[Resenha] A Guerra que Salvou a Minha Vida, de Kimberly Brubaker Bradley

02 maio 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788594540263
Tradução: Mariana Serpa Vollmer
Ano de Lançamento: 2017
Número de Páginas: 240
Gênero: Drama
Editora: DarkSide Books
Classificação: ★★
 Favoritado!
Sinopse: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor. 
Hoje eu vim falar de um livro muito especial, que conquistou meu coração! A Guerra que Salvou a Minha Vida, da autora Kimberly Brubaker Bradley, lançamento DarkLove de Abril da editora Darkside Books, é o tipo de livro que chega de mansinho, sorrateiramente, despretensiosamente... E quando menos se espera, te ganha completamente. Amei tanto esta leitura que nem encontro palavras para explicar a vocês!

Tudo começa com nossa querida Ada, que vive com a mãe e o irmão mais novo, Jamie, em um modesto apartamento em Londres. A garota sequer sabe sua própria idade ou sobrenome. Ela deveria ser uma garota normal: brincar, correr, estudar. Mas tem um pé torto, que a "impossibilita" de andar, já que sua mãe a tranca dentro de casa e a maltrata, não a deixando sair. Tudo porque tem vergonha da deficiência da filha.

É com a ameaça da guerra que surge a grande oportunidade de Ada: fugir com seu irmão e partir para o campo, longe das ameaças dos bombardeios iminentes. Lá, em meio a uma linda vila no interior da Inglaterra, Ada e Jamie vão viver com a solitária Srta. Susan Smith. É aqui que a história de Ada verdadeiramente começa! 

O que mais me encantou nessa leitura foi a forma como todos os personagens foram desenvolvidos e apresentados: verdadeiros, imperfeitos, cheios de falhas e defeitos. Reais! Muito reais! Suas atitude, seus anseios, suas alegrias, suas revoltas. É tudo tão nítido e crível, que é fácil imaginá-los vivendo realmente aquela época e aqueles momentos. Este é um dos pontos mais encantadores da escrita de Kimberly.

Outra coisa que não falta em seu livro é emoção! Logo nas primeiras páginas me vi chorando pela crueldade com que Ada teve que viver em sua tenra idade. Durante todo o livro, me vi torcendo, ralhando, sorrindo, me emocionando, me condoendo, vibrando com Ada. A cada nova conquista. A cada nova descoberta. É tão lindo ver ela ultrapassando limites, suas próprias barreiras, medos e angústias.

É também incrível a sensibilidade com que a autora tratou o assunto da guerra, seus danos e seus efeitos. Tudo sob os olhos de Ada, descobrindo a si mesma e o mundo. Neste livro não temos apenas mais uma história que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, mas sim uma história poderosa sobre força, coragem, autodescobertas, amor e amizade. 

Ao final, com lágrimas aos olhos, senti meu coração transbordar de amor e ternura. Impossível não amar esse livro! 

Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por