Minha compra na Saraiva no Dia Internacional da Mulher

31 março 2017
Postado por Livy


Oi, gente! Hoje vim mostrar para vocês os livros que comprei na promoção especial que a Saraiva fez no Dia Internacional da Mulher. Todas as mulheres ganhavam um cupom de 50% de desconto nos livros. Nem preciso dizer que está foi a melhor promoção da vida, preciso? Comprei 10 livros (um não está aqui na foto pois é para uma promoção especial que vou fazer lá no Instagram), e só não comprei mais porque o dinheiro não dava. Olha só o que comprei:


Logo vocês vão poder conferir as resenhas de alguns deles por aqui! Estou especialmente curiosa para ler Quando a Bela Domou a Fera,  A Chave de Rebecca O Dia do Curinga. Também estou apaixonada por Telegramas, que tem uma edição belíssima! 

Comentários via Facebook

Conheça o livro "A Guerra que Salvou a Minha Vida", lançamento DarkLove

27 março 2017
Postado por Livy


Gente, estou apaixonada por esta edição de A Guerra que Salvou a Minha Vida, lançamento  do selo DarkLove da Darkside Books. E a editora mandou um kit lindo de surpresa para os parceiros! Que amor!! A Darkside é tiro atrás de tiro! 

Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos. Neste livro, a história é ambientada na Segunda Guerra Mundial e Ada, uma garota de 10 anos, que tem um problema na perna e sofre maus-tratos da mãe, se torna uma refugiada junto com o irmão mais novo. 

Segundo a editora, Kimberly Brubaker Bradley, autora do livro, consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa. Além disso, mostra a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios.

Este é um livro que promete muita emoção e belas lições. Estou ansiosa para ler! 
Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.

Comentários via Facebook

Crítica filme A Bela e a Fera

26 março 2017
Postado por Livy


Bom, gente! Eu ia vir falar pra vocês sobre o que achei da live-action de A Bela e a Fera. Ia usar um monte de termos técnicos e comparações. Mas, olha, cá entre nós...Vou falar como uma fã apaixonada! 

Em primeiríssimo lugar, tenho que dizer que A Bela e a Fera é simplesmente o desenho da minha vida! O meu preferido da Disney! Eu cresci vendo! Sempre choro e me emociono assistindo! Não importa quantas vezes eu assista, jamais iriei cansar de ver! 

E ainda mais, quando tinha idade suficiente para entender que não se tratava apenas de uma bela moça se apaixonando por uma fera, amei a mensagem por trás da história de A Bela e a Fera. A força e laços da família, dos amigos, do amor. Lutar pelo que se acredita, mesmo que pareça impossível. Ver além das aparências e do material. Pois o que realmente importa são as atitudes, o interior... o que os olhos não podem ver, apenas o coração. Como não amar essa história? 

E então, 2017, o live-action! O medo foi grande, confesso! Será que iriam estragar o melhor desenho da vida? Sentei na cadeira do cinema. Coração na mão... Mas quando a sala ficou escura e a música começou, eu simplesmente já estava lá, mergulhada na experiência. E que experiência! 

Assisti dublado, e mesmo assim posso garantir que está maravilhoso e impecável! Os efeitos estão lindos! Os atores, todos eles, brilham na tela; e vê-los dando vida aos personagens do desenho, não tem preço! Eu cantei, vibrei, chorei e revivi toda a emoção e magia que vivi por anos assistindo A Bela e a Fera. Tudo, do começo ao fim... Está tudo lá! Cada detalhe, cada fala, cada música! E ainda com músicas e cenas novas que só vieram para somar. 

Nostalgia! Ao final, após a última cena, toda a sala de cinema explodiu em aplausos. E me emocionei ainda mais com toda a energia e vibração! Amei! Assim como a versão clássica da Disney, tenho certeza que jamais me cansarei de assistir! 

Se você não foi ainda, vai, porque tá lindo! 

"Sentimentos são,
Como uma canção,
Para a Bela e a Fera" 


Comentários via Facebook

[Resenha] Universos Afins, de Rainbow Rowell

24 março 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788542810349
Ano de Lançamento: 2017
Número de Páginas: 96
Gênero: Conto | Geek
Editora: Novo Século
Classificação: ★★
 Favoritado!
Sinopse: Estar numa fila não é uma situação das mais agradáveis. Porém, para a jovem Elena, acampar na frente do cinema só para acompanhar a estreia do mais novo Star Wars é nada menos que uma grande jornada. O problema é que em dias de internet (e compras de ingressos on-line), essa vibe de fila não é compartilhada por muitos outros fãs. Ao chegar ao cinema, dias antes da estreia, só há mais duas pessoas ali acampadas: Gabe e Troy, que entendem a fila como um ritual obrigatório para tornar aquela experiência algo realmente memorável. Universos afins é um saboroso conto geek sobre expectativas e sobre compartilhar paixões. Rainbow Rowell mais uma vez apresenta uma obra inocente e engraçada, com aquela pontinha de nostalgia que nos deixa com um nó na garganta, como há muito tempo atrás, numa galáxia muito, muito distante.
Gente! Universos Afins, da Rainbow Rowell é um conto de 96 págs. Leitura rápida, gostosa e... nostálgica! 


Elena é fã fissurada de Star Wars (ela poderia se chamar Livy), e está ansiosa pela estreia de O Despertar da Força nos cinemas. Afinal são anos de espera! Ela cresceu vendo a trilogia original por causa de seus pai e Star Wars se tornou algo essencial em sua vida! Ela quer viver a experiência completa: esperar na fila, interagir e se divertir com outros fãs. Sentir toda a expetativa, toda a emoção, como era antigamente! Ela quer a experiência toda!

