa, tanto no mistério quanto da dramaticidade, temos a oportunidade de conhecer-lhes o íntimo e relacioná-los não somente ao caso atual, mas, também, aos casos anteriores investigados por Hector. Desta forma, a trama se amplia e os faz rever, mentalmente, o que lemos nos livros anteriores que possa ajudar a solver o mistério do atual.

E por mais que Ruth não tenha sido uma personagem que mereça de nós leitores uma atenção especial, é o seu sumiço que nos faz atados à trama do começo ao fim. E, no fim, obviamente, Toni Hill nos apresenta os motivos, elucidando esse mistério. Fiquei pasma, confesso! Chega a ser até banal, mas plausível, e justo, dada a envergadura da obra composta por Hill. Desta forma, ao concluirmos, Toni Hill consegue a sua apoteose, firmando-se, uma vez mais, como um grande escritor de thriller policial de suspense.

Para os amigos leitores que desejam ingressar nesta série, recomendo fortemente que iniciem pelo primeiro livro da trilogia, O Verão das Bonecas Mortas. Se possível, leiam os livros na sequência, pois os lapsos de tempo, entre uma publicação e outra, em anos alternados, prejudica em muito a compreensão de alguns fatos, pois a trama deste terceiro livro conecta-se com as tramas dos livros anteriores, dando nó em algumas pontas que, propositadamente, Toni Hill deixou soltas. Entre 2004 e 2011, períodos temporais em que se passam as histórias, Os Amantes de Hiroshima nos leva ao passado e ao presente, introjetando-nos na mente e nos dramas de seus personagens.

Como um desfecho para os dois primeiros livros da série Hector Salgado, Os Amantes de Hiroshima a fecha com chave de ouro. Toni Hill garante que pretende, em algum tempo no futuro, retomar a série para uma nova trilogia. Aguardo com ansiedade!

Para os que gostam de thrillers, Os Amantes de Horoshima, assim como os livros anteriores, é leitura obrigatória!

Veja também:

O Verão das Bonecas Mortas
Os Bons Suicidas



Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. Romances policiais e de suspense sempre prende muita a atenção de leitores. Não conhecia esse Os amantes de Hiroshima, e nem o autor, bem interessante ampliar conhecimentos!!!

    bjos

    http://sejamaisvoceoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por