Comentários via Facebook

[Resenha] Meu Coração e Outros Buracos Negros, de Jasmine Warga

06 março 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788579802683
Tradução: Petê Rissatti
Ano de Lançamento: 2016
Número de Páginas: 312
Gênero: Drama/ Romance
Selo: Rocco Jovens Leitores
Editora: Rocco
♥ livro cedido pela editora
Classificação: ★★
 Favoritado!
Sinopse: Um tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde.
Eu já imaginava que iria amar a leitura de Meus Coração e Outros Buracos Negros. E não me enganei. Este é aquele tipo de livro lindo que dá vontade de abraçar quando terminamos de ler, sabe? Que parte o coração, mas também o enche de esperança, de conforto.

Jasmine Warga traz em seu livro um tema de extrema importância: o suicídio. Atualmente, este é um mal que tem se tornado muito frequente, principalmente entre os jovens. O suicídio e a depressão é um mal silencioso, pois a pessoa que sofre, não fala, e as pessoas ao redor, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais. Por isso, é muito importante conversamos sobre, e livros como o de Jasmine são como uma luz, um fio de esperança. Talvez alguém que precise muito de apoio encontre conforto ao ler este livro.

Comentários via Facebook

[Resenha] Crave a Marca, de Veronica Roth

03 março 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788579803284
Tradução: Petê Rissatti
Ano de Lançamento: 2017
Número de Páginas: 480
Gênero: Ficção Científica/ Aventura
Editora: Rocco
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Sinopse: Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.
Depois da série Divergente, finalmente temos uma nova série de Veronica Roth.  Tem gente odiando e gente amando! Fica o questionamento: Crave a Marca é bom? Eu gostei! Porém, tem seus pontos negativos e positivos.


Quando comecei o livro me senti um tanto confusa e perdida. Demorei um pouco para "entrar" na história. Mas logo a trama foi começando a fazer sentido, fluindo e me envolvi. Porém, é o tipo de livro que se você piscar, pode acabar se perdendo um pouco. Isso porque Roth traz todo um novo universo, novos termos, novos horizontes. Mas nada que uma leitura tranquila e atenta não supere. Aliás, há um Glossário e um Guia de Pronúncia ao fim do livro, algo que ajuda bastante durante a leitura. E para mim, aqui está um dos pontos positivos do livro: justamente a criatividade de Roth ao criar o mundo de sua história.

A trama é bem interessante. Temos a Corrente que conecta a todos e toda a vida. Sendo a energia que rege todo o Universo. Vindo desse fluxo temos os dons-da-corrente, que são habilidades únicas para cada pessoa (pode lembrar um pouco, tipo... ahn, X-men). Alguns para o bem, outros para o mal. Temos uma Assembléia, que controla toda a política do sistema solar. Óraculos que preveem o futuro e as fortunas. Um planeta divido por duas nações que se odeiam. Um governante tirano e manipulador, que tem pretensões friamente calculadas e letais.

Comentários via Facebook

[Resenha] Os Príncipes Encantados Também Viram Sapos, de Megan Maxwell

01 março 2017
Postado por Livy

ISBN: 9788576572619
Tradução: Tamara Sander
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 376
Gênero: Romance
Editora: Suma de Letras
Classificação: ★★
♥ livro cedido pela editora
Kate e Sam se conheceram muito jovens, durante férias de verão na Califórnia, e se apaixonaram à primeira vista. O amor entre eles supera o tempo e a distância e, ao terminarem a faculdade, ele a pede em casamento. Os anos se passam e o casal parece ter construído a vida perfeita: eles têm uma carreira de sucesso, duas filhas lindas e ainda são apaixonados. Sam, que cresceu em um orfanato, conseguiu com Kate tudo o que sempre quis: uma grande família. Até que um telefonema muda tudo…
Megan Maxwell é o pseudônimo de uma autora que nasceu em Nuremberg, na Alemanha, em 1965, filha de pai norte-americano e mãe espanhola. Atualmente a escritora vive em Madrid, na Espanha. Megan é escritora desde 2010, quando publicou o seu primeiro livro: Desejo Concedido, e já publicou mais de 25 livros até 2015, o que dá uma média de cinco livros por ano. Megan também recebeu 13 prêmios literários, o primeiro em 2012: Prêmio Internacional Seseña de Novela Romantica; e o mais recente, em 2014: Prêmio Corazón. Aqui no Brasil, Megan Maxwell ficou bem conhecida pela Trilogia Peça-me o que Quiser, a qual já vendeu mais de 200 mil exemplares.
Será que realmente existe amor à primeira vista?
Em Os Príncipes Encantados Também Viram Sapos, Megan Maxwell fez um excelente trabalho na descrição das localidades e ambientação do romance. Dá até para se imaginar fazendo um tour pela ilha só de ler o livro. E é nesse clima tropical e paradisíaco que Kate e Sam se conhecem e travam um romance de verão típico daqueles encontros de férias. Quando regressam para Nova York, quando tudo indica que cada um vai para um lado, os dois acabam se casando, vão morar com a mãe Serena e a irmã Terry de Kate, e, por fim, tem duas filhas, Cat e Ollie.

Até aí parece o conto de fadas que termina com a frase: “todos viveram felizes para sempre”; Kate e Sam tem um lar feliz, festivo, com reuniões alegres e cheias de humor. Mas é justamente no que poderia ser o final feliz de um belo romance que a verdadeira história começa.

Comentários via Facebook

Veja os antigos!

Banner Publicidada – rodapé

Todos os textos, fotos e resenhas publicados são produzidos por e de uso exclusivo de No Mundo dos Livros. Exceto quando alguma matéria se baseia/inspira em alguma fonte, a mesma será sempre citada. Por isso, por favor, não copie nenhuma postagem sem a devida autorização.

Desenvolvimento com por